terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Atacar bem? Comecem por defender bem!

Nos últimos 30 anos do futebol houve dois treinadores que mudaram radicalmente os conceitos de jogo, duas referências máximas do futebol ofensivo de alto quilate. Ambos vão passar à história porque as suas equipas jogam de forma atractiva, ofensiva, sem piedade do rival quando aumentam o ritmo para uma velocidade que mais ninguém aguenta. E no entanto, para ambos, o êxito do ataque parte sempre de um excelente trabalho na defesa. Querem atacar bem? Então preocupem-se sempre por garantir que a equipa sabe, antes que tudo, defender melhor. Sacchi e Guardiola sabem perfeitamente do que falam. As suas equipas partiram sempre de um principio básico. São equipas de treinador até ao último terço, equipas de jogadores no último. Este FC Porto dista muito desses princípios.

José Peseiro não é nem Arrigo Sacchi nem Pep Guardiola, está claro. Mas é, e sempre foi, um treinador que pensa de outra forma. As suas equipas são de tracção dianteira. As suas linhas defensivas sofrem muito e com regularidade pelo posicionamento em campo do seu 4-2-3-1. Peseiro começa a pensar o jogo com a bola no circulo central. Trabalha bem - tem-se apreciado evidentemente a diferença - o jogo ofensivo, sobretudo as sobreposições entre os interiores e os extremos no complemento ao ataque. Mas o jogo dos médios defensivos, laterais e centrais peca de ingénuo. A sua filosofia de "se o rival marca dois, eu marco três", lembra muito o futebol sul-americano ou a realidade europeia pre-anos 70 mas está bastante desfasada da realidade. Até uma equipa de estrelas absolutas e inquestionáveis como o Real Madrid da primeira geração dos "Galácticos" percebeu isso quando o génio da sua linha avançado pagou ano após ano os erros tácticos a que a sua linha defensiva estava exposta. Não, o modelo Peseiro - e de alguns treinadores da sua escola - hoje em dia pode ser atractivo em momentos concretos do jogo mas é pouco fiável. Tudo porque o seu enfoque de jogo parte da premissa que a defesa é um elemento secundário na coordenação colectiva. O jogo começa mais rápido, desde atrás, menos pensado e a cada perda de bola os jogadores da linha mais recuada encontram-se, quase sempre, mal posicionados. Tal é a vocação ofensiva que muitas vezes não existe um fio de conexão entre os centrais e os laterais, por um lado, e os laterais e os médios interiores, por outro. Nesse cenário não é difícil, sobretudo a equipas que jogam no espaço e aproveitam a velocidade para contra-atacar - como são quase todos os clubes da liga portuguesa - encontrar oportunidades para marcar. Depois é um jogo de roleta russa. A eficácia do rival, a eficácia própria, a capacidade emocional de resposta, o fluxo ofensivo criado, tudo entra numa equação perigosa. O triunfo sobre o Moreirense - por 3-2 com uma reviravolta de dois golos desfavoráveis - é o perfeito exemplo desse puzzle. Peseiro pode sentir-se triunfal porque a sua ideia prevaleceu (o rival marca dois, eu marco três), mas o seu esquema parte de um principio perigoso. É altamente provável que te marquem sempre mas não podes garantir que tu vais marcar sempre mais um. A derrota antes da à visita à Luz com o Arouca - que pode ter sido decisiva em contas para o título - é o perfeito exemplo disso mesmo.



O maior defeito que os adeptos apontavam - e muitos com razão - a Vitor Pereira e a Julen Lopetegui (mais no seu caso que tinha melhor matéria-prima) era a tremenda dificuldade de passar de uma boa organização defensiva a um jogo ofensivo eficaz e vertical. Eram o modelo oposto de Peseiro. Para ambos os treinadores - claramente da escola Sacchi/Guardiola - as suas equipas começavam a pensar-se desde o momento em que o guarda-redes colocava a bola em jogo. Era importante, não, fundamental, uma boa coesão defensiva e articulação entre sectores, um avanço progressivo das tropas antes de explodir o rastilho final no último terço.
Quando bem executado o modelo propiciou grandes jogos colectivos mas se Vitor Pereira quase nunca teve arsenal ofensivo com essa inteligência de jogo e talento (no seu primeiro ano teve de abdicar do poder de explosão de Hulk para colocá-lo como referência ofensiva e no segundo faltou-lhe o brasileiro para conectar com Jackson), já Lopetegui pecou de erros próprios na concepção de jogo colectivo. No entanto, ambos perfilavam a ideia de que a equipa tinha de funcionar como um todo nos primeiros três quartos de campo para depois permitir a explosão do talento individual no último terço. A defesa, nos dias de Vitor Pereira, era absolutamente tremenda na ocupação do espaço e no controlo da zona e com Lopetegui - apesar de Fabiano, Marcano, Maicon ou Indi, jogadores de perfil muito inferior - foi uma das melhores de todas as ligas europeias enquanto que na Champions, não fosse pelo massacre de Munique - um erro de gestão técnica tremendo - teria igualmente terminado o torneio nas menos batidas. Não esperem ver o mesmo com Peseiro.

