domingo, 20 de setembro de 2015

Na loja do mestre André

André André, o MVP do FC Porto x SLB (fonte: Maisfutebol)

Sabíamos que tínhamos menos um dia de descanso. Menos até, pois chegámos às sete da manhã. O André fez um esforço titânico, pois jogou em Kiev e agora.
Julen Lopetegui, em declarações à Sport TV


Estou muito contente com o André. É um miúdo fantástico, está a criar a sua própria história no clube, depois de tudo o que o seu pai conquistou. Está sempre preparado para tudo.
Julen Lopetegui, na conferência de imprensa


«O MELHOR: André André
Mereceu mais do que ninguém o golo marcado, absolutamente decisivo. Nessa altura, tão perto do fim, ainda corria como um louco. Mas um louco bom, de coração nobre. Que grande exibição! O cruzamento, na direita, para o cabeceamento de Aboubakar ao poste é perfeito; o passe a isolar o mesmo Aboubakar, pouco depois, cirúrgico. Antes disso, porém, já justificara a entrada nesta lista com uma mão cheia de ações. Incansável na forma como pressiona, inesgotável na dimensão do terreno que cobre, certeiro a receber e tocar. Poucos futebolistas têm a intensidade competitiva deste internacional português. Terceiro jogo consecutivo a crescer e a conquistar um lugar na equipa.»
Pedro Jorge da Cunha, Maisfutebol


«MENÇÃO HONROSA: Rúben Neves
A lucidez incorporada em jogador de futebol. 18 anos e tanta classe, tanta certeza no passe e na circulação. No meio de tantas fogueiras de vaidade e cabeças perdidas, Rúben manteve o sangue frio, jogou e fez jogar a equipa. Deliciosa a forma como matou um balão com o peito e, sem olhar, entregou na esquerda com um passe longo. É essa perceção do jogo, e sobre o jogo, que torna este menino de 18 anos (!) tão especial. Meteu o pé, ganhou no ar, fez um jogo completo. »
Pedro Jorge da Cunha, Maisfutebol


«Iker Casillas: duas defesas importantes, em dois pontapés de canto mal defendidos pelos colegas, logo nos primeiros 20 minutos. Sinalizou nesses lances a serenidade que o FC Porto teria na baliza. Apenas um reparo: repôs uma vez mal a bola, com Jonas a desaproveitar a bondade e o lance a perder-se. Nota positiva no primeiro Clássico em Portugal.»
Pedro Jorge da Cunha, Maisfutebol


P.S. Podemos olhar para este FC Porto x SLB de duas formas (pelo menos): lamentando os aspectos negativos da exibição dos dragões (e foram alguns, individuais e colectivos, principalmente na 1ª parte), ou enfatizando os aspectos positivos dessa mesma exibição. Ora, como durante o jogo, no Estádio do Dragão, com os nervos em franja, me fartei de dizer mal, agora, depois de acalmar e saborear um cálice de Porto, apeteceu-me destacar o que a equipa do FC Porto teve/fez de melhor.

P.S.2 Ver (ouvir) o treinador do SLB e outros elementos do clube do "manto protector" a queixar-se da arbitragem é algo que, se não fosse ridículo, dava para rir. Ah, e a mim dá-me um gozo bestial...

P.S.3 Esta saborosa vitória sobre o clube do regime, além de permitir a manutenção da liderança do campeonato, vai dar a Lopetegui mais uns dias/semanas para afinar o muito que ainda há por afinar. E tempo é algo que me parece fundamental para este FC Porto 2015/2016.

75 comentários:

João disse...

Mantenho o meu comentário ao intervalo. Incrível o que este Porto poderia jogar noutras mãos. André é um senhor jogador, pelos vistos não precisa de saber dominar uma bola para ser o melhor em campo em Kiev e no 1º Clássico. #6 está decidido, o Rúben dá conta do recado, Danilo voltou a entrar mal. Imbula preocupa-me, sinceramente, vejo muito pouco para justificar o investimento, Aboubakar é uma autêntica besta, esteve perdulário mas é incansável e dá muito jogo à equipa. Maxi voltou a estar muito bem.

Miguel Magalhães disse...

Gostei obviamente do resultado. Nao gostei da exibiçao, da falta de intensidade, da ausencia de ideias e de meia duzia de jogadores. Brahimi, Corona e Imbula estiveram muito aquém daquilo que devem fazer.
Se nao tem sido o golo do André, a vida do Lopetegui tinha ficado muito complicada por cá. A assobiadela na substituiçao do Aboubakar (e desta vez foram muitos mais do que a meia duzia do costume) mostrou a impaciencia e descontentamento dos adeptos.
Até eu que simpatizo com o homem começo a perder a paciência.
Dito isto, este é um daqueles jogos em que dispenso a nota artistica e quero é ganhar... pelo que considero que o dever está cumprido

José Lopes disse...

No ano da graça de 2015 ouvimos a estrutura benfiquista a pedir expulsão do Maxi Pereira. Isto depois de um jogo em que estiveram o tempo todo a ver se a sacavam. Melhor que o Rui Vitória, é ouvir o André Almeida, esse craque, a dizer que tinha havido as "coisas já habituais"... Sim, o Maxi podia ter visto o segundo amarelo, mas não percebi o motivo do primeiro e pelo menos o Samaris e o Gonçalo Guedes não viram cartões que mereciam!

Luís Vieira disse...

Melhor o resultado que a exibição. Na 1a parte, então, foi paupérrima. Na 2a melhorou e o golo premiou quem mais quis ganhar nessa fase. Soberbo André André: em todos os lances de perigo do FCP e com uma entrega ao jogo assinalável. Importantíssimo Casillas, com duas boas defesas a segurar o nulo numa altura periclitante. É isto que se espera dele. Por último, referência ao monstro Aboubakar! Que Sr. Jogador. Ataca e defende com qualidade. Marca, assiste, protege, tabela, dribla, faz jogar. Palavra que não me lembro do Jackson. É o maior elogio que lhe posso fazer. Não esperava tanto. Mouros a 4 pontos, óptimo. Mas continua a precisar-se de muito trabalho (desastre nas bolas paradas e na criação ofensiva).

DC disse...

Apesar de manter a ideia de que o Porto não pode (ou não devia) ter jogadores do nível do André a titular (no sentido em que, apesar de tudo, nunca será de topo), tenho que lhe dar os parabéns porque realmente tem feito jogos muito bons.
E, desde logo, ao sentar o horrível Herrera, será sempre uma mais-valia.

O Porto foi mau hoje. muito mau até em alguns períodos, mas este Porto mau chegou perfeitamente para um slb que não tem certamente nível para ser campeão.
Portanto, há que melhorar muito, muito mesmo a nível posicional, de reacção à perda, de defesa de bolas paradas (ridícula demais para continuar a ser verdade) porque o adversário este ano é o Sporting. Esqueçam o slb que chega ao final da 1a volta já sem hipótese de lutar.

Pedro disse...

Se tivesse empatado a culpa seria de Lopetegui. Aquela substituição maldita de tirar um avançado por outro. Mas como ganhamos a "culpa" passa para o André André, para o Casillas e afins.

Não passa para um treinador que mexeu e muito bem na 2ª parte, e que começa a ganhar o jogo com a entrada de Varela. Que deu mais musculo e ganhou o meio campo com Danilo.

Tudo o que é mau é culpa de Lopetegui. Tudo que é bom é dos jogadores.

José Lopes disse...

Leio frequentemente coisas incriveis na bluegosfera, mas o spin que fazes para manter a tua posicao sobre o Andre Andre esta para la de qualquer classificacao. Ele foi o melhor em campo nos 2 ultimos jogos, por sinal os mais importantes da epoca ate ao momento, mas parece-te mais necessario nao dar o braco a torcer do que dizer que estavas enganado quanto ao que ele pode dar a equipa... Estas apenas a espera que ele tenha um jogo menos bom para mandar a bicada. E nao, dar-lhe os parabens nao e' dar o braco a torcer, porque fazes questao de fazer a ressalva inicial. No campo oposto, nao falas do Tello e do seu "nivel de jogador de topo" em todos os outros meses que nao marco de 2015...

Realmente, mais vale cair em graca que ser engracado. Isto aplica-se ao Tello (por ter treinado com o Guardiola, presumo) ou a qualquer medio que seja virtuoso mesmo que seja so a passar para o lado e para tras (a la Defour).

