quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

O enterro do basco

Quando uma equipa está a noventa minutos - por culpa própria - do jogo mais importante do ano, é normal que os adeptos sintam nervos. Estranhamente, entre muitos portistas, a sensação a pouco tempo do apito inicial no Bridge foi de tudo menos nervos. Resignação, estupefacção, raiva e desanimo. De nervos, nada. Julen Lopetegui logrou o impensável. Não só a incapacidade de colocar a sua equipa a demonstrar todos os seus argumentos nos dois duelos directos contra o rival real do grupo - o Dínamo Kiev - hipotecou um apuramento que, depois da grande vitória contra o Chelsea no Dragão parecia inevitável - como ficou claro que o espanhol, como treinador de elite, é um zero à esquerda.

Todos os treinadores sabem que o futebol é um universo complexo onde o papel da rotina é fundamental para o êxito. Treinam-se as mesmas jogadas vezes sem conta. Procuram-se os modelos tácticos perfeitos, ás vezes com, ás vezes sem plano B, e insistem-se neles durante o ano porque é na assimilação de rotinas e no trabalho de grupo que um plantel se transforma nesse microcosmos que é um Onze bem sucedido. O b-á-b-á do futebol é esse mas no dia em que se deu essa aula, Lopetegui devia ter ficado em casa porque não assimilou perfeitamente a lição. No FC Porto estamos já vacinados com as "invenções" quando se viaja a Inglaterra. O de hoje, em Londres, é apenas mais um capítulo repetido até à exaustão. Mas tem o "demérito" de deixar a nu a completa ignorância de um treinador na gestão dos seus recursos. O FCP tem de ganhar? Joga-se sem avançado. O FC Porto vai medir-se contra uma equipa que vive das transições largas? Coloca-se uma defesa de três afastada quilómetros entre si e com um espaço brutal com o meio-campo para Diego Costa mover-se à vontade. Aposta-se em dois criativos pelas alas, como Brahimi e Corona e depois lançam-se três médios que não conseguem aparecer para finalizar um só lance desde atrás. Não houve absolutamente nada que Lopetegui tivesse feito bem no desenho inicial e no decorrer do encontro e só um Chelsea frágil psicologicamente e a anos luz do seu real potencial podia medir-se a uma equipa assim e não sacar uma vantagem superior. Lopetegui pode agradecer a Mourinho que este não seja Guardiola que, no ano passado, depois de ter perdido o primeiro jogo, colocou o basco no sítio. Um sítio que a História não vai, seguramente, recordar.

O Porto jogou mal, o Chelsea não jogou muito melhor e pouco mais haveria a dizer por um jogo decidido por detalhes mas onde, desde o princípio, ficou evidente que havia uma equipa a sério e uma a brincar sobre o relvado. Sem profundidade e atitude, o FCP foi em Londres muito parecido ao que tinha sido na semana de Munique-Lisboa, uma equipa com mais medo a perder do que demonstrando vontade de ganhar. Uma equipa sem carácter e sem um plano de jogo concreto que tentou povoar as zonas do terreno longe da área porque, já se sabe, os golos no futebol são acessórios.
Perante essa invenção que foi o 3-5-2 com Layun e Maxi como extremos e um meio-campo sem um pingo de futebol na cabeça (e nos pés) no centro, o Chelsea sempre esteve cómodo. Marcou cedo depois de um excelente passe em profundidade à procura do oceano de relva entre Danilo e Marcano ter encontrado Diego Costa. O bronco avançado hispano-brasileiro fez do central espanhol o que quis - no fundo fez dele o que é, um central competente mas não fadado para grandes noites - e depois disparou para uma defesa de Casillas que, noutras circunstâncias podia ter sido providencial. Não foi. O Santo que acompanhou Iker em toda a sua carreira até 2012 desapareceu por completo como se viu em Kiev, no Dragão e agora em Londres. A bola bateu com estrondo em Marcano, voltou para trás e Maicon (que como Indi estava muito longe da área quando o lance começou) não chegou a tempo de evitar um golo claro e bem assinalado. Podia ter sido um golo de azar mas foi um golo de incompetência, tanto no esquema de três centrais que não se ajudaram como na forma como Marcano abordou o lance. Um lance perfeitamente exemplar das "lotepeguices" cada vez mais habituais.


Para a primeira parte o Chelsea tomou a iniciativa - ao Porto a vontade de empatar nunca se viu, realmente - e Oscar reclamou um penalty que podia ter sido bem assinalado com os laterais absolutamente expostos, sobretudo Maxi, ao jogo vertical dos ingleses. Das bolas paradas venenosas de William não saiu nada evidente e o Porto podia agradecer ter chegado ao intervalo a perder apenas por um. Isso sim, Lopetegui tinha motivos para estar orgulhoso, a equipa tinha acabado com mais posse de bola. Algo é algo.
Claro que o Chelsea ia marcar outro e foi de novo, ao principio de uma segunda parte - onde o discurso de Lopetegui deve ter sido o equivalente a uma homilia pascal tal foi a forma motivada e diferencial com que a equipa saiu - a anotar com um excelente disparo de um William sempre hábil a aproveitar os espaços provocados pelo mágico 3-5-2.
A saída de Imbula - que, seguramente, jogou por indicações superiores porque é precisar valorizar activos por quem o clube não pagou um tostão para outros lucrarem - e de Maxi eram evidentes e chegaram um golo tarde. O Chelsea podia ter goleado, a tal ponto que nos últimos vinte minutos mais parecia um jogo de treino com um Porto incapaz de criar sequer a sensação de perigo - como contra o Dínamo - deixando claro que os londrinos mereciam passar. Os ucranianos mereciam passar. Os Dragões, não!

No final fica claro que esta derrota era algo natural e expectável. Todos sabem que o Porto não foi eliminado em Londres. Nunca poderia sê-lo porque o rival não era o Chelsea nem na sua pior versão. A péssima gestão de Lopetegui contra um Dínamo de Kiev a roçar o vulgar marcou o destino da equipa. Lopetegui está no Porto para ganhar títulos, valorizar activos e a marca do clube. Títulos, até agora, nem vê-los e não se pode sequer dizer que esteve realmente perto de os conseguir. A valorização de activos foi um dos seus pontos positivos em 2015 mas nesta temporada tem-se assistido precisamente ao oposto, a progressiva desvalorização de jogadores cuja venda dependerá de uma mão amiga e de uma fantástica engenharia financeira. Já o nome do clube, é outra coisa e muito mais séria. Lopetegui é o treinador que apenas logrou uma reviravolta em ano e meio, que fez da Madeira uma via sacra, que não conseguiu ganhar a Jesus e que nos jogos fora na Europa é quase sempre vulgarizado pelo treinador rival. É, sobretudo, um homem que parece ter tantas ideias na cabeça que acaba por não aproveitar nenhuma. Não se decidiu ainda por um sistema táctico (estamos em Dezembro e o 4-3-3, 4-2-3-1, 4-4-2 e o 3-5-2 já andaram por aí) nem por um onze tipo e não fosse a voluntariedade de André André e a boa forma outonal de Aboubakar e talvez fosse já um cadáver desportivo ambulante.
Naturalmente o jogo partiu-se. O Porto tentou atacar com mais critério. Ter Brahimi, Rúben e uma referência na área ajuda, mas os espaços atrás continuavam a ser aproveitados pelo Chelsea para criar perigo. Um cenário onde Mourinho sempre se sente cómodo.


Esta eliminação supõe um importante rombo nas contas do clube que usa, regularmente, as verbas da Champions como garantias para pagar os empréstimos que utiliza para pagar os salários dos jogadores que não paga porque estão vendidos ao chegar. É também um rombo na imagem internacional do clube, tendo em particular conta que o rival era o Dínamo de Kiev e que o Benfica, com um Dínamo de Kiev no seu grupo (o Galatasaray) não teve o mesmo problema e apurou-se como inevitável segundo. É igualmente um rombo tremendo na moral dos adeptos a quem pouco lhes importará a Europa League e que coloca ainda mais pressão na corrida pelo campeonato onde, inevitavelmente, Lopetegui continua atrás de Jesus por inoperância própria. É um momento importantíssimo para o clube. Assumir o desastre na Europa (que era há quinze dias previsível), apostar todas as fichas no campeonato e começar a pensar num futuro sem Lopetegui, um treinador de segunda linha com um padrinho importante e um presidente que parece estar a perder totalmente o norte na eleição de treinadores. Entre Nuno, AVB e Marco Silva está a coisa e Julen já o sabe. Hoje cavou a sua própria sepultura. O Porto, esse, é grande demais para não sobreviver a um tropeção pontual. Para o ano há mais Champions e, esperamos, mais motivos para sorrir.

