sábado, 17 de outubro de 2015

De lobos (do mar) a dragões

Na década de 70 e 80: Fonseca (guarda-redes); Lima Pereira (defesa-central)

Fonseca e Lima Pereira, discípulos de Pedroto

Na década de 80 e 90: André (médio defensivo); Vitoriano (defesa direito); Rui Barros (médio ofensivo)

Rui Barros e Bruno Alves, os emigrantes

Na década de 90 e século XXI: Bruno Alves (defesa-central)

André e André André, pai e filho

No século XXI: André André (médio)



Curiosidade: Deste lote de sete jogadores, que primeiro foram “lobos do mar” e depois dragões, o único que não se afirmou como titular do FC Porto foi Vitoriano.

4 comentários:

Daniel Gonçalves disse...

Sem desvalorizar o mérito do post do José Correia, lembro apenas o brasileiro Marco Aurélio, que foi emprestado ao Varzim de 1975 (?) a 1978 e que regressou ao nosso FC Porto... o jogador que o benfiquista Toni partiu uma perna num jogo no estádio da luz.

Menphis disse...

Postiga também não veio do Varzim nas camadas jovens ?

Dr Sigmund V disse...

Já tinha comentado, mas penso que o meu comentário terá sido eliminado por, por distracção, o ter enviado anonimamente.

1. O Rui Barros não veio do Varzim: esteve, sim, lá emprestado dois anos, como antes já estivera no Covilhã. É da zona de Paredes, ou por ali;

2. O Quim, campeão europeu, e o Paulinho Santos, vieram do Rio Ave, pelo que deveriam fazer parte da lista;

3. Daniel Gonçalves: o Marco Aurélio não esteve no Varzim emprestado, mas sim cedido definitivamente, acabando por regressar.

Dr Sigmund V disse...

Faço uma ressalva: só agora me apercebo que o artigo se circunscreve a jogadores do Varzim, pelo que os exemplos que dei do Rio Ave não se aplicam.