Ha muitas formas de se ser util e acrescentar algo a uma equipa. Ja tivemos varios jogadores nao de topo que se tornaram referencias do clube. O pai do Andre Andre foi um deles.

José Pedro Fernandes disse...

Como vi o jogo:

- 1a parte miseravel com muito pouco movimento sem bola e demasiado individualismo. O adversario nao era nada do outro mundo mas isto tb nao é o Arouca, nestes jogos nao chega meter nos extremos e esperar pelo drible, tem de haver muito mais movimentacao entre linhas.

- 2a parte de elevada qualidade. Pensando que so foram 45 min em que realmente jogamos a bola, as oportunidades foram bastantes e o adversario nem cheirou a nossa baliza.

- Depois de jogar o Ruben Neves a 6, acabaram-se para mim as desculpas de nao jogar sempre por nao ser um 6 fisico e puro. Claro que se viu o Imbula a descer imenso para sair a jogar e para defender o centro do terreno, mas o 6 era o RN. O Ruben se continuar a crescer como tem feito vai ser um fora de serie; daqueles jogadores que faz toda a equipa melhor.

- O Imbula é um gosto adquirido e precisa de jogar agora uns 5 jogos seguidos. Nas jogadas em que se nota que esta confiante sai a jogar como faz(ia) o Toure do Man City, queima etapas que sao particularmente dificeis e leva o jogo para o ultimo terco do terreno com poucas falhas e deixando bolas muito jogaveis. So quando comecar a marcar golos e fazer assitencias tera o reconhecimento que agora so merece em notas de rodape.

- Andre Andre, o que dizer. Confesso que nao achava que tivesse condicoes para pegar assim na batuta da equipa tao cedo. Durante 2 jogos nem me lembrei do Oliver, a raca, qualidade de passe, assitencias para golo e energia sao unicos. Mantendo esta consistencia, esta encontrado o sucessor do Joao Moutinho, quem sabe ate para melhor.

- Aboubakar, esta um jogador de imensa utilidade. Mesmo quando nao marca contribui pois movimenta-se bem, tem fisico para o choque e faro para onde aparecer e meter a bola; hoje pareceu manifesta infeliz ou a bola tinha entrado. O que mais impressiona é o que faz jogar e alguns momentos com a bola no pe (quer em dribles, assitencias ou remates) que sao de craque. Pode estar aqui um daqueles jogadores que nao sendo elegantes, brilham pelo contributo enorme e constante para a equipa.

Foram so 3 pontos, foi so 1-0 e tivemos varios momentos maus de jogo.... mas ja foi melhor que o ano passado e demonstrando mais potencial.

Siga para o proximo...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Péssima primeira parte, péssima. Duas equipas mais entretidas em procurar sacar cartões dos rivais - a forma como os jogadores do Benfica foram atrás do uruguaio foi exemplar - e provavelmente fizeram falta um par de expulsões de cada lado se o árbitro tivesse nível. Que não tinha.

O segundo tempo melhor. Uma equipa quis ganhar, outra veio jogar ao ponto. Triste é que, contra uma equipa que vem a isso, ao ponto, Lopetegui continue a acobardar-se de maneira inexplicável. Tirar o Aboubakar para meter o Osvaldo (troca por troca a sete minutos do fim e com um 0-0) foi um claro sinal de que não ia arriscar absolutamente nada atrás do golo da vitória. Não sei se é essa a mentalidade que querem para dirigir essa equipa - a mesma mentalidade dos jogos com o Benfica no ano passado, note-se - mas a sê-lo, diz muito pouco do critério de quem escolhe.

O golo foi marcado por quem mais o mereceu, o MVP da época até ao momento (com o Aboubakar que esteve imenso e sofreu um penalti claro do Luisão no lance em que lesiona o Julio César), a prova viva de que há na liga portuguesa jogadores com qualidade suficiente para reforçar o plantel sem qualquer tipo de necessidade de "pagar" 20 milhões por Imbula, por exemplo.

Foi uma vitória indiscutivel, merecida que deixa claro que este Benfica é pior que o da era Jesus - que já de por si não era grande coisa - e que este titulo não se ganha. Só se pode mesmo perder!

Paulo Costa disse...

A participação do Varela no jogo de ontem foi igual à do Liedson no jogo do Kelvin. Antes perdeu uma série de bolas que, fosse o Quaresma a fazer aquilo, já estavam aqui a malhar forte e feio na prima-dona. Adiante. O importante foi conseguido e felizmente temos um carregador de piano capaz de fazer o trabalho dos artistas, que esta época são menos, caso contrário ninguém perdoaria a Lopetegui aquela primeira parte.

José Correia disse...

"Incrível o que este Porto poderia jogar noutras mãos"

Este Porto precisa de tempo.

Conforme referi no P.S.3, a vitória de ontem (inteiramente justa) e a manutenção da liderança do campeonato, vai dar a Lopetegui mais uns dias/semanas para afinar o muito que ainda há por afinar.

José Correia disse...

"Danilo voltou a entrar mal"

Mal? Em que aspecto?

Com Rúben Neves a acusar algum desgaste e vários jogadores amarelados (Maxi, Maicon, Rúben, André André), penso que, naquela altura, foi uma substituição importante para reforçar a zona central do terreno e aumentar a dimensão física da equipa, particularmente nos lances de bola parada (onde o SLB é muito forte).

José Correia disse...

"Sim, o Maxi podia ter visto o segundo amarelo, mas não percebi o motivo do primeiro e pelo menos o Samaris e o Gonçalo Guedes não viram cartões que mereciam!"

Já para não falar no próprio André Almeida, que podia/devia ter vindo para a rua muito antes do fim do jogo.

José Correia disse...

"Aboubakar é uma autêntica besta, esteve perdulário mas é incansável e dá muito jogo à equipa"

Mas tem de ser mais inteligente.
No lance com o Luisão é claramente tocado no pé de apoio e ali só tem que fazer uma coisa: cair e esperar que o árbitro assinale a grande penalidade e mostre um cartão amarelo ao capitão do SLB.

José Correia disse...

"...a prova viva de que há na liga portuguesa jogadores com qualidade suficiente para reforçar o plantel..."

Há de tudo.
Infelizmente, por cada André André, que chega e pega de estaca, há vários Fabianos, Klébers, Licás, Ghilas, etc.

José Correia disse...

"Importantíssimo Casillas, com duas boas defesas a segurar o nulo numa altura periclitante"

Sem dúvida.
Casillas não é só marketing e ontem valeu pontos.

DC disse...

José, o seu problema parece ser comigo e não com o que disse. Peço desculpa mas eu não estou disponível para conversas dessas a atacar o mensageiro em vez da mensagem.
Até porque sinceramente, ao contrário do que parece ser o caso, eu nem consigo recordar o nome de 90% das pessoas que aqui comentam, ou o que comentam. Isto é, eu não faço ideia o que é que o José comentou ontem ou deixou de comentar, ao contrário de si que parece ter aí um bloco de notas com um histórico dos meus comentários.

Quanto ao post em si, se não entende o que eu quero dizer em relação ao André, não vou perder muito tempo a explicar. A perda de qualidade no 11 do Porto é notória e o facto do André ser titular onde outrora jogaram Oliver, Lucho, James ou Deco fala por si. Não foi uma crítica ao André, foi uma crítica à situação actual do Porto. Vale para o André como vale para o Layun, Maxi ou Maicon. Se não a entende, problema seu.

Quanto ao Tello, não jogou. É difícil ser decisivo não jogando. Ainda assim, arrisco dizer que menos do que fez o Corona era difícil ele ter feito. E mantenho que teria sido provavelmente uma arma interessante para este jogo.
Dá-me ideia aliás que o Tello começa a sofrer dum síndrome bastante conhecido. O síndrome que também fazia com que alguns génios dissessem que o Fucile era melhor que o Danilo e coisas do género. É o síndrome de ter sido um jogador caro/reputado. Os "grandes portistas" adoram atacar os jogadores caros para dizer que os jogadores baratos e que batem muito no símbolo é que são bons. Vá-se lá saber porquê. Provavelmente o José é daqueles que diz que o Quaresma estava cá melhor que o Tello (lá está, não faço a mínima ideia se no seu "histórico" de comentários defendia ou não o Quaresma).

