domingo, 26 de julho de 2015

Um Ensaio Trôpego



Foi fraquinho, mas estes jogos têm pouca importância do ponto de vista de resultado e até de exibição. Servem para aquecer os motores. Além disso, defrontámos o 3º classificado da Bundesliga.

PONTOS POSITIVOS

Em termos colectivos é difícil salientar pontos positivos, mas individualmente sempre se salientaram:

Aboubakar - tem sido insistente a notícia de que o FC Porto procura um ponta de lança, embora alguns dos nomes ventilados só possam cair no reino da fantasia, mas Aboubakar fez um excelente jogo, não só na sua comprovada eficácia de homem de área - excelente finalização no nosso golo - como no apoio que deu à equipa, recuando frequentemente.

Varela - Esta espécie de filho pródigo regressou com aparente vontade de impressionar. Há duas facetas "varelianas": a da molenga e a da eficácia. Esta última preponderou, especialmente na jogada do golo.

Marcano - não que tenha deslumbrado, mas cada vez me sinto mais seguro ao ver este homem no centro da nossa defesa. Decidido e firme.

PONTOS NEGATIVOS

O 4-4-2: não é o modelo que acho negativo, mas o modo como se apresentou. Jogar em 4-4-2 não é enfiar quatro médios, sejam quais forem as suas características, no meio-campo, e toca a andar. Se já temos uma monocórdica tendência a trocar a bola sem proficuidade, com quatro homens a meio-campo a coisa pode tornar-se verdadeiramente empastelante se entre eles não constar um tipo que seja capaz de furar "na vertical", como agora se diz.

José Angel - quando ataca até se lhe notam qualidades, mas na defesa este fulano chega a ser sobressaltante.

Maicon - bateu o recorde de biqueirada para a frente em toda a carreira, até agora detido por um voluntarioso central do Ramaldense dos anos 60. A FIFA presenteou-o com uma medalha comemorativa da efeméride. Não se confirma que vai para o Manchester United.


2 comentários:

Paulo Rodrigues disse...

Apenas um comentário pois não vi o jogo, o Varela faz sempre boas pré-épocas mas depois e inexplicavelmente o seu rendimento ao longo da época é totalmente diferente.

Daniel Gonçalves disse...

Gostei da referência irónica ao central do Ramaldense e do seu característico “chuto prá frente e os outros que corram”, penso que se está a referir ao Humberto Coelho, que depois se transferiria para o nosso rival.