109 comentários:

João Santos disse...

Estavas a ferver para publicar isto?

Henrique Rocha disse...

a questão é se não era melhor arrumar já a casa?! O slb pode vir a ter fortes probabilidades de poder acabar em segundo. Como equipa tem se revelado bem mais equipa do que nós.
Este treinador não nos vai guiar a bom porto. A próxima epoca tem que começar já a ser preparada, não podemos contar com este treinador.

Pedro Reis disse...

Esqueçam lá o Nuno... Entre AVB, Marco Silva e Leonardo Jardim os únicos 3 portugueses em quem reconheço competência para treinar o FCP.

Alexandre disse...

Caramba. Quando a equipa ganha era um silencio tumular.
Incrível esta sanha.
Como se fosse a primeira vez que a equipa perde em Inglaterra.
E sobretudo como se esta tactica não fosse similar à usada no dragão.
Tenha vergonha sr Miguel.
Nas vitórias o seu silencio e ensurdecedor.

José Lopes disse...

O que se passou hoje foi um completo abastardamento do nome do clube. Dar esta imagem, apresentar estas "ideias" para tentar ganhar o jogo, nao corrigir nada ate aos CINQUENTA E SEIS minutos apesar de se ter levado um golo aos doze, e' indigno do clube que somos, do que ja ganhamos por essa Europa fora. Nove jogadores defensivos para quem a bola tem picos e Brahimi e Corona para tentar fintar 6 e marcar um golo. Deve ter sido esta a ideia. Layun e Indi a marcar-se homem-a-homem, Imbula a meter medo, uma amalgama de medios inuteis e espaco a mais atras, onde, para agravar, a banalidade dos jogadores fez o resto.

O que se passou em Munique foi pessimo, mas apesar de tudo tinhamos vencido a primeira mao. Fomos atropelados por uma equipa muito superior, nao tivemos forca mental nem laterais para tentar esticar o jogo. Pensei, obviamente, que ese jogo tivesse servido para que Lopetegui percebesse que nao vale a pena abordagens geniais, mas timoratas. Enganei-me, hoje foi um primor e continuou a acovardar-se jogo fora. De uma forma diferente, hoje lembrou-me aqueles minutos finais na Luz, com os centrais a trocar a bola e nos a precisarmos de um golo. Mentalidade pequenina, indigna do Porto.

Vamos levar com isto ate ao fim da epoca, a nao ser que o desastre no campeonato seja completo. Suponho que venha Villas-Boas, que comparado com isto, tem uma sagacidade incomparavel. Neste ponto, contudo, isso e' irrelevante. Falta futebol, sobra vergonha, fomos pessimos e nao fizemos por tentar ter sorte.

Francisco Paulos disse...

O primeiro objetivo já está perdido e os outros com este treinador são a seguir.É preciso ser mesmo treinador de terceira categoria para num jogo desta importância mudar o sistema de jogo.É preciso marcar golos?joga-se sem avançados...é de mestre.Não se conseguiu ter uma oportunidade declarada de golo em todo o jogo.É uma vergonha termos um treinador como este. Renove já com ele Sr. Presidente que com ele são só Vitórias....morais.

Luis disse...

Este escriba parece um abutre,e mais não digo.Não gostei do jogo nem do treinador mas haja decência e Portismo quando se escrevinha.

Luís Pires disse...

não concordo com a análise, mas também nada mais me apetece dizer por hoje.
cumprimentos

Francisco A. disse...

Não tive a oportunidade de ler o texto ainda.

Agora, só quem não é portista é que pode pedir a continuidade deste treinador.

Passa o jogo todo a berrar com os jogadores e não corrige posições, mostra MEDO a jogar com equipas grandes mudando por completo o seu 11 e TIRA O PL.

RUA. Que venha o VP, Marco Silva, Lucescu ou Bielsea.

bruno cláudio disse...

nuno para salvar a época e mais jogadores portugueses no plantel!
a nossa realidade de facto é a Europa league, um treinador de não serve nem para o albacete, um casillas amorfo, o indi um desastre, o marcano bom suplente, não temos lateral esquerdo, herrera e imbula não prestam, tello, corona, osvaldo? metam os putos pá!

José Lopes disse...

Para quem mesmo depois de uma exibicao destas acha mais importante atacar os criticos, sugiro leitura da cronica do Maisfutebol. Lapidar.

Aires disse...

Absolutamente de acordo. Portistas que ainda defendam o Lopetegui, depois deste jogo, não merecem os últimos 30 anos de vitórias que o clube teve.

Hugo Ambrósio disse...

E disse alguma mentira joão?
Não sou defensor de quem quer que seja mas olho para a crítica publicada e até acho que foi simpática.
Só o Octávio Machado me fez sentir como me sinto hoje...

João disse...

O Porto de Lopetegui também é isto, eu saio da frente da televisão e vou fazer outra coisa para ver se o tempo mais rápido e nos ficamos pela falta de classe habitual e não repetimos o Allianz Arena 14/15.

Vi pelos resumos que a distância entre os dois jogos foi a falta de classe dos jogadores do Chelsea.

E acabo o jogo a pensar exactamente o mesmo que depois do Dynamo cá

"Vá lá, só levamos 2"

Não é preciso dizer mais nada.

Luís Vieira disse...

Primeiro objectivo da época enterrado. Não é de estranhar, atendendo aos fracos desempenhos do Porto, este ano. Há uma grande probabilidade de a saga de objectivos perdidos continuar, porque o Lopetegui não tem unhas para esta guitarra. As opções iniciais foram más, a inércia ao intervalo idem. O resultado é o reflexo do medo do basco, mesmo contra um Chelsea a soro. O trunfo da "boa Champions" esgotou-se: o grupo este ano foi um bocadinho mais complicado, ficámos logo pelo caminho. Como vai ficar até ao final da época, a não ser que se demita, espero que se consiga bater pelos títulos que restam, até ao fim, e que não protagonize uma época miserável, como a que tivemos há não muito tempo. Em Alvalade logo se vê.

João Santos disse...

Crítico o post estar feito antes do fim do jogo. Quando o Porto ganha demora mais a escrever... Engraçado.

Pedro ramos disse...

Como já tinha dito, depois de saber o 11 não me dei ao trabalho de ir ver o jogo num qualquer café, estava estampado que esta treta que Lope arranjou nunca poderia funcionar.
Se as coisas estão entre Nuno, AVB e MS não sei nem me interessa porque para o ano estaremos na mesma. Sem uma direcção nada realmente mudará. A questão está muito longe de ser apenas o treinador, hoje não lutamos para ser campeões nacionais, apenas estamos preocupados na próxima venda a retalho.
Um bom treinador pode disfarçar várias coisas mas não esperem milagres nos próximos anos.

Luís Carvalho disse...

Como este jogo,mais uma vez, já estava perdido antes sequer do
apito inicial, dada a escalação lunática do Lopetegui, temos que
fazer um esforço de ver mais além e o que mais sobressai é mesmo a
fraquíssima qualidade dos "centrais" e médios.
Não há praticamente lance adversário que não cause um completo "ai
Jesus" naquela nossa defesa. E não é por ser o Chelsea, não senhor:
contra um Paços ou Moreirense é exactamente o mesmo.
Mas como nessas partidas do campeonato, o Marcano não corre o risco de
marcar dois auto-golos, a coisa vai passando mais despercebida.

Não valem nada! Chega! Que haja quem o diga bem alto.

João disse...

Já estou farto de o dizer. Se sabemos de antemão que não vamos ganhar nada, qual é a vantagem de prolongarmos o suplício até Maio?

Alexandre disse...

