quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Felizmente que não fomos

«a equipa do Benfica chegou a New Brunswick e foi surpreendida com uma temperatura a rondar os 40 graus. Aliás, perto das 18 horas, no início do treino, os termómetros ainda estavam muito altos. Dada esta condicionante, Rui Vitória e os restantes membros da sua equipa técnica estão a estudar a melhor forma de contornar a questão. Uma das soluções pode passar pela alteração do horário das sessões de trabalho para aproveitar os momentos mais frescos. Numa fase da época em que os futebolistas são castigados com grandes cargas físicas, é preciso dosear o cansaço de forma a assegurar um bom rendimento nos jogos e, mais importante, evitar lesões.»
in record.pt, 20 julho de 2015 | 06:00


Está muito calor mas temos de trabalhar nessas condições. Todos estão a trabalhar muito, concentrados nos objetivos. É mais fácil treinar quando está mais fresco (…)
Samaris (futebolista do SLB), 20 julho de 2015


«a equipa do Benfica foi confrontada com duras condições climatéricas que não irá encontrar nos jogos oficiais, na Europa. Frente ao América, na Cidade do México, os jogadores foram obrigados a jogar acima dos 2 mil metros numa metrópole conhecida pelos elevados índices de poluição e na próxima madrugada, em Monterrey, as águias serão submetidas a temperaturas a rondar os 35 graus»
in record.pt, 2 agosto de 2015 | 04:42


«Benfica concluiu a International Champions Cup na nona posição»
in ojogo.pt, 3 agosto de 2015


«o Benfica acaba de perder por 3-0 no novo estádio do CF Monterrey. Com uma atuação pobre e praticamente sem criar oportunidades de golo, os encarnados deixam a Eusébio Cup no México.»
in ojogo.pt, 3 agosto de 2015 | 06:08


O JOGO, 04-08-2015
Estamos com muita vontade de regressar a casa e vamos preparar-nos de uma forma muito afincada para o próximo jogo [Supertaça Cândido de Oliveira, dia 9 de agosto]. Há aqui uma concentração de quase 20 dias, que é um bocadinho complicado (…) Felizmente que tudo isto terminou [a digressão do SLB pelo Canadá, EUA e México] e vamos regressar ao nosso habitat natural
Rui Vitória (treinador do SLB)
3 agosto de 2015 | 06:46


«O jogo dos encarnados terminou às 6 horas portuguesas (meia-noite no México) e a comitiva benfiquista tinha viagem marcada duas horas depois. Ou seja, o Benfica iniciou a travessia do Atlântico já depois das 8 horas (Portugal), com chegada prevista a Lisboa para as 19 horas.
O cenário ideal, nestes casos, e para encurtar a recuperação, seria uma adaptação rápida ao fuso horário português já em pleno voo. Na verdade, era isto que as equipas técnicas e médicas tinham previsto, embora com algumas condicionantes.
Já adaptados à hora mexicana, seria impossível pedir aos jogadores que, após o jogo com o Monterrey, se mantivessem acordados, já que em Lisboa era de manhã. Para minimizar estragos, foi-lhes pedido que dormissem o menos possível durante a viagem, tentando ignorar o cansaço, natural após um jogo, e ainda por cima com o fuso horário a desfavor.»
in record.pt, 3 agosto de 2015 | 08:05


A BOLA, 04-08-2015
19 dias seguidos em digressão, longe de casa e da família.
Viagens atrás de viagens (cerca de 20 mil quilómetros percorridos).
Temperaturas e humidade (muito) elevadas, que afetaram treinos e jogos, um dos quais disputado em altitude (na Cidade do México).
Três golos e zero vitórias em cinco jogos.
Resultados desportivos péssimos e, diz quem viu, exibições confrangedoras.

Li, algures, que o SLB terá encaixado um cachet de pouco mais de 3 milhões de euros com esta digressão de quase três semanas.
É pouco, muito pouco, para quem regressa a Portugal com o plantel de rastos (física e emocionalmente) e o prestígio internacional na lama.

Em finais de maio passado, a explicação dada pelo FC Porto, para desistir da participação na International Champions Cup, não me pareceu aceitável. Contudo, eu agora olho para os contornos desta digressão horrenda do SLB por Canadá, EUA e México (e veremos que consequências terá na época dos encarnados de Lisboa) e vejo com outros olhos essa decisão (que se revelou acertada) da Administração da FC Porto SAD.


