domingo, 6 de dezembro de 2015

A primeira reviravolta


Na era Lopetegui, os jogos no Dragão são sempre difíceis. Porque a equipa entra a dormir ou porque o adversário marca um golo fortuito, como foi o caso no jogo de ontem. Um canto a favor do Paços, um alívio e uma bola de ressaca para um pacense marcar fácil frente a Casillas. O FC Porto começava o jogo praticamente a perder. Por incrível que pareça, desta vez o Estádio manteve-se tranquilo e essa tranquilidade transmitiu-se à equipa que pegou no jogo e foi para cima do Paços com o objectivo de marcar golos. Uma e outra situações de golo ocorreram antes de uma bela jogada de Brahimi desmarcar Corona que, aguentando a pressão dos defesas contrários, picou a bola por cima de Marafona e fez o merecido golo do empate. Pouco depois ainda assistimos a um falhanço monumental de Herrera que sozinho atirou à figura do guarda-redes. Fomos para o intervalo empatados a uma bola.

Na segunda parte o FC Porto entrou forte, com vontade de fazer golos e de vencer o jogo, enquanto o adversário se limitava a perder tempo com lesões convenientes que implicavam a entrada da equipa médica em campo. Até que Herrera se lembrou de pressionar o guarda-redes e o defesa e, aproveitando o erro, ganhou um penalty que Layun marcou na perfeição. Estava consumada a reviravolta no marcador, a primeira de Lopetegui ao comando da equipa do FC Porto.

Até ao final do jogo ainda assistimos ao desperdício de golos cantados por parte de Tello e, principalmente, Aboubakar. O camaronês está com os níveis de confiança abaixo de zero.

É necessário deixar uma nota ao responsável pelo futebol na SAD, Antero Henrique. Tem de explicar ao senhor treinador e aos senhores jogadores, e já agora a todo o staff do Dragão, que os nossos adversários têm de sentir medo quando entram na nossa casa. Porque cá, temos de ser nós a mandar.

Jornal OJOGO, edição online

Qualquer equipa que vem ao nosso Estádio condiciona os nossos jogadores, empurra, marca faltas e lançamentos mais à frente, bloqueia a marcação das faltas a nosso favor com obstruções, simula lesões e pede assistência para logo de seguida se levantar e correr, pressiona o árbitro, etc. E não há qualquer reacção da parte dos nossos jogadores. O Paços foi o exemplo perfeito deste tipo de comportamento. E depois temos de ouvir as declarações deste suíno: 

"Não há vitórias morais, mas ao sétimo jogo no Dragão o FC Porto sofreu um golo. O FC Porto acaba o jogo a queimar, a retardar o início do jogo, acho que isso são sinais de que qualquer equipa que venha ao Dragão pode fazer um jogo que coloca o FC Porto em sentido".

"Qualquer equipa que vem ao Dragão coloca o FC Porto em sentido"?! Esta ideia não pode passar e estes comportamentos têm de ser travados com a nossa atitude colectiva. Os adversários têm de sentir medo.
   

45 comentários:

José Correia disse...

«Qualquer equipa que vem ao nosso Estádio condiciona os nossos jogadores, empurra, marca faltas e lançamentos mais à frente, bloqueia a marcação das faltas a nosso favor com obstruções, simula lesões e pede assistência para logo de seguida se levantar e correr, pressiona o árbitro, etc.»

O FC Porto acomodou-se e aburguesou-se, mas não foi esta época, foi há uns 10 anos atrás.
Mas não foi só a estrutura, foram também os adeptos, os quais, muito mais facilmente, assobiam a própria equipa do que os árbitros ou as equipas adversárias.

Aliás, isso foi notório no jogo de ontem.
Quantas vezes é que o árbitro foi pressionado (por um coro de assobios ensurdecedor) de modo a penalizar (com cartões) o anti-jogo descarado dos jogadores do Paços Ferreira?
Eu respondo: zero vezes!

José Correia disse...

Quanto ao palhacito do treinador do Paços Ferreira, a melhor resposta terá de ser dada dentro de campo, por uma equipa capaz, formada por jogadores competentes, algo que ontem não se viu em jogadores como Tello e, principalmente, Aboubakar.