So quem é portista nestes últimos 30 anos é que não se deixa ser levado por esta onda de tiro aos nossos.
Quem é portista há muitos anos é que sabe que esta perseguição aos treinadores do Porto induzida pela CS lisboeta é feita para criar divisões e instabilidade.
Antes protegiamos os nossos.
Agora somos os adeptos são os maiores focos de instabilidade.
Mourinho era um criminoso que rasgava camisolas.
Adrianse um lunatico.
Villas Boas um puto insolente.
Vitor Pereira ( caramba, enquanto os adeptos não o puseram a andar) era so por sorte que era bi- campeão.
Paulo Fonseca era porque trocava os nomes do adversario.
Lopetegui, apenas foi aos quartos da CL ( há quanto tempo não lá chegavamos) e apanhou o campeonato do colinho despudorado.
O problema é que desde o 1º jogo da 1ª época de JL este foi assobiado em casa e a ganhar.

O que é indigno de portistas e ger gente no estádio sisudos quando a equipa ganha e lestos a insultar a equipa e treinador quando a minima coisa corre mal.

E agora para cairem na real.
Quantas vezes conseguiu o Porto 10 pontos na CL?

Continuem a insultar a equipa e tudo a volta.

Continuem a engolir as patranhadas de termos um plantel de sonho, feitas para criar pressão onde só existem um grupo com 6 meses de conhecimento.

Continuem a engolir o genio mestre da tatica que apanha de equipas albanesas, e assobiem ou queixem se quandi damos 4 a um adversário.

Continuem a não ter tempo para comentar vitórias do Porto ( nem um SMS) e a escreverem prosas extensas nas derrotas.

Continuem a fazer o Dragão um inferno para os nossos em vez de wer um inferno para os adversarios.

Continuem...e garanto vos que estarão mais de qq treinador ou jogador a cravar um prego no caixão do sucesdo do nosso clube.

Filipe Tártaro disse...

Acho neste momento o importante é apoiar a equipa e reflectir isso sim em Maio. Completo absurdo pedir por títulos nesta altura época quando ainda não perdemos a hipótese de ganhar qualquer um em disputa, a não ser que se conte o troféu 1/8 de final da CL.

meirelesportuense disse...

Deixei de ter fé absoluta pelos meus 10 anos de idade, precisamente no dia da minha Comunhão Solene -não digo o porquê-..-Em termos futebolísticos tenho a esperança que os outros queiram tanto a vitória como eu e hoje, não tinha esperança nenhuma, aliás, como não tenho há já uns tempos a esta parte. Lopetegui só faz asneiras, é um inventor, no mau sentido. -Por isso deixei de ver os jogos em directo, passei ao diferido, quer nos jogos seniores (A e B), quer nos jogos juniores...Acho que estamos a caminho do Clube da Treta, mais que a Treta, incomoda-me o discurso do "amanhã é que vai ser"...Desculpem-me, para esse peditório já dei muitos anos, agora estou sem paciência. Ide passear.

José Lopes disse...

Eu estava ansioso, mas perdi essa ansiedade ao fim dos primeiros 5 minutos do jogo. Ja dava para ver o filme que viria, so nao se sabia quantos levavamos. Dividi o tempo entre ver o Porto e o Maccabi, qual das missoes era mais impossivel e' que nao sei bem...

Mário Faria disse...

Para alguns adeptos do FCP só falta exigir, aos que não atacam o treinador, que sejam devidamente identificados com uma estrela qualquer na lapela, como justo castigo pelo seu colaboracionismo . Lamentável. Provavelmente o treinador tem o caminho traçado. Será que os que o reclamam se responsabilizam pelos efeitos desse despedimento no plano desportivo, no presente e no futuro? Os treinadores vivem de resultados: Lopetegui não tem vitórias e isso é factual e justifica esta sanha justiceira de vingança. O sangue lava-se com o sangue. É o orgulho caraças. Embora seja algo primitivo, é verdade que temo-nos de servir de alguma medida para a avaliação do trabalho e o resultado é obviamente o índice principal. Por isso, percebo que os portistas sintam na míngua de vitórias um desejo de mudança. É humano. Nestas alturas, só me resta confiar na direcção para decidir. São eles que têm o mandato para tal. Poder na rua, não obrigado. E pede-se um pouco de respeito e contenção porque falamos de pessoas que porventura estão amarguradas porque a coisa não correu bem e são maltratadas de uma forma suez muitas vezes. Para acabar sempre declaro que uma mudança de treinador vai provavelmente piorar a actual situação, mas a margem de manobra é curta. E há muita gente completamente possessa relativamente ao treinador. Não me lembro de uma coisa assim no FCP.

Paulo Marques disse...

Não posso comentar o jogo, mas quando diz "Lopetegui continua atrás de Jesus por inoperância própria", os mouros todos agradecem, a começar por Vítor Pereira.

Paulo Marques disse...

Então o Alexandre não sabe que antes do Lopetegui todos os treinadores ganhavam 5-0 aos adversários da capital e iamos a todas as finais europeias? Só agora é que temos um treinador que não é fora de série e que os roubos de catedral já não existem. Até na champions as arbitragens foram todas equilibradas, veja lá, tal como no jogos em casa com o Spartak e o Bayern o ano passado.
Agora, este idiota, depois de tantas vitórias em Inglaterra veio estragar o record do nosso clube, é inaceitável!

Disto isto, sim, o basco está longe de ser um portento e insiste em cometer sempre os mesmos erros, mas há que ter perspectiva em relação as possibilidades, não é possível estarmos muito melhores excepto excepcionalmente.

Manuel Lopes Rocha disse...

Que se critique o clube, o Presidente, os jogadores e o treinador, completamente de acordo - nem todos vemos e sentimos o clube da mesma maneira e, pessoalmente, respeito qualquer opinião contrária à minha desde que bem fundamentada.

No entanto, comentadores que só escrevem quando o Porto perde e publicam os seus textos 5 minutos depois do jogo? Que aproveitam as derrotas do clube para destilar o seu ódio contra os seus alvos de estimação? Que, sob a capa de perceberem muito de futebol e de tácticas, se permitem a passar um atestado de incompetência a todos os que com eles não concordam? Que estiveram calados quando as coisas corriam bem, como na vitória contra o Benfica, contra o Chelsea em casa e outras - aí já não havia lições tácticas a dar ao treinador? Já não havia posicionamentos a corrigir?

Estamos todos tristes e irritados com o que se passou hoje, disso não duvido. Mas aproveitar isso para servir de pretexto para deixar de apoiar a equipa não é, de todo, correcto. O Lopetegui pode ser o pior treinador do mundo, mas por favor: o nosso clube chama-se FUTEBOL CLUBE DO PORTO, o símbolo é o nosso, as cores são as nossas, o hino é o nosso, independentemente do jogador ou do treinador A, B ou C. Temos provas para disputar - Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga e, infelizmente, Liga Europa. O ódio ao treinador - com razão ou não - não pode nunca servir para justificar que não se apoie a equipa. Basta olhar para a nossa História: se, durante os anos em que nada ganhávamos (e foram muitos), os adeptos tivessem desistido de apoiar a equipa, nunca teríamos tido estes últimos 30 anos de vitórias.

Manuel

meirelesportuense disse...

A estratégia nem foi mal tecida mas sinceramente jogar com três médios e não colocar entre eles o Rúben Neves, não tem desculpa. Se queria jogar com três centrais Ok, mas teria que pôr lá dentro do campo pelo menos o Bueno e assim seria correcto ter Brahimi, Corona e um avançado mais apetrechado para concretizar na área.
Agora no primeiro golo o excesso de defesas deu golo na própria baliza e essa estratégia escolhida deu defesa a menos no segundo golo...Para mim o Herrera não dá uma para a caixa e o Lopetegui tenta proteger ao máximo o Layun e arrasar ao mesmo tempo o Maxi.

João disse...

Isto é alguma rodízio de nonsense?

1) Mourinho é campeão europeu pelo Futebol Clube do Porto. Nunca foi contestado.
Co Adriaanse tem SÓ uma dobradinha na época de estreia.
Alguma vez viu um portista a contestar um treinador campeão com 20 pontos de avanço, Taça de Portugal e Liga Europa no saco, e um saldo de 12-4 nos confrontos directos com o maior rival?
Vítor Pereira FACTUALMENTE estava 5 e 4 pontos atrás do Benfica antes de eles facilitarem contra os Vitórias, Académicas e Estoris desta vida. Taças e Champions miseráveis. Foi campeão na 1ª época.
Paulo Fonseca não chegou sequer a Maio.

