domingo, 16 de agosto de 2015

Uma equipa nova

Na época 2014/2015, o onze tipo dos dragões foi a seguinte:

Fabiano / Helton
Danilo, Maicon, Indi / Marcano, Alex Sandro
Casemiro, Herrera, Oliver
Quaresma, Jackson, Brahimi

Ontem, no 1º jogo oficial da época 2015/2016, Lopetegui apresentou um onze inicial com sete alterações em relação ao onze tipo da época passada, cinco dos quais - Casillas, Maxi, Danilo Pereira, Imbula e Varela - nem sequer faziam parte do plantel.

Onze inicial do FC Porto frente ao Vitória Guimarães

Ou seja, frente ao Vitória Guimarães, o FC Porto apresentou uma equipa nova, principalmente do meio campo para a frente, o que implica haver ainda muito trabalho por fazer, em termos de criação de rotinas, ensaio de bolas paradas, entendimentos, acertos, etc.

Surpreendentemente, ou talvez não, quem mais se destacou foi o sucessor do “insubstituível” Jackson, Aboubakar, que marcou 2 golos e o sucessor do novo lateral direito do Real Madrid, Maxi Pereira, que fez duas assistências (para o 2º e 3º golos do FC Porto).

Capa do JN de 16-08-2015

Dito isto, ainda faltam 15 dias para o encerramento do mercado, o que significa que poderá haver mais saídas (os nomes de Alex Sandro e Herrera estão na agenda de alguns clubes e continuam a ser falados) e/ou novas entradas.

25 comentários:

littbarski disse...

Falta acertar o meio-campo. O Herrera parece que chegou agora, vindo de um continente onde o futebol acabou de ser descoberto. O Imbula conseguiu, jogando mal, ser melhor do que ele. Não dá para meter ali o Brahimi, ao menos nos jogos em casa? Ou é para jogar sempre sem criativos?

Luís Vieira disse...

Entrada com o pé direito no campeonato, como se impunha. O Vitória foi fraca oposição, mas o Porto apresentou-se bem, dominando o jogo, com a mesma matriz do ano passado, a carecer de afinações, principalmente no meio-campo. Destaques: Aboubakar e Maxi. O primeiro foi o MVP. 2 golos e muita disponibilidade e entrega ao jogo. Mais preparado para jogar de costas para a baliza, bem nos apoios e a assistir os companheiros. Estreia auspiciosa, a espicaçar o Osvaldo. O urugaio esteve muito bem ofensivamente, oferecendo 2 golos e integrando-se no ataque com qualidade. Notou-se já algum entrosamento com o Varela, que também rubricou uma boa exibição. O meio-campo, na 1a parte, esteve emperrado, não conseguindo desequilíbrios (que ficaram reservados para as alas). Na 2a parte, com as substituições (um Herrera a todos os níveis desastroso), a produção melhorou (muita personalidade de André André e Evandro a confirmar-se a solução criativa mais evidente) e a goleada podia ter acontecido. Enfim, foi bom regressar ao Dragão com jogos a doer.

João disse...

Reprise do ano passado, futebol sem ideias no último terço, sempre dependente de um rasgo individual, trabalharam as bolas paradas ofensivas e já não é mau. Surpresas só pela negativa, com Imbula e Herrera (Evandro e André entraram muito melhor) a serem dois redondos zerinhos, Danilo bastante bem, como a dupla de centrais. Maxi, Varela e Aboubakar ao nível. Casillas muito bem nas reposições, foi um pormenor que me ficou na retina. Brahimi só entrou para conjugar o verbo encher.

Faz-me alguma confusão que para os lados de Telheiras e, em menos tempo, se tenha posto a jogar à bola uma equipa com quase tantas alterações ao 11 e um esquema táctico completamente novo (com todas as debilidades naturais de um Sbórdem) e por cá se continue com as mesmas dificuldades que já levam um ano e tal. E não é o Lucas Lima nem o Óliver que iam solucionar a coisa portanto nem se use essa desculpa.

