terça-feira, 29 de setembro de 2015

O problema


No decorrer da época transacta, não obstante discordar de algumas das opções estratégicas do treinador, senti-me na obrigação de expressar todo o meu apoio a Julen Lopetegui. A época não foi fácil do ponto de vista desportivo: a uma excelente prestação na Liga dos Campeões (que em minha opinião não foi beliscada pela goleada que terminou com a nossa participação na prova, em Munique) somou-se uma frustrante prestação nas provas nacionais.

O campeonato estava destinado a ser entregue ao SLB que, logo na primeira volta, obteve 8 pontos adicionais na sequência de erros de arbitragem com influência directa no resultado dos 4 jogos em questão. Isto sem ter em conta um empate do FC Porto em Guimarães com a ajuda da equipa de arbitragem que anulou o golo da vitória a Brahimi por fora-de-jogo inexistente. Estava visto que o clube do regime, por pior que jogasse, iria ser o campeão nacional. E foi com este enquadramento que Lopetegui teve de gerir uma equipa e aguentar até ao fim, expressando publicamente a sua revolta e sem contar com tomadas de posição oficiais por parte do clube a criticar o estado das coisas. Lopetegui foi um homem praticamente só…


As 2 outras competições nacionais não terminaram nada bem. A Taça de Portugal nem sequer começou porque o FC Porto foi eliminado pelo Sporting, em casa, logo na primeira eliminatória. E aqui a responsabilidade do treinador foi capital. Subestimou a capacidade do adversário, trocou meia equipa e levou 3-1 no primeiro grande balde de água fria da época. Na Taça da Liga o FC Porto passou a fase de grupos para ir depois à Madeira disputar com o Marítimo o acesso à final. Depois de aí ter perdido para o campeonato alguns dias antes, pensava-se que o FC Porto iria à Madeira vingar-se e deixar o Marítimo pelo caminho, tendo a equipa insular feito uma época muito abaixo do normal. Engano. O FC Porto foi à Madeira perder outra vez depois de estar a vencer por 1-0. Pode dizer-se, portanto, que Lopetegui foi o grande responsável pela fraca prestação do clube nas Taças na época 2014/2015.


No decorrer da época passada fui percebendo que, não raras vezes, o treinador acabava por passar uma mensagem errada à equipa quando “poupava” jogadores titulares em jogos do campeonato ou das outras duas competições nacionais (as taças) entre (ou antes de) jogos da Liga dos Campeões, a competição que Lopetegui desde sempre assumiu como a principal (até pelos jogadores que utilizou e a quem foi dando mais minutos em prova). A gestão do plantel é necessária mas, em 2014/2015, principalmente na primeira metade, houve demasiada “rodagem” nas equipas titulares.

Depois de uma pré-época atribulada – no sentido em que houve 15 (ou mais) saídas e outras tantas entradas – o treinador conseguiu estabilizar um “onze” titular ao fim de um par de jornadas no campeonato. No entanto continua a haver um desalinhamento estratégico entre aquilo que são os interesses do clube e os interesses de Julen Lopetegui. O clube elege o campeonato como principal prioridade e o treinador entende que é na Liga dos Campeões que deve apostar “as fichas todas”. E qual é o problema deste desalinhamento de objectivos? Ao fazer a equipa para um jogo do campeonato antes de uma jornada da prova europeia, Lopetegui continua a entrar no jogo das poupanças na equipa titular, transmitindo uma mensagem errada à equipa. Na passada sexta-feira ouvi um comentário de café com o qual concordo inteiramente: “o nosso campeonato é o Moreirense, não é o Chelsea”. Mesmo sem o dizer, o treinador incute no subconsciente dos jogadores que um dos jogos é para vencer gerindo o esforço e o outro jogo é para vencer a todo custo. E depois acaba o jogo para o campeonato a apostar tudo na meia hora final com o risco de lesões de esforço e de contacto em jogadores nucleares e sem conseguir uma vitória. Lopetegui tem sido useiro e vezeiro neste tipo de abordagens e parece não querer entender o essencial: para ser campeão nacional tem de usar sempre os melhores jogadores à sua disposição, sendo preferível, no limite, fazer a gestão do plantel noutras provas. E não se trata aqui de discutir se o treinador apostou no jogador "x" no minuto "y" para tentar ganhar um jogo. Da gestão de um grupo de trabalho também fazem parte as atitudes e os exemplos dados pelo seu líder.

