terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Líder silencioso, clube desamparado


Já passaram 2 dias do jogo FC Porto x Marítimo e nem uma reacção pública do Presidente – ou de alguém ligado à SAD – sobre a arbitragem de Jorge Ferreira. A única posição oficial, ou oficiosa, surgiu esta manhã pela pena de Francisco J. Marques no “Dragões Diário”. Já aqui disse que esta rubrica expõe muito bem os podres da arbitragem e as artimanhas dos adversários, mas não tem o mesmo impacto nem impõe o mesmo respeito que afirmações in loco pelos responsáveis da SAD aos microfones da comunicação social.

A opinião de Jorge Coroado sobre esta arbitragem:
"Parece mas não se trata de perseguição, é mesmo muito fraquinho. Insistir na sua manutenção é contributo indelével para a descredibilização do setor. Castigos máximos por assinalar e atropelos à lei da vantagem engordaram prestação negativa."

Não me esqueço que foi este árbitro que esteve no empate com o Boavista no Dragão em que expulsou Maicon por uma entrada de carrinho. Não me esqueço que foi este mesmo o árbitro do jogo Moreirense x SLB de Fevereiro de 2015 que marcou um canto escandaloso, inexistente, de onde nasceu o golo do empate do SLB para, logo de seguida, expulsar um jogador do Moreirense por palavras que lhe terá dirigido. E no passado Domingo, este “habilidoso” de Fafe veio ao Dragão para nos roubar descaradamente. Outra vez.

árbitro Jorge Ferreira, da A.F. de Braga

Veja-se por exemplo a arbitragem do algarvio Nuno Almeida no jogo da Taça de Portugal, no Bessa (Boavista 0-1 FC Porto). Foram mostrados 6 cartões amarelos e 1 cartão vermelho directo à equipa do FC Porto e apenas 1 cartão amarelo à equipa do Boavista e quem assistiu ao jogo sabe que para os do Boavista era “canela até ao pescoço”. O problema é que qualquer árbitro da merdaleja de baixo já se sente à vontade, com uma legitimidade quase natural para prejudicar o FC Porto, porque sim. Na imagem abaixo, perante o submisso capitão Herrera, aquando da amostragem do vermelho directo a Imbula por uma calcadela, o árbitro algarvio, de dedos em riste e pose autoritária e ameaçadora. Esta imagem vale mais que mil palavras.

árbitro Nuno Almeida, da A.F. do Algarve

Há muitos anos que nem Presidente nem qualquer outro membro destacado da SAD defendem publicamente o clube de arbitragens tendenciosas, de nomeações incompreensíveis, de pontuações desvirtuadas e de falsidades e tratamento discriminatório da comunicação social lisboeta. O “pós-apito dourado” tem-se revelado penoso do ponto de vista da comunicação externa no FC Porto. Acabaram por ser os treinadores que, na última década, defenderam publicamente o Clube contra os referidos abusos. E nunca é demais nomeá-los, porque merecem: Jesualdo Ferreira, André Villas-Boas, Vítor Pereira, Paulo Fonseca, Luis Castro e Julen Lopetegui. Mas essa defesa pública trouxe-lhes muito desgaste. Ao treinador do FC Porto, para além do seu trabalho core, é-lhe exigido que defenda o seu grupo de trabalho e o clube perante uma comunicação social hostil e ardilosa e perante uma corporação – a arbitragem – dominada desde o topo pelos emblemas lisboetas, com o SLBà cabeça. E não deveria ser assim.

O Futebol Clube do Porto precisa de quem o defenda de viva voz e no momento certo. O Clube precisa de um Presidente que, no final de um jogo com uma arbitragem da estirpe da de Jorge Ferreira, desça à zona de imprensa e faça uma declaração pública acusando e denunciando estas situações. E, se necessário for, que afirme peremptoriamente que o “artista” em causa não volta a apitar o FC Porto. Ponto.

Infelizmente, das linhas orientadoras para o mandato a que Pinto da Costa se recandidatará, e que foram reveladas pelo próprio na entrevista da semana passada ao Porto Canal, não faz parte um combate forte e determinado ao poder instituído do SLB no seio da arbitragem nacional.
   

23 comentários:

Recreativo de Cá e Lá disse...

Exacto. Desde 2009 que o SLB controla a APAF e a CA.. e o FCP mantém-se mudo, quedo, quedo, calado..

Ontem ficamos a saber que há 28 jornadas que os árbitros em Portugal não marcam 1 único penalty contra o SLB. Ao todos são 36 jogos sem que os árbitros em Portugal tenham coragem de assinalar penalty contra o Clube do Regime.

