terça-feira, 24 de novembro de 2015

Lopeteguices e outros desastres

Acabou a invencibilidade. Acabou o estado de graça na Champions League. Tinha de suceder. Lamentavelmente aconteceu no pior momento e sem paliativos. O FC Porto perdeu e perdeu muito bem. Não porque o Dinamo de Kiev tenha sido uma grande equipa. Foi uma equipa, sobretudo, inteligente a aproveitar-se dos erros alheios - do do árbitro, do de Casillas e do esquema de Lopetegui - e em deixar a sensação ao rival de que eram mais frágeis do que a realidade escondia. O Porto tem apenas a si mesmo para se culpar por ter agora de ir a Londres vencer ou esperar por uma improvável ajuda do Maccabi. O preço de mais uma lopeteguice.

Uma equipa não pode ganhar na Champions League quando não tem um remate de perigo à baliza rival durante noventa minutos de jogo. Particularmente se joga em casa. Particularmente se é favorito. O Porto de Lopetegui tanto é cara como coroa. Pode crescer e acreditar no impossível como se viu contra o Basel, Bayern ou Chelsea mas também - e mais vezes do que não - cai na desesperante auto-complacência. Uma coisa é querer controlar o jogo. Algo que se pode fazer de muitas maneiras. Com ou sem bola, com linhas adiantadas ou recuadas, com jogadores abrindo ou encurtando o campo. Outra coisa, muito distinta, é transformar esse controlo em algo absolutamente estéril. E é isso que - e na Liga, mais do que em qualquer outro cenário isso se aprecia - o Porto de Lopetegui é na maioria das vezes. Uma equipa sem chispa, incapaz de fazer algo mais com a bola que tê-la e trocá-la em posições de confronto.
Passes a rasgar a defesa contrária? Contam-se pelas mãos. Jogadas individuais brilhantes? Idem. Levar o jogo a um lado para desorientar o jogador passando rapidamente a bola para o outro? Também. No esquema de Lopetegui, esse 4-3-3 que é cada vez mais um 4-4-2 musculado com menos arte e mais trabalho, o Porto é o rei e senhor dos primeiros três quartos de campo. O último terço é o karma da equipa de tal forma que o modelo aplicado tem o condão inclusive de desactivar um Aboubakar que acaba engolido e afogado pelos rivais, desconectado da equipa ou forçado a vir buscar a bola lá bem longe da sua zona de influência. Tudo isso é conhecido já de todos.
De certa forma, é habitual. Menos na Champions e menos ainda no Dragão onde, durante o mandato de Lopetegui, honra lhe seja feita, a equipa conseguia ser radicalmente distinta. Hoje não o soube ser e essa falta de atitude e inteligência de jogo pode ter custado muito, muito caro.


Lopetegui continua a ser um esqueleto, um fantasma no banco. Incapaz de dar a volta a resultados adversos, ainda estamos para ver o jogo onde o Porto começa a perder e ganha. O jogo em que o basco dá um golpe de asa desde o banco e rompe o esquema de jogo com mudanças tácticas ou substituições. Com ele os adeptos sabem que ou a equipa começa forte, marca e gere o marcador ou então o caos é o cenário mais provável. Bem pode gritar, agitar os braços e olhar para o céu com o seu ar de personagem de romance de Miguel Torga. Mas o que nunca sai dali é uma ideia de futebol que fuja ao livro do trabalho semanal. Hoje, a troca de Maxi Pereira - até ao momento não foi confirmada nenhuma lesão que a justifique - foi um tiro no pé porque abriu, ainda mais, o canal preferencial do jogo dos homens de Rebrov, os contra-ataques pelas faixas laterais onde Yarmolenko, sobretudo ele, fizeram a diferença.
Colocar Osvaldo ao lado de Aboubakar e Corona a abrir na direita podia fazer sentido se a equipa tivesse tido um meio-campo capaz de apertar o Dinamo para dentro da sua área. Isso nunca sucedeu. O meio-campo, partido, sem linhas de passe com os jogadores da frente, foi quase sempre superado e a perder, tanto por um como por dois, o Porto foi incapaz de cinco minutos de asfixia na baliza rival capazes de criar o pânico e forçar o erro. Esteve perto do golo numa das poucas jogadas que exigia o jogo, com André André (em vontade ninguém lhe ganha) quase a provocar um auto-golo. Mas isso é pouco, muito pouco, para quem quer ser uma equipa a sério no espaço europeu. O Porto não foi. Num péssimo momento.

Ironicamente este foi também o jogo em que as três maiores apostas do mercado falharam estrepitosamente quando, justamente, vieram para fazer a diferença. Isso não significa nem que tenham sido um erro - não foram - nem que estejam a ter um mau ano - não estão. Mas não deixa de ser irónico que o fado juntasse precisamente no mesmo dia um frango épico de Iker Casillas - o espanhol sempre foi proclive a momentos assim mas, como disse em Julho, para isso já havia Helton no plantel - uma fraca exibição com substituição incluída do lateral uruguaio e uma desastrosa exibição de Imbula. O francês pode ter um futuro brilhante pela frente mas ainda não conectou com os colegas e a ideia de jogo. Os remates de meia distância são inofensivos, o trabalho de pressão desastrado e no lance do penalty - que a meu ver não o é - Imbula peca de ingenuidade. Foi um erro a meias entre o jogador do Porto e o árbitro que o Dinamo aproveitou, dando seguimento a cinco minutos muito bons depois da primeira meia hora que foi um monólogo do Porto. Mas, cuidado, um monólogo lopeteguiano, daquele que mastiga mas não trinca. Porque o Porto vulgarizou o Dinamo em posse, mas foi sempre incapaz de criar perigo e os ucranianos contavam com essa realidade. Qualquer equipa que conheça o Porto de Lopetegui sabe que não é uma equipa de killers mas sim uma equipa que demora a dar o golpe. Por isso o Kiev não se assustou nem se preocupou e, como um boxeador encostado ao seu campo, contou os minutos até levantar o punho e dar o soco decisivo...
Com a segunda parte, já sem Maxi e a equipa tacticamente desorientada, o Dinamo decidiu ser mais pragmático mas nem teve sequer de se preocupar muito. O Porto atacava pouco e mal e contra o guião previsto, Casillas cometeu um erro de principiante e matou o jogo. A partir daí o Dinamo esteve sempre mais perto do 0-3 do que o Porto do 2-1 o que diz muito do mau jogo dos locais. Tello - alguém me explica quem é este Tello? - foi um desastre pela esquerda e Corona, pela direita, está demasiado verde para este nível de exigência. Ao Porto, no momento mais duro da temporada, faltou criatividade no meio (este ano não existe um Oliver e nota-se muito) mas também nas alas onde o Dinamo tinha um jogador desse perfil. Olhamos para o plantel e vemos em noites como esta precisamente os problemas que se adivinhavam em Agosto: excesso de um perfil de médio musculado mas sem jogadores capazes de marcar a diferença. Jogadores como Yarmolenko, um futebolista fantástico que no pior momento da sua equipa a pegou às costas e não parou até ao fim de ser um quebra-cabeças. Para tomar nota.