Além do exposto, e independentemente da qualidade e da composição do plantel, vejo que tem faltado à equipa qualidade no jogo técnico e táctico (com deficiente ocupação de espaços e falta de jogo interior, por exemplo) e que não há velocidade para entrar em transições rápidas nas defesas adversárias apesar de contar com diversos extremos rápidos. Os princípios de jogo deste FC Porto parecem imutáveis aos olhos do treinador, que os faz assentar excessivamente numa posse de bola estéril e sem a sua necessária circulação em zonas mais avançadas no terreno. Além disso, aos jogadores parece faltar maturidade emocional, dado não dominarem minimamente a gestão dos tempos de jogo.

A SAD do FC Porto fez um fortíssimo investimento nestas duas épocas (2014/2015 e 2015/2016) para proporcionar à equipa técnica um leque alargado de jogadores de qualidade inquestionável. Duvido que este modelo de negócio continue a ser sustentável por muitos mais anos. Talvez por isso a prova rainha em Portugal merecesse outro tipo de abordagem. A forma como o treinador tem encarado os jogos neste campeonato tem sido uma desilusão para uma parte considerável da massa associativa.

Por estas razões vejo que actualmente Lopetegui é mais uma parte do problema do que parte da solução. E que não aprendeu a lição na época passada: para ganhar em Portugal, não basta ao FC Porto ser melhor, tem de ser muito melhor. Os seus atletas têm de dar tudo, seja no Dragão ou em qualquer outro campo deste país. E, assim sendo, ou muda Lopetegui ou mudará o FC Porto no final da época, retirando o treinador daquela “cadeira de sonho”, porque lhe é exigido que seja, acima de tudo o resto, campeão nacional.

Não serão as (eventuais) vitórias na Liga dos Campeões que me farão mudar de opinião.
   

36 comentários:

Costa disse...

Eu tb preferiria que o FCP tivesse ganho a taça de Portugal e taça da liga, nem que para isso tivessemos sido eliminados na fase de grupos da CL...

Jorge Vassalo disse...

Concordando com o seu artigo, Nuno, a verdade é que discordo de um ponto essencial.

O Nuno acha que é o treinador que privilegia a Champions em relação ao campeonato. Eu, de contrário, acho que são todos, daí ter visto Pinto da Costa dizer que Lopetegui tem feito um "excelente trabalho".

Ontem, Pinto da Costa mostrou o excelente trabalho de Lopetegui - 86M de mais valia. Se, no ano passado, para equilibrar contas, compreendi o peso terrível do que pediam a Lopetegui, este ano a porca torce o rabo.

A forma como Brahimi reagiu à lesão deixou-me muito irritado. Acho que qualquer Portista sabia, no seu âmago, que Brahimi estava a reagir daquela forma por pensar que não jogaria contra o Chelsea, e não porque não poderia ajudar a sua equipa a vencer. Por mim, sentar-se-ia no banco.

Hoje estarei, como sempre, no meu lugar no Dragão. Quero, naturalmente, que o FC Porto vença. Mas, e digo-o sem rodeios, se o FC Porto fizer um bom jogo, uma parte de mim não vai gostar.

Porque todos já sabemos a fila da saída - Brahimi, Herrera, Imbula, quiça Aboubakar e uma ou outra surpresa - mas eu, pessoalmente, não sou adepto do FC Porto Import - Export.

Nem, como bem dise Hmmorc no Porta 19, subscrevo a ideia - que faz todo o sentido nesta lógica - do FC Porto estar focado em ficar bem colocado na futura Super-liga Europeia.

O meu campeonato - e o de todoa os Portistas é o nacional. Mesmo com Moreirenses, Tondelas e afins.

O que se está a fazer é desrespeitar o Clube, desrespeitar os adeptos, desrespeitar o seu fito e a sua base histórica.

Para mim é inadmissível. Lopetegui será conivente. Não o acho totalmente responsável.