Recreativo de Cá e Lá disse...

A tese é muito fácil de explicar. Existem 3 candidatos ao Título. Se por acaso os árbitros arrumassem já com o FCP.. ficariam apenas 2.

É esta a ideia base da filosofia do Capo da CA. Arrumar com o FCP, para ficar só com os 2 clubes de Lisboa, um em 1º e outro 2º lugar !!!

Pedro Nunes disse...

Excelente post que traduz exatamente o que se está a passar.

Mas há mais... No ultimo jogo no Dragão, quando SUK cai na entrada da área, os jogadores do marítimo rodearam o jogador do Porto forçando-o a levantar-se.

Nenhum colega de equipa ajudou o Suk. Em pleno estádio do dragão rodeiam um jogador nosso e ninguém mexe uma palha para ajudar. Onde está o espirito que nos tornou fortes, de jogadores como Jorge Costa, o João Pinto, o Bruno Alves etc. Alguma vez nos ultimos 30 anos um jogador do Porto é rodeado pelos adversários em pleno estádio das Antas ou Dragão, sem que os colegas imediatamente aparecessem?

Este Porto está uma bandalheira...

Francisco Paulos disse...

É por isto que devia aparecer outra candidatura para acabar com este marasmo.Quem não se sente não é filho de bia gente lá diz o povo. Se PC não quer ou não pode falar que delegue em alguém mas assim é que não podemos continuar.

Antonio Malafaia disse...

Completamente de acordo,já avancei com a possibilidade da o Porto Canal ter programas específicos sobre as arbitragens, onde estas fossem escalpelizadas até ao tutano, bem como as ligações dos árbitros, à semelhança do que fazia a benfas tv, quando era em sinal aberto (agora não sei se ainda o faz). Por outro lado, o Dragão é o "melhor" dos estádios para apitar. A maior parte dos assistentes não pressiona minimamente os árbitros. Tenho para mim que o barulho das nossas claques seria bem mais eficaz, se tivesse em conta o que se passa dentro do campo e pressionasse efetivamente os árbitros, coisa que não faz. É claro que isto não invalida as ações de protesto por parte dos responsáveis da SAD, em tempo útil e assertivas. Será porque o Antero está sempre a olhar para o SMARTphone, enquanto o jogo está a decorrer...

JOSE LIMA disse...

Caro Nuno Nunes
Muito bom artigo, gostei especialmente da menção aos treinadores que nos tem defendido. Esta Sad caminha para o abismo. Abraço

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Tiago Martins para o Estoril!

http://www.tickcounter.com/countup/1426965900000/europe-london/dhms/FFFFFF3B5998000000FF0000/%C3%81RBITROS_N%C3%83O_MARCAM_PENALTIES_NA_%C3%81REA_DO_SLB_H%C3%81?utm_source=widget&utm_medium=CountUp&utm_campaign=widget

Luís Vieira disse...

A entrevista do Vítor Pereira (Presidente do CA) ao Record é elucidativa. Já não tem sequer vergonha na cara, fala com desfaçatez. Se a realidade não bastasse para confirmar o que o Recreativo de Cá e Lá afirma, acrescentaria que sei, de fonte segura, que o poder sobre a arbitragem se deslocou para Lisboa, sob a égide do 5LB. Os árbitros obedecem a quem manda, i.e., a quem influi nas classificações e, por conseguinte, nos salários. Não é conspiração, porque não alinho nisso, mas factualidade. A Direcção do FCP perdeu o poder e agora entende que é melhor não melindrar os senhores do apito para não ser ainda mais prejudicada. Em simultâneo, não quer pôr em causa o Pedro Proença, nem a idoneidade da Liga. Eis as razões do silêncio.

Daniel Gonçalves disse...

"O Futebol Clube do Porto precisa de quem o defenda de viva voz e no momento certo. O Clube precisa de um Presidente que, no final de um jogo com uma arbitragem da estirpe da de Jorge Ferreira, desça à zona de imprensa e faça uma declaração pública acusando e denunciando estas situações."

Concordando com a opinião do Nuno Nunes, considero no entanto que este papel poderia - e deveria - ser desempenhado pelo Director do Departamento de Futebol, um pouco à imagem do próprio Jorge Nuno PC aquando do regresso de José Maria Pedroto às Antas em 1976, quando Américo de Sá era o Presidente do FC Porto. O Director do Depart. não deve estar naquela função apenas para encetar negociações com outros clubes para contratar jogadores.

Miguel Magalhães disse...

O clube precisa de um Presidente. Ponto final. Não é preciso dizer mais nada.

Soren disse...

Parabéns pelo texto Nuno.