2) O Dragão já teve assistências médias BEM piores do que as actuais. Para verem espectáculos do calibre do Porto - Braga, Porto - Dynamo e Porto - Paços mais recentes.

3) Quantas vezes é que o Porto apanhou uma equipa de 1º pote que vai em 14º do seu campeonato em Dezembro e duas das equipas mais acessíveis do 3º e 4º pote respectivamente? Realmente, grupo mais fácil assim de repente só mesmo o da época passada. Já não sei precisar com que treinador.

4) Não, não. Plantel de sonho tem o Dynamo, o Sporting, o Marítimo, Moreirense, o Braga...

5) Se a treta do Skenderbreu tiver o mesmo prazo de validade que a do Porto - Bayern, vai dar para ver o Marquês pela televisão mais 2 vezes. Estou ansioso. Entretanto, uma palavra: matéria-prima.

6) Ao lado

7) Ao lado.

8) Tenho para mim que o elogio fúnebre do nosso clube vai ser quando tivermos uma massa adepta tão acrítica que ESTE futebol e ESTES resultados recebem uma palmadinha nas costas e outro cheque em branco, e os nossos jogadores vão para as conferências de imprensa arrotar Rui Patriciozices tipo "Há que levantar a cabeça" e "Ainda temos objectivos".

André Garcia disse...

Não me pareceu assim tão descabida a táctica com que o Porto se apresentou mas confesso que me enervou a nossa incapacidade de chegar com perigo à área do Chelsea. A perder tinha que lançar o Aboubakar e mandar aquecer o Tello. Perdido por 1 perdido por 5. O Porto tem uma bela equipa de combate mas falta um rasgo no meio campo, um pilar na defesa (rápido para fazer parceria com Maicon) e um ponta de lança um nadinha superior ao Aboubakar. Outro pormenor é a falta de jogadores com veia de ala. A equipa joga muito pelas laterais mas com pouca profundidade e privilegia o interior, ou seja, acaba por se limitar a si própria. Quanto ao jogo de hoje, era o esperado mas fiquei com a sensação que podíamos ter feito melhor frente a uma equipa que me pareceu ao nosso alcance mesmo em Londres.

Relativamente ao treinador, estou com ele para o que resta da época embora admite que possamos ficar melhor servidos com Marco Silva ou AVB.

Francisco Paulos disse...

Ó Luís deves ser cego para não veres o evidente. É por acomodados como tu que veem o barco a afundar e ainda batem palmas que estamos onde estamos atualmente. Mereces bem estas desilusões e outras que se seguirão pois com este aprendiz de treinador será isso que vais,infelizmente, vamos... ter

Louro disse...

O ano passado dei-lhe o beneficio da dúvida.
Esta época demonstrou não estar à altura dos pergaminhos deste clube e hoje foi a gota de água!
Jogar sem ponta de lança e só o colocar após o 0-2?
3 centrais frente ao pior Chelsea dos últimos tempos que até perdeu com o Bournemouth?
Defendi o treinador , mas agora acho que chegou ao fim da linha...Devia sair e já!!
Como sócio, aguardo pelo próximo treinador para assistir jogos ao vivo!

meirelesportuense disse...

A Juventus jogou em 4-4-2 e perdeu com o Sevilha. 1-0 golo de Lorente precisamente o avançado que foi afastado esta época pela Juve!
Para mim o Lopetegui viu o jogo e copiou a equipa Italiana, copiou mal claro.
Mas se quisesse fazer algo assim, porque não alinhar desta forma:
Helton; Maxi Pereira, Maicon, Indi e Layun;
Corona, Danilo, Rúben Neves e Imbula;
Bueno e Brahimi.

DC disse...

Confirmo o que disse o Miguel. Eu estou de tal forma resignado que não vi o jogo nem fiz qualquer esforço por isso.
Continuem a culpar os jogadores dum problema criado pela direcção em 2013

Hugo Ambrósio disse...

Agradar a gregos e a troianos é impossível, mas não deixa de ser verdade que o que ele escreve representa a opinião geral de quase a totalidade de adeptos do porto. Mas lá está haverá sempre alguém que não concorda e que ache que há esperança com este treinador. Não o crítico porque isso é a sua opinião e oxalá as coisas deiam uma volta de 180 graus que é isso que todos esperamos há pelo menos 5 meses

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

O post está, naturalmente, escrito desde Agosto.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Henrique,

Está claro - acho que para todos - que o Lopetegui não passa de Junho. O problema é repetir o modelo Couceiro/Castro, que não trouxe nada positivo ou esperar pelo homem certo. Se a aposta de PdC for Nuno, que está livre, tudo bem, ainda que não seja um treinador que entusiasme. Como AvB ou Marco Silva são os cenários mais prováveis, terão de esperar até Junho.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Não é uma questão de competência. No Porto recente raramente é.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Vivo avergonhado diariamente, confesso. Não sei se mais ou menos que Lopetegui, mas vivo!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luis,

Não sei em que momento da história do clube o "Portismo" que reclama ausente na crónica passou a ser o calar e engolir a incompetência de quem prejudica o clube. É uma pena que assim seja.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Já agora, as crónicas das vitórias europeias contra Chelsea e Bayern escreveu-as, seguramente, um alter-ego. Seguramente.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Filipe,

O troféu? Não.
O prestigio internacional? Sim
Os muitos milhões que já estavam orçamentados e que agora vão ter de sair de outro lado? Sim
A desvalorização de activos? Sim

Para este FCP SAD, esses três pontos são tão ou mais importantes que alguns titulos. E foi isso que Lopetegui, em dois jogos, hipotecou!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Tacticamente, em gestão de balneario, em poder de motivação e em capacidade de abordar com profissionalismo os jogos, não está atrás...está muito atrás. E todos sabem que JJ não é nem será nunca um treinador da minha devoção.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Manuel,

Mentir muitas vezes não transforma as coisas em verdade. As crónicas das vitórias contra o Bayern e contra o Chelsea foram publicadas à mesma hora, pela mesma pessoa e não me lembro de o ter lido então a queixar-se de que se escrevem rápido crónicas de vitórias.

E está claro que o Manuel - como outros escribas, todos no pleno direito naturalmente - confundem o expor a realidade, crua, nua e triste, dos factos, com a falta de apoio à equipa. Esse apoio não esmorece nunca. Mas a gangrena que muitas vezes ameaça um corpo só pode ser corregida cortando e Lopetegui, actualmente, é uma pustula na estrutura desportiva do clube.

Paulo Rodrigues disse...

Concordo com a análise! Palavras para quê? Só fico espantado por existirem adeptos que defendem este pseudo-treinador! Desde a época passada que jogamos mal, ontem contra o pior Chelsea dos ultimos 10 anos nem uma situação de golo iminente criamos, sensação de perigo na área do Chelsea ZERO! Jogadores perdidos, Herrera e Imbula um desastre e a culpa não é do treinador? Não me vou prolongar pois estou completamente farto de ver sempre os mesmos ENORMES defeitos.

Oitavos de final da Champions? Adeus.

Se perdermos contra o SCP? Adeus campeonato e segundo lugar em risco.

Alexandre disse...

Massa acritica ou apenas não convertidos a sua sanha?
É que por muito que tente mascarar, as evidências (SMS e tais) atestam a sua incompreensível postura de apenas criticar nas derrotas e mutismo nas vitórias.
Ser adepto não significa ser acritico mas muito menos ser um exclusivo exaltador de derrotas e defeitos, incapaz de reconhecer méritos internos.
Adepto ou supoporter, é aquele que suporta, que apoia o seu clube e o seus nos bons e maus momentos e no rescaldo da epoca comunicará as suas conclusões.
Adepto não e certamente aquele que se senta no estádio como se fosse um critico de cinema e que pateia quandi algo não e do seu agrado.
Por fim quanto aos seus pontos, a do CO Adrianse é demostrativa que fez de conta que não percebeu o que quis dizer.

bruno cláudio disse...

alguém se lembra de o fco jogar bom futebol nos últimos 3, 4 ou 5 anos? pois eu não!
com o VP, foi um sofrimento, mas ganhamos 2 campeonatos.
com o PF foi um sofrimento, maus resultados, péssimo futebol, foi corrido antes do final do campeonato, mas há que dizer com um plantel muito, mas muito limitado.
com o basco, epa, não lhe falta nada (até um casillas tem...), e joga-se um futebol péssimo, sem chama nem carácter!
não tem nível para fcp e ponto final.
na época passada também lhe dei o benefício da dúvida, mas isto já roça o ridículo.
tem que sair já!

quero ver o co a ganhar, sempre, nem que seja a VP!
perder, ok, também toca, mas ver bom futebol, entusiasmo nos jogadores e nas bancadas, hoje em dia nada! nível muito baixo.