Paulo Marques disse...

O Jorge Simão não deve ter contado o número de vezes que a bola bem lhes podia ter entrado pela baliza a dentro, como mereciam.

Vidente Mor disse...

o que esse pulha disse tem a ver com algum sentimento que se nota ja na dificuldade que o sistema de jogo do porto tem em desmontar este tipo de equipas fechadas. A equipa é macia , lenta e tem pouca agressividade, o golo é exatamente o medo de meter o pé do indi. Realmente ou algo muda no sentido da equipa jogar em casa especialmente ou todos estes treinadores de trazer por casa que poe os 11 atras da linha da bola se acham o suprasumo da batata. o publico aburguesou se e as claques tambem. Nao muitos anos atras os jogadores, treinadores e staffs quando vinham ao dragao ja vinham a perder por um a zero incluindo os lampioes, agora nao.

Francisco Paulos disse...

Este treinador é um medroso que mal se apanhou a ganhar quis guardar o resultado invertendo o triangulo do meio campo e convidando o Paços a atacar. Num qualquer golpe de sorte eles podiam ter empatado pois a falta de confiança dos nossos avançados é gritante. Nem nos infantis se podem falhar golos cantados como os que falhamos. Bueno marcou 17 no campeonato espanhol e aqui mesmo sendo atualmente o abou uma nulidade nunca joga. Sofremos escusadamente e ainda há quem defenda este treinador.

Filipe Sousa disse...

Quando um jogador falha um golo de baliza aberta, dificilmente a culpa é do treinador.

Filipe Sousa disse...

Na sequência do comentário do Francisco Paulos, devo dizer que o Porto tem um conjunto de jogadores particularmente "burros"; a quantidade de jogadas de perigo e golos cantados que se perdem, é exasperante. O treinador tem alguma culpa, fruto das esolhas que faz, mas não é certamente responsável pela "burrice" dos jogadores.

pedro carmo disse...

É Francisco, a culpa do aquecimento global tb é fds medroso do lopetegui. ..

Assobiar é o caminho!

E agora para terminar sm beleza: porto sempre!

OAutor disse...

E por acaso o Paços veio ao Dragão jogar futebol?? O que aconteceu foi tudo menos futebol, ontem não vi 2 minutos de jogo corrido!!! sempre a perderem tempo, sempre a meterem nojo! Quem merda de equipa!!! Mereciam apanhar os 5 golos incrivelmente falhados por nós!! Num dia normal eram goleados!!!! Equipas com mentalidade deste paços deveriam descer de divisão por decreto!! Nojo de equipa! Aliás, se eu fosse presidente do Paços preferia apanhar 6 e jogar futebol, do que fazer as figuras que fez e perder 2-1, sinceramente...eu despedia o treinador do Paços pela falta de respeito por quase 30mil pessoas que estavam no estádio!!!! Esse treinador é um merdas!!!!

OAutor disse...

Concordo contigo! Existem muitos adeptos que pensam que isto é jogar playstation e o Lopetegui é que tem o comando na mão! Um jogador faz uma burrice...Lopetegui tem culpa! Um jogador falha um passe...Lopetegui tem culpa! Um jogador falha um golo de baliza aberta...Lopetegui tem culpa! Já chega!!!!!!

rbn disse...

O palhaço do treinador pacense, boifiquista e ex-empregado da associação de futebol de lisbon, aproveitou pra marcar alguns pontinhos junto da pseudo-imprensa desportiva lisbonense, mas haja lata de quem até levar o 2º gol, andou a queimar tempo descaradamente, com a complacencia do soprador de apito, que nem sequer deu um mísero amarelo em tanta "cerimonia" dos amarelos para recolocar a bola em jogo, fosse onde fosse...

Por outro lado, qualquer treinadorzinho meia-leca igual a esse, sabe perfeitamente como joga o FCP, de tão previsível que tem sido este futebol-caranguejo pro lado, prá trás, pro lado, pro meio, e etc etc etc...

Eu acho que o nosso treinador não dá mais que aquilo, porque era muito improvável alguem não ver que Aboubakar desde o início estava errando tudo, estragando tudo, falhando tudo... e sem Osvaldo suspenso, não havia nenhum ponta-de-lança no banco...e nem um plano B para caso precisasse substituir o camaronês, que esteve extremamente infeliz ontem, tal como Imbula contra o Kiev, entre outros casos de má atuação em certos jogos...