Abraço Azul e Branco,

Jorge Vassalo | Porto Universal

kaka.ricardo disse...

Absolutamente de acordo!

Silva disse...

Se o FCP for campeão com este modelo e este treinador, o Nuno virá retratar-se? Ou passarão a ser importantes as (eventuais) vitórias na Champions? E se perdermos hoje? Isso não interessa nada, a la JJ, ou passará a ser fundamental? É muito respeitável que as opiniões divirjam, mas é importante que sejam claras: uma fantástica Champions não compensa um 2 lugar no campeonato. Ser campeão compensa ficar pela fase de grupos. Ser campeão e passar a fase de grupos torna JL num grande treinador. É isto?
Obg pela (eventual) paciência.

Silva disse...

Em absoluto desacordo. Estivemos a 3 pontos de ser campeões no ano do colinho, com uma Champions excelente... O que estarias a dizer agora amigo? E claro que vais gostar a 100% se fizermos um grande jogo mais logo.

Nuno Nunes disse...

Silva,
Gosto do seu (eventual) sarcasmo.
Eu gosto deste treinador. Tenho pena que as suas prioridades (e as de alguns jogadores nucleares também) não sejam as mesmas que as do FC Porto. Mas se formos campeões virei retratar-me com todo o gosto. Quem me dera!

Nuno Nunes disse...

Quando digo que as prioridades não são as mesmas quero dizer que não estão ordenadas da mesma forma, obviamente. Falamos da questão Liga dos Campeões / Liga Portuguesa.

Miguel Pinto disse...

Chamar "rotatividade" á troca dos avançados acho ridiculo, no jogo do Moreirense o que falhou foi a defesa e essa jogou a que joga sempre, acertar no euromilhoes ao sabado é o que faz a maioria dos portistas.
Obviamente que a aposta na CL é uma opção da SAD porque é o dinheiro da UEFA que faz o o FCP sobreviver e é obvio que qq plantel feito para fazer uma boa CL tem de ser campeão em Portugal. Alguém contrata Casillas e Imbulas por 20 milhoes para ganhar uma competição q dá prejuízo financeiro? Claro que não. Algum bom jogador quer vir jogar para o nosso campeonato de merda se não tiver a CL como cenoura? Temos é que aceitar as regras do jogo ou então deixamos de andar na Europa e jogamos para as taças daqui do burgo e deixamos de exigir mundos e fundos qdo jogamos fora de Portugal.
Os portistas estão mto mal habituados e nenhum treinador é bom para o FCP pq ou ganha tudo (CL incluída) ou é uma merda.
Alguns deviam estar 20 anos sem ganhar nada tipo sporting e assim passavam a aceitar qq merda.

Ricardo disse...

Caro Jorge, pode ficar descansado que o Herrera não foi convocado. A lógica táctica existe, não devemos achar sempre que o Porto só pensa em dinheiro.

Vitor Gomes disse...

Não concordo. Acho que a aposta na Europa dos grandes é cada vez mais importante, isto se quisermos manter planteis realmente competitivos, completos e num patamar acima dos demais a nível interno. E ter um plantel superior a nível internos é meio caminho andado para ganhar.

No entanto, ter um plantel superior não é garantia de vitória, e nem nós, nem jogadores, treinador e direcção se podem esquecer disso. Nós estamos aqui a discutir isto (não incluo aqui a "massa assobiativa"), e o treinador acabou o jogo a pôr a "a carne toda no assador" e aos berros e aos saltos. Não duvido do compromisso de nenhum dos dois.
O treinador tem de poder pedir ao plantel para corresponder mesmo com 2/3 alterações aos titulares, e eles têm obrigação de o fazer. Talvez o problema esteja no modo como JL o faz, talvez no profissionalismo dos jogadores, mas não acho que tenhamos de entrar SEMPRE com o 11 melhor. Tem de haver espaço para alguma rotatividade.

My 2 cents.

Jorge Vassalo disse...

O Ricardo não deve ter percebido, mas eu não culpo Lopetegui. Acho muito bem que ele não convoque os jogadores que não estão bem. Não gostei dos jogadores não porem o pé.

