sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Uma pessoa.

Um treinador, quando é despedido, normalmente cai vitima de um de três factores. 
Ou são os resultados que lhe custam o lugar ou são as suas relações com jogadores (sobretudo) e dirigentes e adeptos (também) que precipitam a sua queda. Em última análise pode-se inclusivé despedir um treinador apenas e só porque o clube tem na carteira uma opção que considera mais adequada e prefere mudar de capitão de navio a meio da travessia. Dir-se-ia que Lopetegui foi vitima dos maus resultados mas o facto é que, salvo pela eliminação da Champions League (podia ter sido despedido aí?) e de uma semana horribilis - três jogos, zero vitórias - os registos do basco não eram muito diferentes dos apresentados na época passada. A sua má relação com alguns jogadores era conhecida da SAD desde há meses e com os adeptos a falta de sintonia sempre esteve presente. E não é segredo - pelo menos é-o cada vez menos - que há muito tempo que só Pinto da Costa queria ver Lopetegui na "cadeira de sonho". Ora isso deixa-nos com a terceira opção, a de que o clube já manejava outro nome e não queria perder a oportunidade de o contratar. Até porque, convenhamos, ninguém - absolutamente ninguém - muda de treinador sem ter a menor ideia do que vai suceder no futuro imediato. Ninguém salvo a SAD do FC Porto.

Há muita gente que está a falar na necessidade de ter um treinador com X perfil e que triunfe a partir de Junho. Parece-me uma ideia excelente. Apenas com um senão. O de que o FC Porto está vivo - e bem vivo - em três competições. O Porto pode vencer, a dia de hoje, exactamente os mesmos troféus que venceu no ano de Villas-Boas. Está a apenas quatro pontos do Sporting com 17 jogos por disputar (uma barbaridade). Está nas meias-finais da Taça de Portugal, a disputar com uma equipa da Segunda Liga e a duas mãos pelo que é expectável imaginar que numa final com Braga ou Rio Ave o favoritismo seja absoluto. E está nos 16 avos da Liga Europa com uma excelente equipa, como é o Dortmund, do mesmo modo que estivemos em 2011 contra outra excelente equipa que era o Sevilla (recordista de titulos na competição). Não se trata de calcular se o plantel é igual de bom que aquele (não é), que a dinâmica da temporada seja a mesma (não é), mas sim de que, na prática, o Porto pode levantar três titulos. E podia tê-los feito com ou sem Lopetegui. Especialmente se o "sem Lopetegui" resulta ser um desastre que já leva uma semana às costas sem solução à vista.

Não faz qualquer sentido despedir um treinador quando não se sabe quem o vai substituir.
Há duas vias a seguir. Ou apostar numa versão temporal - alguém da casa ou um treinador a curto prazo (como foi Couceiro) - assumindo que a grande aposta fica reservada para a próxima época ou avança-se já para um nome para pegar na equipa e seguir com o projecto (como Mourinho). Não valem as desculpas de que não há nomes disponiveis e isso justifica o atraso. Não valem porquê? Porque o clube já sabia disso "antes" de despedir Lopetegui, nada mudou no mercado de treinadores. O que é evidente é que o ciclo de jogos dificeis passou e para ganhar ao Boavista (duas vezes) e ir a Guimarães, servia tanto Lopetegui como serve Rui Barros. E se o ciclo se prolongar para além disso, o ridiculo da situação aumentará. Afinal parece que todos os problemas se resumem, na cabeça da SAD, a uma só pessoa quando são muito maiores e evidentes do que isso. 
Quem vai decidir os descartes e incorporações no mercado de Janeiro?
Quem vai decidir que jovens da equipa B justificam a promoção á equipa principal caso jogadores com poucos minutos como Jose Angel saiam do clube agora?
Quem vai definir o onze e o modelo táctico para atacar os 3 - repito, 3 - titulos ainda em jogo? 
Se a resposta às três perguntas é Rui Barros, fica claro que a SAD acredita mesmo na fórmula de "até um inexperiente pode ganhar graças à estrutura" porque por muito boa pessoa, grande figura do clube e tipo com sorte que seja o "Rato Atómico", atacar o fim de época a lutar por tudo com Rui Barros parece um erro descomunal. Se a resposta é "uma pessoa", ficamos descansados porque, pelo menos, Pinto da Costa não acredita que um macaco possa treinar o plantel. Algo é algo.