Imbula ficou 70 minutos em campo errando tudo, Aboubakar ficou o jogo todo, não pode ser...o treinador tem a obrigação de ver e enxergar o jogo, e Lopetegui não tem tido boa leitura, infelizmente, para além das invenções à Jesualdo Ferreira...

Sinceramente, entre classificarmos pros 8ºs da champions e apanharmos pela frente um Barça, um Bayern ou outro qualquer em boa forma e corrermos risco de levar outra goleada humilhante ou irmos pra Liga Europa, eu prefiro a 2ª opção...não confio no treinador, nunca sabemos qual o 11-tipo inicial, e pior, estamos sempre na dúvida se ele vai inventar ou não...

meirelesportuense disse...

Ele lá sabe o porquê, provavelmente qualquer equipa que vá à Luz ou a Alvalade já vai com as pernas abertas. Aqui é diferente e ele sabe que sim, talvez tenha informações que nós não temos.Estou para ver o trabalho dele e do Paços na Luz e em Alvalade.
A verdade é que ainda hoje perdemos -equipa B- em Vila da Feira com o árbitro a deixar "queimar" os jogadores do Porto. Acabou por marcar um penaltie que deu a vitória ao Feirense e deixou o Porto com 10 jogadores -2º amarelo-. Ninguém ficou aborrecido com o facto.

João disse...

Está enganado, José. Aliás, o trio de arbitragem foi assobiado para o balneário sem nenhuma decisão grave que o motivasse, fiquei mesmo com a sensação de ser por não punir devidamente o anti-jogo do Marafona. Até porque voltaram a assobiar audivelmente quando ele por contraponto, e na 2a parte, chamou à atenção do Casillas na primeira vez que atrasou uma reposição.

João disse...

O Paços fez muito anti-jogo mas não trouxe o autocarro. Não gostei das declarações mas tenho que lhe reconhecer o mérito de ter vindo disputar (estrategicamente) o jogo pelo jogo, com uma equipa organizada que soube explorar muito bem as fragilidades daquela casa a arder ridiculamente que é a nossa defesa a cruzamentos e bolas paradas, com 2 jogadores várias vezes sobre os nossos defesas a dificultarem o início de construção da nossa equipa e as unidades relativamente subidas, por comparação desde logo e por exemplo, com o que o Paulo Fonseca trouxe cá.

João disse...

Não é só no lance do Indi. Há dezenas de situações todos os jogos em que 3 ou 4 jogadores do Porto rodeiam um adversário e têm uma dificuldade anedótica em tirar-lhe a bola sem ceder falta. No nosso lado esquerdo então é mato. Layún e Indi meterem o pé só na playstation mesmo.

João disse...

Anda por aí o amigo do testamento sobre o Osvaldo do último post?

Adorava continuar a conversa depois deste show do Aboubakar.

Em relação ao jogo, a vergonha alheia habitual. Um dos piores Portos de sempre em termos da preparação táctica da equipa em campo, a marcação individual aos extremos adversários a que o Rebrov se referia é um autêntico tratado, qualquer incursão ofensiva do colosso europeu da Capital do Móvel era um enfarte, toda a gente completamente perdida e sem.noção nenhuma do que deve estar a fazer (o Maicon tem um lance crítico, na 2a bola a um canto ou livre defensivo já com 2-1 no marcador em que tem 3 ou 4 jogadores do Paços em fora-de-jogo e decide dar um passo atrás e meter toda a gente em jogo), é tudo demasiado mau. E se a equipa não sabe defender, o que é SEMPRE agudizado com a titularidade do Indi, a atacar quase consegue ser mais confrangedora.

O Portos até subia duas, três unidades para complicar a construção, que podiam recuar a passo e com uma venda nos olhos que quando a bola chega ao último terço já estão eles na sua defesa há meio minuto. Tudo lento, mal preparado, pior executado com passes à queima, desnecessariamente levantados ou para o pior pé a serem a norma, todos sem excepção para o jogador e idealmente para as costas, acho que não vi um único passe para o espaço. Também é mais complicado quando ninguém se desmarca porque lá, para onde e ir lá fazer o quê?