Se assim fosse sempre, ficaria feliz. O campeonato está antes da Champions. Antes!

Abraço

Luís Vieira disse...

Ia introduzir essa nuance, Jorge, mas antecipou-se. O Lopetegui está em sintonia com a SAD. É-lhe permitida esta troca de prioridades (ao contrário do que sucedia antigamente, mudam-se os tempos, mudam-se as vontades), porque a SAD assim o preconiza. Não me admira que a satisfação com o trabalho do treinador exista: se tivermos uma época igual, manter-se-á. Para a direcção, o dinheiro e a valorização de jogadores na Champions são mais importantes do que títulos em Portugal.

Mário Faria disse...

Em Portugal criou-se a ideia que basta criar o plano certo para se ganhar e, por maioria de razão, se orçamento entre as partes for desnivelado. Ao treinador, caberá sempre toda a responsabilidade, porque lhe compete essa tarefa por inteiro. Ou seja: exponenciar estratégias que anulem a superioridade do adversário porque a ordem é vencer não é contar tostões e ser capaz de reduzir a pó os mais frágeis que se atrevem no campeonato cá do burgo a competir connosco: empatar com o Moreirense é pecado capital, por muito competente que tivesse sido o adversário e o seu treinador. Gosto de Lopetegui. É provável que a sua saída se torne “inevitável”. A vida continuará, de certo.

Ricardo disse...

Abraço!

reine margot disse...

Estou até em dúvida quem poderia ser o treinador ideal para este clube... ( pena que provavelmente seja um que não quer vir para cá...)

- Concordo inteiramente com o comentário do Miguel Pinto -

Nuno Nunes disse...

Talvez não seja pecado capital empatar com o Moreirense, mas é muito mau estar a vencer por 2 vezes e, no fim, deixar-se empatar. Assim como deixar-se empatar nos minutos finais, tanto em Moreira de Cónegos como em Kiev.

Pedro disse...

Já nem critico assim tanto a rotatividade. Os jogadores que alinharam de início contra o Moreirense têm a obrigação de ganhar a tão fraco adversário. Mas, de facto, com um treinador de categoria - coisa que há muito não temos - poderíamos ser outros.

Quanto ao "modelo de negócio", há muito que não é sustentável (por algum motivo parte da Euroantas foi incorporada na SAD), mesmo antes de Lopetegui.

Pedro disse...

"Futura Super-Liga Europeia"?? Há quanto tempo se não fala nisso? Com receitas televisivas como as da Premier League - em que o último classificado recebeu na época passada uns 60 milhões de libras - e mesmo como as da Bundesliga, e as dos principais clubes espanhóis, já ninguém fala em Superliga Europeia. Isso é, actualmente, um mero mito urbano, e pensar que alguém no FCP gere objectivos a pensar nessa quimera é um puro devaneio.

E não acredito que a SAD desvalorize a luta pelo título nacional.

Pedro disse...

Ao ler alguns de vocês, até parece que nunca acumulámos tíulos de campeao nacional com boas prestações europeias. E se na época passada, apenas pela segunda vez desde Gelsenkirchen, diga-se, chegámos aos 1/4 de final da LC, isso ter-se-á ficado principalmente a dever ao sorteio dos 1/8s, sejamos realistas.

meirelesportuense disse...

Gostei do jogo hoje e apenas um reparo, saindo Brahimi, deveria ter entrado ou um meio campista, ou um extremo rápido. Osvaldo não faz nenhum dos dois lugares.
No resto boa leitura na 2ª parte quando André-André acabou definitivamente com o jogo tático do Mourinho que imobilizava Maxi Pereira através do posicionamento do William. Se deveria ser Layun a substituir André-André, tenho dúvidas, mas poderia ter sido ali colocado o Evandro e no eixo Sérgio Oliveira. Talvez se justificasse mais ser Sérgio Oliveira a substituir o Brahimi.

Luís Gagliardini Graça disse...