E tem algum problema com o Guardiola?
E o Defour? Olhe trocava Herrera e Danilo por ele e ainda os levava ao aeroporto às cavalitas.

João disse...

José, quando me refiro a estar mal é posicionalmente, mal entrou começou a esconder-se no meio dos médios do Benfica em vez de fazer o que o Rúben fez, e bem, aparecer no espaço entre o Maicon e Marcano para iniciar a construção ou, pelo menos, oferecer uma linha de passe que não existiu e obrigou por uma vez o Maicon ao charuto e noutra ocasião a um passe do Marcano a queimar linhas já com a equipa na frente do marcador.

Também acho, a frio, que o Aboubakar devia ter caído mas percebo que no ímpeto do lance e na posição onde se encontrava tenha tentado arriscar. Aliás, se tanto, lembrou-se do que foi a arbitragem da época passada e partiu do princípio, que não é descabido, que mais facilmente ficava um penalty por assinalar.

Ricardo disse...

Orgulho no meu Porto. Lembro-me de durante o jogo pensar que não existe Sorte ou Azar, existe Competência. E foi o que fomos, só nós quisemos ganhar!

Uma coisa temos que reconhecer ao treinador: está a fazer o que sabe, é fiel ao seu estilo de jogo e não me lembro de nenhum nos últimos anos descobrir e pôr a jogar 2 portugueses (AA e RN) no meio campo do Porto. E mais virão!

Luís Vieira disse...

Alguém, alguma vez, disse que o Casillas era só marketing? Boa exibição, ontem, como, aliás, tem de acontecer sempre. O resto é tirar de esforço.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Naturalmente, o truque está em saber escolher!

Alberto Silva disse...

Incrível num post anterior ( d.kiev porto) acertei não só no 11, como inclusive os 7 suplentes para este jogo, e coloquei inclusive que disse que o melhor 11 podia não ser o melhor 11 para este jogo, e como se confirmou Corona ainda estava verde ( também a jogar por dentro não foi fácil), mas de fato Varela tem estaleca necessária para estes jogos, e sabe bem que é preciso vir por dentro para criar desequilíbrio nestes jogos.
Na 1º parte o porto jogou mal porque pressionou mal, andre andre tinha de pressionar com Aboubakar os centrais para não deixar o benfica respirar desde trás, e nada disso foi feito, não existiu criatividade e as poucas mudanças de flanco rápidas depois os cruzamentos não entraram...Na segunda parte a equipa já jogou mais um pouco subida e começou se a criar mais perigo, e lá se ganhou um jogo quando poucos acreditavam. Agora é fácil criticar Lopetegui pelo substituição do Abouba, mas naquela altura mais eu tentar ganhar o jogo, não se podia também perder.
Destaques negativos para Brahimi, tem de ser mais objetivo, porque se não mete a bola 1,2,3 vezes...quando meter a 4ª já não acredita ninguém...o Imbula tem de rasgar mais, mesmo que perca a bola, é preciso dar lhe essa confiança para arriscar na progressão de bola na falta de jogo interior era bom ter isso...faltam 3 jogos para acabar um ciclo de jogos importantes, os 2 do campeonato não se pode perder pontos, contra o Chelsea seria importante não perder..

Pés-Juntos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Correia disse...

"...este Benfica é pior que o da era Jesus..."

Atenção que esta equipa do SLB, para além de ter jogadores muito experientes, é muito forte nas bolas paradas (ofensivas e defensivas) e também tem jogadores super matreiros.

Veja-se, por exemplo, a forma como o palhaço do Jonas simulou ter sido atingido/agredido 3 vezes (duas pelo Maxi e uma pelo Maicon).
Infelizmente, no campeonato português, este tipo de encenações compensa e costuma dar origem a cartões e até expulsões de jogadores adversários.

José Correia disse...

"...este titulo não se ganha. Só se pode mesmo perder"

Atenção ao Sporting.
Depois da eliminação da Liga dos Campeões, o 1º jogo para a Liga Europa, deu a entender que o JJ está mesmo a marimbar-se para as competições europeias e vai apostar tudo no campeonato.
E apostar tudo no campeonato, significa que, se necessário, não hesitará em poupar jogadores nos jogos da Liga Europa, para esses jogadores estarem a 100% no campeonato.

Ora, isto é algo que Lopetegui não poderá fazer na Liga dos Campeões.

Ribeiro DeepBlue disse...

Após o jogo em Kiev, mais de 60 comentários.
Hoje, pouco mais de 25.
Deve estar tudo ainda a "Reflectir"...

José Correia disse...

"...não me lembro de nenhum nos últimos anos descobrir e pôr a jogar 2 portugueses (AA e RN) no meio campo do Porto"

Três!
O Danilo Pereira também é português e, inclusivamente, foi titular da selecção portuguesa nos últimos dois jogos.

miguel.ca disse...

A primeira parte foi de novo demasiadamente Lepiteguiana, isto é, muita posse mas pouca progressão no terreno com o Ruben demasiadamente colado aos centrais e o André demasiadamente recuado com o Imbula criando aquele tipico buraco entre o meio campo e o trio da frente.
Depois, Lopetegui decidiu libertar o André para terrenos mais avançados, dando-lhe a liberdade do transporte de bola e a equipa começou a jogar um pouquinho mais à frente e foi o suficiente para encostar o visitante atrás. Depois pediu-se menos passes e mais movimentos direccionados à baliza e tivemis uma segunda parte bem mais agradável.
Se Lopetegui quiser conquistar a tribo Portista tem de deixar de ser demasiadamente cauteloso e estar atento a quem está em grande forma.
Uma palavra para o Marcano. Com ele, tudo parece mais organizado lá trás.
O André... O verdadeiro jogador à Porto.

João disse...

Que lógica fantástica, as pessoas não deviam exigir mais dos jogadores só porque foram (muito) mais caros ou são reputados (logo mais caros).

A história de bater no peito é um soundbyte, vale zero. O facto é que o André André fez mais em dois jogos que o Defuro, craque retornado ao campeonato belga, em duas épocas. O Sapunaru bate no emblema e é um lateral medíocre, o Moutinho bate no emblema e é o 2º melhor jogador que vi com a camisola do Porto. O Tello só bate no lateral contrário porque mais do que não ser propriamente portista, é um cepo. Ponto final.

Lápis Azul e Branco disse...

Encantado com a vitória e com a merecida felicidade do André junior.

Durante o jogo e até ao minuto 86, colerizado pelas opções de Lopetegui.

No final, ganhamos e como tal, parabéns a jogadores e, por simpatia, ao treinador.

Que sirva para um crescimento sustentado da equipa.

miguel.ca disse...

José Correia... Tempo? Na época passada tivemos 9 meses de tempo e as coisas não passaram muito disto.
Precisamos é de ambição e de refrear as cautelas. Eu percebo a necessidade de manter o bloco equilibrado mas só há um caminho para a baliza adversária.

Carrela disse...

Miguel,

Diga lá quem deveria ter saído para entrar Osvaldo em vez de Aboubakar?

Um médio?O André André?

Um defesa?

Aboubakar, não estaria exausto?

A precisar de mexer/refrescar, ia entragar o meio campo ao adversário para apostar em chouriços para a área?
Ou manter a nossa filosofia de controlar e empurrar o jogo até à área do adversário em vez de o atirar pelo ar à espera da sorte?


Até num jogo como estes, em que o treinador mexe, e mexe bem, tanto é, que dominamos por COMPLETO a 2ª parte e ganhámos com inteiro mérito serve para cobrar e duvidar...

Custa...

cumps

JON disse...

O Porto não joga um pincel. O Benfica ainda joga pior. Fiquei contente com a vitória durante 5 minutos. Depois, pensei em como mais de 12 meses depois de cá estar, Lopetegui ainda não consegue defender bolas paradas; ainda não consegue criar perigo de bola parada; ainda continua a colar com fita-cola os extremos à linha, dando não raras vezes o extremo e o lateral a mesma linha de passe; ainda continua a ter uma organização ofensiva que passa por colar bola no extremo e mandar os médios correrem todos para a área à espera que o extremo resolva sozinho, o que devia ser a envolvência colectiva a resolver; ainda continua a ser um maricas que tem sempre mais medo de perder o jogo do que de ganhar, e não, não é por ter tirado um PL por outro, é mesmo porque tem MEDO de atacar por onde se cria mais perigo, que é o centro do terreno.

