segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Lutar por títulos no presente

A época passada do hóquei portista foi, em termos de resultados, para esquecer.

Hóquei em Patins 2014/2015 (fonte: O JOGO, 03-05-2015)

Contudo, muito antes da época 2014/2015 terminar, já os dirigentes do FC Porto tinham decidido que estava na altura de avançar com uma profunda renovação no hóquei portista.

E assim foi.

Saíram: Tó Neves, Ricardo Barreiros, Caio e Pedro Moreira, todos para a UD Oliveirense e Reinaldo Ventura para OC Barcelos.

Entraram: Guillém Cabestany (espanhol, novo treinador), Gonçalo Alves (UD Oliveirense), Telmo Pinto (AD Valongo), Alvarinho (AD Valongo) e Reinaldo García Mallea (Barcelona).


Em Maio passado, numa das primeiras entrevistas como treinador da equipa principal de hóquei do FC Porto, Guillem Cabestany disse que o “FC Porto terá de reinventar estrelas”.

Guillem Cabestany (fonte: O JOGO, 05-05-2015)

É isso que está a acontecer?
Será que estamos no caminho certo?

O hóquei em patins não é uma das minhas modalidades favoritas e, por isso, para formar opinião, vou falando com portistas que acompanham de perto esta modalidade.

E aquilo que tenho ouvido deixa-me optimista… para daqui a dois ou três anos.

2015/2016 é uma época de transição, em que é preciso integrar jogadores e consolidar processos

Temos um lote de jogadores jovens com um enorme potencial e, possivelmente, um futuro brilhante

A equipa está a crescer e, se continuar assim, dominaremos novamente a modalidade daqui a dois ou três anos

Admito que tudo isto seja verdade mas, honestamente, no FC Porto não estávamos habituados a projetos de futuro. O (bom) hábito no FC Porto era termos equipas para lutar por títulos no presente. Ora, no hóquei, parece que isso não vai ser possível esta época.

E, por falar no presente, este fim de semana o FC Porto foi a Barcelos e sofreu a 2ª derrota no campeonato.

Reinaldo "derrota" o FC Porto (fonte: O JOGO, 23-11-2015)

Depois do que vem mostrando com a camisola do Oquei de Barcelos e, particularmente, daquilo que mostrou neste jogo contra o “seu” FC Porto, talvez (talvez...) REInaldo Ventura ainda pudesse envergar a camisola azul-e-branca que suou durante 25 anos.

Reinaldo Ventura – 25 anos de dragão ao peito (clicar na imagem para ampliar)

Obviamente, não digo que, aos 37 anos, o REI ainda tenha condições físicas para jogar 50 minutos por partida, mas parece-me que ainda daria muito jeito à equipa actual do FC Porto.

Mas isto sou eu, que não percebo nada de hóquei em patins, a divagar…

13 comentários:

Pyrokokus disse...

Este é que é o verdadeiro REI.

Azul ao Sul disse...

Sendo uma situação diferente, pois seria um regresso, em vez de uma permanência, mas penso o mesmo do Nuno Marçal, no basquetebol. O jeito que ele dava...

lourenço alves da silva disse...

E a culpa será só do treinador ?

José Correia disse...

Quem foi que disse (ou sugeriu) que a "culpa" era do novo treinador?

P. Torres disse...

Não estamos habituados, mas creio ser a forma correcta. O nosso Porto não tem para esta modalidade o orçamento que outros mais a sul dispõe. Temos que ser pacientes, além de muita qualidade, apesar da verdura, a equipa está bem entregue tecnicamente. Sejamos pacientes.

Abraço, P. Torres.

José Correia disse...

Sim, é verdade que outros, mais a Sul, têm um orçamento superior e investiram forte para esta época serem campeões europeus.

Sim, concordo que temos de ser pacientes com a "nova" equipa de hóquei do FC Porto.

Contudo, a principal questão que eu coloco é outra: numa equipa com tantos jogadores jovens, um hoquista com 25 anos de casa, com a experiência e QUALIDADE que o Reinaldo Ventura ainda tem, não seria (muito) útil?

Abraço

P. Torres disse...

Sim, claro que sim. A questão é que não sabemos o que lhe foi proposto. Estaria disposto a ter um papel secundário na equipa? Para quem ainda se vê com andamento para mais do que um papel secundário. Ele que, inclusive, nas duas anteriores épocas já auxiliava o treinador de juniores, seria isso que lhe proposeram? Não sabemos. E acho que merece mais do que ser actor secundário, por tudo o que representa no universo portista.
Abraço, P. Torres.

santosanonymus disse...