Tem culpa o treinador do Porto dos golos sofridos recentemente? Sim e não.
A Peseiro não lhe podemos apontar o dedo na concepção do plantel - responsabilidade da SAD e de Lopetegui - nem nos reajustes de Janeiro - responsabilidade da SAD. Ao técnico foram-lhe dados ovos para trabalhar - poucos e podres - e a situação de Maicon (ainda por explicar) apenas piorou o cenário forçando-o a recrutar para as convocatórias dois jogadores com idade de júnior, Chidozie e Verdasca. Nesse cenário - múltiplas lesões, suspensões e reajustes - era absolutamente lógico e natural que houvesse maior permeabilidade defensiva. No entanto o grave nesse cenário é que Peseiro - que quer ser fiel aos seus princípios - uniu às baixas e ao plantel de pobre qualidade uma radical mudança táctica que rasga os princípios assimilados durante ano e meio. Peseiro quer tirar o Lopetegui de dentro da cabeça dos jogadores (olhando para Herrera, como melhor exemplo, está a conseguir) e a sacar o máximo potencial de jogadores que em 4-3-3 posicional renderiam muito pouco (a prova está em Suk, tem tudo para ser um novo Pena, esforçado mas excessivamente dependente do espaço e dos lances divididos para se evidenciar) no sector ofensivo. A consequência é abdicar da segurança defensiva, da estabilidade do jogo desde a retaguarda e dos naturais desajustes no miolo que provocam perdas de bola e contra-ataques do rival. A pré-época não serve apenas para preparar os jogadores fisicamente. É o único momento do ano em que o treinador tem três ou quatro semanas para aplicar as bases da sua ideia que são melhoradas com treinos pontuais. A partir do inicio da temporada o ciclo não permite a implementação de uma nova ideia táctica com êxito assegurado. As sessões de treino medem-se entre recuperação esforço, preparação tendo em conta o rival, garantir estabilidade dos níveis físicos e algum que outro dia dedicado a lances estudados. Não há tempo (nem força, física e mental) para uma pre-epoca em Fevereiro. O clube sabe isso, o treinador sabe isso e os jogadores sabem isso de modo que tudo o que estamos a viver no presente vai contra toda a lógica da gestão de um grupo. E só é possível devido ao desnorte da direcção - que forçou a mudança sem ter um plano B coerente - e o desespero total da falta de rumo que permite acreditar que mudando tudo o que estava feito os resultados, forçosamente, serão diferentes.



O 4-2-3-1 e as ideias de Peseiro, com uma boa pre-epoca, podem triunfar ainda que o mais provável é que sofram nos momentos chave a consequência do poder do controlo de jogo do futebol moderno. De certo modo Peseiro quer parecer-se mais a Paulo Fonseca do que a Vitor Pereira ou AVB. Agora tem todo o crédito do mundo porque nenhum adepto vai reclamar nada a um treinador-bombeiro sem perfil e que chegou num momento de desespero. Mas é preciso ter-se cuidado quando se brinca com o fogo. Velha é a história contada por Sacchi do dia em que van Basten, irritado por tanto trabalho táctico, lhe atirou à cara que ele era a estrela da companhia e que o êxito do Milan dependia dos seus golos. Sacchi sorriu e pactou um desafio. Se van Basten, Gullit, Ancelloti e Donadoni fossem capazes de superar o seu quarteto defensivo numa sequência de ataque a partir do meio campo, dar-lhe-ia razão. Mas se a defesa recuperasse a bola, teriam de voltar a começar o ataque do zero. Durante duas horas a defesa de Sacchi levou a melhor linha de ataque ao desespero. Não marcaram nenhum golo. Van Basten aprendeu a lição. Algo similar fez Guardiola em Barcelona, reforçando sempre às suas estrelas ofensivas que tudo começava a partir da conexão Valdés-Pique-Puyol-Busquets. Ninguém espera um golpe de génio táctico de um treinador com dez anos de fracassos acumulados às costas mas jogos como o do último fim-de-semana também não podem surpreender ninguém. Com um plantel de remendos querer jogar no fio da navalha pode provocar doses de adrenalina que o jogo dormido e pausado do 4-3-3 de Vitor Pereira (sem jogadores de ataque válidos) ou de Lopetegui (sem ideias) eram incapazes de transmitir. Mas a navalha acabará sempre por deixar as suas marcas.



129 comentários:

JON disse...

Miguel,

Isso até pode vir a ser tudo verdade, mas partes de tantos preconceitos que chego a achar que tens alguma coisa pessoal contra o Peseiro.

Fui ver para ter a certeza que não me enganava... O PESEIRO AINDA NÃO TEVE UMA SEMANA INTEIRA SEM JOGAR! Fez 8 jogos em 28 dias! Dá quase um jogo a cada 3 dias!!!

Ele até pode ser mais fraco defensivamente do que ofensivamente, o modelo até pode ter esses problemas que enumeras, etc. Eu não concordo, mas esse não é o ponto.

O ponto é que ele não teve tempo para afinar nada. Achas mesmo que ele teve tempo de aplicar os seus princípios de jogo, bons ou maus? Percebeu que a equipa precisa fazer mais golos e arrisca mais. Disse aos jogadores que podem jogar pelo corredor central, que por acaso é onde está a baliza, e era coisa proíbida pelo Lopetegui. Ainda bem que assim é! Agora por amor de Deus, deixa o homem trabalhar que a jogar a cada 3 dias com um plantel cheio de carências, o que ele está a fazer é quase um milagre!

A sério que parece que tens alguma coisa contra o homem, porra! Ou isso ou estás morto por dizer quando ele falhar: "hate to say I told you so!"...

Miguel Lourenço Pereira disse...

JON,

Quando se contratou o Peseiro disse duas coisas:
a) não acho que seja um treinador para o FCP em nenhum sentido possível e imaginável
b) desresponsabilizo-o de tudo o que se passar até Junho porque o plantel não é dele (é da SAD e de Lopetegui), não teve palavra a dizer nos ajustes de Janeiro e chega com a máquina em andamento e a afundar-se rapidamente.