Por último aproveito já para desejar as boas festas ao DC que dificilmente voltamos a ler até 2016 depoos deste autêntico doutoramento em "Como entrar e passar o Herrera para 2o pior em campo" do nosso amigo Tello ontem. Que nódoa.

João disse...

Os jogadores tentam jogo directo imbecilmente e perdem a bola porque não tem opções de passe no miolo, é culpa do Lopetegui. Os extremos estão sempre no meio de 3 ou 4 adversários e a única solução é fintarem toda a gente porque a manobra ofensiva é lenta e mesmo assim não sugere uma única linha de passe próxima que não seja o atraso ao lateral, culpa do Lopetegui. A defesa é uma casa a arder por causa das bolas nas costas dos laterais que estão marcar ao homem por indicação do treinador, culpa do Lopetegui. Bolas paradas defensivas ao homem, 2as bolas sempre uma questão de fé porque não há automatismos de subida e golo do Buno Moreira, culpa do Lopetegui, substituições imbecis feitad pelo treinador, culpa do Lopetegui. Herrera 90mins em campo a enterrar tudo o que é lance, culpa de Lopetegui. Aboubakar 90mins em campo a dedicar bolas à curva, culpa do Lopetegui. Penaltys preparados ao ponto de estarmos reféns de um lateral, culpa do Lopetegui. André Silva a ver o jogo de uma posição privilegiada na bancada, como alternativa única para ponta de lança esta jornada, culpa minha de certeza. Eixo do terror Indi-Maicon com Marcano no banco, culpa da cimeira ambiental. 2-1 à rasca ao Paços e Danilo para o assador, culpa do vaga da coligação parlamentar de esquerda. A ripada de Quarta contra o Chelsea mais frágil do século, culpa das novas metodologias de ortodontia.

José Correia disse...

João, foram tímidos assobios, tímidos.
Não houve qualquer coro de assobios ensurdecedor durante o jogo, que pressionasse e "obrigasse" o árbitro a sacar dos cartões para punir o anti-jogo do Paços.

José Correia disse...

João, o Herrera fartou-se de fazer asneiras (infelizmente não foi o único...), mas teve o mérito de conquistar um penalty (decisivo) que poucos teriam conquistado.
E porquê?
Porque, ao contrário de outros, não se limita a pressionar com os olhos.

pedro carmo disse...

João,
Quando pode começar?

João disse...

Onde se lê "Portos", leia-se Paços*

tripeiro invicto disse...

O treinador é que fez as escolhas. Foi ele que escolheu jogadores de segunda para fazer parte do plantel. Curtando as pernas ás jovens promessas da equipa. O Ruben Neves não chega...

Luís Vieira disse...

As declarações do treinador do Paços não me escandalizam: a verdade é que não atemorizamos ninguém. A começar na equipa e a acabar no Presidente. De resto, o Paços, quando não estava preocupado com o anti-jogo, apresentou-se com bloco médio e teve algumas transições bem perigosas que expuseram a nú a fragilidade da linha (?) defensiva do FCP. Coberturas zero. Marcação ao homem. Indi desastrado. Laterais desprotegidos. Como diz o João, uma "casa a arder". Trabalho defensivo muito, mas mesmo muito, precário.

Luís Vieira disse...

João, na maioria estou de acordo e até me fez rir, mas o Herrera, embora tenha falhado alguns passes, pareceu-me dos jogadores mais esclarecidos (leia-se, com melhores ideias), a par do Corona, em termos ofensivos. Foi dos poucos que procurou jogo interior, apoios frontais e passes curtos, em vez de servir unicamente como robô para virar flanco. Num desses lances, entendeu-se às mil maravilhas com o Corona e preparava-se para deixar o Aboubakar próximo do golo. Este não percebeu, porque se fugiu ao guião habitual, ficou parado e a bola perdeu-se pela linha de fundo. É mais um (o mexicano) prejudicado por um modelo inflexível que não potencia as características dos jogadores. Para não falar na capacidade de recuperação referida pelo José.

Luís Vieira disse...