O que é certo é que a estrutura quis nestes dias queimar publicamente Lopetegui e fazer dele o motivo de todos os males do clube. Soltou cá para fora tudo o que andou a guardar sobre as relações no Olival com empregados, jogadores, dirigentes. Colocou informação sobre a rescisão, acusando o treinador de querer tudo e mais alguma coisa transformando o clube numa vitima da sua avareza quando o empresário do treinador desmentiu de imediato que essas noticias fossem verdadeiras. E, ainda que este não fossem falsas, um trabalhador - seja ele quem for - tem o direito a receber o que tem de direito. Não estou a ver eu um executivo da SAD a ser despedido do cargo sem exigir todos os seus prémios e royalties. Afinal foram eles que receberam o prémio pelo Porto ter ficado em terceiro lugar em 2010 quando, num outro tempo, ser terceiro no Porto deveria dar azo a umas semanas de "pão e água" para por a casa em ordem. Enquanto essas noticias vão saindo - e têm sido muitas - os árbitros continuam a fazer o que querem em jogos do FC Porto que, para isso, que é muito mais sério, já sabem que podem contar com o silêncio cumplice da "estrutura".
Lopetegui - que nem sequer foi oficialmente despedido e teve de colocar uma carta, educadissima, na sua web (como Benitez com o Real Madrid, aliás) - manteve até agora um low profile mas não surpreende nada que as verdades sobre o que realmente se passou se venham a saber por pais, amigos, jornalistas espanhóis e ex-jogadores que falem por ele. Todo este processo girou à volta da demonização de Lopetegui ao mesmo tempo que o clube - as facções dentro do clube e os agentes alinhados com este e aquele - iam deixando cair nomes e mais nomes a tal ponto que hoje o banco do Porto parece o plantel do Benfica em pré-época, cabem todos, o que importa é vender fumo. Perfis como os de Jesus, Marco Silva, Leonardo Jardim, Rudi Garcia, Sampaoli, Villas-Boas, Sergio Conceição, Pedro Martins, Paulo Bento, nomes que nada têm comum e que representam um evidente  desnorte do caminho a seguir. Claramente a SAD está sem ideias e num ano de eleições convém apresentar um projecto convincente. Que todos esses treinadores tenham contrato ou tenham mostrado pouco/nenhum interesse em vir parece importar zero. Será "uma pessoa", de isso podem estar certos.

Enquanto a equipa for ganhando jogos que devia ganhar, com Lopetegui, Rui Barros ou a "pessoa", muitos adeptos vão sentir que a situação está controlada. Passa exactamente o oposto. A SAD está paralizada, sem saber o que fazer. Não queriam Lopetegui - e tinham motivos - mas também não tinham um plano B. Trata-se agora de colocar o favorito de cada um na pole position e rezar para que a jogada funcione. Afinal, já vão duas seguidas erradas, até quando o crédito é suficiente? Rui Barros pode estar só em Guimarães (e isso de abordar ou deixar cair a incorporação do treinador do futuro rival, que já passou com Fonseca, é uma jogada muito "à Benfica" senhores da SAD) ou se calhar acaba o Inverno no banco. É o resultado de uma politica de deriva total e absoluta onde o importante é continuar a acreditar na omnisciência e acerto absoluto (uma das maiores mentiras históricas do clube) de um homem que está tranquilo porque no final de contas o treinador será "uma pessoa".

42 comentários:

Pedro Reis disse...

Grande e acertadíssimo artigo, caro Miguel! Na mouche!
O desnorte na SAD continua bem evidente e ao que tudo indica estaremos a caminho de mais uma "escolha" fortuita e com muito pouca visão de futuro - Sérgio Conceição. Mal vamos nós, quando um clube que movimenta todos os anos os milhões que sabemos, que tem a projeção que tem na Europa e jogadores de grande qualidade (entre a equipa A e B), não consegue atrair um alvo de qualidade como Marco Silva, Leonardo Jardim, Paulo Sousa ou AVB! É sinónimo da falta de assertividade dos dirigentes e até da desconfiança com que os treinadores já vão olhando para o nosso clube...
Pelo que vi nestes 2 jogos com o Boavista, se não podemos contratar um dos verdadeiros alvos que tínhamos (ou deveríamos ter) a meio da época, então para ter uma solução de recurso mais vale o Rui Barros que me tem surpreendido pela ponderação e equilíbrio das palavras e das escolhas.