Mantenho ambas as coisas.
Obviamente que o Peseiro não teve tempo para treinar. Quase nenhum treinador, a partir de Setembro, consegue ter uma semana inteira livre para trabalhar tacticamente a equipa e isso está claro no artigo. De aí que a minha critica é que tenha tentado mudar radicalmente principios de jogo - é evidente que a equipa tenta jogar diferente do 4-3-3 de Lopetegui - sem ter tempo para os treinar de forma conveniente.

Habitualmente quando há trocas de treinadores a meio do ano a mudança é mais de estado de espirito do que táctica e, a nivel táctico, essas mudanças resultam quase sempre numa abordagem mais defensiva (o medo a continuar a perder) e um estilo de jogo com bloco baixo que aproveito os espaços para conseguir vitórias moralizadores. Raro é o treinador que chega a meio do ano e troca um modelo de posse sustentado por um modelo de ataque declarado. Peseiro tem tentado ser esse homem. Animicamente tem trabalhado bem com alguns jogadores mas tacticamente a sua ideia tem custado caro a nivel defensivo. Em dias como domingo tem sorte que a % de lances bem sucedidos seja concretizado mas com o Arouca passou o oposto. É uma caixa de surpresas.

Não tenho nada que dizer "hate to say I told you so!" porque isso nem sequer parece relevante para o seu destino (o mais provável é que em Junho ele já não esteja) e tudo aquilo que conseguir é mais positivo do que negativo face ao rumo do projecto mas isso não significa uma carta branca total e absoluta a um treinador que, ele primeiro que todos, é conhecedor da limitação do plantel que tem.

DC disse...

Este post é prematuro e disparatado. Arrasa o Peseiro que ainda mal tempo teve para dar 2 dias seguidos de treino sem ter um jogo de seguida. E esperar que ele possa treinar defesa, não? Que tenha uma dupla de centrais a jogar junta uns 5 jogos, não?

Depois o Suk já leva o apelido de Pena, com 3 ou 4 jogos no clube. Mesmo tendo jogado muito bem no último, pelos vistos já está marcado.

Como diz o JON, é ridículo falar com esta certeza e convicção tão prematuramente. Recordo que o VP era sem dúvida óptimo defensivamente mas levou 3 secos da Académica enquanto houve instabilidade. Levou 3 do Gil Vicente também num jogo muito roubado (o com o Arouca não foi também?).

Há muita coisa a criticar no Porto. O treinador actual não é certamente uma delas. Começar com esta conversa para mim é semelhante a começar os assobios aos 10' de jogo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

"Há muita coisa a criticar no Porto. O treinador actual não é certamente uma delas. Começar com esta conversa para mim é semelhante a começar os assobios aos 10' de jogo."

Este é um espaço de reflexão portista, discutir conceitos tácticos dificilmente é criticar. Como disse ao JON e disse no artigo, para mim o Peseiro está exento de culpa até Junho acabe o Porto o ano como acabe (salvo pela final da Taça que é para ganhar sim ou sim). Isso não significa que, pouco mais de um mês depois de ter aterrado, existam já indicios do que vai ser a sua gestão com os seus pros e os seus contras.

Dizer que não houve tempo para mudar é uma falácia porque a equipa mudou bastante, tanto a defender como atacar. Ataca muito melhor - com mais homens, pelo centro e pelas alas, com mais bola na área, fez 20 remates no domingo, colocoa mais jogadores em zonas de finalização e isso tudo é dedo de treinador - mas também defende muito pior. E fá-lo por três motivos obvios: os jogadores disponiveis são fracos para a exigência, uma mudança sempre implica um momento de tremideira mas, sobretudo, porque há na ideia de jogo de Peseiro uma reconhecida despreocupação com o "back four" em comparação com outras zonas do campo.

O Peseiro, ao contrário do VP, tem um passado como treinador que se pode analisar e o que se tem visto neste Porto não difere demasiado de outras equipas suas pelo que se pode deduzir que está a colocar em prática as suas ideias. Tem mérito que o tente mas como todos sabemos o tempo não corre a seu favor.

Mas, já agora, tacticamente falando, devemos estar calados até Junho passe o que passar com este Porto apenas e só porque corremos o risco de "falar demasiado cedo" ou "começar assobios aos 10s minutos de jogo" ou podemos debater tranquilamente estas questões que se reflectem a cada jogo disputado pela equipa?

DC disse...

Por ser conhecedor das limitações do plantel é que se focou no processo ofensivo. A equipa não conseguia criar ocasiões de golo, ele colocou a equipa a atacar muito bem.
Devia ter-se focado na defesa? Ou seja, devia ter treinado o processo defensivo numa defesa remendada e esquecer o processo ofensivo. E, como tal, íamos andar a defender melhorzinho mas sem marcar. Assim em vez de ganhar 3-2 se calhar empatávamos 1-1 ou coisa do género.
Ou então, devia ser o melhor treinador de sempre, e num mês com 8 jogos conseguir treinar defesa e ataque de forma fabulosa mesmo sem ter centrais.
Vamos ter juízo, não?

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não estou a fazer nenhum juizo de valor em primeiro lugar porque é quase impossivel que um treinador num mês mude conceitos assimilados durante ano e meio. Mas não gosto, pessoalmente, nem conheço treinadores de nivel - e para o Porto gosto de treinadores com nivel - que negligenciem tanto o processo defensivo em prole de um processo ofensivo a tal ponto que o guarda-redes do Porto hoje parte para cada jogo sabendo que lhe vão chegar seis ou sete vezes com ocasiões claras (algo que, felizmente, o Casillas está habituado dos seus dias de Madrid) jogando fora ou em casa. Um clube como o Arouca ou o Moreirense não pode gerar o ratio de oportunidades que gera no Dragão com uma defesa remendada ou titular se o processo colectivo - a defesa é coisa de todos, não é só da linha de atrás como qualquer apreciador do "guardiolismo" sabe bem - estiver bem trabalhado.