Muito mal o Indi no golo do Paços. Lance simples de resolver com uma cabeçada, Indi fica no chão pela enésima vez, movimento contínuo, ressalto e golo às 3 pancadas. Na segunda parte, o Maicon, dentro da área, depois de mais uma correria desenfreada e infrutífera do Layún atrás do extremo (desapoiado, diga-se), é obrigado a aliviar a bola, de qualquer maneira, com 2 jogadores do Paços atrás de si, completamente sozinhos, prontos para marcarem. Péssimo controlo da profundidade e da largura. Os 2 momentos defensivos (transição/organização) do FCP actual são o que mais me chocam. São os principais indicadores do fraco trabalho do treinador, nesta fase (até porque já lhe vi melhor). Neste panorama, o Marcano, jamais e em tempo algum, pode ficar de fora. Lá na frente, temos a sorte de ter Brahimi e Corona, 2 craques com a bola nos pés. O Aboubakar atravessa uma má fase, falhou 2 golos cantados e, pior do que isso, parecia abatido psicologicamente, mas não me esqueço do monstruoso início de época, em que carregava a equipa às costas, por isso dou-lhe o benefício da dúvida. E agora é encarnar o espírito do Bournemouth e trazer o apuramento de Londres :)

O2T disse...

Não percebo o treinador do Paços. Se o Porto é tão previsível e tão fácil de ser colocado em sentido, como se explica q o paços só tenha rematado 1x à baliza e q o Porto tenha criado tantas e tão grandes oportunidades (e até de canto criou perigo!)?

Carrela disse...

Com adeptos como os nossos, que em vez de puxar pela equipa, à mínima situação pressionam a equipa com assobios... não ajuda!

Com tanto nojo externo para combater, muitos juntam-se à festa e ajudam a bater na equipa/treinador.

Não é perfeito, e como todos, está sujeito à critica! Mas este, mal aterrou cá, faça o que fizer, tem estado sempre, sempre a ser mal tratado, e por muitos dos nossos! Já chega!!

VAI PORTO!
VAI Julen!

João disse...

Luis, de acordo. Mas a minha critica ao Herrera prende-se não tanto com as intenções, mas a execução. Não é concebível que meça mal tantos passes e se percam tantas jogadas, algumas delas não acabaram em contra-ataques com sucesso do Paços por alguma dose de sorte. O Aboubakar tem uma técnica razoável mas metade das bolas que lhe endossam são cadeiras autênticas, e se no caso do Brahimi, Corona, Maxi, Layún e André muitas vezes é por falta de alternativa, no caso do Herrera é demasiadas vezes por falta de classe.

pedro carmo em vez da respota simplista e relativamente inócua, construa sobre essa ideia. Reflicta porque é que tantos e tão elementares erros estão ao alcance de um perfeito leigo como eu. Vai ficar com uma ideia aproximada da competência do seu treinador. E porque é que certas enkievadelas acontecem.

João disse...

Um dos mitos que também já começa a ultrapassar largamente o prazo de validade é o do pretenso controlo dos jogos. Nem me apetece alongar muito sobre o assunto, basta objectivamente analisar o que acontece quando qualquer equipa, do Carcavelinhos ao Chelsea, se apanha em desvantagem contra o Porto. Basicamente o que o Rebrov e o Jorge Simão vieram fazer ao Dragão, com armas completamente diferentes, foi jogar sem medo. E quando isso acontece, quando abdicam de 2 ou 3 jogadores permanentemente atrás da linha da bola, que é o que temos contra 95% das equipas adversárias, a máquina dominadora e doutorada em posse de bola treme logo por todos os lados.

E pior do que isso, não sabe, como nunca soube, aproveitar essa nuance para criar mais perigo ofensivamente, normalmente só conseguindo sair da sua zona defensiva à charutada.

O Porto de Lopetegui controla quem se deixa controlar.

João disse...

Luis, completamente de acordo. Não tenho a mínima dúvida que jogadores como Brahimi, Corona e Aboubakar (porque o é) são muito acima da média, entre outros elementos objectivamente bons como o Marcano, André, Rúben, Imbula, Iker, etc.. simplesmente grotescamente mal orientados.