Enfim... Muito má a primeira parte. A segunda melhor, mas ainda assim, não chega para me deixar feliz. E eu tenho sido um dos maiores defensores de Lopetegui. Até a reacção forte à perda de bola que ele demonstrava se perdeu entretanto.

Ponto positivo apenas para o XI escolhido e para Lopetegui ter percebido que o Benfica deixa kms de espaço entre central e lateral e ter mandado Varela atacar sempre esse espaço.

Destaque para o grande Ruben, para o excelente jogo de André e de Marcano (os tais passes verticais, veja-se o lance do golo!), e o incontornável Aboubakar.

De resto, uma pergunta para Julen: se o Porto continua a nunca explorar o espaço central por MEDO de perder bolas e ser apanhado em contrapé, porque raio é que Lopetegui foi buscar Bueno?

Outra pergunta: que merda de variações ridículas são estas abaixo? Mais de 12 meses e continuamos nisto...

http://videos.sapo.pt/RFh5BYuwZ1FqRGofRSSC
(video do blog Domínio Táctico)

José Correia disse...

miguel.ca disse: “José Correia... Tempo? Na época passada tivemos 9 meses de tempo e as coisas não passaram muito disto.”


Sim, miguel.ca, tempo.
É preciso tempo para o treinador formar uma equipa quase totalmente nova.
A única coisa que sobra da época passada é a dupla de defesas-centrais, porque tudo o resto é novo.
O guarda-redes é novo.
Os laterais são novos.
O meio-campo é novo.
O trio de ataque é novo (da época passada sobra o Brahimi e o Tello que, pela amostra até agora, irá jogar muito pouco).

O Layun e o Corona chegaram no último dia do mercado.
Quantos jogos é que o Maxi e o Corona (lateral e extremo direito) fizeram juntos?
Quantos jogos é que o Layun e o Brahimi (lateral e ala esquerdo) fizeram juntos?

É preciso tempo para integrar tantos jogadores novos de uma vez.
É preciso tempo para, com estes jogadores novos, (re)treinar lances de bola parada.
É preciso tempo para “afinar” a ligação entre o guarda-redes e os defesas-centrais e entre estes o novo Nº 6 (quer seja Rúben Neves ou Danilo Pereira).
Etc.

É preciso tempo e, se não for pedir muito, que os adeptos portistas tenham alguma paciência, até porque, quer no campeonato, quer na Liga dos Campeões, os resultados não têm sido assim tão maus como alguns comentários parecem sugerir.

José Correia disse...

JON disse: “…como mais de 12 meses depois de cá estar, Lopetegui ainda não consegue defender bolas paradas; ainda não consegue criar perigo de bola parada”

JON, como referi noutro comentário, os jogadores são outros.

Da época passada para esta, a única coisa que sobra é a dupla de defesas-centrais, porque tudo o resto é novo.
Ou seja, bem ou mal, é preciso voltar a treinar as bolas paradas, porque os jogadores são outros.

JON disse...

Eu entendo isso do tempo. Percebo. Mas faço uma pergunta, até porque o próprio José confessou que no estádio esteve a dizer muito mal da equipa.

E se a bola do André não entra e temos empatado?

Eu respondo: Lopetegui ia ser chacinado por todos ou quase todos.

Como não faço depender a minha análise apenas da bola que entra ou não, até porque isso não depende do treinador, e tento ver para além disso, sou forçado a chegar às conclusões acima.

O nosso treinador tem medo, muito medo. Tem medo de ter uma proposta de jogo que não dependa apenas de rasgos individuais nas faixas e isso mesmo durante toda a época passada não se alterou. Temo que não venha a mudar nunca.

E a mim preocupa-me isso porque denota acima de tudo que Lopetegui está sempre mais preocupado em não perder do que em ganhar. Jogar pelo centro é só para quem sabe e acarreta maior risco e Lopetegui tem medo. Tem tanto medo que o nosso futebol ofensivo fica uma lástima como ontem se viu.

O video que meti no comentário anterior é sintomático... O centro do ataque não existe!

Quando se olha para os grandes treinadores da actualidade e que realmente mostram futebol bonito e de ataque e se compara com o que nos oferece Lopetegui... fica-se um pouco defraudado. Eu fico. E o José se esteve atento ao que escrevo aqui sabe que tenho defendido muitas vezes, Julen, por isso não se trata de deitar abaixo porque sim!

Compare-se a proposta de jogo e as ideias de Lopetegui (não os intérpretes, claro!) com o que tem feito Tuchel, com o que fazia Klopp, para não referir o óbvio Pep...

Não consigo ficar eufórico com a vitória de ontem... bem que berrei o nosso golo, mas foi mais de alívio do que de sentida alegria.

José Correia disse...

"...o próprio José confessou que no estádio esteve a dizer muito mal da equipa..."

JON, mas eu sou um péssimo exemplo.
Eu quero tanto que o FC Porto ganhe os jogos todos por, pelo menos, cinco a zero, que muitas vezes é impossível assistir a um jogo ao meu lado.
À posteriori, chego a ter vergonha de algumas coisas que digo durante os jogos... ;-)

Pedro disse...

Por acaso não foi. Defensivamente fechou muito bem o lado esquerdo, conseguindo 2 recuperações de bola no último terço do campo.

Ofensivamente perdeu 1 ou 2 bolas, mas trouxe mais critério, mais posse, e muito menos asneiras do que Corona. Melhor no passe, melhor nas combinações com o Maxi. Trouxe estabilidade e mais qualidade na posse de bola. Não foi brilhante, mas acrescenteu qualidade à equipa.

O problema de Varela, é que se chama Varela. Apenas isso.

DC disse...

Mas por acaso dos comentários do João eu recordo-me. Foi aquele que passou 2 anos a pedir a cabeça do VP e depois desapareceu a meio da época do PF e só voltou passado quase 1 ano, não foi? Inesquecível.

DC disse...

José, o JJ ensinou o Sporting a defender bolas paradas num mês. O Lope não sabe defender bolas paradas e se há alguma dúvida sobre isso é ver o jogo com o Bayern do ano passado onde o Boateng marca num canto defendido de forma amadora. É o momento mais fácil de treinar, não é questão de tempo, é questão de sabedoria.
Se em relação aos outros momentos do jogo posso ter dúvidas, sobre esse não tenho. Lope é mau a defender bolas paradas.

Paulo Costa disse...

Acho curiosa a teoria do Benfica com o Rui Vitória jogar sempre pior do que com o Jesus. O RV vai ter vida difícil, até porque não tem ao seu dispor múltiplos planteis de luxo como teve o Jesus (sobra o Gaitan e pouco mais), mas no Dragão o Benfica fez mais na primeira parte do que na época passada no jogo todo. Não teve foi o Lima no ataque nem a ajuda do Fabiano a defender para onde não devia.

Também continuo sem perceber o que teve de decisivo a entrada do Varela. Sempre que tentou fazer mais do que devolver a bola, perdeu-a. Só espero que o Lopetegui não encoste o Corona, que jogando mal ontem ainda assim fez mais em 3 jogos do que o Varela e o Tello juntos, desde o início da época, só porque o Varela fez de Liedson no lance do golo.

José Lopes disse...

DC, nao tenho problema nenhum contigo, nem razao para ter, nao te conheco. Peco desculpa se o tom do meu comentario foi demasiado agressivo, nao era essa a ideia. E peco tambem desculpa por trazer a baila jogadores que nada tiveram a ver com o jogo de ontem, coisa que acabaste por fazer tambem tu quando me respondeste.

Nao estou a atacar o mensageiro, mas sim a mensagem. A mesma que esta a espera dos factos para corroborar as ideias previamente feitas. Nao es caso unico de entre as pessoas que aqui comentam. Quanto a ter registo das tuas mensagens, claro que nao tenho registo nenhum. Comento uma minoria dos posts neste blog, mas leio-os, tal como os comentarios. Por isso mesmo, e tendo em conta que es das pessoas que mais comenta, e' claro que sei o que pensas sobre a maioria das coisas aqui discutidas, concordando com algumas, discordando de outras. Acompanho o blog ha mais de 4 anos, parece-me natural que conheca minimamente o que pensam os comentadores mais habituais.