O2T disse...

@ Alexandre: de acordo!
@João: consegue escrever isso sem se rir? Co Adriaanse - já se esqueceu dos superdragões a abanar-lhe o carro após mais um mau resultado? e dos lenços brancos q CA disse não ter visto após perder 0-2 em casa c slb? e dos 2-3 c artmedia? e do 1-1 c rangers, não tendo passado da fase de grupos da CL?Fez menos pts q JL o ano passado, mas foi campeao sem colinho. É desse Co Adriaanse q fala? Q chegou a meio da época, encostou Baia e mudou o sistema de jogo para 3x4x3? Foi campeão com menos pts q JL em ano de colinho. Fico-me por aqui.

Luís Pires disse...

concordo em boa parte com o Alexandre.

Luís Pires disse...

muito bem Mário Faria. análise lúcida e ponderada (aliás, como é seu costume)

JON disse...

Vale a pena ler este texto abaixo.

http://possedebolla.blogspot.pt/2015/12/a-estrategia-o-merito-e-esquizofrenia.html

Quando o Porto ganhou 4-0 ao U.Madeira escrevi aqui "os resultados toldam..."
Repito-o hoje, para falar não em resultados, mas em ideias e organização. As ideias de Lopetegui são na generalidade más (ataque por laterais apenas, zero ocupação de espaço central, defesa hxh...) e a sua organização é péssima (veja-se o espaço concedido entre-linhas em qualquer jogo, ou a forma como se defendem cruzamentos).

É por isto que se deve pedir mudança, não porque se perdeu com o Chelsea, ou se empatou com o Braga e o Moreirense.

Da mesma forma, há muita gente que continua a bater no Jesus treinador (não confundir com o Jesus pessoa) e a não perceber que Jesus pode ter tido péssimos resultados na CL e ter sido campeão com colinho, mas isso não invalida que as suas ideias e organização coloquem a sua equipa muito mais perto de ganhar do que as ideias e organização de Lopetegui.

PS: assusto-me muito quando ouço falar em Nuno ou em Marco Silva. Muito mesmo, e mais uma vez falo de ideias e organização, não de resultados.

Alexandre Moreira disse...

Apoiar o clube claro.. Mas saber analizar com frieza quando as coisas estão mal..
Ir a Inglaterra para ganhar e jogando sem ponta de lança, significa acreditar que o Mourinho ao ver a falta do Aboubakar, não ia fazer subir o seu bloco defensivo juntos dos médios de transição. O Mourinho viu logo e esperou que o Corona e o Brahimi encontrassem aquela parede azul, ele sabia que o Brahimi so é jogador à partir do ultimo terço.
Todos temos o direito de criticar uma vez que explicamos o porquê.
Não sou do género em apanhar 7-0 em Vigo e acreditar cegamente ser o maior clube português.
Amitiés à tous les Dragons.

João disse...

Pois não devo ter percebido. Fiquei com a ideia que pretendeu sugerir que a "imprensa lisboeta" gerou contestação entre as hostes a Mourinho e Villas-Boas. Ou que foi a "imprensa lisboeta" que injustiçou as brilhantes campanhas europeias e nas taças de Vítor Pereira, ou no campeonato, de Paulo Fonseca. Ou que terá sido a "imprensa lisboeta" que organizou as esperas a Co Adriaanse. Ou que qualquer um destes treinadores, salvo quem apeou a meio da época, tem um currículo MUITO melhor do que Lopetegui. Aliás até quem apeou a meio da época foi a tempo de aviar uma Supertaça, portanto nem esse.

João disse...

Obrigado por provar o meu ponto O2T. Tudo isso culpa da "imprensa lisboeta", certo?

João disse...

Acha Nuno e Marco Silva equiparados em termos de ideia de jogo? Não concordo nada.

JON disse...

Marco procura quase sempre jogar pelas laterais, já era assim no Sporting e nisso não muda face a Lopetegui. Defende relativamente bem, mas não acho que seja um treinador com grandes ideias. Melhor em organização, em ideias não acho grande coisa. Mal por mal, Lopetegui sempre trás grandes jogadores para cá mais facilmente.

http://bolanopinheiro.blogs.sapo.pt/a-analise-ao-olympiakos-de-marco-silva-5002


Quanto a Nuno, joga à equipa pequena e tem ideias de equipa pequena. Baixa o bloco, procura sair em transição rápida, e quase sempre pelas laterais... Pelo menos no Valência era isso. Ou seja: não tem ideias que me agradem.

Eu gostava de ver o nosso clube com ideias de equipa grande, a privilegiar o espaço central, a querer bola e querer jogar bem... O que mais me custa é que jogadores em formação como Neves ou mesmo Aboubakar estejam a ser condicionados a jogar mal como jogam e colocar todas e quaisquer bolas nas laterais, mesmo quando podem atacar o espaço central e criar muito mais perigo. Temo que este condicionamento perdure para lá de Lopetegui!

Pedro ramos disse...

Compreendo aqueles que querem mudança de treinador pela deficiencia das suas ideias e operacionalização, mas ver o que se passou pelo facto de termos sido eliminados da CL mostra, mais uma vez que o mal vai muito além do treinador.
Infelizmente isto tem acontecido sistematicamente com todos os treinadores que nos últimos anos têm passado por cá, ganhem ou não, tenham ou não boas ideias.

O Sr Mário Faria diz e bem que não quer o poder na rua, mas eu contraponho com uma pergunta: neste momento existe algum poder nos gabinetes ou existe sequer uma direcção?

Henrique Rocha disse...

Não sou apologista do modelo Couceiro/Castro, mas uma das coisas que salta de imediato à vista, é falta de confiança que este "lider" vai impondo nos jogadores de jogo para jogo. Isto é, quanto mais prolongarmos... pior. A solução terá obrigatoriamente de passar por um treinador bem experimentado. Temos de uma vez por todas de acabarmos com situações do tipo PF, JL e digo mais, mesmo AVB foi um risco de todo o tamanho, que para mim só correu bem graças à grande equipa que tínhamos na altura.
Por agora, e caso esse treinador (experimentado) não estiver disponível, devemos recorrer a malta da casa, penso que Rui Barros não fará pior do que JL.

O2T disse...

@ João: "Co Adriaanse tem SÓ uma dobradinha na época de estreia." Es-pe-tá-cu-lo! Como recordei, nesta altura da época, estávamos eliminados da LC (Inter, ARTMEDIA e RANGERS) e tinhamos perdido 2-0 em casa c slb e lenços brancos. Certamente o João era um gd apoiante de Adriaanse por esta altura, não é verdade? :)
PS: deixe lá o Vitor Pereira em paz. Em 2 épocas, teve 1 única derrota e perdeu tantos pontos qts Jesus só no ano de AVB (15+12=27) - não, não estou a diminuir AVB, um dos melhores treinadores do FCP de sempre.

Hugo disse...

Alexandre infelizmente tornamo-nos num Real Madrid onde se insulta e assobia toda a gente. Basta lembrar o que sofreu Vitor Pereira. Depois temos adeptos como o Joao que acham isto normal

Alexandre disse...

Caro João, a ultima observação não era para si, mas já que sentiu o toque...
De facto a CS lisboeta dá de comer, mas os instrumentalizados são nossos, sem duvida.

Se querem perceber qual o segredo do sucesso dos últimos 30 anos , é simples, chama-se coesão.