Mas só isso, nada de grave nem nada de muito apelativo.

DC disse...

De mau só tenho a apontar o costume: Herrera.
O facto de conseguir ser profissional de futebol já me admira, ser titular no Porto deixa-me chocado.

E André André? Por favor deixem-no estar sentadinho. Para se jogar no Porto é preciso saber receber uma bola sem ela fugir 5 metros.

João M disse...

Boa noite, não concordo em relação ao Imbula, não esteve tão bem na 2 parte como na 1ª, mas mesmo assim acho que esteve bem, numa posição fulcral do terreno, quando o Herrera só fazia corpo presente. Quanto ao Sporting não é dificil ter um futebol agradavél (e quando digo agradável digo ofensivo) quando se joga com 2 avançados e dois extremos a fazer de medios alas. Mau mau é quando têm de defender e só por milagre é que ganharam o jogo.

Cumprimentos.

Madeiran Marvel disse...

Nao compreendo como tanta gente acha que o Imbula jogou mal... esforcou-se, consegue chegar a posição de remate varias vezes (nao marcou mas pelo menos estava la ), mostrou inteligência a cometer faltas para cortar contra ataques, mostrou músculo, encontrou os alas varias vezes em espaço... enfim fez muito para um jovem que so podia falar frances com o Aboubakar.

O Herrera também me deu um ataque de nervos, parece fisicamente cansado ou sem frescura mental... os assobios so vao piorar o problema... vejamos como o Varela jogava quando era assobiado e agora que nao.... Também ele abdicou de mais tempo de ferias depois da Gold Cup, acho que nem teve uma semana de repouso por causa da selecao e na época anterior igualmente teve muito pouco tempo para descansar... o homem se farta de correr nos jogos e e natural que ele esteja cansado (talvez nao diz para nao perder espaço na equipa)... os assobios nao podem começar logo no primeiro jogo da época, isso deixou-me muito mais preocupado do que as falhas do Herrera.

Luís Vieira disse...

DC, o André André entrou bem. Melhorou a fluidez de jogo no meio-campo e teve boas iniciativas (numa delas isolou o Aboubakar). Não vejo motivo para tanta repulsa.

meirelesportuense disse...

Voltamos a notar o velho problema que é colocar um meio campo devidamente rotinado. Ontem regressamos à indefinição da época passada, com Herrera a vir buscar constantemente a bola entre os centrais, passar a dita e correr a colocar-se junto a Aboubakar no eixo da defesa contrária...para quê? Para nada.
Mudem, mudem sempre, constantemente, até acertarem um dia.

JON disse...

Tenho gostado muito dos primeiros jogos da época. Muita consistência, os jogadores conhecem bem as rotinas e sabem o que fazer em campo. A acrescer a isto tenho visto algumas (tentativas de) melhorias na alternância com jogo interior e mesmo nas bolas paradas ofensivas. Não será alheio à melhoria no jogo interior estar Imbula a jogar, ele que me parece craque total dos pés à cabeça. Fisicamente é um animal e tecnicamente também é muito forte, sendo que tem por característica fazer muita progressão com bola, criando espaços facilmente. Precisamente por isto Evandro é neste momento o parceiro mais que ideal para Imbula, por oferecer sempre a sua inteligência ao jogo: linhas de passe constantes, devoluções simples no espaço criado por Imbula. Já Herrera sinceramente não percebo, nem me vou alongar mais… É conhecido de muitos o que penso deste jogador.