Quanto ao Tello, avalio-o pelo rendimento ate agora mostrado. E esse nao e' suficiente para ser titular, ponto final paragrafo. Tem de ir entrando para se ver se engata como em marco, mas se continuar tao nulo como nos minutos que teve esta epoca, entao o banco e' o lugar dele. E sim, como diz o Joao, e' natural que a cobranca seja maior que a do Sergio Oliveira, convenhamos que a proveniencia e o estatuto (nao o preco) assim o obrigam.

Em relacao ao Quaresma, nao percebo a tua necessidade de dividir os portistas entre os "verdadeiros" que adoram o Quaresma e os que realmente sabem ver futebol. Acho que o Quaresma foi bem melhor epoca passada do que a maioria imaginava. No computo geral, so por completo delirio (ou odio de estimacao) e' que alguem pode dizer que o Tello teve melhor rendimento. Acho que o Quaresma tentou genuinamente ser um jogador mais util a equipa, conseguiu-o a espacos, esteve longe de ser brilhante e tem defeitos que jamais corrigira. Seja como for, foi pregar para outra freguesia, nao adianta falar nele.

O Defour so e' jogador para o Porto para quem insista em nao mudar uma ideia pre-feita que teimou em ser posta em xeque pelos factos. No limite, foi um jogador util. Muito pouco para quem custou 8 milhoes.

O Herrera arrisca-se seriamente a sentar-se no banco grande parte da epoca. Em condicoes ideais, devia ter sido vendido este verao. Tenho pouca paciencia para o que ele faz, da constantemente a ideia de ser peixe fora de agua, inadaptado ao que a equipa precisa.

Quanto ao Guardiola, nao tenho problema nenhum com ele, como e' obvio. O problema e' ler quem tenha maior tolerancia para certos jogadores so porque foram treinados por ele. Se esse treino nao passar para o rendimento em campo, nao adianta nada. E' o caso do Tello 9 em cada 10 jogos, infelizmente.

José Correia disse...

DC disse: "O Lope não sabe defender bolas paradas e se há alguma dúvida sobre isso é ver o jogo com o Bayern do ano passado onde o Boateng marca num canto defendido de forma amadora."

Não me custa a admitir que os lances de bola parada foi um dos aspectos negativos, ou menos positivos, do FC Porto 2014/2015.
Contudo, nesse jogo em concreto (Bayern x FC Porto), convém lembrar duas coisas:
- 2 dos 4 defesas habituais estavam castigados;
- Fabiano esteve em noite não (vamos ser simpáticos) e transmitiu uma grande intranquilidade a toda a equipa.

José Correia disse...

DC disse: "É o momento mais fácil de treinar, não é questão de tempo, é questão de sabedoria"

Eu estou convencido que:
- com a estabilização de um onze-tipo e, particularmente, do quarteto defensivo;
- com um maior conhecimento entre o guarda-redes e os seus companheiros;
- e com mais umas dezenas de treinos específicos;

a equipa vai melhorar em todos os aspectos e, nomeadamente, nas bolas paradas.

José Correia disse...

JON disse: "E se a bola do André não entra e temos empatado?"

O FC Porto teria, na mesma, dominado completamente a 2ª parte e criado 4 oportunidades flagrantes de golo contra zero do SLB.

DC disse...

Completo delírio? Ora bem: vitória em Braga - Tello, Vitória com o Sporting - Tellox3, jogo fora com o Nacional, difícil ao ponto de perdermos pontos, Tello melhor em campo e marcador do golo... Isto assim de cabeça mas sei que o Tello até foi o jogador com mais assistências do Porto no ano passado. Mas ok, o Quaresma foi melhor não sei bem porquê. Certamente que não foi por bater muito no peito. Se calhar foi pela capa da Cristina...
Quaresma fez o quê em jogos difíceis mesmo? Nada? Zero? Nicles? Niente? Pois, é o que me recordo também.

Sim, Defour foi um jogador útil. Muito útil aliás tendo jogado até a extremo esquerdo (e muito bem) com VP. Já outros nem úteis se calhar podemos dizer que foram. André é outro jogador útil. E eu nada tenho contra jogadores úteis apenas contra os inúteis como alguns que andam pelo nosso meio-campo de vez em quando.

O Herrera é o que sempre esteve à vista. Apenas a teimosia de alguns o desmentia.

Quanto ao facto de Tello ter sido treinado pelo Pep, se algo podia fazer era dar-lhe maior responsabilidade e não menor. Olhe, aos jogadores do Porto actuais eu desculpo todos a falta de jogo interior. Porque sei que estão a ser treinados por alguém que não lhes solicita isso.

Resumindo e já disse isto várias vezes, Tello é um jogador rapidíssimo, o mais rápido da nossa liga provavelmente e extremamente inteligente nos timings de desmarcações. Tem esses excelentes atributos para serem potenciados e aproveitados. O treinador tem-nos aproveitado? Tem lógica o treinador ontem ter usado um jogador com duas semanas de treino a jogar em linha com o Aboubakar? Não teria sido mais lógico ter sido Tello a tentar jogar em linha com a defesa do slb para aproveitar a sua velocidade e o espaço nas costas?
Eu acho que a resposta é óbvia.

Luís Vieira disse...

DC, sem entrar em comparações estafadas, venho apenas reavivar a memória e repor alguma verdade: entre diversos golos e assistências ao longo da época, o Quaresma foi absolutamente decisivo no jogo mais difícil da temporada, frente ao Bayern, onde marcou 2 golos. Zero? Niente? Nicles? Hmm, não me parece. O Herrera, por seu turno, é mais um dos tais jogadores "úteis", que teve a sua importância na época passada, mas que começou esta temporada muito mal. Continuo a não perceber a condescendência para uns e o ódio visceral para outros.

DC disse...

Portanto, a época do Quaresma resume-se a um erro do Xabi Alonso e a outro do Dante? É isso que quer dizer?

Luís Vieira disse...

Não, a época do Quaresma foi longa e teve bons e maus momentos. Entre os bons momentos, destacam-se os golos marcados ao Bayern. O DC acha que só há demérito dos jogadores supracitados, o que não é de estranhar. Eu entendo que também há mérito do Quaresma, nesses e noutros lances ao longo do ano.

João disse...

Tanto é inesquecível que é mentira, comentei aqui por diversas vezes no consulado do Paulo Fonseca e a opinião em relação a Vítor Pereira mantém-se. Muito bom no Lateral Esquerdo e nos programas de comentário, medíocre por onde passou. Entre ele e o actual até era capaz de trocar, mas não é grande elogio. Mas eu, ao contrário do DC, não desapareço da Internet sempre que o Herrera (a péssimo nível esta época, sublinhe-se) ou o Quaresma resolvem um jogo, ou (e essas sim, são hibernações longas) sempre que o Tello mostra o jogador perfeitamente banal que é.

E eu, insuspeito porque sempre critiquei a opção do seu regresso, de defender o Quaresma lembro-me de pelo menos mais um jogo, com o Bilbao no Dragão. Em que decidiu muito mal e meteu a bolacha lá dentro quando os craques de serviço estavam a seco e o jogo caminhava para empate.

Se juntarmos mais ou um outro jogo na Liga que não há-de ser difícil, suplanta o Tello a nanar. E lá está, para mim são dois jogadores que quero longe do 11, por vários e diferentes motivos.

O Defour foi particularmente útil quando protagonizou umas das expulsões mais imbecis de que me lembro no meu clube, em Málaga, mais do que isso foi útil a permitir ao Helton, Mangala, Otamendi, Danilo e Alex Sandro se sentissem úteis na manobra ofensiva porque para alguém à frente deles nunca completou um passe. Julgo que não foram 8M€ mas algo na casa dos 4M€, 5M€, e cada cêntimo era melhor aplicado no menisco de qualquer André André desta vida, com um sem amor ao emblema. Porque até pode não ser o próximo Moutinho, mas o outro foi só mais um Lucas Mareque.

João disse...

Neste aspecto estou de acordo com o DC. Mais ou menos, vá. O Benfica beneficia de dois cantos durante o jogo, e são duas casas a arder com San Iker a safar. Termo de comparação, o Porto beneficiou de, pelo menos, 8 cantos e nenhum levou perigo à baliza.

Lopetegui não é mau a treinar bolas paradas defensivas. As bolas paradas defensivas são é um sintoma do quão mau Lopetegui é a treinar TUDO.