Agora, se o objectivo for entrar realmente no espirito tu marcas três, eu marco quatro, vão ser meses entretidos, sem dúvida, mas não acredito que a equipa cresça como um todo colectivamente.

DC disse...

O Peseiro tem 2 centrais!!! 2 centrais, repito. E ainda não os conseguiu juntar!
O Chidozie não é central da equipa A, é um puto que por norma passaria mais 2 anos na B e 2 anos emprestado até poder falar-se como alternativa para a A.
O facto de defender com poucos não implica que se sofra muito. Mas defender com poucos e com esta qualidade atrás sim. Mas, e que tal ver o outro lado? Quantos golos marcamos com gente tão medíocre como Aboubakar, Marega, etc do meio-campo para a frente. Temos o pior plantel dos últimos 10 anos e estamos a criar oportunidades de golo como nunca criamos. É uma questão de olhar para o verso da medalha. Prefere focar na defesa e depois rezar que o Aboubakar desta vez falha só 4 em 5 em vez de falhar as 5? Eu não.

DC disse...

Miguel, para mim não há conceitos tácticos a discutir com 1 mês de trabalho (tendo em conta que não houve pré-época). Peseiro está a fazer o que pode e tenho a certeza absoluta que se eu lhe pedisse os prognósticos de resultados do Porto na 5a feira passada você me teria dado 3 resultados bem piores que os que vimos. Peseiro está a fazer melhor que o esperado. Com o Arouca corre mal graças também ao árbitro. Tudo o resto foi acima do expectável e exigível.
Não devemos estar calados tacticamente, devemos dar tempo de trabalho a quem precisa dele.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Temos uma linha de centrais de baixissimo nivel, todos somos conscientes disso (acho eu) mas o processo defensivo é colectivo ou vivemos ainda na era em que defendem cinco e atacam cinco?
Tão importante para não permitir perdas é o trabalho de Danilo e Herrera ou as ajudas de Brahimi e Corona como o posicionamento do Chidozie. E muitos dos golos sofridos têm surgido de situações de perda porque a equipa não está balançada tacticamente e joga muitas vezes partida expondo em excesso a linha de quatro e, sobretudo, o Casillas, que tem estado soberbo a aguentar o vendaval.

Agora, se o Porto precisa de criar 20 oportunidades para marcar três golos in extremis - e quando não cria nem uma, como em Dortmund, ou fica a ver navios como contra o Arouca - isso significa que o trabalho do treinador deve ser exclusivamente o de procurar gerar essas 20 oportunidades a favor, sabendo que concede, como minimo 10 contra, e tentar ser o dobro de eficaz ou procurar o máximo de equilibrio possivel trabalhando na eficácia do ratio ofensivo ao mesmo tempo que reduz ao minimo possível as oportunidades do rival?

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Quando o treinador chega e transforma o 4-3-3 em 4-2-3-1 - uma mudança evidente - automaticamente significa que em algum momento da preparação quis mudar as rotinas tácticas. Pode não ter tido tempo de o fazer bem mas tentou fazê-lo. Pode correr bem, mal ou mais ou menos, mas a mudança existe. E se existe a mudança o risco é seu porque é ele quem a patrocina.

Quando um treinador novo chega procurar sempre três coisas:
a) adaptar os jogadores que tem ao esquema (não temos uma boa defesa, que fazer, protege-la ou deixá-la mais exposta?)
b) tentar mexer o menos possivel no que não vai ter tempo de trabalhar em condições e maximizar o que pode
c) motivar o balneário

O Peseiro tem servido como motivador - nota-se em alguns jogadores - mas em relação aos dois primeiros pontos está a ser consciente de que, ainda sem tempo livre suficiente para mudar, tem tentado variar muitas coisas ao mesmo tempo deixando ainda mais exposto aquele que já é o pior sector da equipa.

Eu não o vou criticar por tentar - aliás, este texto nem sequer é uma critica, é uma análise - e na Luz a equipa saiu-se muito bem (em Dortmund foi uma miséria, esperada e contra o Arouca apesar do Maicon e do arbitro estava obrigado a muito mais) mas a tendência de começar a perder está aí e nem sempre, mais ainda com estes avançados, há a garantia de dar a volta. Se o Porto tivesse um Falcao, um Jardel ou até um Jackson mais um Hulk, um Quaresma ou um Drulovic eu importava-me muito menos que a equipa começasse a dar avanço ao rival porque havia materia prima assegurada para dar a volta. Agora há? Eu acho que não.

DC disse...

O jogo com o Arouca é desde logo um péssimo exemplo. 2 golos do Arouca, 2 erros individuais. Nada a ver com o balanceamento para o ataque ou a transição defensiva. Um deles é uma péssima abordagem do lateral esquerdo suplente e outro é uma finta na defesa de um central que foi para o Brasil. Depois marcamos 2 golos e validaram-nos um apenas.
Nesse jogo perdemos por culpa não do balanceamento ofensivo, não de defenderem cinco e atacarem cinco, mas porque tivemos erros individuais primários. E isso revela falta de treino, falta de rotinas, falta de tempo. Nada mais.
A questão do equilíbrio consegue-se com tempo de trabalho. Houve os que começaram esse equilibrio a trabalhar atrás e depois à frente. Peseiro preferiu trabalhar a frente primeiro e está a trabalhar bem. Se daqui a dois meses a defesa for o mesmo passador sim, comece-se a criticar. Para já, não faz qualquer sentido.