Pedro Reis disse...

Deixo ainda aqui o texto de um artigo interessante que li no Mais Futebol:

"No último Box-to-box contei a história de Gary Birtles, o avançado a quem os adeptos diziam que Kennedy ainda estaria vivo, se tivesse sido a ele dar o tiro.
Esta semana volto a ele, o que é um péssimo sinal: significa que entrei naquela fase da minha vida em que já conto duas vezes a mesma história. Não pode ser bom prenúncio.
Mas enfim, penso nisso mais tarde.
Importante agora é recordar que Gary Birtles foi goleador no Nottingham Forest, subiu duas vezes de divisão, foi campeão inglês, foi duas vezes campeão europeu e foi então contratado pelo Manchester United. Em Old Trafford cumpriu uma época, sempre a titular: jogou, correu, rematou, e não fez nem sequer um golo.
Por muito que tentasse, a bola não entrava.
Quando lhe perguntaram o que tinha realmente acontecido, o ponta-de-lança foi honesto: sentia-se constrangido. «Foi um choque. Até as torneiras do balneário são douradas...»

Ora lembrei-me desta história a propósito de Lopetegui, mas não apenas dele: a verdade é que o FC Porto não tem um treinador que saiba ser ele próprio desde Villas-Boas.
Nos casos de Vítor Pereira e Paulo Fonseca foi mais óbvio que não estavam a ser naturais, percebeu-se quando saíram do Dragão e se revelaram pessoas totalmente diferentes. Mas também me parece que o próprio Lopetegui raramente conseguiu ser ele mesmo: desde o início que surgiu metido numa crosta, de onde só saía para atacar tudo o que mexia.
Não conseguiu ser natural, lá está, e se calhar por isso é que não teve a autenticidade de saber olhar para dentro e perceber que não estava a fazer bem as coisas.
Por que é que isto acontece? Por uma razão muito simples: falta de temperamento. O FC Porto inibe, no fundo. É um clube organizado, com uma estrutura sólida e capacidade de construir grandes equipas. Desconfio que se tornou uma oportunidade maior do que alguns treinadores pensam que merecem. Por isso ficam intimidados.
Se calhar foi por isso também que Lopetegui, quando foi pedir a desvinculação da Federação Espanhola, justificou tudo numa frase a Angel Villar: «Presidente, o FC Porto quer-me...» Como se fosse uma oportunidade boa de mais para sequer ser discutida.
Ora nesta altura em que procura um treinador, vale a pena o FC Porto estar atento a isto.
Ser campeão no Dragão já não é fácil, o Sporting e o Benfica estão muito mais fortes do que eram há uns anos, mas no Porto continua a morar o clube que dá mais, e exige mais. Não é qualquer um que consegue triunfar: é preciso ter talento, sim, mas é preciso também ter têmpera, carácter, personalidade. Não se deixar enfim inibir pela oportunidade.
Fica o aviso."

Lápis Azul e Branco disse...

"Não faz qualquer sentido despedir um treinador quando não se sabe quem o vai substituir."

De acordo. Excepto se em poucos dias a situação se tornar insustentável e o líder se vir forçado a aceitar que seja feita a vontade dos seus pares sadísticos. E ninguém se atreve a contactar treinadores nas costas de PdC, que eu saiba.

Defendi a continuidade de Lopetegui até final da época, mesmo tendo defendido sem hesitação que deveria ter saído no final da anterior, porque não acredito em mudanças a meio do caminho salvo raras excepções que expliquei no texto sobre o assunto.

Mas não creio que seja líquido (bem pelo contrário) que com Lopetegui teríamos ganho estes dois jogos ao Boavista.

Quanto às falhas na escolha do treinador, sou pelo dito popular: "À terceira é de vez". Para um lado ou para o outro.

Abraço portista

LAeB : Do Porto com Amor

Fernando B. disse...

