sábado, 8 de agosto de 2015

Adios Adrian

A melhor noticia em dia de apresentação (quem se lembrou de inventar aquele circo dos dragões chineses como se houvesse conexão Beijing-Massarelos devia ser forçado a andar pela Grande Muralha ao pé coxinho) foi mesmo a guía de marcha de Adrian Lopez. Entre as lesões musculares (Brahimi é, já se sabe, um jogador de "vidro" e Cissokoh chegou agora por isso os problemas resultam do seu stage com o Villa, nada de que tenhamos culpa) e um jogo competitivo e sem golos (continua a ser o nosso grande problema mas quem se habitua a um génio sofre sempre ressaca), ficou claro pela boca do treinador o que já se suspeitava quando se anunciaram os jogadores.

Adrian Lopez nunca foi um negócio desportivo. Nunca.
O jogador não é mau (é vulgar e, sobretudo, um jogador que não gosta de treinar) mas nunca foi uma aposta desportiva do clube. Foi um negócio colateral entre o clube, o Atlético de Madrid, a Doyen e Jorge Mendes em que o Atlético se livrava de um activo (em Espanha há um máximo salarial do plantel que tem de ser respeitado e Adrian era um excedente a eliminar) que não tinha interesse e o FC Porto recebia-o por um tempo determinado com a certeza de que a sua saída estava assegurada. Entre dividas pendentes de pagar (Falcao), o empréstimo de Oliver Torres e o crescemente poder da Doyen-Mendes - que já negoceiam em nome do clube, algo impensável - o negócio Adrian foi colateral e sem zero influencia nos gastos do clube. Ele esteve por cá (jogou menos ainda do que o previsto pelas lesões) mas nos cofres do FCP não causou mossa do mesmo modo que não vai gerar lucro. As contas são ficticias e o circo montado à volta de um "falhanço desportivo" são para inglés ver.

Adrian, boa sorte para onde quer que sigas, foste apenas um numero como tantos outros. No futebol italiano dos anos noventa como Adrian havia centenas de jogadores e com o novo fenómeno de controlo quase asfixiante dos fundos - agora com Defensores uruguaios a servir de clubes ponte - é muito possivel que seja o primeiro mas não o último. A garantía é que já não há que pensar nele como um problema a resolver. No fundo nunca foi. O problema foi não explicar as coisas aos adeptos tais como elas são. Mas há quem prefira fazer como Bismark e não explicar como se fazem salsichas.

21 comentários:

José Lopes disse...

Miguel,

Como sabes que a saida estava assegurada? O Adrian nunca foi titular indiscutivel, mas foi aposta regular no inicio da epoca, dai que dizer que nao foi aposta desportiva e' arriscado...

Joao Goncalves disse...

Cada tiro cada Melro... Para quando uma limpeza de "lampiões" do leque de comentadores da Reflexão?

É que tudo o que é demais chateia...

Joao Vaz disse...

Nao concordo, podemos nao ter gasto dinheiro nele, mas veio para cobrir dividas, dividas essas que significam dinheiro, pois mais cedo ou mais tarde tinham que ser cobradas, por isso em vez de dinheiro ficamos com um "flop" que ganha bem... Quem ficou a perder nao foi o atl Madrid decerteza...

Felisberto Costa disse...

Pena não ir acompanhado de certa pessoa...
(Estou a citar á priori Pinto da Costa, naquela sua entrevista ao Jogo)...

Luís Vieira disse...

Já percebemos o ponto, Miguel, mas a apresentação teve outros motivos de interesse, bem para lá da falta de um jogador (bem dispensado, diga-se), dignos de apreciação.

Pedro disse...

Ó Gonçalves, eu acho que o Miguel Pereira é lagarto e não lampião, tás a ver?

Tens toda a razão, o que é demais chateia. E depois andem para aí a chorar-se pela blugosfera que o outro redator vos chamou zelotas. Há necessidade de uma limpeza, concordo, mas é de imbecilidades nas caixas de comentários. Olha, faz como eu: se não gosto dos blogues, não visito. E há muitos que aposto que te agradam. Nesses já eu dei cos pés há muito. Para ler conversa de sacristão não tenho pachorra.

Pedro disse...

Tenha ou não o Miguel Pereira razão, este negócio Adrian Lopez é do mais estranho de que me lembro, logo a começar pelos 11 milhões por 60% do passe.