O contrato tacito entre estrutura, jogadores e adeptos que conscientes das limitações se suportavam mutuamente, que se defendiam de ataques exteriores e resolviam dentro de casa e de forma discreta os problemas e insuficiências permitiu que o clube e as equipas se superassem muito para lá das suas capacidades endógenas. Tal permitiu incutir em todos uma ambição realista que se suportava na noção que independentemente de melhores ou piores intervenientes ( e ja vimos muitos), a força colectiva de clube, adeptos e jogadires se sobrepunha aos obstáculos e que por cada golpe ou desilusão todos puxavam para cima, criando uma resiliência que derrotou por cansaço adversarios internos e permitiu fenomenos externos.
Não era a ambição de nota artistica, de exigencia de infalibilidade ou os assobios de soberba de quem, como os benfiquistas pensa que basta ser o FCP para golear.
É o oposto destes delirios de grandeza adquirida quase de transmissão nobiliar.

A grandeza de um clube como o Porto constroi-se com a noção de que só com o contributo de todos e que alcancaremos algo, ao contrário do que o contexto ou fado ditaria.

É que relembro-vos: um clube da 2ª cidade de um pais pobre e centralista, sedeado numa metrópole que e a 2a mais pobre per capita da Europa, se deixa-se cair nestas poses auto-punitivas nunca teria chegao onde chegou.
E se não se reunir de novo e fortalecer a sua coesão então em pouco tempo as fragilidades do nosso contexto se sobreporao uma vez mais. ..

João disse...

Era por aí JON, acho que apesar de tudo o Marco Silva apresenta um futebol mais arejado e organizafo do que o Nuno.

Luis disse...

Não comento.

Unknown disse...

Maior erro de analise passa por querer penalizar apenas um, entao a nossa famosa estrutura nao se apercebeu das falhas no primeiro ano? Não tomaram medidas e os resultados estao a vista. Claro para uns ha a desculpa dos pontos, para outros o mercado interno, a liga europa e por ai vai. E o nosso futebol, a nossa ambição, a vontade de deixar tudo em campo. Isso o treinador nao deu a equipa, falta em lopetegui a estrela de campeao e a ambição de ganhar. So quem fez zapping pode estar satisfeito com os 10 pontos da CL. Penoso, arrastado, triste e sem ideias. A imagem que temos deixado. Esse nao e o Nosso Porto.

FM disse...

Pouca gente nesta altura discorda que o Flope não é treinador para nós. No entanto, tenho muitas dúvidas se a culpa será só dele.

Passámos a ser uns gajos porreiros que comem e calam. O ano passado perdemos o campeonato do #colinho e nem uma palavra, este ano já se viu que o #colinho mudou de cor e está tudo na maior. Até o merdas do treinador do paços se acha no direito de mandar postas na nossa sala de imprensa.

Perderam o medo, perderam o respeito e não vejo "ninguém" preocupado

miguel87 disse...

Alexandre, totalmente de acordo.
Apenas acrescento que, apesar de de reconhecer que o treinador ter condições para fazer melhor em algumas situações, está muito longe de ser o único e muito menos o principal problema do clube nos anos recentes. Muita coisa está mal, e não apenas desde que deixamos de ganhar titulos. Mas enquanto os sócios e adeptos tiverem no treinador o alvo a abater, os verdadeiros responsáveis pela má situação da equipa de futebol, passam serenos e incólumes...

João disse...

Tenho que me repetir. Em que momento dessa sequência de eventos é a "CS lisboeta" tida ou achada na contestação ao treinador? Tem ou não mais currículo num mesmo mês de Maio que Lopetegui em dois anos?

Qual é a dúvida mesmo?

João disse...

Nunca assobiei a equipa, lamento. Até porque não é prática muito corrente na zona da claque. Se tanto, posso ser culpado do contrário. E enquanto duram os 90mins. Do que garantidamente não me podem acusar é de, fora do estádio e facto consumado, me aclimatizar a mau futebol e pior gestão só porque a manada não gosta de barulho.

Se calhar preferiam que poupasse o péssimo futebol e assobiasse o Brahimi à saída, feito imbecil, porque "ele não passa a bola", mas não faço nenhuma das duas.

Hugo Peixoto disse...

Estou completamente de acordo com a sua opinião.

Hugo Peixoto disse...

Face a estas duras críticas ao futebol do FC Porto , todas elas legitimas, mas umas mais sustentadas do que outras e sendo o FC Porto um clube democrático seria fulcral que, os portadores dessas mesmas críticas as apresentassem no local próprio, que são as assembleias gerais do clube. E se tem um programa para liderar um clube com a dimensão do FC Porto sustentado, rigoroso e ambicioso (soluções é o que não falta, pelos diferentes comentários) candidatem-se nas próximas eleições. Seguramente o nosso clube iria ficar a ganhar com as diferentes soluções que se vão gladiando na praça pública.

Paulo Marques disse...

O Manco Silva não é aquele que põe o Roberto a titular?

Paulo Marques disse...

Esqueceu-se da matreirice, ou seja, não lhe serem marcadas faltas e muito menos levarem cartões.

Paulo Marques disse...

"Desde a época passada que jogamos mal, ontem contra o pior Chelsea dos ultimos 10 anos nem uma situação de golo iminente criamos, sensação de perigo na área do Chelsea ZERO!"

O meu problema é que não percebe que isto não é anormal, por muito que achemos que o FCP é um clube de topo.

Paulo Marques disse...

Eu não me lembro de uma época em que se assobiasse a equipa do início ao fim do jogo (não continuamente, obviamente).

Alexandre disse...

Tem razão Hugo.
Só que e um Real Madrid com 1/6 do orçamento e a custa de receitas extraordinárias (venda de jogadores) enquanto os outros retem os melhores jogadores durante anos a ganhar automatismos e rotinas

bruno cláudio disse...

o nuno fez um excelente trabalho no valencia a temporada passada, apreciado por toda a imprensa e pelos adeptos que o adoravam. jogava bom futebol, equipa nova e jovem, ganhou a Madrid e barcelona, retirou o valencia das cinzas e ganhou o acesso a CL.
esta época foi vítima de políticas, perdeu os centrais, teve algumas lesões e foi minado por alguns jogadores, como negredo.

no fcp poderia fazer um bom trabalho, conhece a casa, conhece o campeonato e aposta em jovens.

merece oportunidade, mais que este lopetegui

Braulio Rocha disse...

Obrigado, Alexandre. Já andavam pessoas por aí a dizer que é unânime que o treinador não presta. Neste momento o principal obstáculo do FCP rumo ao título nacional são os seus próprios adeptos. Por mais triste que isto seja.

Hugo Mota disse...

Excelente comentário Alexandre.

Respondendo ao João:
1) O Adriensen foi mais do que contestado, fez uma liga ligeiramente pior do que o Lopetegui (27v-7e-3d) contra (28v-7e-2d), só mesmo o golo do Jorginho contra o Sporting lhe salvou o pescoço. De Vitor Pereira então nem se fala a constante falta de apoio dos adeptos. Pelos visto, o habitual no adepto portista.

2) Por mim até podiam estar 1000 adeptos, que quisessem MESMO APOIAR a equipa. Não pseudo-adeptos assobiadores que tornam o ambiente bastante simpático para os adversários, em vez de tornar o Dragão um local de terror para as equipas que o visitam.
3) Apoel ou Artmedia dizem-lhe alguma coisa?
4) Quer enumerar quantos jogadores de classe mundial tem este plantel? 2. Brahimi e Casillas. Sabe quantos tinha há 3 ou 4 anos atrás?

Nos outros pontos nem respondo, porque não percebi.

O Alexandre tem toda a razão no que diz. A comunicação social faz gato sapato dos adeptos portistas e eles comem alegremente.

Desde quando a nossa equipa é assim tão fantasticamente superior aos rivais? Dos reforços deste ano, quantos fazem a diferença real? André André e Casillas? Talvez Corona? Mas o que é isso comparado com as perdas de Jackson, Danilo, Alex Sandro, Oliver (e mesmo Quaresma ou Casemiro), tudo jogadores muito superiores aos actuais substitutos.

Hugo Mota disse...

Miguel, isso é uma falsa questão.