«O FC Porto comunicou a sua incapacidade de completar o programa completo na International Champions Cup 2015 e foi por isso substituído», afirmou a Relevent Sports, em comunicado oficial.

Tínhamos dado o acordo para fazer jogos em Nova Iorque. Unicamente, havia um quarto jogo no México que o treinador e nós, departamento de futebol, entendemos que uma coisa é jogar no raio de 100 ou 200 quilómetros. Outra era fazer cinco horas e meia de viagem de avião e jogar a dois mil metros de altitude com 40 graus. Entendemos que era prejudicial e que não iríamos.
Pinto da Costa, 24 maio de 2015, em declarações ao JN


Felizmente, que o FC Porto ainda foi a tempo de substituir uma digressão longa, passando por Canadá, EUA e México, por uma pré-temporada na Europa, bem estruturada, com jogos em clima ameno e nos “fusos horários certos” e defrontando equipas da 1ª metade dos campeonatos alemão, espanhol, inglês e italiano (em vez de New York Red Bulls, América e CF Monterrey deste Mundo).

29 comentários:

manuelpereira365 disse...

ora nem mais... e a prova dos 9 vai ser ja no Domingo

jnporto disse...

Não fomos. Decisão acertada. Mas em termos de imagem o que vai contar, vai fazer a "verdade" tuga nacional, será o glorioso ter sido convidado em detrimento do FC Porto, devido ao seu prestígio internacional e a falta dele do FC Porto. Os pequenitos Santos e Simões, o artista C Daniel, os patetas Servan e Silva, o Gobern e a troupe do costume encarregou-se e encarregar-se-á disso.

JON disse...

E? Que contam essas medições de pilas? Eu pessoalmente estou-me a marimbar...

Pedro Mota disse...

É diferença entre uma grande administração e uma que não soube olhar aos interesses da equipa..Pinto da Costa e Antero estão de parabéns com esta decisão, souberam por os interesses desportivos á frente dos financeiros..Coitado do Rui Vitória que não teve da sua administração a clarividência necessária para entender que estas digressões são nocivas para as equipas, apenas beneficiam os aspecto financeiro..A administração tem sido excepcional na preparação desta época, não em faltado nada á equipa, agora treinador e plantel tem que cumprir o seu objectivo e sermos campeões..
Estou muito optimista..

José Correia disse...

"...o glorioso ter sido convidado em detrimento do FC Porto..."

Falso.
O SLB foi convidado DEPOIS do FC Porto ter comunicado à organização que desistia da participação, por não querer disputar o 4º jogo no México.

Gonçalo Rodrigues disse...

O que foi dito e escrito pelas outras facções clubistas de pouco ou nada nos deveria fazer diferença. O que me preocupa enquanto adepto é que as primeiras vozes de discórdia e até de alguma imprudência sejam de nós Portistas. Hoje vemos que a nossa estrutura ao justificar em pormenor aquilo que o comum adepto não vê, está a dar um prova de que nada é descurado. Nem tudo me parece bem mas juízos de valor antecipados e avaliações precoces não são a melhor solucao. Espero e quero acreditar que a nossa preparação possa fazer a diferença no arranque deste campeonato e que o primeiro ciclo de 5 jogos corram bem a nós e não aos outros.

Carrela disse...

Mais uma prova de que temos gente que erra (até pela forma como desmarcaram a participação) mas erra menos que os outros!

Tenho tido esta discussão constantemente com os meus amigos do clube do colinho, de que vão sofre consequências pelo passeio desgastante pelas Américas. Que Rui Vitória, não teve condições para treinar como seria desejado...

Vamos ver!

Foram uma segunda escolha e tiveram uma prestação de terceiro categoria...

Muito bom!

Carrela disse...

É um alívio chegar ao Blog e ver que há um novo artigo do............. José Correia!
Independentemente de gostar mais ou menos, concordar mais ou menos, um coisa é certa, são bem sustentados por factos e deduções com lógica.

Obrigado.

Abraço

Joao Goncalves disse...

Com isto a nossa administração/treinador deram 2 lições:

1) Que se recusa alguma coisa é por alguma razão séria e que os outros que foram logo correr atrás vão(estão)= sofrer as consequências.

2) Que se querem uma equipa do prestígio do FCP a participar numa competição com outras grandes equipas, tem de respeitar e acordar com o FCP o melhor para este e não o melhor para o torneio... assim levaram com uma equipazeca que só foi fazer vergonhas por aquelas terras.

Joao Goncalves disse...