Não há um único jogador do actual líder do campeonato, salvo talvez o William, que eu quisesse no 11 do Porto. E ainda assim, são eles que vão com dois pontos de avanço e a moral toda. Não faz do Jesus, porque não o é, um treinador fabuloso, antes dá uma ideia da nulidade que temos no banco.

Pedro ramos disse...

14/04/2013 após jogo com Braga.

"A ideia base teima em ser a mesma há já longos meses: muita posse de bola e, talvez com isso, um golo caia do céu mesmo sem fazermos muito para tal.
Convém recordar, que este tipo de táctica precisa de um tal de Messi para que resulte com frequência...
Ora, o que se tem visto na prática, é um número confrangedor de oportunidades reais de golo e, pelo contrário, o adversário a continuar a chegar à nossa área com bastante perigo e por diversas vezes.
Ter a bola durante muito tempo nem sequer isso tem evitado.
Ontem, tal como na segunda-feira passada, o Braga marcou primeiro porque, na realidade, criava o mesmo número de remates que o FCP.
Enquanto se confundir "posse" com "domínio" da partida, o resultado será muitas vezes parecido com o de ontem, especialmente contra adversários com alguma "cultura"."

Digo o mesmo que no tempo de VP, ganhar ou nao começa a ser irrelevante, as criticas continuam as mesmas, qualquer treinador torna-se sempre o pior do clube em 30 anos.

PS. Que fique claro, VP para mim como treinador é muito superior a Lope

Hugo Mota disse...

João, se a quantidade de disparates que debitou na sua intervenção pagassem imposto, viveríamos todos ao nível dos alemães.
Como infelizmente o tempo é precioso para desmontar tão grande quantidade de ideias facciosamente falaciosas, só lhe faço uma questão:
Sendo a nossa defesa tão má, miserável, execrável, verdadeiro "eixo do terror", como me explica então que seja a menos batida do campeonato com 5 golos sofridos?

Unknown disse...

Lamento mas eu acredito que o Lopetegui é a melhor pessoa para estar à frente na equipa.
É ele quem treina os jogadores e sabe melhor que qualquer um de nós quais os melhores jogadores que devem jogar!
Quando o André não joga e nós reclamamos, depois vemos que ele estava cansado para aguentar um jogo inteiro. Quando o Herrera desaparece da equipa e começa a reaparecer, vemos que ele tinha razão e que não estava em forma para jogar ao mais alto nivel. O Lopetegui vai levantar o caneco em maio e calar muitos que se dizem e acham portistas!

Até os cumemos!

Luís Vieira disse...

João, acho que o Herrera vai para além das intenções. Apesar das tais perdas de bola, teve boas iniciativas. Na primeira parte, por exemplo, tem lá um lance em que, com um passe, parte a defesa toda do Paços e deixa o Corona em posição privilegiada. Concedo que falha passes que não devia e que tem de melhorar esse aspecto do seu jogo, mas o modelo também ajuda a explicar essa falha. Noutras condições teria mais sucesso. Para já, vi-o com mais ideias que o Imbula, embora me pareça que este tenha mais potencial. Para não falar do Evandro que esteve mais de uma hora a aquecer. Haja treinador para os pô-los a render como deve ser.

João disse...

Hugo, uma parte da resposta está no meu comentário mais abaixo. Até agora defrontamos duas equipas do mesmo calibre orçamental (Benfica e Dynamo) e uma largamente acima (Chelsea). Duas delas vieram cá fazer o mesmo que a generalidade das equipas da 1ª Liga - jogar para o ponto - e perderam. O Braga veio, em larga medida, fazer o mesmo. Uma chegou cá a ter que ganhar e só não levamos mais porque não calhou. Que o portentoso Tondela ou o colosso Arouca não consigam incomodar uma defesa em que só o Indi lhes pagava a época, não é propriamente notícia. O que é notório é que quando os adversários (todos eles) encaixam um golo e mudam o chip, os índices de posse de bola, acerto de passes e incidência de jogo claudicam. Aos 80' e tal minutos de Sábado estávamos a defender com tudo um alívio para canto do Paços em casa, aos 90' tivemos um cruzamento para a pequena área a que o avançado do Paços ganhou a frente ao Maxi e não chegou por pouco. Não sei se referi suficientemente "Paços" e "casa" neste raciocínio..