Ganhar a um Manchester United, Liverpool ou Dortmund na liga Europa, tem mais prestígio do que ganhar a um Gent na Liga dos Campeões. E já nem falo em ganhar a própria Liga Europa, que obviamente seria também prestigiante.

A Champions é a prova rainha. É a prova que dá milhões. Todos a queremos e sonhamos com ela. Mas pragmaticamente falando, se a equipa se encontrar, tem uma palavra a dizer na Liga Europa. Coisa que nunca teria na Champions.

Hugo Mota disse...

Subscrevo na íntegra

reine margot disse...

Amigo André Garcia, o Marco Silva ontem podia ter carimbado a passagem, e - em casa - perdeu 3-0 com o Arsenal!
Se fosse conosco, o que fariam os exigentes adeptos do porto ?

JON disse...

O Nuno joga futebol de equipa pequena. Os adeptos do Valência na sua maioria são como os nossos e ficam felizes com bons resultados. Os resultados o ano passado acontecerem apesar do Nuno e não por causa do Nuno.

Portanto, Nuno, com as ideias que mostrou, não obrigado.

PS: vi muito boa gente sugerir o Rui Vitória como sendo bom treinador também...

Luís Negroni disse...

Os dirigentes/administradores podem ser muito maus; O treinador e até os jogadores também; Mas parece-me pelo que vou vendo e ouvindo, que neste momento o pior do FCP são os adeptos. É um desvario total! Parecem uma caixa de ressonância dos media do regime. Criticam tudo e o seu contrário de forma histérica e com exageros brutais. Quem os ouvir, tal como quem ouvir e ler a comunicação social vermelha, julgará que estamos a 10 ou 12 pontos do 1º lugar no campeonato, com uma dúzia de golos marcados, que fizemos 2 ou 3 pontos na CL e que já não ganhamos nada há 10 anos. E, pior ainda, que já não é possível ganhar nada este ano. O senhor Miguel Lourenço Pereira é uma espécie de porta voz destes adeptos com aparente grau elevado de lavagem cerebral dos media vermelhos. E trás sempre o slb à colação. Dizer que o Galatasaray é o Dínamo de Kiev do grupo do slb, é uma barbaridade, obviamente. E dizer que o treinador do Porto nunca esteve perto de ganhar nenhum título quando ficou em 2º lugar 3 pontos atrás do 1º, é negar uma evidência. Estou convencido que é possível ganhar títulos já esta época, apesar do treinador, apesar do colo transferido para o clube dirigido pelo cara de bébé barbado, apesar das arbitragens, apesar da comunicação social do regime, e desde que os adeptos do FCP sejam inteligentes e guardem as vaias e os protestos constantes para o final ou para depois dos jogos no Dragão, nos blogues, sites desportivos, cafés, assembleias gerais do FCP, etc..

João disse...

Daqui a um bocado vai mesmo a desenho, que parece que é a única forma de os ilustres perceberem. O Adriaanse fez uma campanha miserável na Champions (pelo seu ponto 3, presumo que tenha gostado ou considere normal) e um campeonato irregular. Foi por ISSO que foi contestado, e não por indução da "CS lisboeta". Vítor Pereira foi bicampeão e fiquemos por aí, a primeira Champions foi anedótica (pelo seu ponto 3 presumo que tenha gostado ou considere normal), a 2ª pouco melhor, as performances nas Taças ridículas e os campeonatos ganhos a ferros com um futebol quase transversalmente considerado pouco ou nada apelativo. Foi por ISSO que foi contestado e não por indução da "CS lisboeta". Deu para perceber agora, ou posso começar a abrir o Paint?

2) É um facto. Mas de um estádio às moscas, que era o que a esmagadora maior parte das exibições em casa mais recentes teriam merecido, não se pode queixar.

3) Quando o seu termo de comparação são as brilhantes prestações europeias de Co Adriaanse e VP 1ª época, não posso fazer mais do que concordar e agradecer o reforço de argumento.

4) "Um rei fraco faz fraca a forte gente" já ouviu dizer? Meta o olhinho no que anda a fazer o melhor central da Liga Portuguesa das últimas largas épocas com a mudança do seu então treinador para o outro lado da 2ª circular. É capaz de começar a perceber, porque é que tanto jogador pretensamente bom não dá mais.

João disse...

Mas só para que conste:
Casillas é objectivamente superior a Júlio César e Patrício. Helton é o 2º melhor GR da Liga.
Layún é equiparável a Jefferson, infinitamente superior a Eliseu.
Maxi é significativamente superior a todos os laterais direitos rivais.
Maicon, Marcano e Indi deveriam, TERIAM que ser superiores a Luisão/Jardel/Lisandro e principalmente Paulo Oliveira/Ewerton/Naldo. Só mesmo uma organização defensiva digna da distrital faz disto uma discussão.
William é superior a Fejsa, ambos superiores a Danilo.
Rúben Neves é, no mínimo, equivalente a Samaris, ambos superiores a Adrien.
André André é, no mínimo, equivalente ao actual João Mário, que é 100x mais jogador que o João Mário 2014/15 (vá-se lá saber porquê). Ambos são galacticamente superiores a Pizzi e Talisca.
Brahimi, Corona e, teoricamente Tello, teriam que ser jogadores colocados no patamar de Gaitán, os 4 absurdamente superiores a qualquer outro jogador do Sporting ou Benfica equacionado para o lugar, salvo casos clínicos.
Aboubakar é o melhor ponta-de-lança em Portugal por margem considerável, o 2º é Slimani, Jonas é um bom avançado e Osvaldo tem nível para ser melhor que ambos. Nem vou incluir nas contas um gajo que marcou 17 golos pelo Rayo na La Liga porque não me apetece. Ou o actual melhor marcador da 2ª Liga.
Nenhum deles efectivamente o está a ser. Porque são todos péssimos jogadores, presumo.

Só reparar que já enumerei meio banco e deixei 20M€ e o Evandro de fora, qualquer um deles provavelmente titular de ambos os rivais.

Fica-me a faltar o Herrera e Varela, Quinteros, Hernânis e Ricardos até vou optar por não comentar, duvido sinceramente que algum deles não sentasse o actual titular na posição do Benfica ou Sporting pelo menos uma boa parte da época. O Ricardo então de olhinhos fechados. Aqui estão emprestados. Mas é falta de plantel para os rivais, nitidamente.

Luis Pereira disse...

Concordo em grande parte do que diz o Alexandre. Em tempos, nas derrotas, apoiava-mos o clube mesmo com o silencio. Agora, parecemos "outros", com burgueses, que julgam que os outros clubes são "mecos" e temos a divina obrigação de ganhar. Aburguesamento é diferente de exigência e compremetimento mesmo na derrota.

Luís Pires disse...

e pronto, pelas notícias que circulam aí pela net (antena 1) parece que conseguiram o que queriam e o Lopetegui, ou apenas o "basco", como se lhe refere o título deste post (como num qualquer blogue ben7iquista) irá apresentar demissão.
venha lá então o Pedro Martins, como já alguém sugeriu por aqui, vai ser bonito...

meirelesportuense disse...

O que me incomoda mesmo é a forma como alguns adeptos agem perante estas situações, indescritível e inqualificável.
Aí todo o meu apoio a Lopetegui. criticar sim, insultar não!

Marques disse...

Olá JON, gostei das suas análises, e inclusivamente fui ver os blogs que sugeriu, gostaria de saber a sua opinião sobre Rui Vitoria

André Pinto disse...

A intratável margot quer comparar o incomparável. É o costume com esta senhora, que cada vez que abre a boca, ou dá à pena, chovem disparates. O jogo em que nós podíamos ter carimbado a nossa passagem deu em derrota, em casa frente a um banalíssimo Dínamo de Kiev, por 0-2. Não é comparável a perder com o todo poderoso Arsenal, ou é?

Filipe Sousa disse...

Há uma expressao que diz que "fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes" nao é muito avisado; mudar de treinador, pode nao trazer nada de substancialmente melhor, mas estao 'a espera de que mantendo o Lopetegui?

Marques disse...