Ricardo disse...

Tem razão caro José Correia, ainda mais meritório se torna!

DC disse...

"Não, a época do Quaresma foi longa e teve bons e maus momentos. Entre os bons momentos, destacam-se os golos marcados ao Bayern."

Também a do Tello foi. Mas a do Tello com maus momentos deu para ter mais golos que o Quaresma e mais assistencias que qualquer outro jogador do Porto. No entanto, tem metade dos adeptos a enxovalha-lo.
Já o enorme Quaresma que fora o jogo com o Bayern foi uma completa nulidade em jogos com Sporting, Benfica, Braga, etc tem adeptos do lado dele. Se não é por bater no peito, explique-me isto..

DC disse...

Eu desaparecer quando o Herrera resolve um jogo? Quando?
Se calhar era mais de perguntar é porque quando o Herrera é o pior em campo, como tem sido, não há destaques como houve para o Tello, por exemplo...
E Quaresma resolver jogos? Onde? Quando? 1 ou 2? Quais? Mostre-os!! Bayern outra vez? É que não há mais nenhum além do maravilhoso jogo onde os defesas perderam 2 passes na defesa (tanta criatividade e mérito do Quaresma, meu Deus!!!).
Suplanta o Tello, claro. Que por acaso foi o maior assistente do Porto. Mas suplanta-o em capas da Cristina, nisso não deu hipótese! E em mãos no peito e beijinhos no símbolo? QUINZAZERO!

Defour? Expulsões estúpidas? Benfica 3-1 Porto com Quaresma expulso por andar metido com o Maxi? Não, isso não aconteceu, eu sonhei.

Quanto a VP só lhe digo isto: continuo sentado à espera do 1º campeonato pós-VP. Já lá vão 2 anos. Vamos ver quantos mais serão precisos. Isso é que me dói. É que eu que o defendo passo tanto tempo à espera como você que passou dois anos a pedir para o erro histórico ser cometido.

Paulo Costa disse...

Para fazer isso que o Pedro diz bastava um médio e sempre se dava uma oportunidade ao Evandro ou ao Sérgio Oliveira. A verdade é que sempre que o Varela tentou desequilibrar individualmente, perdeu a bola. E pelo menos uma vez tinha opções de passe. É este o problema do Varela, é um jogador limitado. É por isso que eu preferia o Quaresma, que ao menos sacava um coelho da cartola de vez em quando. Prefiro dar o benefício da dúvida (porque ainda é cedo para certezas) ao Corona, que em 2 ou 3 jogos mostrou ser capaz de fazer o que o Varela não sabe. E prefiro apesar de tudo o Tello, que porque é um jogador rápido oferece outras soluções no ataque. Só isto.

João disse...

pós-Vítor Pereira, pós-Adriaanse, pós-Jesualdo, pós-Fernando Santos, pós para os olhos e dezenas de treinadores medíocres campeões pelo Porto. Nem todos se podem gabar de ter beneficiado de um adversário a descarrilar aos 4 e 5 pontos de cada vez, é a única diferença.

De resto, é saber ler porque eu falo aí do jogo com o Athletic. Mas, lá está, eu não estou a defender o Quaresma, o DC é que tenta defender o Defour, mas nem por comparação com o Quaresma vai lá. Já agora, de onde saiu a comparação? Espasmo cerebral? O que é que o Quaresma tem a ver com a conversa? Ou o Defour é tão craque que o seu termo de comparação é o jogador que mais critica neste espaço?

Em relação ao Tello é fácil, clicar ali na cloud ao lado, no nome dele e ir ver o DC de peito feito a falar depois do Porto - Sporting, naquele tom arrogante que lhe é característico, e depois ouvir os grilinhos no Porto - Estoril desta época ou Penafiel - Porto da época passada, porque do DC nem sinal de vida. E depois do que quer que seja que foi isto (http://www.reflexaoportista.pt/2015/01/tello-e-irritacao-de-lopetegui.html#comment-form) que deve ter sido fantástico. Julgo que terá sido o Gil - Porto mas nem arrisco.

José Lopes disse...

Tirado do Zerozero:

Epoca 2014/2015:

Tello: 37 jogos, 8 golos, 2126 minutos, 0.22 golos/jogo

Quaresma: 43 jogos, 10 golos, 2485 minutos, 0.23 golos/jogo (bem sei que ele marcou golos de penalty, mas esses tambem contam...)

Quanto as assistencias, acredito plenamente que o Tello tenha tido mais, mas nao encontrei numeros em lado nenhum.

Tanto tens uma fixacao com o Quaresma, que es incapaz de falar nele sem mencionar SEMPRE que ele bate no peito e a capa da Cristina... Que e' que isso interessa? Quanto a capa, ele e' maior e vacinado, faz o que bem entender. Quanto a bater no peito, nao o trato com maior condescendencia por faze-lo. Ja tu e' que pareces querer acreditar que todos os adeptos que nao abominam o Quaresma fazem-no (tambem) por ele dizer-se portista. No fundo, seria mais um argumento para dividir as pessoas entre os que sabem para la da espuma da clubite e a maralha que so ve a superficie...

Luís Vieira disse...

DC, não é verdade, novamente. Não queria entrar em comparações, como lhe disse, mas força-me a isso. Em todas as competições, o Quaresma marcou 10 golos e o Tello 8. Em termos de assistências, não disponho de estatísticas oficiais, mas lembro-me perfeitamente de ter lido um trabalho d'O Jogo, no final da época, que ditava um rendimento, nesse capítulo, muito aproximado entre os extremos mais utilizados (Quaresma, Tello e Brahimi), salvo erro com uma ligeira vantagem do espanhol. Mas não mais do que ligeira. Em termos numéricos estamos conversados. No que respeita ao jogo jogado, não seria de esperar que um jogador "acabado" tivesse um rendimento semelhante ou até superior a um jovem na flor da idade, mas o que é facto é que isso aconteceu. Não enxovalhei o Tello, mas exijo-lhe muito mais do que tem mostrado. Limitado em espaços curtos e errático nas decisões. Não é um mês de uma época (Março de 2015, onde jogou muito e ajudou a decidir os tais jogos que refere - Braga, Nacional e Sporting) que me vai deslumbrar. Afinal, golos ao Bayern, ao Bilbao e ao Rio Ave (fora) também não servem para "salvar" o Quaresma, porque serviriam para o Tello? Ah, e parece que a capa da Cristina lhe caiu no goto, DC ;)

José Correia disse...

«Quando um ex-ministro do PSD [Rui Gomes da Silva], que tutelou o desporto, faz esta apologia e incentivo à violência está tudo dito sobre a estrutura moral, ética e cívica deste género infra-humano. “Acho que ele [André Almeida] devia ter posto o André André de maneira a que ele saísse, para ele não marcar o golo”, afirmou o ex-ministro do PSD, num português das cavernas, comentando o lance em que André Almeida atinge André André com uma cotovelada. O pior é que esta gente está a fazer escola, como se viu no lance deste domingo em que o jovem André Silva ficou lesionado devido a uma entrada selvagem de Duarte Machado e que o árbitro João Bento entendeu punir com apenas um cartão amarelo. André Silva vai ficar dois meses de fora, a recuperar, jogador e árbitro deviam ficar exactamente o mesmo tempo longe dos relvados.»
Dragões Diário, 23-09-2015

José Correia disse...

«Mas o mau perder do ex-ministro do PSD, que tutelou o desporto até ser demitido pelo presidente da República, não tem limites e lá veio a clássica insinuação de doping no FC Porto. Trata-se, evidentemente, de uma insinuação porca, desprovida de qualquer credibilidade, até porque o passado do FC Porto fala por si mesmo. Já o contrário... Só de cabeça há Nuno Assis, Hernâni e Veloso (futebol), António Tavares (basquetebol), Paulo Barata (râguebi), Sérgio Ribeiro (ciclismo), tudo casos comprovados e punidos. A porta 18, para fins mais recreativos, está em linha, ups, com muitas outras histórias, a que havemos de voltar quando se justificar.»
Dragões Diário, 23-09-2015

DC disse...

José Lopes, desde o início, se me ler com atenção, disse que o Quaresma não fez nada em jogos grandes.
E disse que o Tello foi o melhor assistente da época, não disse que tinha marcado mais golos que o Quaresma.