Será que sou má-lingua ?
Será que estou velho para perceber determinadas coisas?
Será que a gestão do nosso FCP é o que parece ?
Um desnorte completo, sem saberem que fazer nem ao plantel nem aos treinadores...Milhões, milhões, milhões...
O treinador com quem vamos jogar ? Mas era este o plano B ?

Miguel Lourenço Pereira disse...

LAEB,

Se PdC é a figura omnipotente e inquestionavel que gosta de transparecer que é (e que muitos acreditam ser certo) se ele realmente quisesse aguentar o treinador até ter a melhor solução para o clube, tinha-o feito. Ou aguentando o Lopetegui até ter um substituto (como fez o Real Madrid com Benitez e Zidane) ou então, sendo pro-activo.

A Rui Barro nunca ninguém lhe vai poder apontar o dedo porque este não é o trabalho dele mas se tivesse perdido estes jogos, eliminação da Taça e ampliação de atraso na liga incluida, que poderiamos dizer de entregar um plantel que ainda está a lutar por tudo em alguém que não é nem foi nem pretende ser treinador? Há lógica nesse raciocinio? Ou foi tudo uma jogada ao azar, para ver se a dinamica positiva aguenta umas semanas até a poeira acalmar? É assim que se gere o mais caro plantel da liga, plantel ainda vivo em três competições com legitimas aspirações?

sergiodiassilva disse...

Concordo com tudo, apenas com uma exceção: acho que se se tivesse mantido Lopetegui mais tempo (como Pinto da Costa certamente quereria), e considerando o desnorte táctico da equipa nos últimos jogos com ele, penso que estaríamos com menos um troféu para discutir, porque houve uma injeção (de confiança ou de raiva, ainda se vai perceber) com a saída do treinador que permitiu o 5-0 no jogo do campeonato e a 1ª parte do jogo da Taça. Seria assim com Lopetegui? É verdade que não há alternativa de momento. Mas se a ideia é esperar por Villas Boas, mais vale ficar com o Rui Barros e arranjar um adjunto com outro tipo de bases táticas, porque é cruel chamar alguém como Conceição, para quem ainda é cedo para chegar ao Porto, por 6 meses para depois pedir desculpa porque o André já está disponível.

João disse...

A jogar assim, uma das frentes vai já à vida no fim-de-semana. Achar que esta banda de música vence o Borussia, então, já é wishful thinking a mais.

Stephan santos-silveira disse...

WOW!
Confesso que estou admirado pelo artigo, vindo do Maisfutebol. Mas não deixa de ser um ponto de vista muito pertinente. Creio que chegou mesmo a altura de revolucionar-mos novamente a estrutura e adaptamo-la com valores antigos aos tempos modernos. hoje em dia já há 4 fortes em portugal que são benchmarkings do FCP (uns melhores conseguidos que os outros). por isso a mudança é oportuna

Pedro ramos disse...

1-Discordo que ainda estamos a "disputar" 3 competições.
A única competição que podemos ganhar é a taça. A liga europa apenas se Dortmund a encarar como um fardo. O campeonato já foi, pois se com a manutenção do treinador já era dificil, mas não impossível, não é com um novo, com tudo o que isso implica, que o vamos fazer.( Para além de que o clube não luta para ser campeão).
2-"Há muita gente que está a falar na necessidade de ter um treinador com X perfil"
Pois... Um que fale alto, que tenha mistica, que faça a equipa ter garra, que seja português etc, etc... tudo, excepto que perceba de futebol.
3-"Se a resposta é "uma pessoa", ficamos descansados porque, pelo menos, Pinto da Costa não acredita que um macaco possa treinar o plantel. Algo é algo."
Pois, está aqui o perfil de sempre dos treinadores portistas, uma pessoa pode ser...o palhaço batatinha.
Se há "dificuldades" em escolher um novo treinador é porque não há politica desportiva, nunca procuramos uma treinador com qualidades x ou y, apenas a nova moda, ou algo que se imagine que vá agradar aos adeptos.

João Barbosa disse...