Prioridades vêm-se nisto: Brahimi sai em Moreira de Cónegos mas joga hoje; Rúben não joga lá mas joga hoje; Abouba, que está em grande, fica no banco em Moreira de Cónegos, etc, etc. E depois queremos ganhar a Liga? Ou os nossos meninos não aguentam 2 jogos por semana?
Mas hoje é momento de festejar a vitória sobre o Chelsea. Só tenho pena que o treinador pense que não conseguiriamos jogar assim todos os jogos e tenha que poupar na Liga. Força Porto

OAutor disse...

Clap clap clap!! (isto são palmas)
Concordo com tudo o que disse!!!! Aliás, existem portistas que parece que só viram a época de 2003, 2004 e 2011 o resto não existiu!!!

DC disse...

Depois do 11 escolhido hoje, interessa-me pouco a vitória. Lopetegui não é o meu treinador. Espero que seja encontrada uma alternativa credível o mais rápido possível.
Felizmente este Mourinho ainda é pior, porque só este Mourinho para não aproveitar o presente dado com Indi na esquerda (a humilhação dada pelo Lahm não serviu de exemplo?) ao deixar um dos melhores jogadores do mundo no banco.

pedro carmo disse...

Quando não se gosta, não se gosta....

é assim a vida.

Esperemos que uma época com (eventuais) vitorias internas e ainda (muito muito mais inverosíméis) externa, o continue a fazer manter a sua opinião.

há espaço para tudo, sempre....

RS disse...

Problema é depois do jogo com o Moreirense sair logo um post a malhar na equipa e no treinador enquanto hoje, quarta-feira de manhã, ainda não há qualquer referência à vitoria de ontem diante do Chelsea.

Carrela disse...

Mais uma grande resposta de Julen aos críticos.

asgouveia disse...

Concordo inteiramente que o problema é Lopetegui.
Não quero crer que a SAD e o seu presidente prefiram chegar aos oitavos ou quartos da Liga dos Campeões do que ganhar o campeonato. Aliás estou a imaginar a cara do Pinto da Costa a ver os festejos do Benfica no Marquês.
Eu acredito que com a condição desportiva e financeira que o FCP atingiu na última década é perfeitamente possível atingir os dois objectivos.
Para isso é necessário bons jogadores, boa equipa e um bom treinador.
Sinceramente apesar das vitórias contra Benfica e Chelsea, continuo acreditar que nos falta um verdadeiro colectivo e um treinador capaz.
Para não falar nos erros do ano passado, veja-se:
- o estilo/modelo de jogo baseado na posse de bola lenta, lateralizada e com pouca objectividade

- a forma como perde dois jogos nos últimos minutos (Kiev e Moreirense), que resulta da incapacidade de controlar os jogos

- a gestão do plantel incompreensível onde jogadores saem do 11 inicial para a bancada e vice-versa sem razão aparente, onde jogadores são descartados por uma má exibição e outros continuam no onze, aconteça o que acontecer, onde jogadores novos com um par de treinos entram directos para o onze

- a atitude que mantém nas conferências de imprensa perante perguntas pertinentes, se fosse português, certamente seria apelidado de mal educado

- o comportamento ridículo que por vezes tem no banco a tentar motivar os jogadores aos saltos e a gritar: Vamos! Vamos!. Ainda deve pensar que está nas selecções de Espanha

- a valorização que dá aos adversários independentemente do seu valor: são todas equipa muy buenas! Como se fosse anormal, o FCP assumir o favoritismo e ganhar contra equipas de menor valor.

- a convocatória de 3 guarda-redes para a Madeira (com medo de perder um pelo caminho), deixando no Porto jogadores como o Sérgio Oliveira

- as escolhas tácticas errantes. Como adepto do Porto eu conseguia normalmente adivinhar o onze e as substituições que faziam Mourinho, Jesualdo, Villas-Boas e Vitor Pereira. Com este tipo, esse exercício de adivinhação é mais difícil do que acertar na combinação do totoloto. Por exemplo ainda não percebo como é o Herrera é titular quando Rubén Neves e André, como é se entra em casa frente ao Estoril com o Indi a defesa esquerdo e como se deixa a equipa a jogar contra o Moreirense nos últimos minutos com um único médio (!) Este experimentalista já colocou o Aboubakar a jogar a médio centro e a extremo esquerdo nos últimos dois jogos.