Definitivamente!

Luís Vieira disse...

Do ponto de vista financeiro, participar na International Champions Cup é óptimo. Para além do cachet avultado, permite uma enorme exposição mediática, que é sempre benéfica, independentemente dos resultados. Do ponto de vista desportivo, é mau, por todos os motivos e mais alguns, conforme aduzido no texto. O Porto andou bem ao recusar-se a participar na competição, em virtude da deslocação ao México. Mas não tenho dúvidas de que se estivéssemos em tempo de vacas gordas (no que respeita a títulos), como está o Benfica, a decisão teria sido outra. A secura traz alguma racionalidade às decisões: interessa mais o vector desportivo do que o económico. O Paulo Fonseca teve de ir para as Américas e, provavelmente, isso foi mais um dos factores a contribuir para uma época desastrosa. Só espero que o mesmo se verifique para os lados da Luz.

Felisberto Costa disse...

A necessidade aguça o engenho...
Desta vez a necessidade toldou o engenho!
E por outras... só o FC PORTO (Benfica) é que foi convidado (obrigado) a ir ao México. Todas as outras equipas europeias, não o foram. Porquê? Porque se recusaram, ou porque Portugal ainda continua a ser um país pequenino e... manobrável? Aspecot que Vieira deu a entender que sim...

jnporto disse...

Agradeço a nota [JC] . Deveria ter escrito "em vez" em lugar de "detrimento". Feita a correcção. Quanto à "medição de pilas" [JON] tomo nota do "nível" do comentário.

JON disse...

Não leve como uma crítica pessoal. Não foi. Só acho que já conhecemos muito bem pelo que se pauta a comunicação social portuguesa e os opinadeiros. Portanto, quero lá saber o que dizem ou pensam... Se pensassemos todos assim, escusávamos de dar valor a palermas como o Pedro Pinto que teve exactamente o que queria: exposição e satisfação por nos ter ferido...

JOSE LIMA disse...

José Correia
Obrigado por ter voltado a comentar. Neste post só faltou referir que a "instituição" teve mesmo que ir pedir esmola. É que, embora aos seus adeptos pouco importe, está completamente falida e incapaz de resolver o seu Passivo nas próximas décadas. A política de desmantelamento do plantel a qualquer preço, conjugada com a falta de aquisições sonantes é prova disso. Era só este pormenor. Abraço

jnporto disse...

Não levo. Tudo bem, Caro JON. Toca no ponto; quando reagimos estamos a dar-lhes visibilidade e importância, logo deixemo-los a falar sozinhos. Não dou para esses peditórios. Pela minha audiência todos os painéis que nos inundam as TV estavam falidos mas confesso que sempre vou dando uma olhada às capas do jornais e aos apontamentos dos blogs amigos. E como não consigo ficar indiferente à pouca vergonha com que habitualmente tratam os Portistas reajo assim. Cordiais Saudações.

José Correia disse...

"Do ponto de vista financeiro, participar na International Champions Cup é óptimo"

Segundo li (e refiro isso no artigo), o SLB encaixou cerca de 3 milhões de euros por 5 jogos.
É um valor interessante, mas não me parece que seja óptimo e muito menos um valor que justifique uma digressão com estes contornos.

José Correia disse...

"Para além do cachet avultado, permite uma enorme exposição mediática, que é sempre benéfica, independentemente dos resultados"

Com a contratação do Casillas, o FC Porto obteve uma exposição mediática (por boas razões) a nível mundial, aí umas 100 vezes superior à exposição mediática (por más razões) que o SLB obteve com esta participação na International Champions Cup.

José Correia disse...

Sim, caro José Lima, é provável que o SLB tenha aceite aquilo que o FC Porto recusou porque, com o fim do BES, é capaz de estar mais "apertado" em termos financeiros.
Abraço

ASA disse...

Concordo que fizemos bem em não ir, mas a forma como o fizemos foi patética e desprestigiante. Não se assina um acordo de participação num torneio sem saber as datas e locais dos jogos. Se a SAD não sabia, então não deveria ter assinado. Amadorismo que antigamente não se via.

Luís Vieira disse...