Muito bom, subscrevo quase tudo. Outra coisa que não se entende (ou se calhar sim) é isto: http://www.ojogo.pt/Futebol/1a_liga/Porto/interior.aspx?content_id=4981436

Depois da sua atitude e do que disse publicamente no verão passado, o facto de a SAD continuar interessada neste artista mete-me um bocado de nojo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

O plantel é melhor do que parece. Há jogadores em claro subrendimento. Um treinador de qualidade e uma mudança de actitude do plantel faz obrigatoriamente do Porto um candidato à Europa League. Num duelo com o Dortmund, a % estaria num 45-55 nesse cenário a favor deles.

Miguel Lourenço Pereira disse...

O jogo no Bessa podia ter acabado 0-1 com Lopetegui pela inércia de qualidade do nosso plantel ou 0-5 com Rui Barros que o cenário seria, pontualmente, o mesmo. Na Taça devemos um sofrimento menor ao Helton mais do que ao plantel ou ao Rui Barros. Não vejo assim uma diferença tão radical com ou sem Lopetegui para estar no ponto que estamos hoje!

Miguel Lourenço Pereira disse...

"O treinador com quem vamos jogar ?"

O Porto, com Paulo Fonseca, fez algo parecido mas tinha a vantagem que era para o ano seguinte. Assinar com Conceição antes do jogo em Guimarães ou imediatamente depois é eliminar de um só golpe toda a verdade desportiva desse jogo. Precisamente aquilo que todos criticamos durante anos com o Benfica e os jogadores.

Hugo Mota disse...

O Miguel que hoje escreveu um texto assertivo, bem estruturado, apontando e bem alguns dos males que existem na nossa actual situação, deve ser o irmão gémeo do Miguel que nas semanas finais do reinado de Lopetegui foi um verdadeiro incendiário contra o treinador basco do FCP. E digo expressamente o Miguel, porque por ex. o seu colega de blog José Correia sempre foi bastante analítico e ponderado sobre os pontos positivos e negativos do anterior treinador.
Fases más (perder ou empatar 2/3 jogos), sempre tivemos no passado, e não nos impediu de conquistar títulos. Problemas entre treinadores e jogadores existem e sempre existirão em qualquer plantel do mundo. O grande problema do Lopetegui chamou-se ADEPTOS PORTISTAS. A pressão sobre treinador e equipa tinha-se tornado insustentável e inultrapassável por força dps adeptos, e a SAD viu-se obrigada a fazer o que fez, quando sentiu o nível de contestação a queimarem-lhes os lugares.
Mesmo sendo hostil a esse erro do despedimento do treinador, tive que concordar com ele. Mas que foi uma grande asneira, que nos comprometeu esta época, isso foi.

Felisberto Costa disse...

Acho que a chicotada psicológica mais acertada neste momento era a da... SAD!!!!
Por muito carinho e respeito por Pinto da Costa, por alguma razão se diz que "a idade pesa"...
Sangue novo, precisa-se!!!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Hugo,

Não sei se nos referimos a este Miguel:

http://www.reflexaoportista.pt/2016/01/presidir.html
"Perder em Alvalade não é o fim do mundo e houve seguramente piores treinadores na história do clube do que Lopetegui. Nem uma coisa nem outra é o grande problema a resolver nos próximos episódios porque está em causa algo maior."

http://www.reflexaoportista.pt/2015/12/lopetegui-ficar-ou-nao-ficar.html

"A minha sensação pessoal é que Lopetegui deve ficar por isso mesmo, assumindo (tanto ele como as pessoas responsáveis pela sua contratação) todas as consequências no final da temporada, sem que o clube deixe, paralelamente, de procurar um rumo de sustentabilidade futura com outro homem do leme."

Dois artigos publicados no ultimo mês onde, claramente, fica definida a minha posição sobre o treinador .Era um erro, um problemas mas não O PROBLEMA. Ao presente me remito. Tudo continua exactamente igual.

Cheue disse...

Lopetegui estar no banco já estava a prejudicar muito mais a equipa do que a a ajudar. A instabilidade era grande demais, os adeptos já estava a desesperar.

Por isso...é melhor ter este período de indefinição ( com Rui Barros) do que continuar com Lopetegui...sem duvida nenhuma.

José Lopes disse...