Como adepto do FCP e amante do desporto, já não suporto a gestão, o modelo de jogo e a personalidade deste sujeito. Não tem perfil, categoria e experiência para ser o treinador principal de uma equipa como o FCP. Aliás surpreende-me como ainda consegue ser tolerado por alguns portistas.

Desta forma defendo que Lopetegui seja imediatamente afastado do cargo, embora saiba que isso não vai acontecer, apenas se o treinador se demitir. Mas como não quero que a época se arraste e acabe como o ano passado, estou a pensar criar uma petição pública para que a SAD possa demiti-lo, uma vez que não posso ir ao estádio mostrar o meu descontentamento.

Defendo que dever-se-ia contratar um treinador de transição até ao inicio da próxima época com um treinador conhecedor do futebol português e da mística do clube como Domingos ou Jorge Costa e na próxima época contratar Villas-Boas e prende-lo cá :) Porque na minha opinião é o treinador ideal: é competente, tem experiência, é portista, domina e sabe usar o aspecto comunicacional, conhece bem o futebol português, é titulado e para o ano deseja voltar a Portugal.

Aqueles que suportam a ideia de se criar essa petição, agradeço que me contactem para tornarmos isso realidade.

Obrigado e desculpem o longo texto

Pedro Reis disse...

Se não suporta o treinador, nem a gestão, nem o modelo de jogo, nem o que são as prioridades da SAD, porque não muda de clube?

Não gosta do Mundo, mude-se o Mundo... porque não muda você?

Há ali para o Lumiar um clube adequado, com um treinador que você deve idolatrar, de quem deve adivinhar todas as substituições, que só pensa no Campeonato (pelo menos a avaliar pelas sofríveis prestações europeias)...

Lopetegui pode não ser perfeito, nem o melhor treinador do Mundo, mas tem feito muito mais coisas bem do que mal!

Luís Gagliardini Graça disse...

O que crítico é mesmo ele só olhar à Champions e marimbar-se para o campeonato. A vitória de ontem apenas o vem confirmar

Luís Gagliardini Graça disse...

Resposta a confirmar o que se disse...que ele só tem olhos para a Champions

Luís Gagliardini Graça disse...

Pedro, como portista acha que é caminho mudar de clube? ?? Porto sempre mesmo que o treinador faça asneiras

Luís Gagliardini Graça disse...

Acha que o post de quarta feira às 9h43 da manhã foi muito tardio?

Pedro Reis disse...

Acho que quem só vê problemas no FCP apesar de muitos resultados bons, não está bem no clube...
Uma coisa é criticar-se uma ou outra opção/exibição, com uma visão construtiva (e tendo presente que o treinador/direção têm sempre muito mais informação que um simples adepto), outra bem diferente, e é o que sinto aqui muitas vezes, é encontrar ódios de estimação e bater neles cegamente e até à exaustão!
O Lopetegui tem tido muito mais méritos do que deméritos neste ano e pouco que leva no FCP, isso para mim é inegável.

RS disse...

Caro Luis. O jogo com o Moreirense terminou por volta das 22:20. Às 22:26 foi publicado um post e uma hora depois, às 22:30, foi publicado um segundo. Se me pergunta se acho que o post de quarta feira às 9h43 da manhã foi muito tardio, quando o jogo com o Chelsea terminou às 21:30 do dia anterior... sim, foi claramente tardio...

asgouveia disse...

Caro Pedro Reis,
não mudo porque aprendi a gostar do FCP e gostar de futebol por causa do FCP. É o clube da cidade onde nasci e que muitas alegrias me deu.
Agora, diga lá que coisas boas Lopetegui fez?

manuel cardoso disse...

Caro amigo o F.C.PORTO ficou conhecido na europa pelos titulos que ganhou fora de portugal, se nada tivesse ganho fa fora, as taçinhas, da liga e de oeiras e os campeonatos que ja ganhamos,ninguem nos conheceria.......alguem conhece o sporting!!!!??? o slb como ganhou a 60 anos faz parte da historia, mas so isso, historia, estatisca...tomara o F.C.PORTO chegar todos os anos ao 1/4 final da liga campeoes, sao 35 milhoes, sera que entendem!!!!