A derrota significa o fim da invencibilidade no Dragão. O Dinamo, uma equipa vulgar, conseguiu o que clubes muito maiores foram incapazes de lograr. E coloca-se em posição privilegiada para seguir em frente. Basta ganhar o seu jogo. Porto e Chelsea, empatando, colocam-se com 11 pontos, os mesmos que teria o Dinamo. Mas, nesse cenário, o Porto cai eliminado por ter um pior resultado agregado entre os três. Isso significa que os homens de Lopetegui - que nos jogos fora da Champions são, precisamente, a pálida imagem que hoje foram em casa, como já se viu em Kiev, Munich, Basileia ou Bilbao - têm de ir a Londres e dar a sentença de morte a José Mourinho que tem na Champions a sua única tábua de salvação. Os Blues estão, paulatinamente, a recuperar e hoje foram igualmente convincentes em Israel. Vão jogar a época nesse encontro, a pior posição possível para ir ao Bridge disputar noventa minutos de máxima intensidade, tanto física como psicológica. Um Porto como este será carne para canhão até mesmo daquela que é, seguramente, a pior equipa da carreira de Mourinho. Mas um Porto como já vimos, felizmente, em algumas ocasiões, pode perfeitamente superar o obstáculo. Se não tiver o azar de acumular erros individuais como hoje e, sobretudo, se conseguir evitar cair na enésima lopeteguice desse jogo pastelento, vomitivo e que pode custar, pelo segundo ano consecutivo, muito caro ao clube.
   

69 comentários:

Antonio Malafaia disse...

Estive sempre ao lado de Lopetegui, mas hoje é ele que perde o jogo. Antes de cometer um penalti de iniciado o imbula já tinha perdido a bola 4 ou 5 vezes em local proibitivo. Ao intervalo quando toda a gente estava à espera que entrasse o dínamo-André- ele tira o outro dinamo -Maxi-, tendo para isso de reformular toda a defesa, e bem se viu que o Danilo nunca será um defesa central. Hoje a derrota tem um pai :Julen Lopetegui

Francisco Paulos disse...

Viva esse fantástico treinador chamado Totopegui que pelo terceiro ano consecutivo nos vai pôr a chuchar chucha.Deixar o Telo o jogo todo é de bradar aos céus. Mais um jogo miserável .Adeus liga dos campeões olá liga Europa. E não venham falar no árbitro que isso é desculpa de calimeros.

imbictopoema disse...

Imbicto Miguel,

Comecei a ler o texto e já sabia quem o estava a escrever. É impressionante como apareces que nem um piano de cauda caído do topo dos Clérigos, sempre nas mesmas alturas.
E o mais curioso de tudo, a avaliar pela hora de publicação, escreves textos paralelispaticamente comparáveis às "leituras" do Marcelo, Verdadeiramente impressionante teres desistido tão cedo da equipa, partido do pressuposto de que não és supersónico...
Entre a razão que de facto tens e a que julgas ter, escreve menos e reflecte mais; tu e todos nós, portistas, teremos a ganhar com isso, sem esquecer o mau que não esqueces e o bom de que poucas vezes te lembras.

Imbicto abraço!

Francisco Paulos disse...

Exibição miserável a condizer com um miserável treinador.

Antonio Silva disse...

Rua com o Lopetegui. Eu desde o início dos anos 80 que não via o Porto ficar 2 anos seguidos sem ganhar um título sequer. Agora este espanhol vai obrigar-me a estar 3 anos de jejum.

Rua com esta miséria de treinador. Admite-se estarmos quase em Dezembro e este palerma ainda não conseguiu ter um 11 estável com jogadas rotinadas?

Rua com este acéfalo que não sabe motivar jogadores.
Jogas bem e marcas golos (Corona), o que te acontece? Banco!
Jogas para caraças e és tido como a grande revelação da época (André André), o que te acontece? Banco!
És o mais novo Capitão da História da Liga dos Campeões (Rúben Neves), o que te acontece? Banco!

Este treinador não tinha nenhum currículo e veio para o Porto mostrar porquê!

rbn disse...

Eu pensava que o tempo do professor pardal Jesualdo Ferreira e suas invenções em jogos europeus já haviam terminado, mas o cabrão do basco mais uma vez f**** tudo!!!

Quando vinha pra casa, liguei o rádio e ouvi que André ia ficar no banco... já fiquei mal disposto, já que deixar no banco O MELHOR JOGADOR DA EQUIPE nos últimos tempos é DOSE!!!

E aí já me veio à cabeça o velho ditado: em time que ganha não se mexe...

Com 10 minutos de jogo, Imbula já havia errado 3 ou 4 passes, já havia errado 2 tentativas de drible e perdido 2 bolas para os "russos".

Com 45 minutos de jogo, Imbula já havia errado tudo o que tentou, e ainda cometeu penalty...

Pensei eu que André ia entrar no lugar dele, mas lá estava ele e quem saiu foi Maxi... e o time começou a 2ª parte com Layun à direita, Indi à esquerda, Danilo de central...e me veio à cabeça outro ditado: a emenda ainda ficou pior que o soneto...e Imbula continuou errando tudo o que tentava, inclusive perdeu a bola que originou o 2º gol dos "russos", e eu comecei a xingar o c***** do basco de tudo o que é nome conhecido é desconhecido...

Como é possível um treinador não ver que um jogador está mal no jogo, ruim no jogo, péssimo no jogo, inclusive sendo vaiado pelos próprios torcedores locais???

Como é possível não enxergar que o jogador não acertava um passe, que prendia a bola em demasia, que estava super hiper lento a ponto de ser ultrapassado por um caracol de muletas???

Como é possível um treinador não ver que o 10 deles estava desequilibrando e não mandar alguém COLAR NELE???