Não havia por aqui um comentador chamado Hulk 11 Milhas, ou coisa parecida? É pá, se me estás a ler, muda para Adrian 11 Milhas!

Joao Goncalves disse...

Mas aì é que está caro Pedro

O Blog é bom exceptuado por um interlocutor que foge completamente do padrão do mesmo... se este blog fosse só do "artista" que acima escreveu, eu já cá não vinha à muito, mas não o é... é um blog comunitário com um dissidente...

Quid disse...

O autor do Post disse e disse muito bem que nunca que nunca que o FCP pagou, desembolsou 11 milhões pelo Adrian Lopez. Fui dos 1ºs logo a referir isso, até por simples, mera intuição e sem provas, factos para o comprovar. É que como na altura o referi, esses montantes, valores servem apenas para fazer encontro de contas; para regularizar contas-correntes de negócios anteriores ou posteriores.

Dinheiro vivo, palpável, tangível não houve.. tal como aconteceu com o Roberto, com o Pizzi, com o Bébé... entre muitos, muitos outros exemplos. Ou como agora, com o caso do Imbula, pois não estamos a ver o FCP pagar 20 milhões por ele.

E, claro não é numa simples janela de uma caixa de comentários que essas coisas se podem explicar, desmontar. E, é óbvio que nem todos atingem, conseguem lá chegar.

E por isso é que eu sempre digo que até os R&C são feitos, elaborados, moldados, maquilhados à medida do freguês.. é tal e qual os Pareceres, há-os para todos os gostos, cores e sabores. Assim como com os provérbios:

Por ex., eu posso dizer:

A sardinha e a mulher quer-se da maior que houver.

Mas também posso dizer:

A mulher e a sardinha quer-se da mais pequeninha.

E com as contas, os R&C é a mesma coisa.. os números podem manipular-se à vontade de cada um. Até com a conivência das Empresas de Auditoria.

Por ex., jamais esquecerei a Capa embusteira d' A Bolha dos Enganados:

Witzel e Hulk vendidos por 40 Milhões !!!

Quando na verdade, o Hulk foi vendido por mais de 60 Milhões, cabendo ao FCP uma fatia, uma parte sim, de 40 Milhões !!!

Este um exemplo paradigmático de como se podem manipular os números !!!

miguel.ca disse...

Este "file" Adrián Lopes é definitivamente para arquivar na pasta "desportivamente incompreensível" e se como refere o post, o seu propósito foi outro que não efectivamente servir a equipa de futebol, só demonstra a tristeza em que transformou o chamado futebol moderno e o explendor máximo do entreposto de futeboleiros em que o FCPorto se transformou.
Cada vez tenho mais saudades dos gloriosos tempos da mulherzinha a vender torrões à porta do Estádio das Antas.

Portista Sec XXI disse...

Pedro, estranho porquê? o que são 11 milhões para um clube RICO como é o actual FC Porto! mesmo que só tenham servido para comprar 60% do passe de um jogador com a categoria do Adrian Lopez :)

Não anda o clube a pagar vencimentos de clube RICO? ou será que o Maxi é portista desde pequenino?

Ou será que o Casillas veio ganhar em caramelos em vez de euros; se calhar até veio, é que a "velhice" não perdoa, mas mais vale abusar agora dos doces, pois não falta muito para a desejada reforma e os cuidados a ter com a saúde... pois já se sabe como são os diabetes :)

Pedro, acha que se o actual FC Porto não fosse um clube RICO, iria gastar 20 milhões no médio Imbula, em vez de ir buscar algumas semanas depois um avançado problemático a custo zero para colmatar a saída de Jackson?

O FC Porto "remediado" é que necessitou de dois anos para arranjar substituto para o Falcão... agora este o novo RICO, ainda nem a época começou e já cá está o seu substituto:)

Não sei se o Pedro sabe, mas só mesmo um clube RICO é que se pode dar ao luxo de investir o que o actual FC Porto já investiu e sem necessitar de ter um patrocinador a "manchar" o bonito azul e branco das nossas camisolas... sim porque os tão falados novos patrocinadores oriundos da China, só querem mesmo como contrapartida, que antes dos jogos, os nossos jogadores se mascarem de chineses e entrem em campo a segurar um Dragão Chinês... como sabe uma tradição de séculos aqui da nossa cidade e das nossas gentes... pelo menos não é o voar de uma águia :)

meirelesportuense disse...