Desconheço o valor exacto que o Benfica facturou com a participação (há que estar atento ao R&C), mas entre prémios, bilheteiras e direitos televisivos terá certamente compensado - e muito - ou não tivesse a Eusébio Cup sido desterritorializada para o México. Daí o óptimo. No que respeita ao mediatismo, a contratação do Casillas é um oásis. Uma excepção que acontece quando os astros se conjugam. A participação na ICC não: pode ser mais regular e garantir uma exposição única anual, noutros mercados. Os resultados são peanuts. É claro que é preferível ganhar, mas o que interessa é aparecer num torneio de prestígio com grandes nomes do futebol mundial. Se o futebol fosse só economia, não havia grandes dúvidas na decisão a tomar.

meirelesportuense disse...

Recordo que na altura em que o FCdoPorto decidiu sair desta digressão de pré-época choveram críticas e recriminações. Lembro-me p.ex. de alguém que reclamava ter de ser indemnizado. Hoje as coisas parecem dar razão ao Directivo Portista. Pode ter sido apenas sorte, mas mesmo nisso é preciso saber jogar.

José Correia disse...

"Desconheço o valor exacto que o Benfica facturou com a participação (há que estar atento ao R&C), mas entre prémios, bilheteiras e direitos televisivos..."

Neste tipo de jogos/torneios, ou se recebe cachet, ou se fica com os direitos televisivos dos próprios jogos.
O SLB recebeu um cachet. Nada mais.

José Correia disse...

"No que respeita ao mediatismo, a contratação do Casillas é um oásis. Uma excepção que acontece quando os astros se conjugam. A participação na ICC não: pode ser mais regular e garantir uma exposição única anual, noutros mercados."

A contratação do Casillas garante um mediatismo muitíssimo maior e muitíssimo mais prolongado no tempo, do que participações episódicas em torneios como a ICC.
Sobre isto, não há a mais pequena dúvida.

José Correia disse...

"...o que interessa é aparecer num torneio de prestígio com grandes nomes do futebol mundial"

Grandes nomes do futebol mundial?!!!
Tirando o PSG, quem foram os outros "grandes nomes do futebol mundial"?
O New York Red Bulls?
O América?
O CF Monterrey?

pdr disse...

Um verdadeiro tiro no pé de quem pensava aproveitar uma oportunidade de humilhar o FCPorto enquanto lucrava com o cachet, mas que na verdade apenas resultou numa péssima pré-época, chegando a Agosto com uma equipa fisicamente mal preparada e com os nivei motivacionais de um Jesus ajoelhado. Bem apontados para perder já a Supertaça e ficar sem treinador, que verá o seu lugar tremido.

A troca de lugares na Champions Cup pode vir a ser a nossa maior "contratação" do Verão, no que toca ao campeonato nacional.

Luís Vieira disse...

Volto a frisar: há que apurar com exactidão quanto o Benfica recebeu pela participação no torneio, seja por cachet, seja por direitos televisivos, seja por qualquer outro motivo ou designação. Não terá sido uma fortuna mirabolante, mas foi certamente compensador. Reitero: a contratação do Casillas é um acontecimento excepcionalíssimo. Se o Casillas se for embora no final desta época, perde-se de imediato o efeito prolongado no tempo. Pelo contrário, se o Porto participar anualmente no ICC, como os grandes clubes do futebol mundial o fazem (não é por acaso), terá uma exposição mediática mais regular, permanente e duradoura, que não circunscrita a um espaço temporal limitado pela duração de um contrato (no caso, do Casillas). Por último, quanto aos grandes nomes do futebol mundial que participaram no torneio, que tanto espanto causaram, reafirmo: grandes nomes do futebol mundial! Passo a citar: Manchester United, Chelsea, Barcelona, Real Madrid, Manchester City, Inter, Milan, etc. Lá porque é o Benfica a jogá-lo não vamos desvalorizar o torneio. Os vermelhos jogaram contra o PSG e a Fiorentina, clubes não desprezáveis, mas estiveram envolvidos num torneio de âmbito mundial que cativa a atenção de milhões de pessoas. Ademais, jogar contra o NY Red Bulls, o America e o Monterrey não é desprestigiante. Representa também um piscar de olhos aos mercados americano e mexicano. Face ao exposto, não vejo porque não considerar benéfica, do ponto de vista económico e publicitário, a participação na ICC.

Luís Gagliardini Graça disse...

Concordo em absoluto com o comentário do Carrela. O José Correia devia ser "obrigado" a escrever. No bom sentido, claro.

José Rodrigues disse...

Parece que afinal PdC confundiu New Jersey com a cidade do México. Estava mesmo 40 graus, mas era no país errado (já agora, a temperatura aquando do jogo na cidade do México nao chegava aos 25 graus, como é normal para aqueles lados).