Herrera de resto fez André André parecer Iniesta… E André está longe de me convencer, portanto…

Aqui uma imagem interessante de como há (mais) procura por jogo entrelinhas, muitas vezes com 1 ou os 2 extremos por dentro e os laterais a dar largura. Achei também interessante que os centrais tenham tentado muitas vezes o passe frontal nos interiores, queimando logo 2/3 adversários, por contraste ao que fazíamos quase sempre o ano passado com bola sempre a sair pelo lateral ou transportada desde trás por um dos interiores que baixava para pegar. Marcano falhou um destes passes. São arriscados, mas pelo que trazem ao jogo acho que vale a pena o risco…

https://pbs.twimg.com/media/CMkkTuIWEAARAUz.jpg

Danilo precisa de afinar muita coisa ainda. Aonde muita gente viu um grande jogo porque ganhou todos os duelos físicos (verdadeiro e importante), eu vi também muitas falhas de posicionamento por não entender jogo de coberturas quando o mesmo o obriga a sair da posição 6. Para não falar que se lhe pedirem mais que apenas entregar curto, sai charutão…

Varela bem no que é bom: entende os posicionamentos que lhe pedem, está bem fisicamente o que é fundamental para que renda, e cumpre com o que lhe pedem. Por exemplo: em organização defensiva, bola no corredor oposto ao dele, recupera sempre e bem para trás da linha da bola numa posição central, para ocupar bem o espaço. Continua com os pecados de sempre: é limitado com bola, certinho, mas limitado. Tello bastante bem no jogo colectivo (sempre a procurar vir para dentro e dar jogo, em vez de centrar de olhos fechados), embora sem confiança e as coisas não lhe saíram. Engraçado o que muitos disseram: Varela, no seu golo, melhor que Tello no lance em que J.Afonso corta com a cara em cima da linha. Parvoíce! Ambos fecharam os olhos e chutaram, um teve sorte, outro não.

Aboubakar muito muito forte e a mostrar uma inteligência de jogo que não lhe reconhecia o ano passado. O físico fortíssimo e alguma capacidade técnica já tínhamos visto. Esta capacidade de fazer jogar, não. Que continue e que quando os golos não surgirem não lhe caiam em cima. Deu à equipa no sábado muito mais do que os golos.

Muito satisfeito com a vitória. Marítimo pela carga emocional pode fazer disparar as coisas.

PS: para fecho do mercado, desejo muito muito muito a saída de Herrera e a entrada de um médio criativo. O único disponível é Evandro e eventualmente Bueno em determinados contextos.

DC disse...

Não vê? Veja o lance do amarelo dele. E depois pense que em vez dum Vitória é um Bayern a pressionar alto. A conclusão sobre o que acontecerá é simples.
Em futebol de topo os jogadores ou são tecnicamente exímios ou não podem jogar. E o André não tem técnica para jogar no meio-campo do Porto, nota-se logo pela recepção de bola onde ele tem imensas dificuldades Eu adorava ter um portista como ele a titular, mas ele infelizmente não serve.

Paulo Rodrigues disse...

DC assino por debaixo como é possível alguém gostar/elogiar o Herrera?!!! Corre corre e corre mas nada faz, alias minto faz: falhar passes, golos, posicionamento irregular etc... Custa-me ver um jogador destes no fcp.

Nuno Leal disse...