E a emenda continuou, com o "gênio" a colocar Osvaldo e Corona , jogar em 4-2-4 com bolas altas e lançamentos longos sem nexo, onde os "russos" obviamente mais altos e mais tranquilos no jogo, GANHARAM TODAS ....até o medíocre Antunes arriscou dribles e jogadas de efeito...

Por culpa do professor pardal basco, lá se foram à vida €1,500.000 de hoje, e certamente os 8ºs de final, com mais alguns milhões de euros que certamente estavam já contando com a classificação...

Ganhar do chelsi em péssima forma em Stamford Bridge já era tarefa complicadíssima...com o chelsi recuperando a moral e a confiança, vai ser "moleza"...

KOSTA DE ALHABAITE disse...

Não posso desculpar mais esta palhaçada. Estou profundamente irritado e antevejo mais uma época de fracassos. Osvaldo? Depois de tudo o que se tem dito? E Bueno? Ou mesmo André Silva ou até Gonçalo Paciência. Irra. Tirar o Maxi porque sim? Um fulano cuja garra é por demais conhecida, pela experiência e profissionalismo? Mudar todo o esquema defensivo durante o jogo? Não perceber nada de futebol é o que o Basco parece querer afirmar. Incompetência total. Irra.

Vidente Mor disse...

verdade, osm jogadores chegavam sempre atrasados, imbula é ridiculo, tello se a equipa precisar nao a levante, braimi tadito agarrado a bola como é facil anula lo, o casillas deu um meio frango mas safou inumeras e le e o poste. O nao criarem perigo ja vem do ano pasado, a falta de agressividade idem, a inoperancia atacante é clarissima, a confusao na cabeça do treinador que percebe que realmente nao sabe é outra. Nao percebo como sao feitas as aquisiçoes, se a sad e os agentes que compram para negocio, se é o treinador que pede, nao entendo, nao conseguimos um livresinho a entrada da area, nao temos capacidade de remates de longe, os cantos e livres sao o que se sabem, os centrais sao medianos, NAO TEMOS NEM EQUIPA NEM TREINADOR.

Francisco Paulos disse...

É isso mesmo com este pseudo treinador não vamos a lado nenhum. Mais uma exibição miserável. E ele feito tolinho no banco a demonstrar toda a sua incompetência. RUA que já vai tarde.

Miguel Magalhães disse...

Cada vez gosto mais de ir ver jogos ao Dragão Caixa.

Bernardo Barreira disse...

A culpa também é daqueles que sempre o defenderam. Como se pode defender tão medíocre treinador? Que jogo decisivo ganhou até hoje? Um... e quero apenas um. Inventa. Roda. Faz asneira. Joga sempre contra super equipas. Sempre. AtéoMacabi tem esse rótulo. Enquanto cá estiver, ganharemos o mesmo que até agora: NADA.

José Correia disse...

Caro imbictopoema,
Discorda do que o Miguel escreveu?
Gostou da exibição do FC Porto?
Acha que o Lopetegui esteve bem nas suas opções (onze inicial e substituições)?
Sinceramente, em vez de "matar" o mensageiro (Miguel), que tal discutir a mensagem?

João disse...

Hoje acho que nem inventou por aí além. Foi completamente engolido tacticamente. Fiquei satisfeito com o apito final, se estivéssemos ali mais meia hora a tendência era para levar o 3º, se a coisa se prolongasse muito mais do que isso era 4º, 5º e por aí fora. Simplesmente miserável. E pior do que simplesmente perder o jogo, é precisamente o facto de o Rebrov basicamente ter apresentado uma tese de como não só inutilizar mas cilindrar este sistema ridículo de Lopetegui para qualquer Professor Vitória ou Lito Vidigal desta vida tirar apontamentos.

Até tenho medo do que um Chelsea em dia sim faz a esta equipa a jogar em Londres de tracção à frente. Por outro lado, duvido sequer que o treinador do nosso jogo da época passada na Luz faça a mínima ideia do que isso é.

SUMO disse...

Apenas confirma aquilo que está claro para todos: com este treinador, o Porto não ganha nada. Nos momentos decisivos falha sempre ou quase sempre. Hoje foi um momento decisivo, como veremos no jogo de Londres...

manuel cardoso disse...

3 ano nao, segundo.

Dias Salvador disse...

Era muito mau quando veio e não aprendeu nada com os erros cometidos.
Agora, há que gramá-lo até Maio. Muito tempo para se preparar a próxima época e escolher o perfil do treinador, que não envergonhe o prestígio que o clube com muito esforço alcançou.

miguel.ca disse...

Espera lá oh Imbicto... Estás a insinuar de que é proibido criticar o FCPorto, a anedota do seu treinador e mais um jogo miserável que fizeram? Isso saiu no Diário da República? Se não tens uma opinião concreta sobre o assunto, olha... vai escrever uns poemas.

miguel.ca disse...

Era previsível, não era? Sempre que temos AQUELE JOGO, perdemos! Sempre! Quando uma vitória pode selar um objectivo ou traduzir-se numa vantagem importante contra um adversário, escorregamos e caímos. Sempre. Eis o Porto de Lotopegui.

Luís Vieira disse...

Mas que grande argolada. O meio-campo pura e simplesmente não funciona. O Rúben Neves e o André André ainda vão disfarçando, individualmente, a inoperância colectiva do sector mais fulcral da equipa. Ofensivamente é um marasmo. Defensivamente um embaraço. O Lopetegui bem pode jogar com 2 trincos que as bolas continuam a entrar tipo manteiga no espaço entre-linhas, à frente da defesa, em posição privilegiada. Já tinha acontecido em Kiev, voltou a acontecer no Dragão. O Rebrov bem avisou na conferência de imprensa de antevisão: não era bravata, era mesmo análise factual. Este duplo-pivot faz-me lembrar os "melhores" tempos do Paulo Fonseca. Cereja no topo do bolo é pôr o Imbula a cargo dos desequilíbrios ofensivos. É como pôr um camião cisterna a competir pela pole position. Um mar de equívocos. Por outro lado, o Yarmolenko e o Derlis González mostraram à saciedade a razão dos meus receios quanto às capacidades defensivas do Layún e do Maxi. O mexicano, então, foi absolutamente trucidado. Na frente, a receita do costume: bola nos extremos para resolverem sozinhos, com o Aboubakar absorvido na maralha adversária, sem receber uma única bola em condições. As substituições foram inenarráveis e só contribuíram para a desorganização da equipa. Do banco não veio uma ideia em condições, a não ser a galhardia do André André, que, neste momento, é titularíssimo, não se entendendo a sua preterição inicial. Uma total incapacidade em mudar o rumo dos acontecimentos, uma debacle emocional após o 2o golo. Numa palavra: miserável. Nota final para o frango comprometedor do Casillas: já lá vão 2 na Champions, não pode ser.