O problema é que Pinto da Costa seca tudo à sua volta, ninguém está autorizado a falar senão ele próprio; e não se rodeou de gente jovem, com garra, que queira o FC Porto tanto como ele quer.

Em pouco mais de três anos o Benfica jogou 30 vezes em superioridade numérica no nosso corrupto e vermelho campeonato.
São 28 jogos sem uma penalidade contra. A época passada foi um escândalo de proporções épicas. A direcção do nosso clube, caladinha, o director do departamento de futebol de telemóvel no banco e o resto do pessoal a assobiar para o ar, enquanto os treinadores, isolados, são trucidados por arbitragens escandalosas e crucificados publicamente pela máquina de comunicação centralista.

O exemplo vem de cima. É por isso que o Suk vai continuar a levar porrada e a cair e a ser levantado, sem que ninguém mexa uma palha.

No Estoril, ou somos 10 vezes superiores ao adversário ou não passamos.
Ainda me recordo das 3 expulsões deste artista aos B's na época passada. Absolutamente ridículo. Um gajo que com 2 jogos de primeira Liga chegou a Internacional. A "promessa" dizem eles.

Enquanto o ADN do clube continuar a ser defraudado pelos seus, bem podeis passar aqui tardes inteiras, a discutir modelos de jogo e sistemas tácticos como se percebesseis alguma coisa de bola. Não adianta.

Ou o Porto volta às origens e ao combate centralista e anti-fascista, ou então é simples: é continuar a convidar os serpas desta vida para as galas dos Dragões de Ouro no Dragão Caixa, enquanto o hóquei joga em Fanzeres e o andebol em Viseu.

O clube está descaracterizado. A atitude comunicacional dos seus dirigentes é de uma incompetência atroz.

No hóquei por exemplo, as vergonhas têm sido do mesmo calibre, mas isso seriam conversas para outras núpcias.

José Correia disse...

Caro Soren, parabéns pelo comentário. É isso mesmo.

Antonio Pinto Cardoso disse...

Concordo com muito do que aqui se diz, mas também discordo de outro tanto.
O Benfica a jogar assim nem de arbitro precisa, já o F.C.P. tal como aquele criminoso do espanhol o pôs a jogar, e vai demorar a inverter as coisas, nem com boas arbitragens lá vai.
No Andebol não há problemas porque a jogar daquela maneira não há arbitragem que nos faça mossa. No Basquetebol é praticamente a mesma coisa, quando a competencia existe ninguém fala do presidente nem das arbitragens.
Quando o futebol praticado pela nossa equipe, for como já foi, de vencer e convencer, os arbitros deixarão de ter influencia e mesmo contra cartões mal mostrados e faltas mal assinaladas o F.C.P. ganhará.

miguel87 disse...

A arbitragem não é problema.
Os adeptos identificaram o alvo, o presidente confirmnou-o de viva voz.
Lopetegui foi, é e será o problema que nos impede de ganhar!
O resto é treta... amanhem-se!

John Menezes disse...

O presidente do FC Porto abordou as negociações por José Sá e Marega, garantindo que fechou a contratação dos jogadores com o Marítimo após o jogo realizado no passado domingo, no Dragão.

«Não há negócios difíceis nem fáceis, há negócios que se fazem no momento próprio. Quando se lida com pessoas corretas e de boa-fé torna-se mais fácil. Falei com o Carlos Pereira [presidente do Marítimo] durante o jogo, marcámos um encontro para o final, fomos jantar e nessa mesma noite ficou concretizado», referiu Pinto da Costa em declarações ao Porto Canal.

O líder portista aproveitou para destacar a «lisura» do seu homólogo do Marítimo, salientando:

«É um reaproximar cada vez maior. Desejo que tenham o sucesso que esperamos e que o Marítimo possa prosseguir a sua caminhada e tenha as maiores felicidades.»

http://abola.pt/clubes/ver.aspx?t=5&id=594487

Saci Pererê disse...

Finalmente uma critica com pés e cabeça.

O2T disse...

@ RP: sugeria tags dos autores, para permitir perceber a evolução das intervenções de cada um.
@ Nuno Nunes: após a entrevista de PdC, o seu 1º artigo foi sobre Tello (errado, como comentei na altura) e o seu 2º é este: "O Futebol Clube do Porto precisa de quem o defenda de viva voz e no momento certo. O Clube precisa de um Presidente que, no final de um jogo com uma arbitragem da estirpe da de Jorge Ferreira, desça à zona de imprensa e faça uma declaração pública acusando e denunciando estas situações. E, se necessário for, que afirme peremptoriamente que o “artista” em causa não volta a apitar o FC Porto. Ponto." Acha mm q seria assim tão simples? Teria sido suficiente para travar o manto protetor (goste-se ou não de Lopetegui)?
Concordo que é importante ser mais contundente (pode ser via Dragões Diário), mas no imediato, parece-me mais importante reforçar/ajustar o plantel e estabilidade para Peseiro ir recuperando/transformando a equipa.