Herrera sempre o patinho feio. falhou imenso, sim, está visivelmente cansado o que o fz falhar muita coisa, mas mesmo cansado quase sem férias, ainda corria que se fartava. O Herrera é um pulmão, vai ser fundamental neste nosso meio-campo quando estiver em forma. E vai marcar muitos golos nestas transições.
O André-André entro bem, entro à Ruben Neves, bons passes, sempre na linha da bola.
O Imbula tem tudo para ser um grande jogador quando estiver em forma. Na minha opinião quase fez tantos disparates (falhar o remate, falhar passes, perder a bola) como o herrera, mas pronto , ainda não é patinho feio.
O Aboubakar deixou-me muito feliz: a sua entrega ao jogo, os golos, os passes a rasgar a defesa (se o herrera tivesse marcado aquele golo), muito, muito bem Abo!
Maxi: entrou muito bem a fazer o que sabe fazer: muitas faltinhas, muita corrida lateral e óptimos passes (2 para golo!). Aqui, ou no sob, ou no uruguai, maxi é isto e fez esquecer o danilo logo no 1º jogo. Se continuar assim... espero! Continuo é a recear os vermelhos ao longo da temporada, porque faz realmente muitas faltas. Muitas delas cirúrgicas, necessárias, mas que as faz, faz. Contei umas 8. E ontem nem deu nenhuma entrada dura como é seu timbre. E saiu do dragão com amarelo. Tenho medo. Vamos ver. Mas temos lateral a comer a relva, isso temos.
Sobre o varela, outro dos melhores, talvez não vá ter estampa física para aguentar a boa forma toda a época. Mas é muito mais útil do que o quaresma. Como sempre foi quando nas equipas de villas-boas, jesualdo e vitor pereira. Sempre marcou golos e apoiou as grandes estrelas como o Hulk, por exemplo. Aqui será o Tello. Varela gosta de ser o melhor dos segundos. Já quaresma quer ser o melhor, ponto. E já não consegue sê-lo tanta vez, ponto. Joga sozinho muitas vezes, Varela não.
Danilo Pereira, às vezes parecia ver o William carvalho no nosso meio-campo. Ainda não está em forma acho e já joga como joga. Gostei muito. Mas é como o William, nos mínimos tem corpo, quando estiver em forma virão os bons passes e até bons remates.
Casillas, ainda ninguém falou, fez o que um grande guarda-redes deve fazer: ralhar com a sua defesa e quando necessário estar lá. Duas óptimas defesas que se calhar qq outro faria mas cruciais para não levarmos um goo na contra-corrente como tantas vezes nos últimos dois anos.

Agora a defesa:
meus deus, maicon e marcano. Maicon nunca mais é pepe. Mas mesmo assim não faz os erros que o marçano faz. Num deles íamos levando golo. É sem dúvida o nosso calcanhar de aquiles. Indi a mim parece-me melhor, mais certinho mas também não dá garantias. Precisávamos de um central à séria. Please.

Carlos disse...

Foi impressão minha ou tivemos mais lances estudados de bola parada ?
muito mais do que sucedeu na época passada

João disse...

Mas o Evandro tem lá um enterro semelhante sobre a linha lateral do lado do Alex e não era o mais melhor médio que lá andava?

JON disse...

Ou seja: para ser melhor que o Herrera, não pode nunca jamais em tempo algum perder uma bola?

Messi, tás lixado!

Luís Vieira disse...

Mas o Porto não joga regularmente contra o Bayern. O André André não é um primor técnico, mas tem utilidade no plantel. Para o campeonato português chega e sobra. Retomando a exibição de Domingo, esse é capaz de ser o único erro da exibição. De resto, esteve bem e fez coisas interessantes, tecnicamente falando.

Luís Vieira disse...

JON, acho que as tentativas de jogo interior ainda são tímidas. A primazia continua a ser dada aos desequilíbrios pelas alas. Espero pelos próximos jogos para confirmar esta ideia. Reconhecendo a enorme valia do Imbula, penso que neste jogo esteve discreto e que há uma certa incompatibilidade com o Herrera. 2 médios de transporte não combinam e se no ano passado percebia a preferência do Lopetegui pelo mexicano, em função das opções disponíveis para o meio-campo, este ano, com Imbula e Danilo, o Herrera deixa de ser necessário e o Evandro, na falta de reforços, justifica a titularidade. O Danilo tem-me impressionado pela segurança, com e sem bola. Concordo que carece de afinações, mas vejo um Fernando em potência. 100% de acordo em relação ao Varela, mas noto alguma condescendência com o Tello: um jogador que veio de La Masia não pode/deve falhar tantas execuções. O Varela, mais limitado física e tecnicamente, esteve num patamar superior nesse aspecto (e tenho a mesma visão dos lances que referiu). Para mim, o Varela ganhou o lugar ao Tello.

João disse...

Um tinha a baliza toda para fuzilar, outro não.

JON disse...

Luis, o jogo pelas alas continua a ser o predilecto, mas é bom criar alternativas e variabilidade, o que cria inclusive duvida no adversário! Acredito que Lopetegui está atento a isso.