Vidente Mor disse...

impensavel, tudo mal, apartir dos 25 minutos da 1ª parte percebia se que o golo deles era uma questao de tempo e o treinador nao reagiu. Mais invençoes na equipa, prescindir do nosso melhor jogador atualmente, jogar com tello de inicio, imbula é uma anedota parece um aranhiço, os jogadores nao metem o pe, fogem ao contato fisico, nao criamos ocasioes de golo, UM DESASTRE. Com a vontade que estao os jogadores do esporting vamos sair de la com 3 ou 4. LOPETEGUI NAO SERVE MESMO, PODERA SER UM BOM GESTOR NAS SELEÇOES UM TIPO PORREIRO ( COMO RUI JORGE ) MAS NAO SABE POR A EQUIPA A JOGAR. Ou me engano ou sera mais uma epoca sem ganhar nada. Reparem na agressividado do sporting que esta a ser secundada pelo benfica, que faz o nosso clube ?? intretem se com newsletter porque? porque nao tem estrutura vocacionada para a comunicaçao, safou se enquanto pinto da costa durou mas ha uns anos fruto da idade perdeu a vivacidade e a agressividade, somos uns lorpas. UMA VERGONHA, UMA VERGONHA, NAO SEI SE CONSIGO ADORMECER HOJE. Como foi possivel e merecemos nao fora casillas e o poste e tinhamos levado 3 ou 4, como foi possivel.

Filipe Sousa disse...

Não somos a melhor, nem a segunda melhor equipa do grupo. O terceiro lugar assenta-nos bem.

DC disse...

Os que andavam a dizer que este plantel é melhor que o do ano passado já acordaram para a realidade?
E já agora, acho brilhante alguma crítica. O Brahimi faz zero, o Aboubakar, faz zero, o Tello faz zero, o Imbula faz zero... Toca a isolar o Tello e dizer que a culpa é dele. Brilhante. Não tem nada a ver com o facto de cada avançado nosso ter que fintar 30 gajos antes de ver o primeiro apoio.

Enfim, siga, o erro histórico continua a dar frutos. Mais uma época cheia de títulos a caminho.

Paulo Rodrigues disse...

Não me surpreende este jogo mediocre do FCP à imagem do treinador... Em anteriores posts já tinha comentado que não era díficil sair com um resultado neutro/positivo do dragão pois a forma de jogar é sempre a mesma: lenta, sem ideias, sem pressão, o jogo é excessivamente lateralizado, existe um enorme espaço entre a defesa e meio-campo, etc... fico-me por aqui pois já acho suficiente.

Um comentário a Imbula pois sempre o defendi e hoje não o posso/devo fazer: sempre mal posicionado parecia uma via verde em termos defensivos perdia bolas atrás de bolas e a cabeça não parecia estar lá. 20 Milhoes por ele?!

E agora? Liga Europa cá vamos nós e quanto ao Campeonato volto a repetir: espero estar enganado mas diria que um determinado clube de alvalade arrisca-se a levantar o ceptro.

E já agora ficam aqui as declarações do Antunes que ao contrário de alguns Portistas que defendem cegamente o treinador tem uma visão perfeita deste FCP á Lopetegui:

"Tínhamos estudado o FC Porto (...) As costas dos laterais estão bastante abertas porque jogam homem-a-homem, acompanham bastante os extremos e quando os centrais não compensam há espaço no meio entre os dois centrais, há espaço entre as linhas do meio-campo e as linhas avançadas e basicamente foi isso que aproveitámos.
Acompanho o campeonato português e acho que o FC Porto joga sempre da mesma maneira. Tem um jogo muito bom na posse de bola mas acaba por ser um pouco lento. Cada equipa tem as ideias do seu treinador (...)"

Mais palavras para quê?

JON disse...

Não vi o jogo porque estava voando do outro lado do Atlântico, mas se o Antunes disse isso, muitos parabéns ao Rebrov. Viu o que até um nabo como eu vê há muito tempo.

Já há muito que digo que defendemos mal e não temos nenhuma ideia parA atacar que não seja bola no extremo e o gajo que finte 3...

Sem Champions, sempre quero ver como pagamos a época...

Madureira disse...

E está assim o nosso Porto! Mas isto já vem de á 3/4 anos... um presidente que já acabou (embora muita gente não queira ver), treinadores mal escolhidos, este é mais um... e planteis que todos os anos sofrem revoluções. Chegamos ao caso de ter um menino de 18 anos como capitão (atenção que sou um fá incondicional de Ruben Neves) porque o plantel não tem referencias nem jogadores com anos de casa. Enfim... duro de dizer mas é a verdade!!

imbictopoema disse...

Imbicto José Correia,

Concordo com grande parte daquilo que o Miguel escreveu (não é por acaso que digo: "entre a razão que de facto tens").
Detestei e sinto-me embaraçado com a exibição do FC Porto.
Lopetegui esteve inqualificável nas suas opções, desde a saída mal argumentada do Maximiliano, à ausência do André André.
Não estou a matar ninguém. Concordando, ou não, sempre gostei de ler o Miguel porque fundamenta o que diz. Porém, no caso de Lopetegui, tem sido excessiva a abordagem e sempre sem reconhecer tudo o que de bom foi conquistado e que teve dedo do treinador, independentemente da qualidade dos jogadores. As críticas têm sido demasiadamente pesadas, sem grande margem de manobra e, por vezes - na minha opinião - injustificadas.
Não estou a "matar" ninguém. Apenas dei a minha opinião acerca de um autor, o Miguel, que nunca deixou respirar Lopetegui.

E se das outras vezes pode ser sido exagerado, desta vez não foi, embora continue a discordar de algumas questões. Portanto, a minha crítica vai mais no sentido do "ad nauseum" da abordagem e da prontidão do reparo, não raras vezes feita de forma demasiadamente célere, sem dar tempo a um ser humano normal para reflectir bem antes que acabe um jogo, para dizer o que pensa e sente.

No final, estaremos cá todos a apoiar o clube - assim o espero. Dizendo mal, ou bem.