Esse texto levanta uma questão para qual não tenho resposta:

Último título do basquetebol: 2010–11
Último título do hóquei: 2012–13

Com mais 2 anos no mínimo (como é dito no texto) dá uma seca de 5 épocas a juntar a uma seca no basquetebol que já vai em 4 épocas (e também não é um projecto para ganhar no imediato, embora seja possível).

A questão é: após mais de 30 anos com o futebol praticamente sempre a ganhar, o que levou a um crescimento brutal do clube, a todos os níveis, como é que se chega a 2015 e das 3 principais modalidades 2 caminham a passos largos para 5 anos de seca? Os recursos actuais só dão para isto?

O voleibol não regressou (nem se criou o futsal) mas em vez de evoluir, que seria o expectável, existe uma clara regressão a nível global. Épocas com mais que um campeonato:

80s - 2 (83, 86)
90s - 1 (99)
00s - 5 (02, 03, 04, 09, 10)
10s - 2 (11, 13)

reine margot disse...

Deixo-lhe a escrita de alguém que entende de hóquei (mesmo sem premissão , as palavras do Lucho):

"Todos sabem que gosto de Reinaldo Ventura, já o aqui escrevi que era um erro a sua dispensa. Mas, não contem comigo para alimentar romances nem crucificar a cada dia que passa quem tomou essa decisão. Está tomada e é com os pupilos de Cabestany que iremos para a guerra!

Perdemos injustamente em Barcelos, onde claramente fomos a melhor equipa, mas o redes minhoto e os postes, mais a tarde inspirada do nosso “ex”-Ventura, acabou por nos derrotar a 4 segundos do fim.

A equipa joga bem, encanta-me até, e vamos dar tempo. O futuro é nosso. Eles precisam é de carinho e muito apoio dos verdadeiros portistas. Os golos do Porto neste jogo foram de Garcia, Hélder, Rafa e Jorge Silva. Edo esteve mal em 2 golos e no último foi Jorge Silva quem perdeu uma bola proibida quando tínhamos menos 1 jogador e ainda por cima, Reinaldo GARCIA no último segundo falhou um livre direto que podia ter dado o 5-5! "

José Correia disse...

Eu também não alimento romances, mas não posso deixar de dizer duas ou três coisas:

1º) No Oquei Barcelos x FC Porto disputado no último fim-de-semana, Reinaldo Ventura provou (a quem tivesse dúvidas) que ainda podia (devia!) fazer parte do plantel (de 10 jogadores) do "seu" FC Porto.

2º) Devia ser proibido usar como desculpa para maus resultados, o facto da equipa do FC Porto estar cheia de jogadores jovens, quando se dispensou um jogador com a experiência (e qualidade!) de Reinaldo Ventura.

3º) Não faz sentido dizermos que falta mística nas nossas equipas e depois dispensar um jogador com 25 anos (!!!) de FC Porto.

Por tudo isto, após o 1º jogo de Reinaldo Ventura contra o seu clube de sempre, eu não podia deixar de dizer o que penso (mesmo que, nesta altura, não acompanhe de perto o Hóquei, como fazia no tempo de Vítor Hugo, Vítor Bruno, Vale, Alves, etc.)

reine margot disse...

Pois, José Correia, e, pensa muito bem!
Que quer que lhe responda ?
que a sua argumentação não faz sentido ?
- se os jogadores jovens não jogam é porque não se lhes dá oportunidades, e se não jogarem não ganham experiência e não se renovam as equipes;
se jogam, e tiram o lugar a quem é mais velho (com 25 anos de clube, três pontos de exclamação) é uma estupidez !
Olhe que é difícil !

José Correia disse...

A minha argumentação não faz sentido?
O que não faz sentido é dizer que se o Reinaldo Ventura tivesse permanecido num plantel de 10-11 jogadores, isso teria impedido a necessária renovação do plantel/equipa de Hóquei.

José Correia disse...

Estupidez?
Estupidez é dizer, ou sugerir, que se o Reinaldo Ventura fizesse parte do plantel do FC Porto e jogasse 20 a 25 minutos por jogo, isso impediria os hoquistas mais jovens de jogarem e de irem ganhando experiência.