Tello saiu de lá masia, e? Tem de provar mais q os outros por isso? Não partem todos do mesmo patamar?

Não entendo mesmo isto de se cobrar mais ao jogador em função da proveniência ou custo.

Tello decidiu quase sempre bem. Executou mal algumas vezes, mas entende o jogo como poucos no nosso plantel.

Luís Vieira disse...

Concordo e espero que essa variabilidade surja mais amiúde. Tenho muita pena de não ver uma dupla Óliver-Imbula, que ajudaria muito à festa. Se o Danilo se afirmar e crescer, como espero, seria um meio-campo fortíssimo. Penso que quem recebeu os estímulos daquela formação e jogou ao mais alto nível com Messi & Cia. Lda. tem mais instrumentos para vingar. O Tello pode entender muito bem o jogo, mas continua a vacilar na hora da verdade (é incrível como suplanta facilmente os adversários em velocidade e depois desperdiça os lances; dá a sensação que hesita, que o cérebro não acompanha a rapidez do corpo). Vi-o acontecer algumas vezes à minha frente no Domingo, mas não tantas quantas as do jogo contra o Nápoles, em que foi um fartote. Não esqueçamos que é um dos jogadores mais bem pagos do clube, não pode apenas render em grande durante 2 meses e depois oscilar no resto da época, como no ano passado. Enfim, acho que é um jogador com características únicas no plantel e só espero que decida/execute melhor e com maior regularidade para se confirmar como aquilo que promete ser. Caso contrário, habemus Varela.

DC disse...

Eu não olho para o Porto com jogadores para o campeonato e jogadores para a Champions. Quero jogadores de topo no Porto até para a taça da liga. E o André nunca será de topo. E não, não foi o único erro porque não foi a única recepção falhada.

Luis Miguel Cruz Pereira disse...

Boa tarde. Na minha modesta opinião penso que a equipa funcionou muito bem. Sólidos a defender e com muita saída de bola jogada, começando no nosso enorme guarda redes, passando pelos quatro defesas que estiveram impecáveis, o nosso meio campo trabalhou muito e fez jogar muito a bola a equipa, mesmo quando entraram o André e o Evandro. posso dizer que cheguei a ter arrepios de emoção ao ver jogadas de tanta qualidade ao primeiro toque e a criarem lances de golo. De realçar que o Herrera apesar de não ter jogado como ele queria foi um elemento de muito garra, de certeza que haverá jogos melhores, gostei muito dos médios Imbula, Evandro, Danilo, e André André, o trio atacante esteve irrepreensível. Parabéns nosso Porto, tenho muito orgulho em vocês por isso digo "Somos Porto", Força Dragão

Luís Vieira disse...

Apesar da exigência do DC, se calhar concordará que não é simples ter um plantel com 25 jogadores de topo, nível Champions, em Portugal. Há jogadores de segunda linha que podem ser úteis em determinados momentos e o André André é um deles. Gostei muito da sua entrada no último jogo e para além do erro que referiu não me recordo de mais nenhum. Recordo-me, contudo, dos bons apontamentos, como os passes longos milimétricos, o passe de ruptura para golo e as aproximações ao portador da bola, no momento ofensivo. No momento defensivo, fez várias recuperações e intercepções. Uma exibição muito positiva, no geral.

DC disse...

Passe de ruptura para golo? Foi do Maxi.

Mas concordo consigo que não se pode ter jogadores de nível Champions em todas as posições. Aliás olhando para o plantel, eu vejo 4 ou 5 de nível Champions depois de termos vendido 3 titulares fabulosos e perdido mais 2 que estavam emprestados e só termos contratado um jogador com nível alto para essas posições.

Luís Vieira disse...

Eu sei, mas estava a falar daquele que o Aboubakar desperdiçou, com o corte de carrinho do central. Não foi golo, mas o passe foi de ruptura "para golo", não tivesse o Buba, isolado, falhado. De acordo quanto ao resto.