Imbicto abraço!

imbictopoema disse...

sr. miguel.ca,

Tentarei não responder no tom taberneiro e cheio de razão característico dos comentadores de café, com que se dirige à minha pessoa, mas espero que compreenda o meu tom um pouco mais civilizado e menos insurgente.
Eu não estou a insinuar coisa alguma. Dei uma opinião, assim como o sr. miguel.ca deu a sua (e dá, sempre, ao longo das respostas, mais em acto de fiscalização repreensiva do que de opinião construtiva).
Já critiquei no meu espaço inúmeras vezes este treinador. Não sou cego, mas tenho memória - não é selectiva. Isso só demonstra que a crítica que me faz em jeito de escárnio não conhece o que digo, nem a forma como escrevo, há muito.

Convivo mal com pessoas como o sr. miguel.ca, que acusam antes de saber o que os outros de facto pensam (agora não vale ir lá tirar uns apontamentos para me atacar...) e que gozam com a forma como escrevem, ou escreveram.
Retiro tempo à minha actividade profissional, à minha família e ao meu ócio. Faço-o gratuitamente, tendo até recusado patrocínios ao espaço por razões óbvias, por dedicação ao clube e a quem gosta de debater comigo. Nunca descobri rodas nem verdades absolutas e assim como já elogiei o Miguel Lourenço Pereira em algumas ocasiões, também o critico quando com ele não concordo (ou quando concordo com tudo menos com a forma, ou a exaustão antecipada).

Portanto, eu sei que estamos na internet e tal... Mas tenha mais atenção àquilo que diz e à forma como o diz. A susceptibilidade é uma fronteira mais ou menos ténue, com reacções mais ou menos esperadas. Tudo depende da forma mais ou menos civilizada com que se responde a uma provocação mais ou menos superficial.

Fique bem.

José Correia disse...

"A culpa também é daqueles que sempre o defenderam. Como se pode defender tão medíocre treinador?"

Caro Bernardo Barreira, está a pensar em alguém especial?
Por exemplo, no presidente da FCP SAD, Pinto da Costa?

José Correia disse...

Assino por baixo este comentário do Luís Vieira.

E, sim, este duplo-pivot também me faz lembrar os "melhores" tempos do Paulo Fonseca.
Mas o Paulo Fonseca ainda tinha a desculpa de ter um plantel onde "brilhavam" Josué, Licá, Ghilas, etc.
E Lopetegui, qual é a desculpa?

Antonio Silva disse...

Terceiro sim, ganhar aquela Supertaça em Agosto de 2013 para mim é irrelevante, não como título mas pq corresponde à época anterior. Se só voltarmos a ganhar um título na próxima época então ficaremos de Agosto de 2013 a Maio/Junho de 2017 a penar.

Antonio Silva disse...

imbictopoema: "Apenas dei a minha opinião acerca de um autor, o Miguel, que nunca deixou respirar Lopetegui."

É, tou a ver o Lopetegui a dar voltas na cama todo nervoso com medo dum artigo do Miguel.

Ricardo disse...

Terceiro não porque ele está no 2.º ano de contrato.

Mas o que conta realmente é que a continuar assim não vamos ganhar nada este ano.

Ricardo disse...

Para mim o Danilo Pereira está ao nível do Éder, cada um na sua posição. 2 penedos.

Miguel Lourenço Pereira disse...

A saída do lateral uruguaio é um enigma. A ausência de André outro. A presença de Imbula - que pode ter muito potencial mas não tem, ainda, presente - é outro. Nesse triângulo perdeu-se muito do jogo e tudo eram decisões exclusivamente técnicas do treinador!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Imbicto,

"É impressionante como apareces que nem um piano de cauda caído do topo dos Clérigos, sempre nas mesmas alturas."

No arquivo poderá encontrar várias (grandes) vitórias do Porto do Lopetegui escritas por mim. A do Bayern, para por um exemplo. Em todas elas deixei claro que muito do mérito foi do treinador. No final do ano foi dos que defendeu a sua continuidade. Não sei onde está essa "sanha" ao homem que se me atribui.

"E o mais curioso de tudo, a avaliar pela hora de publicação, escreves textos paralelispaticamente comparáveis às "leituras" do Marcelo, Verdadeiramente impressionante teres desistido tão cedo da equipa, partido do pressuposto de que não és supersónico..."

Sou jornalista, de formação e vocação, Todos os jornalistas de todos os meios começam a escrever as crónicas ao intervalo. Muitos depois apenas ajustam os seus textos com o desenrolar do encontro. Eu comecei a escrever este texto - que já tinha previsto escrever horas antes do jogo sequer ter começado por organização da equipa RP - no momento do apito final do árbitro. No fundo, levei até bastante atraso em comparação com outras crónicas. Se fosse um texto de analise táctico, seguramente tomaria o meu tempo para re-analisar o jogo. Mas tendo em conta que não houve nada, em 90 mts, diferente do que tem sido o FCP e que não houve eventos dignos de nota capazes de mudar ao 90 o que podia ter sido dito ao 70, sinceramente acha que esse argumento se enquadra neste artigo em concreto?

Miguel Lourenço Pereira disse...

O banho táctico foi importante e evidente desde cedo. Toda a Europa sabe como o Porto joga, o quão limitado tacticamente é o seu treinador e qual a falta de recursos do seu plantel. Não há nem nunca houve um plano B real porque tudo se baseia em que o A vai funcionar sempre, o que não é verdade, claro. E basta uma equipa ser esperta e aguentar bem as linhas para aproveitar-se dos erros,facilmente reconhecidos do modelo lopeteguiano, para fazer sangue. Uma pena que ninguém no Dragão, ano e meio depois, tenha ainda reparado nesse detalhe.

Quanto ao jogo em Londres, não sei o que pensar. O Porto de Lopetegui, fora de casa, é uma equipa vulgar. Foi-o em Alvalade, na Luz, em Munique, Basileia ou Kiev. Um Porto no seu melhor é, actualmente, superior a este fraquinho Chelsea. Portanto, cair com este Chelsea, o actual, é uma derrota dificil de engolir mas todos sabemos que o apuramento se perde por dois erros de Casillas em dois jogos com o Dinamo e pelo banho táctico que Rebrov deu a Lopetegui em duas ocasiões! Duas!

Miguel Lourenço Pereira disse...