DC disse...

O 4-2-3-1, o duplo pivot, foi usado várias vezes com o Lope, mas isso é pouco importante. Porque ser 4-3-3 ou 6-4-0 interessa pouco porque os processos são completamente diferentes. O Lope atacava só por fora para não ter perdas. Em consequência nem tinha perdas de risco nem tinha oportunidades de golo. Peseiro quer jogo interior, arrisca ter perdas para também ter um processo ofensivo forte. Sim, ainda faltam equilíbrios mas isso consegue-se com o tempo.

Não temos uma boa defesa, protegê-la ou deixá-la exposta? Se a defesa é má vai sofrer quase sempre. Porque não salvaguardar isso marcando mais? É outra opção, menos à Mourinho isso é certo.
Tentar mexer o menos possível? Deixavamos o Lope então. Estava a ir num caminho óptimo. Já agora, em Alvalade defendemos bem? Melhor ou pior que na Luz?
Motivar o balneário? Porque há formas melhores de motivar os jogadores do que marcar golos, não há? A equipa deve estar tristíssima pelos 2 golos sofridos este fim-de-semana e na luz. Os 5 que marcou não levantam a moral.

Eu concordo que faltam equilíbrios à equipa ainda, mas o Peseiro está a fazer um EXCELENTE trabalho, para já.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não se está a criticar, está-se a analisar. Que confusão de conceitos. Não é critica nem elogio e, correndo o risco de me repetir, volto a dizer que não vou apontar o dedo ao Peseiro em nada salvo ganhar a Taça de Portugal, até Junho. Parece, neste clima de paranoia, que falar sobre implica falar mal sobre ou falar bem sobre forçosamente.

Um jogo do FC Porto em casa com o Arouca tem de a) gerar muito mais ocasiões das geradas - jogo ofensivo apoiado; b) evitar oportunidades aos rivais, ainda que os golos tenham sido resultado de erros individuais colectivamente houve uma má abordagem aos lances;

A ideia táctica do Peseiro, a funcionar com o Arouca, tinha de ter sido capaz de gerar fluxo ofensivo necessário para operar a reviravolta como contra o Moreirense e isso não se verificou. Defensivamente a equipa cedeu ocasiões e apareceu o Casillas para lá dos erros individuais - que teria sido do ultimo mês sem Casillas? - e naturalmente que isso é consequência das mudanças e da falta de treino. Precisamente essa é a ideia do artigo, com tão pouco tempo de treino porquê enfocar o trabalho colectivo num vector descurando outro, porquê optar pela politica do "marcar mais um" se não temos individualidades que garantem que esse modelo vai funcionar sempre em detrimento da organização defensiva?

Não acredito que existam grandes diferenças até ao fim do ano. Estamos já quase em Março e a equipa vai ter uma dúzia de jogos até ao final da temporada num ciclo de oito semanas e meia, sem grandes momentos de trabalho colectivo. Por isso o que estou a dizer agora, arrisco dizer, vai ser igualmente válido em Abril.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Pessoalmente excelente trabalho a um treinador do FC Porto que sofreu dois golos em casa do Arouca e do Moreirense e que não dispara uma vez á baliza do rival num jogo europeu nunca poderá ser. Por muito que ilibe o Peseiro do que passe até Junho isso não significa que tenha perdido o sentido critico e a ambição do que deve ser uma equipa à Porto.

Que o Lopetegui tenha sido incompetente em transformar a teoria em prática não invalida os conceitos positivos do 433 como tanto o AVB e o VP demonstraram. O Lopetegui não sabia atacar mas a sua equipa sabia defender - o ratio de golos sofridos e jogos sem perder no Dragão não deixa mentir - mas não acredito que para atacar melhor isso signifique, forçosamente, passar a defender pior. Peseiro quer jogo interior, sim, mas aceita as perdas sabendo que perde equilibrio. E o equilibrio é o elemento chave numa equipa de futebol moderno. Sem conexão entre blocos a equipa parte-se facilmente e permite mais ocasiões do que se jogar em bloco.

No cenário da defesa actual - estou pendente da justificação da SAD em deixar Peseiro sem um central porque lhe apeteceu - esse risco duplica porque o desequilibrio já é grave com uma defesa rotinada e experiente, aumentando exponencialmente com uma defesa remendada e de rookies. As perdas por erro individual resultam, muitas vezes, do erro colectivo. O mau posicionamento provoca tantos erros como a incapacidade do jogador que espera que A esteja onde não está ou conta que B se posicione onde não está posicionado porque a equipa, precisamente, não está a jogar como um todo.

Repito, o Lopetegui não era a solução mas já na altura disse que mudar por mudar teria de ser para algo melhor. Melhorou o ratio goleador e o espirito animico (que melhora só por si com a troca de treinador no Porto e no Tourizense) à custa de deixar a defesa à sua sorte. E não acredito que vá mudar até Maio esse cenário, o que pode variar, entretanto, é o ratio de eficácia goleadora. O Porto do Peseiro, para somar os tres pontos (ainda estamos na luta?) em cada jogo até Maio com este modelo terá de marcar em média 3 golos por jogo a continuar assim. Com Suk, Aboubakar, Marega, Corona e afins é um grau de exigência de eficácia dificil de aguentar.

DC disse...

E gerou. Fizemos o 2-1 legal. Foi anulado.

O2T disse...

Miguel sabe jogar com as palavras, mas não concordo com as suas opiniões, nem as acho razoáveis como "contraditório". Suk igual a Pena? Elogios a Vitor Pereira agora? Ou (noutro artigo) Folha como jogador à Porto? Não tenho tempo para ler os seus artigos. Cordialmente, O2T

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

A sério, contra o Arouca, gerar duas ocasiões de golo em todo o jogo é o nivel a que aspiramos?