Lembro-me de ficarmos três épocas sem ganhar o campeonato, depois vieram duas em que ganhamos tudo. A única diferença foi.....o treinador, até porque quando falamos em treinador, estamos a falar um uma equipa, às vezes extensa de elementos, estamos a falar de filosofias de treino, algo que pode ser complexo (vide, Mourinho "porque tantas vitórias" e outros livros), em fim estamos a falar de uma mini estrutura, que se não funcionar às consequências são só, não vitórias. Por tanto isso de que a culpa não é só do treinador, para mim não colhe muito, até porque todos sabemos como gere o PdC, ou seja dá toda (mesmo toda), liberdade aos seus treinadores, e isso, tratando-se de um bom, médiano ou mau treinador, pode fazer toda diferença.

JON disse...

Eu não vejo muitos jogos do Benfica, mas a minha opinião do RV não mudou desde que o via no VSC. É um treinador que tem experiência e teve sucesso a jogar como equipa pequena: muitos atrás da linha da bola, não assumindo muito o jogo, transições, bolas paradas... Treinar um clube grande é muito diferente e exige outras coisas, sobretudo assumir o jogo. Acho que ele está a ter dificuldades com isso até porque quis aproveitar o modelo do Jesus que é completamente diferente...

Nunca o quis no meu Porto e espero que fique no Benfica mais tempo. Há piores, mas tenho muito mais medo do Jesus.

Marques disse...

Traduzindo, desde que os adeptos, comam e calem.

JON disse...

João, deu um bom exemplo ao comparar o J. Mário deste ano com o do ano passado... Eu acho o J. Mário muitíssimo bom jogador, mas nem vou discutir isso que não é o ponto. O ponto é que ele joga mais este ano porque tem um modelo com algumas boas ideias e bastante organização.

Alguém duvida que se tivéssemos um modelo com melhores ideias e mais organização os nossos bons jogadores (que são vários) iriam render muito mais?

Mais uma vez: criticar Lopetegui não pelos resultados, não por ter ganho ao Bayern e perdido com o Kiev, mas porque as ideias e a organização revelam problemas crassos.

Essa devia ser a tónica de escolha dos treinadores e a pergunta a fazer: quais são as ideias e com que eficácia as coloca em prática?

Infelizmente as pessoas (e muitos dirigentes) olham apenas a resultados e ter feito bons resultados com um VSC, por exemplo, já é suficiente para se ser considerado para treinador de um grande!

Luís Pires disse...

à espera de que se honre a palavra dada, por exemplo.
por muitos milhões que o futebol movimente quero continuar a olhar para ele como aquilo que é, um desporto. os contratos com treinadores não terão que ser cumpridos obrigatoriamente até ao dia final, mas a altura de os reponderar e/ou fazer acertos é em Maio, não a meio da época.
há cálices que devem ser bebidos até final e, já agora, outra expressão: "para melhor está bem está bem, para pior já basta assim" ;)

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luis,

O "Basco" não é nenhuma forma de desprezar Lopetegui. Da mesma forma que ninguém me despreza chamando-me "nortenho" ou "Portuense". Além do mais, a titulo pessoal, há poucos espaços de Espanha que conheço mais bonitos que Euskadi e poucas cidades como San Sebastian. Não vá por aí!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Tem toda a razão Hugo,

Tal como todo e qualquer cidadão (creio que serão 99% mas talvez esteja enganado) que critica o governo apresenta-se, como é seu direito a dever, ao processos eleitorais.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Hugo,

Em 2012 o Athletic Bilbao foi á final da Europa League e ganhou em Old Trafford de forma categórica. Seguramente que há mais pessoas que se lembram disso do que os que foram quarto-finalistas na Champions nesse ano.

A Europa League é a terceira divisão do futebol europeu e o glamour de uma eliminatória com eco mediático residual, não compensará nunca chegar aos oitavos de Champions League salvo se for coroada pelo titulo!

João Barbosa disse...

JON, e o que pensa de AVB? x)

Muito sinceramente, acho que o Zenit pratica um futebol sofrível no mínimo (e apesar dos bons resultados na LC deste ano, os jogos foram quase sempre resolvidos pela inspiração de Hulk ou Dzyuba). Não sei se tal se deve a problemas internos (mau ambiente, jogadores pouco estimulados pelo treinador...) ou outro motivo.

Por outro lado achei interessante (sem deslumbrar) o trabalho dele no primeiro ano no Tottenham.

(a análise aos desempenhos dele pós-FC Porto 10/11 foram propositadas #euqueriaeraovitorpereira)

Luís Pires disse...

acho que o Miguel vive em Espanha (pelo que percebi no blogue). mas não desconhece certamente quem e porquê aqui em Portugal chama ao Lopetegui "o basco". parece-me pois que neste blogue seria de evitar tal referência no título da crónica. mas não leve isto como uma crítica feroz, de resto, gosto de o ler, concordando umas vezes, não concordando outras :)

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luis

Sei perfeitamente os "porquês" mas o que outros, e muito menos, "outros" aos quais devoto zero do meu tempo, não poderiam condicionar a minha crónica.

Aliás, se o Lopetegui nos estiver a ler - que não está - preferia um titulo "O enterro do basco" a um "O enterro do espanhol" tal a sua filiação politica nesse sentido uma vez que ele, como a maioria dos seus familiares, conhecidos em Guipuzkoa pela sua associação aos movimentos nacionalistas, se sente mais basco que espanhol.

Mudar os nossos titulos por aquilo que outros dizem era, precisamente, dar-lhes relevância. A que não têm!

Luís Pires disse...

Miguel, desculpe insistir, mas então só fica mesmo a faltar a explicação para o título ser "o enterro do basco" em vez de "o enterro de Lopetegui", porque não entendo a referência à nacionalidade...
não leve a mal, mas se por acaso responder, só mais tarde lerei, um bom fds :)

Luís Vieira disse...

De acordo, JON. Mas o Lopetegui, quando chegou, vinha com um historial de ideias muito interessantes. A sua filosofia ou era enganadora ou ele pura e simplesmente não conseguiu/quis implementá-la no FCP. A transição defensiva, no ano passado, alcançou bons níveis, este ano é uma sombra. Já a organização ofensiva é igual, a diferença está nos intérpretes (que falta fazem Óliver e Jackson). Por isso, mais importante do que as ideias, a meu ver, é a capacidade de operacionalizá-las. O Jesualdo, por exemplo, não tinha ideias brilhantes, mas punha em prática o seu modelo de jogo de forma exemplar, com os resultados conhecidos. Claro que se se conjugarem as duas vertentes (filosofia e prática excelentes), tanto melhor, mas não é fácil.

Hugo Peixoto disse...

No seu caso acho que o deveria fazer. Porque pelas suas continuas e acérrimas críticas, a quase tudo o que se passa no FC Porto e com as suas aulas teóricas de como se deve gerir um clube, tanto a nível de gestão desportiva, como de conhecimentos técnico táticos, faria todo o sentido. Faria também sentido aparecer nas assembleias gerais do clube e dizer de sua justiça, porque nos blogs é muito fácil falar. Se acha que está tudo assim tão mal diga-o de viva voz, confronte a direção do clube ou a administração da SAD se for acionista. Aí fazia todo o sentido, não é andar época após época a tentar manipular quem o lê. Se aparecer numa das próximas assembleias gerais e se decidir a falar, estarei como sempre presente para o ouvir. Aí sim, mesmo que não concorde consigo enalteço a sua postura.Porque os blogs estão cheios de oposição cobarde e sem sequência. Porque quando o FC Porto ganha mantêm-de calados, quando perde soltam-se as amarras. E é ainda mais engraçado ver a taxa de assiduidade dos associados, às mesmas assembleias gerais. Se o clube está a ser mal gerido, apareçam!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Essencialmente porque me apeteceu.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luis,

Enquanto vivi no FCP, como socio que era, estive presente em varias AG. Desde há nove anos que não o faço nem a forma como o clube é gerido justifique um voo de ida e volta num dia de trabalho para dizer numa sala para 50 ou 60 pessoas o que aquí digo para milhares.

Luís Pires disse...

é um motivo como qualquer outro mas, assim sendo, de essencial nada tem ;)

José Rodrigues disse...

O Hugo Peixoto parece estar tão "bem" informado sobre o FCP q nem sequer sabe que a Direção se recusa a falar de assuntos de futebol nas AGs do clube por ser "assunto da SAD".

Antes de se mandar postas de bacalhau convinha saber-se do q se fala.