É sem duvida um sistema táctico muito pior do que o ano passado porque mudou a concepção de jogo e os interpretes. Onde havia Brahimi e Oliver a associar-se e Herrera a preencher o campo hoje há o musculo de Danilo e Imbula - com os seus erros em situações de posse que geram perdas constantes - e o voluntarismo de André. Mudou-se radicalmente o nivel do plantel mas não se procurou adoptar o conceito e Aboubakar é uma ilha, os extremos estão sempre longe dos interiores porque estes não são jogadores associativos e os laterais são forçados a subir em excesso para compensar e aí ficam os espaços. Qualquer cego vê isso, tacticamente Lopetegui vulgariza-se a cada semana que passa!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Tem tudo a ver. A ideia do Lopetegui funcionaria se houvesse nos interiores um Oliver, um Evandro, jogadores que procuram a parede e a superioridade. O problema é que se mantém o modelo mas com os Danilos e Imbulas que não jogam nem procuram esse apoio, isolando os extremos á linha e o avançado á área rival, engolidos pelos defesas. A estupidez, não tem outro nome, de Lopetegui é pensar que pode fazer o mesmo prato com ingredientes tão diferentes e ter o mesmo resultado. Essa inoperancia está a matar os laterais, os extremos e o avançado e a posse, quando existia, é nula e até se torna num perigo para a equipa porque a descoloca e com tanta perda os 1x1 tornam-se inevitáveis!

Miguel Lourenço Pereira disse...

O que disse o Antunes sabe toda a Europa, não é necessário o Rebrov ser um génio. Se a equipa não está toda enfocada como um todo - o que parece só passar em jogos com glamour onde os jogadores se matam - ou o rival não nos avalia bem, muitas vezes por pretensiosismo até ou se geram erros individuais como passou com os centrais do Bayern, o resultado só pode ser este.

miguel87 disse...

"os jogos fora da Champions são, precisamente, a pálida imagem que hoje foram em casa, como já se viu em Kiev, Munich, Basileia ou Bilbao - "

Bilbao? Sério? aquele jogo em que ganhamos 2-0 e fizemos uma das melhores exibições da época?
Eu sei perfeitamente que na hora da derrota apetece rasgar tudo de alto a baixo, por isso convém esperar, analisar e escrever a frio, diminuindo o risco destes lapsos acontecerem.
Eu ainda estou com a cabeça demasiado quente com o jogo de ontem, mas sei que a culpa não morre solteira, e que apesar de derrotada estratégicamente, o resultado em si foi decidido por erros individuais da nossa equipa...

imbictopoema disse...

Imbicto Miguel,

Nunca disse, em ocasião alguma, que nunca disseras bem de Lopetegui. A incisão que fizeste é que foi tendencialmente negativa, tendo - e bem que me lembro desse artigo sobre o jogo com o Bayern - em poucos momentos os elogios que deveriam ter sido feitos mais vezes, na altura apropriada, assim como achaste ser apropriado criticar nos momentos maus - ou declaradamente sofríveis, como o de ontem, em que não te retiro razão.
Quanto à segunda parte da tua resposta, admito que possa ter reagido a quente e ter dito sem pensar algumas coisas (e por isso, as minhas desculpas se feri susceptibilidades), sabendo que és jornalista, sabendo do processo que vos leva a escrever e sabendo também que és portista e que para mim, é complicado entender como não consegues separar, em parte, o teu lado jornalístico do teu lado de aficionado. Pois uma coisa é tentar escrever com distanciamento e outra é transportar a carga emocional para o teu trabalho (no caso específico do RP).

Imbicto abraço

imbictopoema disse...

Imbicto António Silva,

Creio que entendeu onde quis chegar... Levar interpretações à carga literal é um pouco forçado, neste caso...

Pedro ramos disse...

Caro Miguel,

Mas este modelo funcionou na época passada?
Evandro continua no plantel e com a mesma utilização da época passada e tem Bueno ou Corona que poderiam ser muito interessantes como médios ofensivos, por isso o problema não são os Danilos e Imbulas do plantel.
Se os extremos continuam colados à linha sem apoios é porque assim quer Lope, lá está é pelo modelo não pelos jogadores que isso acontece.
Óbvio que os jogadores da época passada, sendo muito melhores, disfarçavam algumas lacunas do modelo, mas deveria ser o contrário, deveria ser o modelo a disfarçar as lacunas dos jogadores.

Felisberto Costa disse...

Não quero ser mal educado mas com este Lopetegui, os resultados além de nos matarem também nos Doyen...

JON disse...

Exacto Pedro Ramos. Devia ser o modelo a potenciar os jogadores e não o contrário. Alguém acha que o Nuno Valente era craque? Ou o modelo do Mourinho em 2004 é que faziam dele melhor do que era?

Os erros do nosso modelo são básicos e elenquei-os aqui há semanas, e pelos vistos estiveram na base da derrocada de ontem:
- zero ideias ofensivas que não sejam bola no extremo e 1x2, 1x3, 1x4...
- zero aproveitamento do espaço interior e entre-linhas (com Bueno no banco! BUENO que marcou 17 golos numa equipa de merda na melhor liga do mundo e não joga porque no Porto só se joga pelas linhas laterais!!!);
- muito mau jogo de coberturas interiores e sempre demasiado espaço entre-linhas a defender;
- péssimo sentido posicional na linha defensiva, onde é facílimo puxar lateral e central à banda para depois cruzar e apanhar 2x2 ou pior dentro de área...

É isto há um ano e tal. Não muda. Não melhora. Não acontece nada.

Na Ucrânia podíamos ter ganho, com o Chelsea podíamos ter perdido, e ontem perdemos... É futebol... Mas os erros acima e outros estiveram sempre presentes. São erros que nos aproximam do insucesso e que alguns resultados disfarçam, mas que a equipa técnica não parece saber/querer colmatar.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

A nivel europeu funcionou. Jogava a equipa de gala, a atitude era a correcta, as peças necessárias encaixavam e havia um futebol associativo em condições. Também havia desiquilibrio individual (Brahimi, Tello ou Quaresma) e um tampão (Casemiro) em condições. Este ano, claramente, não!

DC disse...

Mas refira-se que isso ainda é mais grave. Porque o Lope tem a criatividade no plantel, tem-na em Bueno, Evandro e Sérgio Oliveira. E não a quer. Quer jogadores que correm muito, lutam muito e não têm um pingo de arte nos pés e na cabeça.