DC disse...

É aí que se engana. Não, o Porto do Lope não sabia defender. Era horrível em organização defensiva, era horrível nas bolas paradas. Simplesmente arriscava tão pouco que parecia que sabia defender. Mas não sabia e qualquer um que olhasse para aquilo com mais atenção perceberia isso rapidamente. Toda esta confusão que estamos a ver na defesa é culpa do facto de em ano e meio gente como Indi, Angel, etc não ter aprendido nada sobre defender. Nada mesmo!

O Miguel basicamente quer voltar ao passado. Sofrer pouco e atacar nada. Eu não, prefiro perder assim, a tentar ganhar, do que empatar a tentar não sofrer.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

"O Miguel basicamente quer voltar ao passado. Sofrer pouco e atacar nada. Eu não, prefiro perder assim, a tentar ganhar, do que empatar a tentar não sofrer."

Duas coisas. Primeiro por "você" não, por favor. Segundo, não quero voltar a esse passado nem de longe nem de perto. Quero voltar a outro passado onde se defendia bem e se atacava melhor. O Porto do Robson defendia bem e atacava muito bem. O do Mourinho defendia bem e atacava muito bem. O do VP defendia bem e atacava muito bem. O modelo do Peseiro - não o que vemos mas o que propõe habitualmente - não me oferece isso, dá-me outras coisas, positivas e negativas, mas parte de outra premissa.

O Lopetegui era tacticamente inepto - estava habituado a trabalhar com a elite onde o talento individual compensava os seus problemas tácticos e quando o nivel individual baixava, ele sofria - mas na prática as suas equipas raramente deixavam o GR exposto. Ficou a meio caminho, nunca soube dar realmente um passo em frente que era coordenar o bom defender com o melhor atacar. Peseiro está no meio caminho ideologico inversa. Para o FC Porto ter um projecto sustentado de futuro nem um modelo nem outro me parecem viáveis.

DC disse...

Miguel, se é para ir a extremismos não conte comigo. Duas ocasiões, a sério? Só viu duas? até no resumo tem lá mais umas quantas.

DC disse...

Sim, eu também adorava ter um Mourinho (o de 2003 a 2008 para aí, apenas), um VP, um Guardiola, etc...
Mas no estado actual, em que ninguém nos quer treinar, duvido que haja melhor escolha que Peseiro.
E digo mais, pelo que vi na Luz na semana passada, se o Peseiro estiver a abrir caminho para o AVB, vamos ter muita saudade do Peseiro.
E tivemos muita muita sorte de termos sido rejeitados por gente como o Sérgio Conceição e termos acabado por nos virar para o Peseiro.

SUMO disse...

Mais um artigo do ser do contra porque sim. Li o primeiro paragrafo. Olhe, mude de clube, não faz cá falta neste. O homem ainda não conseguiu se quer apresentar a mesma defesa duas vezes seguidas… No último jogo, dois erros de um puto e dois golos. Se não percebeu, dedique-se ao padel. É mesmo criticar por criticar. Nada mais. Ou vá ver o museu, só lá é que há bons jogadores… A sério, percebe tanto de futebol como eu de japonês. Também não tenho tempo para ler os seus artigos. Passe bem, que nós os portistas continuaremos a a apoiar a equipa...

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não é por acaso que eu não pus o AVB na lista anterior. Nada por acaso. Ninguém se lembra de como era aquela defesa. A diferença? Moutinho, Fernando, Hulk, Falcao, Varela e James.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não, houve mais, claro, mas o ratio de eficácia foi baixo e de aí o meu ponto. O ratio de eficácia com este ataque pode aguentar uma defesa assim exposta e gerar vitórias?

SUMO disse...

ja nao sao as oportunidades, agora é essa coisa do ratio…

Paulo Rodrigues disse...

Miguel desculpe mas a minha opinião é exatamente igual à do DC. Peseiro já fez muito com este FCP à deriva e sejamos sinceros o FCP neste momento não tem centrais!! Ainda não foi possivel estabilizar a defesa.
Com Flopetegui ( e sim recuso-me a chamar outro nome a uma pessoa que supostamente é treinador) nós não defendiamos trocavamos constantemente a bola o que fazia adormecer o adversário.

Não percebo nem entendo o porquê de não achar que Peseiro não é treinador do FCP. Para mim é! E digo mais com esta garra, raça e vontade Claramente evidenciadas no último jogo pelos jogadores Peseiro é treinador para o FCP.

O Miguel não se pode esquecer que Peseiro está a arriscar tudo para vencer os jogos e cortar com a falta de golos existentes com Floptegui.

DC disse...

A eficácia depende do treinador? O treinador tem culpa que o Abou isolado espere pelo redes para lhe mandar com a bola?

SUMO disse...

DC, tens de entender que o está em causa não são facto ou conhecimentos: é linguagem e a maneira de falar e escrever. Primeiro, o FCP não sabia defender por causa do Peseiro. Mas depois já se dizia que os centrais e a defesa eram fracos. Assim sendo, a equipa não tem oportunidades. Em diálogo percebe-se que - uppsss - afinal, sim, tem. Agora afinal o problema é que o Fcp não tem - coisa espantosa - um ratio de eficácia para sustentar uma defesa daquelas - seja lá o que isso quer dizer. Já não é o treinador, os defesas fracos, a falta de oportunidades: os problemas defensivos do FCP são, espante-se: ratios de eficácia...