Bom texto. Subscrevo, já agora, o comentário do Pedro Ramos. Se lutassemos para ser campeões, a postura da SAD teria de ser outra quer no que toca à rábula do treinador, quer no que toca a arbitragens como a de anteontem. Daí que o quer que aconteça em Guimarães não pareça importar muito a quem manda. Quanto à Liga Europa, é preciso muito optimismo para acreditar que este Porto não vai ser corrido em Dortmund...

Temos um jogador comprado por 20 milhões que não quer nada connosco treinado por alguém que não quer ser treinador principal nem tem feitio para tal. Assim andamos.

Nuno de Campos disse...

As dificuldades em encontrar um treinador de renome tem origem óbvia. O nosso clube não paga bem a treinadores, e desde há alguns anos não trata bem os seus técnico. JNPC sempre preferiu treinadores em ciclos curtos, que não adquiram o protagonistas que Jorge Jesus adquiriu no Benfica. Por isso mesmo, mesmo treinadores com sucesso veem o seu trabalho diminuído com a ideia de que no FCP qualquer um é campeão.

Os dois únicos técnicos que sairiam do clube sem amargos de boca foram os que saíram pelo seu próprio pé, e ambos para Londres. Todos os outros saíram mal, como responsáveis únicos pelos maus resultados ou futebol menos atractivo. E na passagem desta versão a comunicação do clube não é inocente.

Se olharmos para os anos em que o Porto perdeu campeonatos, ou se exibiu abaixo das expectativas, invariavelmente vemos que foram anos em que se perderam peças fundamentais do plantel e que não se encontraram substitutos à altura. Foi assim quando Jesualdo perdeu Lucho e Lisandro. Foi assim com Victor Pereira quando saiu Falcão, com Paulo Fonseca com as saídas de James e Moutinho, e agora com Lopetegui com as saídas de Jackson, Danilo, Alexandro, Casimiro, Oliver.

Lopetegui fez uma primeira época muito boa em todos os domínios, e não foi campeão todos sabemos porquê. Foi o nosso melhor treinador na Champions desde José Mourinho (comparável apenas a segunda época de Jesualdo) com 3 jogos tacticamente exemplares na fase a eliminar, e uma derrota mais que previsível em Munique, sem laterais e sem a velocidade de Tello. A mentira de que o plantel actual é melhor do que o do ano passado só interessa à SAD.

Quem julga que o Paulo Sousa troca a Fiorentina pelo nosso clube está redondamente enganado. Para já porque nós pagamos muito menos. Não acredito que Rui Barros fique até Maio, porque não pode ser responsabilizado. A vítima deve ser o Sérgio Conceição. Quem quer que venha agora terá o fantasma de Villas Boas sempre presente.

João disse...

"Um treinador de qualidade" não é garantidamente Rui Barros e Sérgio Conceição portanto estamos conversados.

Helder Oliveira disse...

Fico parvo ao ler que ainda havia adeptos que queriam o lopetegui mais tempo no FCPORTO,devia ser por o futebol pratico e eficaz que ele apresentou no ultimo ano e meio.Enquanto ser humano nada a dizer.cump.

José Lopes disse...

De acordo em tudo, mais uma vez.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Se com Rui Barros e Conceição a SAD o que quer é que o FC Porto lute apenas pela Taça de Portugal este ano, então isso é, essencialmente, reflexo apenas das suas decisões. Em Abril salvo erro há eleições e é um bom momento para ir relembrando essas decisões tão positivas para o futuro do clube!

DC disse...

O que acho estranho é haver tanta contestação à SAD e zero de alternativas. Não há gente que se mostre ou é medo do poder da SAD actual. Haver outra lista, nem que fosse apenas para fazer algum barulho (que neste momento era bem preciso) era muito saudável.

João disse...

E eu a pensar que o problema do Lopetegui eram os resultados, desvalorização de activos e futebol praticado.

ped.ribeiro disse...

O artigo é pertinente. Mas fico curioso em relação à referência ao Benfica que volto a encontrar neste seu comentário até porque já não é a primeira vez que a leio pelo que ou é verdade ou é daqueles casos de "uma mentira muitas vezes repetida"...

Consegue pf referenciar quais foram os jogadores que o Benfica contratou na véspera de defrontar os seus ex-clubes? E, caso se consiga lembrar de uns 4 a 5 exemplos (julgo que um valor razoável para justificar referência tão repetida) tem a certeza absoluta de que FC Porto ou Sporting também já não o terão feito em igual número?

miguel.ca disse...