E os extremos, em jogos destes, têm uma missão impossível. Não houve um único momento neste jogo em que os extremos não tivessem no mínimo dois jogadores para fintar.
Mas há quem continue a pensar que a culpa é do extremo e não da falta de apoios que o modelo lhes dá.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Imbicto,

Os elogios de Lopetegui, que sejam merecidos, no último ano e meio, são escassos. Resumem-se a meia dúzia de jogos - desde o com o Lille, recém chegado, ao jogo com o Chelsea - e quase todos na Europa. Em Portugal a equipa ganhou quase sempre por inércio - quando se é o melhor e se tem os melhores, é o cenário natural - e contra os rivais directos Benfica e Sporting os resultados não foram muito bons, como todos recordamos. Portanto, se há mais critica que elogio a Lopetegui é porque o considero insuficiente para o nivel exigido ao cargo que ocupa.

Quanto ao estilo, um artigo pode ser escrito com o estilo jornalistico - e o seu método - e ter, perfeitamente, a emoção inevitavel do adepto que sou.

agostinhop disse...

Este FCP é uma equipinha banal. Banal a começar mo treinador. Banal em vários Espanhóis que só encontram tacho no nosso clube. Como é possível uma equipa que, com este treinador nunca deu a volta a nenhuma desvantagem no marcador. Como é possível uma equipa de braços caídos perante qualquer sdversidade. Mas não nos iludamos, o maior responsável é aquele que diz querer Lopetegui por muitos anos. É ele que tem o poder de pôr fim aos devaneios de um treinador lunático.

Paulo Rodrigues disse...

Sim o Rebrov não é um génio mas também não é cego até o Braga de Paulo Fonseca conseguiu anular este FCP basta ter 2 dedos de testa.

A pergunta que não me sai da cabeça: até quando sr. Pinto da Costa?

Paulo Rodrigues disse...

Pagamos com as vendas das camisolas do Casillas? ( ironia )

Filipe Sousa disse...

Eu também comeco a ficar cansado das críticas do Miguel - quando é que vamos ter um treinador de jeito?

Luís Vieira disse...

José, como sabe, não acho este plantel uma maravilha. Tem algumas lacunas e perdeu qualidade em relação ao ano passado. Em todo o caso, o Lopetegui continua a dispor de bons jogadores em todos os sectores e poderia/deveria fazer muito melhor. O Paulo Fonseca também devia ter feito mais e não tinha tanta qualidade à disposição. Já que estamos numa de paralelismos, o Imbula também me fez lembrar o Lucho dessa altura, a correr feito tolinho lá na frente, sem se perceber bem para onde, nem porquê. Imagens destas não auguram nada de bom.

Ricardo, o Danilo não é tão mau quanto o pintam, mas quando temos o Rúben Neves disponível, para quê por alguém ao lado a atrapalhá-lo? O chavalo já provou que aguenta bem o meio-campo defensivo, para além de que aquela dupla está muito mal trabalhada. Ou joga um ou joga outro, os dois é que não. E como a qualidade do Rúben é muito superior, não há que hesitar. Mas o Lopetegui tem o condão de complicar o que na aparência é simples.

Miguel, a chave está na adaptabilidade, que o Lopetegui não parece ter. Começo a pensar que algumas das boas exibições da época passada que creditei ao treinador se deveram à qualidade individual de jogadores como Óliver, Jackson, Danilo e Alex Sandro. É que sem o mesmo nível de craques, o resultado está à vista: o modelo táctico vai nú.

Luís Vieira disse...

DC, a esse propósito, foi engraçado ver o jogo nos Açores. Um fartote de jogo interior, com apoios próximos e qualidade posicional, não porque o Lopetegui quisesse, mas porque o Evandro, o Sérgio Oliveira, o Bueno e o Osvaldo assim o ditaram. Quanto aos extremos, é um facto que o Brahimi está sempre sozinho. O Tello não. Quando jogam André André e Maxi, o Tello tem companhia (ainda se viu um pouco isso na primeira parte), pelo que a desculpa do modelo só lhe assenta parcialmente. No entanto, ontem, após a saída do Maxi, o Tello ficou sozinho e nada se lhe pode apontar (excepto a falha na finalização - um passe ao guarda-redes).

Luís Vieira disse...

Essas declarações do Antunes são lapidares. Faz-me lembrar o treinador do Artmedia a desmontar o Porto do Co Adriaanse. A marcação ao homem dos laterais foi evidente: na segunda parte há um lance em que o Layún podia perfeitamente interceptar a bola se estivesse bem colocado, mas como foi a correr cegamente atrás do extremo deixou-a passar, recuperando-a mais atrás, já em esforço, depois de devidamente avisado pelo "bruá" do estádio.

DC disse...

Não vi o jogo nos Açores. Estava a ver o melhor futebol do mundo à mesma hora. Este Porto já me faz optar por fazer muitas vezes isso, mudar a stream.

DC disse...

Mas acredito no que diz. Lopetegui não usa esses exactamente porque não jogam como ele quer: sempre por fora.

PAULA CARNEIRO disse...

colocar andré andré no banco, burrice de todo tamanho, e porque não ter apostado no alberto bueno que joga e faz jogar

Ricardo disse...

Caro Luís, posso ter exagerado na comparação do Danilo (ok, exagerei) mas um jogador na posição dele não pode ser tão facilmente ultrapassado como o foi por exemplo pelo Benzema no jogo particular de Portugal (ficou parado) e no primeiro golo do Dinamo Kiev na Ucrânia, em que fez falta por não ter pernas. Há lances que definem um jogador.

Precisamos sem dúvida de um bom central, já que o Maicon acaba por fazer muitas vezes falta.

Antonio Silva disse...

Terceiro ano em que nós, como Portistas, não festejamos um pintelho.

Alunos Restauro disse...

O meu post de ontem no mural do facebook

"BYE BYE CHAMPIONS, NÃO ACREDITO EM MILAGRES
Fizemos um jogo de satisfaz + com muita água benta para medíocre, medíocre mesmo!!! Primeiros 25m de controlo e ascendência do FCP sobre o adversário, mas a partir daí foi sempre a piorar, acabando o FCP por sofrer um golo de penalti, no qual se aceita a decisão do árbitro pois houve contacto. Se na primeira parte foi notória a falta de profundidade ofensiva no último terço do terreno (não me recordo de nenhum remate do Aboubakar), a segunda foi ainda pior. Fomos precipitados, denotamos ansiedade, falhamos passes, não construímos jogo, zero, zerinho, parecíamos o rival que chora desde sábado. O jogo correu tão mal que até o Iker Casillas alinhou pelo dilúvio geral, concedendo o primeiro FRANGO de azul e branco para mais tarde recordar. Perdemos porque merecemos a derrota, fomos incapazes de contrariar o jogo do adversário e ainda mais ineficientes na imposição do nosso jogo. Em suma, num só jogo o FCP hipotecou a champions quando podia ter ganho o jackpot. BYE BYE CHAMPIONS, NÃO ACREDITO EM MILAGRES!!!"