Hugo Mota disse...

Caro António Cardoso, foi precisamente com essa forma de pensar mansa e a acreditar piamente no bom futebol praticado pela equipa, que o FCP cresceu. Ou não seria pela garra com que nos insurgimos contra os roubos e o centralismo lisboeta? A nossa imagem de marca sempre foi a revolta contra os velhos tempos Salazaristas de divisão dos títulos por 2 equipas. Sendo campeões europeus ou perdendo campeonatos, fomos fieis a essa bandeira. E foi com ela que ganhamos o respeito de todos. Que fomos TEMIDOS! O caro António aparenta idade suficiente para não acreditar em contos da carochinha. Na temporada passada ROUBARAM o título ao Lopetegui! A primeira volta foi um chorrilho de arbitragens escandalosas em favor dos vermelhos. Bastava nos jogos com o Gil Vicente, Moreirense, Estoril e Nacional existir honestidade, e tinhamos ganho o campeonato com mais de 5 pontos de avanço. Eu não me identifico com o papel de bom rapaz que gosta de ser comido. Mas isso é a minha opinião.

Nuno Nunes disse...

Os meus artigos estão no arquivo do blog. Basta procurar.

Não há artigos "errados". Há opiniões. Eu tenho a minha e, sempre que entender, transmito-a no blog. O O2T tem a sua opinião. No caso do Tello , são opiniões opostas, pelos vistos. Paciência.

Conforme escrevi no artigo, é urgente que o clube tenha uma voz no momento certo. Se o Presidente não se quiser expor, então que delegue essa missão em alguém de confiança. O resultado de uma década de silêncio e de conivência com o sistema está à vista e suplanta treinadores e jogadores.

O2T disse...

Sobre o Tello não são opiniões opostas. Basta ler o seu artigo e comparar com a realidade. Era público desde início q Porto pagava € 2M. Passámos a saber (antes do seu artigo) q esse valor diminuiria em função da utilização do jogador. http://www.maisfutebol.iol.pt/geral/19-01-2016/fc-porto-tem-de-pagar-por-cada-jogo-em-que-nao-utiliza-tello
E até Vitor Oliveira fala deste tipo de contratos... http://www.maisfutebol.iol.pt/ii-liga/liga/charters-de-duvidas-no-patrocinio-mais-polemico-do-futebol-portugues
Concordo q precisamos de nos insurgir mais contra as arbitragens. Apesar de termos q estar preparados para elas, não podemos calar e considerá-las naturais. Já discordo q o momento certo seja o que sugere. Lopetegui criticava com razão e mts portistas caiam-lhe em cima...
Qt ao arquivo, não leve a mal a ideia de tags. São muitos autores no RP e permitiria enquadrar melhor os artigos e perceber melhor a linha de raciocínio de cada um.

Kostadinov disse...

Uma década com os campeonatos que conquistamos e uma Liga Europa, é pouco realmente, mas não vejo alguém melhor.
O mal foi ter escolhido um treinador que nem no Dragon Force treinaria, mas isso pelos vistos não interessa grande coisa.
Os que estão sempre a falar e defendem a estrutura, estão fartos de titulos.

Luís Santos disse...

Quem cala consente. Para o bem e para o mal. Este é apenas um dos males que actualmente afecta o nosso clube. O Pinto da Costa aguerrido e corajoso, deu lugar nos últimos anos ao Pinto da Costa simpático e apático. Não seria expectável que o nosso presidente mantivesse na actualidade as capacidades que tinha aos 50 ou aos 60 anos, mas nenhum portista desejará que contribua, ainda que de forma passiva, para destruir aquilo que tão habilmente construiu. Ao ouvir a última entrevista e as declarações mais recentes do nosso presidente, fico a pensar que o Pinto da Costa de há vinte anos afastaria o Pinto da Costa actual da estrutura do nosso clube.

Soren disse...

António Cardoso, o Benfica vai em 19 jogos (todas as jornadas jogadas até agora) sem um penalty marcado contra e sem uma única expulsão.

Continue a acreditar que foi por causa do Lopetegui que perdemos o campeonato passado. Mas depois de ver e rever as estatisticas e interpretar as manigâncias da arbitragem nacional, dos túneis, dos Estorilgates etc, não se queixe dos treinadores nem dos plantéis (por favor).