Agora, se há dúvidas sobre o que eu disse sobre o Quaresma não ter feito nada de relevante além do Bayern (e alguém que diga que o Quaresma resolveu contra o Athletic é ridículo, quando o golo é um frango enorme depois dum remate idiota do Quaresma) eu tiro-as:
- Marcou ao Rio Ave de penalty; Decisivo;
- Marcou 2 golos ao Estoril numa goleada em casa de 5-0. O 3º golo dessa goleada de penalty e o 5º golo. Resolveu portanto marcar, de penalty, quando já estava 2-0. Decisivo;
- Marcou 2 golos em casa ao Paços numa goleada de 5-0 (olha em goleadas o homem até marca). Mais uma vez, o 1º golo de penalty quando o Porto já estava a ganhar. Decisivo;
- Marcou ao fantástico União da Madeira para a taça da liga em casa. Mais uma vez o Porto já ganhava. Uau;
- Marcou ao Setúbal em casa numa goleada de 4-0 (eh pah o homem só marca em jogos em que goleamos?) e adivinhem lá... de penalty, claro!!! Decisivo de novo;

Portanto, toda esta fantástica época e estes fantásticos 10 golos foram 4 de penalty e um para a taça da liga. Nunca marcou no campeonato, sem ser de penalty, num jogo em que o Porto não estivesse a ganhar. Mas querem fazer disto uma boa época. Retirem os penaltis e quanto fica? Fica nada, praticamente.

Quanto a Tello, o homem que fez uma péssima época:
- Golo ao Nacional fora de casa (aquele sítio onde o Quaresma não marca, sabem?), único golo do Porto na partida. Sem o golo teria sido 1-0 para o Nacional;
- Golo ao Braga, único golo da partida. Sem o golo teria sido empate;
- 3 golos ao Sporting, únicos da partida. Sem os golos teria sido empate;
- Golo ao Paços num 5-0. Aqui não decidiu nada;
- Golo ao Rio Ave num 5-0 mas a ser o 1º golo do Porto a desbloquear um jogo que estava empatado ao intervalo;

Fica alguma dúvida sobre quem foi decisivo e quem só apareceu da marca de penalidade ou para marcar um golo em jogos resolvidos???


E sobre assistências é procurar o Quaresma na lista. Eu não o vi:

"De volta a 2014-15, quem é afinal o melhor assistente? Perguntas bem. E o Óscar vai para... Tello e Lima, oito cada. Ah pois é, o prémio tem de ser dividido. Seguem-se Lucas João (Nacional), com sete. Depois, Jonas, Jackson, Tomané (Vitória de Guimarães) e João Pedro (Moreirense), com seis. É a festa do golo vista ao contrário. De quem o fabrica, do “made in”. Pormenor delicioso: Luisão tem quatro golos, três deles de Pizzi. A mesma taxa de influência na coligação Quaresma-Aboubakar."

Desculpem lá, mas se até com isto continuarem a bater na mesma tecla, eu vou pregar para outra freguesia. As estatísticas são muito bonitas mas eu trabalho com elas há anos, não caio em qualquer análise enviesada. Ou seja Luís, antes de me dizer que estamos conversados, olhe para os números com olhos de ver. É que se não o fizer obriga-me a mostrar que falou sem sequer olhar para eles.

João disse...

Espera lá, então vamos a contas: Quaresma resolve dois jogos. Ponto final. Mais ou menos enterro da defesa, mais ou menos pato. É completamente irrelevante, porque foi ele que arriscou o remate mais imbecil do planeta e deu pato, é sinal de que os outros estavam a arriscar remates demasiado intelectuais.

Resolve 2 jogos.

Tello, com muita bonomia de já considerarmos esse golo na Choupana em que de resto fez um jogo miserável e : 3 jogos.

Bem, bem! Calma, tanta diferença ao mesmo tempo não!

Para termo de comparação, Herrera empata o jogo desta época no Funchal, (com a vantagem de ter marcado o 1º e não 2º golo da contenda), vai neste momento a 33% da performance do Tello,e só estamos na 5ª jornada! Temos craque!

José Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Lopes disse...

"Mas a do Tello com maus momentos deu para ter mais golos que o Quaresma"

Tanto disseste que o Tello tinha marcado mais golos que o Quaresma que está aqui a prova. Foste desmentido pelos números e então fazes spin e dizes que não disseste o que disseste de facto. Para quem trabalha com estatística há anos, espanta-me que uses argumentos como o de golos decisivos só porque dá jeito. É difícil ver objectividade quando se lê que os golos de um numa goleada não foram decisivos, mas o de outro foi porque foi o primeiro. Discutível, não? Também não vejo grande objectividade quando qualificas como estúpido um remate que deu uma vitória na Liga dos Campeões. Ou menorizas os golos ao Bayern para enfatizar o golo ao Nacional... Por favor, não puxes de galões a falar de futebol. Fica-te mal e pior ainda quando teimas um torcer o que se diz para manteres o teu ponto. Já agora, NINGUÉM aqui disse que a época do Quaresma tinha sido fantástica. Até aposto que das 3 pessoas que estão a responder-te, nenhuma tem saudades do Quaresma. Isto tu não percebes por causa da fixação que te impede de ver que nem toda a gente que não malha no que o Quaresma faz de manhã à noite é fã dele e de que ele bata no peito.

DC disse...

Discutível? Não. Se quiser discutir se é mais importante marcar num 1-0 ou num 5-0 eu não discuto. É ridículo demais para me sujeitar a isso.

Sim, um remate de má posição quando tens colegas isolados ao lado e que só resulta em golo porque o redes dá um frango do tamanho dos Clérigos é estúpido. Também não discuto isso, é demasiado óbvio para merecer discussão.

Menorizo a forma como surgiram os golos ao Bayern (erros individuais do adversário) face ao golo do Tello (jogada individual e remate de pé esquerdo de fora da área). Da mesma forma que menorizo ainda mais golos de penalty ou golos em que o adversário está derrotado (alguém com juízo acha que vale tanto um golo quando está 0-0 como um quando está 2-0 ou 3-0?)

Não disseram que era fantástica como eu não disse que a do Tello era. Simplesmente nem são comparáveis. A do Tello apesar de mediana foi absurdamente melhor.

José Lopes disse...

Ridicula e' a tua arrogancia, mas enfim. Mais uma vez, um spinzinho como da jeito. Ninguem disse que um golo num 1-0 era tao decisivo como num 5-0. Tu e' que comparaste o golo do Tello num 5-0 com golos do Quaresma noutro jogo com o mesmo resultado, chegando obviamente a conclusao que o do Tello foi muito mais importante... Diz-me que analise estatistica usaste para comprovar que um golo que desbloqueia um 5-0 e' muito mais importante que um par de golos no mesmo resultado, que sejam o segundo e o quarto, por exemplo.

Quanto aos golos contra o Bayern, espero que nao menorizes a exibicao do Quaresma, entao. Fora os golos, fez um grande jogo, O mesmo nao se pode dizer da grande maioria dos jogos que fez epoca passada ou da grande maioria dos jogos que o Tello fez com a camisola do Porto.

Acho curioso rotulares a epoca de um como absurdamente melhor que a do outro quando a do Tello resumiu-se a um mes de grande nivel no meio de nao sei quantos sofriveis. Mas ja sei, nao bete no peito nem se despiu na capa da Cristina, deve ser isso.

O Herrera e' bem pescado pelo Joao, porque lembro-me de golos decisivos dele e nem por isso e' defensavel que ele tenha tido uma epoca absurdamente melhor que seja quem for. Assim de memoria, fora o Maritimo este ano, lembro-me de Borisov e Lille.

Luís Vieira disse...

DC, olhei para o zerozero e para O Jogo e vi, claramente visto, que o Tello e o Quaresma, do ponto de vista estatístico/numérico tiveram um rendimento muito semelhante. Vantagem para o Quaresma nos golos, vantagem para o Tello nas assistências. O DC até pode trabalhar com estatísticas, mas é notório na sua análise que há parcialidade, tornando-a, agora sim, enviesada (é humano e não pode com o Quaresma nem pintado). Releva e minimiza factores conforme a conveniência para chegar a uma conclusão premeditada e inverosímil: o Tello teve uma época "absurdamente melhor" que o Quaresma. Perdoe-me, mas ridículo é achar isto. Duvido que tenha sido melhor, quanto mais absurdamente. Centrando-me no factor "decisivo", o Tello teve um pico de forma em Março, onde foi decisivo em 3 jogos, ao passo que o Quaresma teve um rendimento mais distribuído, tendo sido decisivo, por exemplo, na Champions (por muito que o DC renegue a forma de obtenção dos golos, das vitórias, não obstante tê-los festejado, quiçá efusivamente). Em suma: em argumentação na qual entre os nomes Quaresma e Herrera, o DC tem dificuldade em manter a objectividade.