O grande responsável por esta tragédia foi o senhor Lopetegui, não só planeou mal o jogo, como foi incapaz de desconstruir o plano tático do adversário. Assim, se partiu de um planeamento errado, se foi incapaz de mudar, de ter um plano b ou outra estratégia, então errou, falhou, é o responsável! Se até estivemos relativamente bem nos primeiros 25m, o tempo restante foi o assistir à incapacidade coletiva e individual de mudar o jogo, e se a isto juntar-mos o avolumar de passes errados, erros individuais e inoperância do mister então temos a justificação para a derrota. Era um jogo importantíssimo, fundamental para as nossas aspirações mas mais uma vez falhamos. O que acho mais inaceitável é concluir que no banco tivemos um homem incapaz de dar a volta à situação e ter sido completamente anulado pelo homem sentado no outro banco. Foi uma vitória tática, uma lição de futebol e estratégia. O Kiev fez um grande feito, venceu onde quase ninguém vence, mas mereceu, foi mais equipa, foi muito melhor, o treinador adversário foi muito melhor. Até hoje estive sempre com Lopetegui, continuarei a estar com o mesmo até ao final da época, mas começo a questionar o que estará errado, a ter dúvidas sobre as nossas possibilidades de vencer títulos esta época. Quanto à champions, sinto um pessimismo condenatório que me leva a ver as coisas de uma forma mais realista, uma vez que, para além de achar que não teremos estofo para a decisão, o histórico em Inglaterra não é famoso. É verdade que também podemos surpreender, mas a recorrência dos mesmo erros, a incapacidade de mudar, faz-me sentir esse pessimismo realista. Se for mais otimista, está difícil depois deste jogo, posso pensar que foi apenas um mau dia e um mau jogo. Queira Deus que assim seja, que ainda sejamos capazes de vencer títulos, de vencer o mais ambicionado, o campeonato.
Ps. A minha crítica pretende ser construtiva, tentar encontrar as razões para o sucedido, ser ponderado na análise dos factos. No final da época haverá balanços, até lá que a água corra pelo bom caminho, caso contrário haverá mudanças. Saudações!
Ricardo Gomes

Luís Pires disse...

concordei com o 11 onze inicial para este jogo, hesitaria entre o Imbula e o André, mas aceito a opção do treinador.
até acho que o Lopetegui costuma acertar nas substituições. só não gostei há uns jogos atrás, quando da lesão do Maicon, já depois de o Martins Indi se ter levantado para o substituir, o mandar voltar a sentar para entrar o Danilo (isso não se faz e escrevi-o aqui).
ontem? ó minha santinha, não percebi nada daquela coisa de sair o Maxi, se já não estávamos bem, a partir daí foi o descalabro táctico (é lugar-comum dizê-lo, mas não é por ter muitos avançados em campo que se ataca melhor).
para Maio:
- porque o tempo tudo apaga, estou quase a perdoar ao AVB e aceitá-lo de volta;
- mas a minha primeira opção seria o Victor Pereira (o Pep Guardiola suponho que terá já outros compromissos e não poderá aceitar um convite)
cumprimentos a todos :)

meirelesportuense disse...

Tenho andado ausente mas hoje não podia deixar de dar a minha opinião: -Ontem a equipa do Porto fez um jogo miserável esquecendo os primeiros 15/20 minutos. Perdeu o meio campo no confronto de três para cinco elementos contrários.Na segunda parte tirou o Maxi e pensei que ele estaria lesionado -depois o próprio Lopetegui disse que não- e operou uma verdadeira revolução na equipa, mudando o Layún, o Martins Indi, o Danilo, o Rúben Neves e o próprio Imbula...Pior do que isso só uma bomba atómica. Depois, dois golos oferecidos, dois extremos sem nenhuma intervenção positiva -só Tello a espaços- e um avançado -Aboubakar- perdido num emaranhado de defesas...Bastava-nos o empate, perdemos 2 a Zero.
O penaltie é forçado, o ignorado pelo árbitro é muito mais claro e nºao foi assinalado. O árbitro é um mau árbitro, já o vi nalguns jogos em Espanha e é um Madridista ferrenho, não andará mão de Mourinho por detrás desta aparente saloiice?...Acredito. De resto mais nada a acrescentar, perdemos e ficamos com um amargo de boca muito grande, mais uma vez na hora H falhamos, Pinto da Costa que abra os olhos. Os "risca ao meio" não dão garantias.

miguel.ca disse...

Inbicto, peço desculpa se soei um pouco amargo mas se é um facto que o radicalismo contra o momento do FCPorto é irritante, o radicalismo contra a opinião alheia também o é.
Tornou-se uma constante neste blog haver pessoas a vomitar verborreias contra aqueles que acham que o Porto atravessa uma fase horrível da sua história por exclusiva culpa própria.
Uma coisa é bem certa, eu até consigo dar alguma razão a quem defende o Lopetegui porque a culpa não é toda dele. Ele é o que é e vale o que vale e se ele está no banco é porque alguém o contratou e contra esse muito poucos abrem a boca. É pena. No final da época Lopetegui devia ir embora e Pinto da Costa/Antero Henrique devia ir com ele.
Um abraço caro Imbicto e perdão pelo raspanete.

Paulo Marques disse...

O Danilo posiciona-se atrás dos jogadores adversários, não sabe passar, não sabe cortar a bola, não sabe marcar jogadores...
Sinceramente, não sei porque é que ainda joga.

Anónimo disse...

E, então, as vitórias, que até excedem em número as derrotas, acontecem porquê? Os espaços do Antunes foram afetados por um vírus mortífero ou os adversários fizeram-nos o favor?... Análises objetivas, procuram-se...

Luís Vieira disse...

O Danilo tem características físicas e técnicas interessantes. O seu problema está no posicionamento e na cultura táctica. Para isto é preciso um treinador que o ensine. Como o Jesualdo fez com o Fernando, por exemplo. É só o que lhe está a faltar.

Paulo Rodrigues disse...

O Co Adriaanse era outro "mestre da tactica". A mim só me ocorre o seguinte: o Bielsa está sem emprego.

jorge Mendonça disse...

Completamente de acordo com o autor do texto. É urgente a sua saída, antes que se perca o comboio do campeonato. Nas alturas importantes Lope estremece por todo o lado, tudo começou com a eliminação da taça com o scp no ano passado.