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não totalmente, há sempre uma margem de erro individual. Depende de cada lance, da toma de decisão, do posicionamento colectivo. Nada é preto e branco.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Paulo,

"Com Flopetegui ( e sim recuso-me a chamar outro nome a uma pessoa que supostamente é treinador) nós não defendiamos trocavamos constantemente a bola o que fazia adormecer o adversário."

Dormir o rival com posse também é uma forma de se defender, em Espanha é visto inclusive como a melhor forma de defender. Não gosto de Lopetegui, acho-o tacticamente inepto mas o seu problema estava no passo seguinte a dar, não esse.

Quanto a Peseiro, não acho que seja um treinador para um grande, seja o Porto ou outro qualquer. O seu sistema priveligia um modelo que se adapta melhor a clubes médios que grandes.

Paulo Rodrigues disse...

Miguel,

"Quanto a Peseiro, não acho que seja um treinador para um grande, seja o Porto ou outro qualquer. O seu sistema priveligia um modelo que se adapta melhor a clubes médios que grandes."

Discordo totalmente Peseiro só teve uma oportunidade de treinar um grande e apesar de não ter ganho nada a equipa jogava bem e Peseiro não era tão maduro como é agora.
Jorge Jesus tambem era considerado um treinador mediano até ir para o Benfica e apesar de ter falhado várias vezes também ganhou.
Acho que é um estigma associado a Peseiro que tal ele começar a época no FCP e aí tirarmos as dúvidas?
Sinceramente fariamos muito mais do que com o treinador anterior.

João disse...

Nunca pensei que chegássemos ao ponto de elogiar o processo defensivo de Lopetegui, o tal que foi vandalizado por Rebrov e banalizado por esse prémio Nobel da Química, Antunes, na conferência de imprensa.

Pedro disse...

O nosso clube foi de clube mas organizado de Portugal para a maior cagada de Portugal.....

Miguel Lourenço Pereira disse...

Paulo,

"Acho que é um estigma associado a Peseiro que tal ele começar a época no FCP e aí tirarmos as dúvidas? "

Não são tão masoquista a ponto de dar mais uma época de avanço aos rivais a "experimentar" treinadores.

Paulo Rodrigues disse...

Miguel,

Discordo totalmente consigo mas respeito a sua opinião.

Saudações portistas

Vidente Mor disse...

texto filosofico, em espanha por norma gan ham sempre os mesmos como em portugal, guardiola foi se e o henrique ainda e melhor, nao me parece que sirva de exemplo, vamos ver guardiola em outros campeonato ja que na alemanha e no bayern ate eu sou campeao. O sachi ja ninguem sabe bem que foi.
O porto esta destroçado mesmo com guardiola, sachi, mourunho ou Deus teria sempre grandes dificuldades, com um futebol sem es nem cabeça durante ano e meio para mudar nao e facil quando nao se tem jogadores, gostava de ver guardiola com esta equipa do porto , ia embora ao fim de 15 dias. Peseiro esta a fazer o seu trabalho com layun a central, ou danilo a central, ou ou outros, com herrera, evandro, ou assim portanto ......... Para consumo interno e isso mesmo atacar sempre e muito se sofrermos 2 marcaremos 3, so assim se ganham campeonatos em portugal como alias faz jesus. O problema foi o descredito a todos os niveis de um futebol pastoso, sem criatividade, facilmente anulavel. TIREM O MESSI AO BARÇA E VEREMOS OS NEYMARES E OS SUAREZ QUE EM INGLARTERRA ERA SO MAIS UM. Metam o messi em inglaterra ou italia e veremos a genialidade a ser reduxida em 50%.

Vidente Mor disse...

my friend nao se comparam treinadores que tem ao seu dispor os melhores artistas do mundo a outros que tem quem aparece e se dispoe a passar um ou dois anos no porto para seguir rumo a europa a serio. SAO REALIDADES INCOMPARAVEIS e parece me demagogico entrar neste tipo de comparaçoes. UM treinador como um jogador e extra quando e excelente em varios campeonatos e equipas diferentes, agora quando se começa a treinar em equipas que nem de treinador precisam,............... E MUITO DIFICIL, E PRECISA MUITA SORTE PARA SE ANDAR 30 ANOS A FAZER TREINADORES E JOGADORES PARA EXPORTAR PARA OS MAIORES TENDO SEMPRE EXITO, o porto nao tem poder financeiro nem mediatico para ter os melhores po sequer os abaixo dos melhores, as unicas possibilidades sao arriscar UMAS DA CERTO OUTRAS NAO DA.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Paulo,

Obrigado. De todos modos sempre se pode piorar e o Peseiro naturalmente não é a pior das alternativas. Para voltar a um "Lopetegui" estamos melhores servidos agora.

DC disse...

Peseiro levou uma equipa cuja defesa era Ricardo, Miguel Garcia, Beto, Enakahrire e Rogério a uma final da taça UEFA.
E só não ganhou o campeonato por causa do caso Luisão com essa equipa de tostões.

Época de avanço a experimentar treinadores? Então Miguel, contratas quem para o ano que não seja um experimentalismo?

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Um treinador de créditos firmados, que tenha tido exito com a sua ideia onde tenha estado antes, sem experimentalismos do tipo Fonseca (clube pequeno) ou do tipo Peseiro (treinador sem exito em dez anos perdido na Arabia Saudita) que é o que o FC Porto devia ter feito há muito tempo. E não foi por falta de dinheiro está claro.