Voltamos a bater na mesma tecla. O que o FCP realmente precisa neste momento é de uma lufada de ar fresco no 14.andar da torre das antas. A equipa de Pinto da Costa deve sair o mais rapidamente possível.

Hugo Mota disse...

Miguel, como referi, gostei do seu texto de hoje, no qual concordo com grande parte. Se bem que mantenho que anteriormente o Miguel contribuiu com artigos que só serviram para avolumar a contestação.

Sim, há problemas maiores do que Lopetegui. E deles, o que mais me surpreendeu foi a rapidez com que se imolou um cordeiro (treinador) para salvar a própria pele (SAD).
Nunca antes na nossa história com Pinto da Costa tal se tinha passado. Mesmo com Paulo Fonseca, onde estavamos numa espiral de resultados destrutiva, foi o próprio treinador que teve quase que implorar para sair. E Pinto da Costa era "menino" para mantê-lo, não fosse o homem andar a chorar pelos cantos. Que se passou nestes 3 anos? Cada vez mais me convenço que PdC não passa de um presidente honorário, reconhecido por todos, mas que já manda muito pouco nos destinos do clube.


João, quando fala em desvalorização de activos, está-se a referir aos milhões em vendas conseguidos com a equipa do ano passado? Ou será que finalmente constatou que nos passaram a perna (Doyen), ao impingirem-nos um jogador de 20 milhões, que não vale 2. Entretanto, penso que André André, Corona ou Danilo estão a fazer boas épocas e já valem mais do que quando os comprámos. Ou não?
E quando fala em resultados, pensei que estivessemos na luta em 4 competições? Já não?
Futebol praticado? Aquela 2ª parte no Bessa foi um dos nossos maiores hinos de sempre. Encostados às cordas por uma equipa do CNS mesmo que com ajuda arbitral.

Saci Pererê disse...

É só entendidos, está visto que a SAD não presta e que vocês é que sabem. Digam lá quem é que escolhiam para substituir o Presidente e a SAD, e por ultimo como resolviam o problema do FC Porto. Se soubessem o complexo que é o mundo do futebol empresarial, muitos estariam era caladinhos.

Dias Salvador disse...

Parece que há adeptos que gostavam do futebol, dos resultados e dos títulos de Lopetegui.
Ele era sem dúvida nenhuma o problema, mas o que se tem vindo a confirmar é que há uma campanha devidamente organizada para correr com Pinto da Costa.
Quem rebaixou as Antas, me levou a Basileia, Viena, Tóquio, Sevilha, Gelsenkirchen, imortalizou o ser Porto no Museu e fez o Dragão, para mim merece pelo menos o benefício da duvida.

Daniel Gonçalves disse...

Ped. Ribeiro

O Jardel, contratação ao Olhanense, antes do jogo entre o seu clube e aquele.
Bruno Ribeiro, irmão do Maniche, ao Boavista, idem nas mesmas circunstâncias.
O Makukula ao Marítimo.... idem.

Filipe Sousa disse...

O Jardel foi contratado no dia do jogo (ou no anterior), contra o Olhanense!

Filipe Ferreira disse...

O pior desta siuação é que o nosso Presidente está em silencio e os adeptos querem trocas de pessoal seja em que cargo for, mas não vem ninguem a candidatar-se ao lugar de cada posto.
Portanto é uma mudança de atitudes da SAD que poderá por o Clube no rumo certo.
Caso contrário, já se sabe que irá ser um vulcão em erupção.

Saci Pererê disse...

Basta um par de anos sem ganhar nada para se por tudo em causa, mas ninguém aqui fala que o ano passado mesmo com o Lopetegui se tivessemos umas arbitragens minimamente imparciais possivelmente tivessemos ganho o campeonato. Eu aceito que se critique a SAD, mas façam-no com critério e justiça. Há exemplos disso na Bluegosfera, mas aqui o Reflexão ultimamente parece o visão de mercado, sempre que podem a malhar no clube e em todos os seus representantes. Eu sou portista e sei reconhecer que a direcção não é perfeita, mas antes de cuspir no prato, agradeçam e respeitem quem também deu e dá muito ao clube. Já o disse na altura com o Vitor Pereira e agora repito, "Atrás de mim virá quem de mim bom fará". Há portistas que nem com os erros aprendem.