Agora tente moderar-se um bocado, porque apesar de tudo julgo que não frequentamos a mesma escola.

João disse...

Luís, julgo que o Imbula será provavelmente o exemplo mais crasso de um jogador que não faz a mínima ideia do que deve andar a fazer neste sistema de jogo. É outro que fica pelas "características interessantes", problema geral dos orientados por Lopetegui.

Luís Vieira disse...

O Ewerton também é jeitoso, ao lado do Marcano não ficava mal. Depois há o Bryan Ruiz, mas como temos Brahimi e Corona não faz muita falta. O João Mário é outro bom jogador, mas os médios do Porto estão subaproveitados, por isso seria mais um. O nosso plantel não é fabuloso, mas dá certamente para mais.

Luís Vieira disse...

O trabalho do Jorge Simão tem sido elogiado e no Dragão percebi porquê. À parte o anti-jogo (detestável), o Paços pareceu-me uma equipa organizada e afoita. Não foi o típico autocarro, tentou jogar e condicionar o jogo do Porto mais à frente. Meio caminho andado para nos dificultar imenso a tarefa e, assim, esvair-se o pretenso controlo do jogo.

Silva disse...

O problema é que quando o Dragão assobia, o mais provável é que esteja a assobiar a sua própria equipa. E quem criou esta dúvida razoável fomos nós! Só nós a podemos desfazer. Deal with it!

Silva disse...

O João tem razão. A jogar contra o Bayern, Barcelona e Real todas as semanas é que vêem as grandes equipas, como o grande xportem! Onde é que já se viu jogar contra o Tondela e o Arouca. Contra esses, qualquer penalty nos descontos resolve. Ou um tonel da vida. Muito bem João, muito bem. Só falta o João, quando tiver tempo, apresentar as soluções para os problemas que levanta. Se lhe apetecer, porque ninguém lhe paga para isso.

João disse...

É mais fácil eu fazer copy paste do que vocês fazerem scroll down, está visto..

"Não há um único jogador do actual líder do campeonato, salvo talvez o William, que eu quisesse no 11 do Porto. E ainda assim, são eles que vão com dois pontos de avanço e a moral toda. Não faz do Jesus, porque não o é, um treinador fabuloso, antes dá uma ideia da nulidade que temos no banco."

Qual é a dúvida?

DC disse...

Não me leu nem me lerá sobre este jogo porque estou de férias no estrangeiro e portanto não faço ideia do que aconteceu.
Mas não me surpreende nada que isole uma eventual má exibição do Tello. Já tinha previsto que isso aconteceria. Mal ela surgisse, os habituais cair-lhe-iam em cima.
O João é provavelmente o mais previsível de todos os comentadores do RP.

João disse...

"João 5 de novembro de 2015 às 13:42
Aí está, primeiro comentário! Previsível.

Sim sr. Homem do jogo, indiscutivelmente. Agora, se houvesse por aí um pingo de espinha, tinha também feito referência à exibição do Danilo.

Eu dou o braço a torcer, com o Layún foram os 3 melhores do Porto ontem. Tomara que fosse para manter, mas se com o Danilo e Layún até acho exequível, duvido que o DC volte a fazer o 1º comentário a um post tão cedo. Já não tirava a basófia da gaveta desde o Porto - Sporting, se tivermos que esperar o mesmo tempo, que é o mais provável, não é nada bom sinal."

FCP - Maccabi Tel Aviv 5/11/15

Vá à volta que por aí não passa.

DC disse...

João, quer que lhe mande fotos das férias. Já que se preocupa tanto com a minha vida provavelmente ficava mais descansado. Se quiser até lhe mando um postalzinho para não ficar triste.

Unknown disse...

Dei-me ao trabalho e ao desperdício de vos lêr, e... k puto de meninos!!! Só egos à luta, tal qual os pavões a exibirem-se à sua fêmea (pois, deve ser por falta "disso")!
Cresçam, caralho! Façam o vosso papel, que nós já fizemos o nosso. Estamos velhos, pá! Quando falam que "eles" quando vinham cá e já estavam a perder por 1-0; quem acham que desempenhava esse "papel"???
Façam a vossa "parte"!!!