-Uma afirmação do tipo da do Lourenço Pereira só pode sair de alguém muito ligado à máquina Portista, portanto, ou é conversa da Treta ou tão só, enorme dôr de cotovelo.
Como estou muito longe disso, prefiro pensar as coisas sem preconceitos e Adrián era um jogador promissor, se em Espanha o foi, porque o seria pior em Portugal?...
Quanto ao jogo de apresentação ficou-me a dúvida de, se é mais urgente um finalizador ou um central que dê ainda mais segurança àquela defesa.
No resto acho que o plantel é vasto e merece ser olhado com muita atenção. Olho de lince é necessário para colocar as peças nos lugares mais adequados.

Pedro disse...

Ó Meireles: dor de cotovelo do Pereira? A que propósito? Também estás a insinuar que o gajo é lampião? Já te disse que ele me cheira a lagarto, e olha que eu tenho faro apurado, pois em puto mamei nas tetas de uma cadela perdigueira.

Só te faltou dizer que "tenho de confiar nesta administração porque os gajos já lá estão há 30 anos", uma cassette que eu adoro, pois representa, para quem o diz, meter o cérebro na gaveta. Caraças, pá, o Salazar esteve lá mais que isso: e daí?

Miguel Lourenço Pereira disse...

A única critica que este post poderia ter - que não é sequer uma critica se não uma mera apreciação - à SAD FC Porto prende-se apenas com o parágrafo final e a falta de informação deste dossier.

O Adrian Lopez ajudou a pagar o que se devia de outros negocios, ajudou a facilitar o negócio Oliver Torres e não prejudicou as arcas do clube. Portanto de isso apenas depreendo que foi uma boa gestão ainda que, para fora, difícil de entender porque desportivamente não tinha sentido há um ano o ter trazido nem tem sentido agora deixa-lo sair quando parece livre de problemas físicos para demonstrar o que vale.

Mas quando se quer ver sangue por todo o lado, vê-se sangue.

Eu pessoalmente aplaudo a gestão deste e de outros dossiers deste defeso da SAD nomeadamente o inteligente regresso de Cissokho (a saida de Alex Sandro ficará, provavelmente, para Janeiro e apenas se não houver exigencia europeia) ou a forma como o Presidente se tem posicionado contra esse circo ambulate que da pelo nome de Vitor Pereira.

DragaoMinho disse...

Pois pois! Nao pagamos o Adrian Lopez...!
Humor refinado por estas bandas....!!
O negocio do Adrian foi comunicado á CMVM só para o caso de duvidarem!
Não fez mossa nas contas da Sad??
Se calhar fez, já pensaram nisso?
È que a unica forma de entender este negocio é este estar incluido no negocio de falcão, uma vez que o Atl. MAdrid ainda devia dinheiro e a nao ser que Adrian Lopez seja agora vendido pelos mesmos 11 milhoes, e não menos, concerteza que há prejuizo!

meirelesportuense disse...

Já agora Pedro:-Qual é a tua ó meu(?), pareces um infiltrado da Pide.
"Muda de vida, se tu não vives satisfeito, estás sempre a tempo de mudar, não deves viver contrafeito, se é que há vida em ti, a palpitar.."

Pedro disse...

Sou infiltrado, mas dos teus amigos do KGB, ó meireles! :-)

Luís Vieira disse...

Moral da história: o Quid acredita em tudo e no seu contrário. Uma existência um bocado esquizofrénica.

meirelesportuense disse...

Corrige, ex-amigos, ex-amigos...Agora tu ainda tens no bolso o cartão que te deram na António Maria Cardoso, para poderes enganar os condutores da Carris.

Dafil Nab disse...

Inveja só faz mal, e com essa atitude a dor de cotovelo deve ser diaria.
Parabens pelo EXCELENTE artigo, e continue a desprezar alguns comentarios que é o melhor que faz. Abraço

Drax disse...

Boa análise.

Julgo que a SAD teve algumas reticências em resolver esta questão por:

1) não esperar que o ativo se desvalorizasse desta forma,

2) não prever que o jogador, que vinha com cartel e currículo reconhecido, não coubesse sequer num elenco de 25 jogadores.

Faltou, acima de tudo, atitude a Adrián para mostrar que poderia ser uma mais-valia.

Também fiz uma apreciação ao caso no meu blog. Deixo aqui o link:

http://calcanhartrivela.blogspot.pt/2015/08/o-elefante-na-sala.html