Justiceiro Azul disse...

Nuno Gomes, jardel, rui ou José Fonte surgem-me assim de repente. E a isso podemos juntar por exemplo o pagamento de salários aos jogadores do Setúbal em vésperas de um jogo.

Buíça disse...

Não entendo porque continuam a chorar o Lopatego, até parece que o querem de volta. Para mim não servia, mostrou à saciedade que não sabe defender e que sem Oliver na engrenagem a fazer a bola circular não foi capaz de montar uma equipa que jogue à bola consistentemente, quanto mais alterá-la quando o jogo não corre de feição, presenteou-nos com uns tais de Adrian Lopez, Angel e Bueno, nunca foi capaz de fazer do Tello metade do jogador que já foi, não conhece nem estuda nem quer saber quem são os jogadores dos adversários portugueses, mas principalmente teve à disposição 2 plantéis de altíssima qualidade e não ganhou pevide.
Como dizem acima também concordo que faz pouco sentido criticar a saída do treinador sem haver alternativa e querer a saída da direçao, algo para que é bem mais dificil e complexo achar alternativa.
Sobre o Porto pagar mal a treinadores, só se for por opção porque quem paga o salário do Casillas não pode alegar isso.
Acho que o lugar de treinador já devia estar pelo menos apalavrado para o final da época e talvez até isso tenha contribuido para o espanhol ter amuado, não sei, o facto é que a equipa deixou de sequer tentar e entre os resultados, o ambiente no balneário, o esgotar da paciência dos adeptos, o autêntico deboche dos adversários e a constatação de que nem que nascesse outra vez algum dia ia ganhar um jogo ao Jesus, não tinha condições para continuar.
Agora claro que a direçao tinha que ter gerido melhor a situação, não sei ao certo quem nos bastidores esticou a corda e até pode ter sido o treinador, mas a realidade é que ninguém que esteja a trabalhar se vai despedir para ocupar o lugar só por alguns meses. Veremos que coelho saca o presidente da cartola. O comunicado de hoje a dizer que não estão em negociações com ninguém é enigmático, só faz sentido para mim se o Conceiçâo já estiver contratado e quisermos respeitar o Vitória.
E pronto, é cerrar os dentes e ser Porto. Se pacificar o balneário, solidificar a fase defensiva do jogo e puser a equipa a jogar sem depender sempre de uma chapelada do brahimi já ficarei muito grato.

Pyrokokus disse...

Acho que não é a direcção que tem de mudar.
Após ler o que escreve neste blogue fico com a certeza que irá sair daqui uma lista para concorrer contra PdC. É o mínimo que podem fazer pelo clube, apresentar alternativas às continuas críticas que o Miguel e outros aqui escrevem.

Abraços

Miguel Lourenço Pereira disse...

Ped.Rib,

Há muitos exemplos, alguns já dados. Mas nada se parece minimamente a isto:

http://www.reflexaoportista.pt/2015/12/carlos-xavier-recorda-o-estorilgate.html

Quando é um protagonista directo que o afirma, pouco mais posso acrescentar.

Paulo Marques disse...

Se também puder meter o que quiser nas caraíbas, não me importo de ir eu.

Paulo Marques disse...

É apenas por o FCP já ter ganho muito com treinadores mediano-razoáveis, se os adeptos não preferissem perder tudo a queimar mais um treinador ainda podíamos ganhar alguma coisa.

João disse...

Ja estou a imaginar as parangonas no Verão.

"Gaitán por 30M€ no United, Rui Vitória mais próximo do Panteão"

Oh meu caro Hugo Mota, por amor de deus...

Lápis Azul e Branco disse...

O tempo passa inexoravelmente por todos nós. Ter ou não consciência disso é outra questão.

Obviamente que foi mal gerida está situação, apenas não me parece que se possa ser tão taxativo ao ponto de se afirmar que não se despede treinador sem ter outro. Dado o escalar da situação, foi melhor quebrar de imediato, já que era para quebrar.

E como se viu, os jogadores responderam positivamente à mudança. Foi um vazio bom, sem desprimor pelo trabalho do Rui.