DC disse...

"Tu e' que comparaste o golo do Tello num 5-0 com golos do Quaresma noutro jogo com o mesmo resultado, chegando obviamente a conclusao que o do Tello foi muito mais importante... Diz-me que analise estatistica usaste para comprovar que um golo que desbloqueia um 5-0 e' muito mais importante que um par de golos no mesmo resultado, que sejam o segundo e o quarto, por exemplo."

REPITO:
"Alguém com juízo acha que vale tanto um golo quando está 0-0 como um quando está 2-0 ou 3-0?"

"Quanto aos golos contra o Bayern, espero que nao menorizes a exibicao do Quaresma, entao. Fora os golos, fez um grande jogo, O mesmo nao se pode dizer da grande maioria dos jogos que fez epoca passada ou da grande maioria dos jogos que o Tello fez com a camisola do Porto. "

Tretas. A isto chama-se convicções, não tem absolutamente nada que sustente esta afirmação. Aliás, se quiser analisar lance a lance as exibições do Quaresma, estou disponível. Mas é se quiser ser sério. E qualquer pessoa séria sabe o que é o Quaresma integrado num colectivo.

"Acho curioso rotulares a epoca de um como absurdamente melhor que a do outro quando a do Tello resumiu-se a um mes de grande nivel no meio de nao sei quantos sofriveis. Mas ja sei, nao bete no peito nem se despiu na capa da Cristina, deve ser isso."

Tretas mais uma vez... Já dei exemplos dos golos decisivos que marcou e as assistências que fez foram durante bem mais que mês e meio.

"O Herrera e' bem pescado pelo Joao, porque lembro-me de golos decisivos dele e nem por isso e' defensável que ele tenha tido uma época absurdamente melhor que seja quem for. Assim de memoria, fora o Maritimo este ano, lembro-me de Borisov e Lille."

Sim, mais uma genial. O Herrera decidiu o jogo com o Lille ao encostar uma bola com a baliza aberta na pequena-área. Compare-se isto com os golos do Tello. Tem toda a lógica. Brilhante mesmo! Estou completamente rendido!

Pelo desculpa, mas com a minha enorme arrogância, vou abandonar a discussão. Vocês são demasiado geniais para mim. Eu falo de futebol e vocês querem discutir alguma arte abstracta que eu não compreendo. A única coisa que consigo perceber é que se deve basear em capas da Cristina, porque se se baseasse em futebol não podia, certamente, conter tanto disparate.

Luís Vieira disse...

Moral da história: os golos e as assistências do Tello são mais melhores bons do que os golos e as assistências do Quaresma. Mais: o mesmo Tello, que, por exemplo, em Alvalade, com colegas ao lado, decide chutar estupidamente para fora (perdeu 2 pontos aí, dá para descontar no mês de Março?) é "claramente" um jogador mais integrado no colectivo. Isto é tão genial, tão futebolístico, que merecia uma capa abstracta da Cristina.

João disse...

Ei já nem me lembrava desse lance épico em Alvalade. Dois pontinhos ao charco, só na conta do Tello. Ficamos a quantos do Benfica?

Era só isso.

PS: Os golos do Herrera ao Basel e BATE Borisov também foram só de encostar? Por comparação com os golos do Tello, que foram todos na cara do guarda-redes e mérito, em grande medida, de quem lhe endossa o passe?

Agora encostar não vale. Esquece lá, Jackson, muito fraco. E alguém que avise o Aboubakar porque cabeceou o último ao poste.

DC disse...

Épico é ver as mesmas pessoas que dizem que o lance de Quaresma com o Bilbao decide o jogo, criticarem um lance do Tello com exactamente as mesmas particularidades e não entenderem a argolada que metem.
É a compreensão do futebol ao nível pré-histórico.

José Lopes disse...

"Aliás, se quiser analisar lance a lance as exibições do Quaresma, estou disponível. Mas é se quiser ser sério. E qualquer pessoa séria sabe o que é o Quaresma integrado num colectivo."

Volta a ler o que escrevi. Torces tanto que nem lês direito. Eu disse que grande parte das exibições do Quaresma foram más, que no caso dele são quase sempre pela forma como não se integra nem percebe o jogo colectivo. Elogiei uma, a do jogo com o Bayern. Acho que será necessária muita embirracao para até nesse jogo ver uma má exibição.

"Herrera decidiu o jogo com o Lille ao encostar uma bola com a baliza aberta na pequena-área. Compare-se isto com os golos do Tello. Tem toda a lógica. Brilhante mesmo! Estou completamente rendido!"

Sim, os golos do Tello não foram todos (excepto o contra o Nacional) na cara do redes nem nada. Já o do Herrera contra o Basel foi de baliza aberta... Ou então foi um remate estúpido porque devia ter passado, já sei.

Quanto ao Tello, até nem falei no lance em Alvalade, mas acontece que eu estava lá e ficou tudo doido na bancada por ele não ter a noção suficiente para meter a bola no Brahimi em vez de procurar brilhar. Fosse o Quaresma a fazer isto e nem quero imaginar o que dirias.

"Eu falo de futebol e vocês querem discutir alguma arte abstracta que eu não compreendo. A única coisa que consigo perceber é que se deve basear em capas da Cristina, porque se se baseasse em futebol não podia, certamente, conter tanto disparate."

Devo ter-me enganado no blog. Pensei que não estava no Entre Dez ou no Lateral Esquerdo. O teu tom de estalinista da bola é igual.

Luís Vieira disse...

A grande diferença entre um lance (Bilbao) e outro (Alvalade) é que a bola entrou. Num ganhámos 2 pontos, no outro perdemo-los. Já tivemos este debate aqui, são concepções diferentes do jogo. O Tello para tomar aquela decisão, teria de a executar bem. Não o fez, o resultado não foi o golo, o objectivo máximo do jogo, por isso merece crítica. Já o Quaresma consegui-o, independentemente daquela não ter sido a melhor opção no momento. O golo é o bálsamo da decisão. Lá porque o DC não concorda com esta filosofia, não vou chamá-lo australopiteco. Mas merecia =)

DC disse...

Eu nem vou qualificar esse tipo de pensamento.
É o tipo de pensamento que acha que se duas pessoas receberem o seu salário, se dirigirem a um casino e um apostar tudo no preto e ganhar e outro tudo no vermelho e perder, um tomou uma boa decisão e o outro tomou uma má decisão.
É o tipo de pensamento que acha que se duas pessoas se atirarem da varanda dum 3º andar e um sobreviver e o outro morrer um tomou uma boa decisão e o outro uma má decisão.

Eu acho que aqui ninguém é acéfalo portanto deixo que tirem as próprias conclusões. Até porque não tenho disposição para insistir numa coisa tão óbvia. Pode chamar-me o que quiser, não significa é que não seja você continuamente a manter o pensamento pré-histórico.

Luís Vieira disse...

A resposta não me surpreende, voltamos ao mesmo: comparar realidades incomparáveis, ainda por cima com exemplos extremados. Acefalia não diria, mas o DC vê o mundo a preto e branco, não há áreas cinzentas. É outro tipo de disfunção que dá pelo nome de fanatismo/extremismo. Tem um critério para a boa decisão dogmático, que afasta o golo da equação. Há quem se ache modernista, mas seja incapaz de enxergar que o objectivo máximo do futebol é o golo e que entrando a bola na rede tudo o mais perde sentido. Todas as concepções teóricas são remetidas à insignificância pela bola na baliza. É um axioma pré-histórico que manda às malvas a bazófia da probabilidade. A bola entrou, o DC e eu festejámos, seja boa ou má a decisão. A execução foi a ideal porque resultou no golo e não há como provar o contrário, porque já aconteceu, é um facto indesmentível, inegável. A história e os clássicos têm muito a ensinar aos pseudo-progressistas, porque há coisas que são imutáveis, no futebol, como na vida.