No entanto, com esta SAD, tenho a certeza que isso não vai suceder. Os treinadores sérios raramente admitem que os comissionistas venham meter o bedelho no seu trabalho.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

"Ricardo, Miguel Garcia, Beto, Enakahrire e Rogério a uma final da taça UEFA. "

Estive nesse dia em Alvalade. Nunca vi uma defesa numa final europeia tão superada como aquela em todos os sentidos e nunca jamais uma equipa a organizar uma final em casa foi tão vulgarizada por outra - que nem era nada do outro mundo. A incapacidade de preparar o jogo e de dar a volta ao mesmo do Peseiro foi gritante.
E essa equipa tinha veterania (Polga, Sa Pinto, Liedson), talento individual (Telo, Niculae), jogadores tacticamente inteligentes (Moutinho, Rochemback, Viana) e um killer de area (Liedson), não era um onze de coxos e no caminho á final jogou com Midlesborough, Newcastle, Az e Feyenoord, não foi propriamente um caminho de tomba-gigantes!

SUMO disse...

Está claro que alguns nunca teriam contratado o Mou na altura em que foi contratado, nem o Vilas-Boas, nem o F. Santos, nem o Jesualdo, nem A. Jorge, nem o Jesus quando andava no Braga - não tinham créditos firmados. Treinador que foi a uma final europeia, ganhou uma taça da liga no Braga, ficou em 2o no campeonato com uma defesa fraquinha, fraquinha e esteve no R. Madrid não tem créditos para treinar um grande em Portugal? Então não há nenhum treinador de momento que sirva. A não ser no museu e no blog reflexao portista….

João Barbosa disse...

Parece-me super prematuro uma análise destas com tão pouco tempo. Temos uma defesa super instável? Claro que sim. Com apenas 2 centrais (ou jogadores da B) em condições físicas longe do ideal, e que tiveram ano e meio a assimilar processos primários de como (não) defender, alguém esperaria outra coisa?
Não tínhamos também instabilidade defensiva no início da era de Vitor Pereira? E acabou por ser o treinador com maior excelência defensiva de que me lembro no Porto.
Com o pouco tempo de treino que teve (e que vai tendo), a aposta em melhorar processos ofensivos, parece-me claramente a melhor opção.

Pedro ramos disse...

"Um treinador de créditos firmados, que tenha tido exito com a sua ideia onde tenha estado antes, sem experimentalismos do tipo Fonseca (clube pequeno) ou do tipo Peseiro (treinador sem exito em dez anos perdido na Arabia Saudita) que é o que o FC Porto devia ter feito há muito tempo. E não foi por falta de dinheiro está claro.

No entanto, com esta SAD, tenho a certeza que isso não vai suceder. Os treinadores sérios raramente admitem que os comissionistas venham meter o bedelho no seu trabalho."

Este deveria ter sido a razão do post. Sobre Peseiro o caro já tinha deixado bem claro na altura da sua apresentação, que num dia bom considerava-o um falhado e um incompetente, num dia mau um inimputável, não há necessidade de repetir.
Só falta um pormenor, exemplificar com 4/5 exemplos para podermos acompanhar e perceber concretamente o que significa tal perfil, porque eu por exemplo, em que se discutia o sucessor de Lope, de todos os nomes mais falados não me lembro de 1 que encaixa-se neste perfil.

miguel87 disse...

Miguel, completamente de acordo com o teor deste texto, que é obviamente uma analise ao conceito de jogo de um treinador e não uma critica directa ao trabalho do mesmo, pese embora os resultados que tem tido.
Fundamentalmente a analise está correcta e bate certo com os tais resultados que temos visto, já que com este tipo de futebol construido de frente para trás a probabilidade de sofrer mais golos em mais jogos sobe exponencialmente.
Parece-me que isto é tão válido agora como quando o conceito estiver devidamente treinado e incutido na equipa a partir de uma pré-época, sejam os centrais Chidozie, Marcano, Indi ou Aloisio, Carvalho, Pepe...

Certissimo também quando escreves que os erros individuais derivam dos colectivos (da mesma maneira que é fácil verificar no futebol que qualquer individualidade sobressai muito mais facilmente num colectivo forte).
Exemplos são vários nos últimos jogos, primeiro Maicon e depois Chidozie... O erro de Maicon não tem desculpa, mas tem atenuantes, reparem como mal ele faz a recepção da bola tem logo 2 avançados em cima dele, isto após um lance pelo ar perdido por Indi e sem a devida compensação de nenhum dos médios defensivos. Chidozie é mal batidos nos 2 golos? A pressão de Danilo para evitar aquela passe do Iuri foi suficiente? Onde estava o lateral que deveria cobrir as costas? A defesa é invariavelmente posta em igualdade numérica contra os avançados contrários, o que por si só aumenta o risco e expõe ao erro individual...

“Quanto a Peseiro, não acho que seja um treinador para um grande, seja o Porto ou outro qualquer. O seu sistema priveligia um modelo que se adapta melhor a clubes médios que grandes.”
Novamente de acordo total, aliás, ainda no Domingo, depois do primeiro ataque do Moreirense (marcaram o primeiro golo no segundo ataque), quando Boateng se isola e remata pouco ao lado do poste, disse mais ou menos isso ao amigo que estava comigo na cadeira ao lado: este futebol é para equipas do meio da tabela que aspiram a fazer brilharetes, não se ganham campeonatos com futebol assim.
O ataque ganha jogos, mas a defesa ganha campeonatos... Outra velha máxima!

Sobre a fálacia, que tem vindo a ser repetida amiude, de que Lopetegui além de atacar mal, era mau a defender, e aproveitando a oportuna referencia a Mourinho (de 2003 a 2008, claro):
- Campeonato 02/03: 73 golos marcados / 26 golos sofridos (86 pontos)
- Campeonato 03/04: 63 golos marcados / 19 golos sofridos (82 pontos)
- Campeonato 14/15: 74 golos marcados / 13 golos sofridos (82 pontos)
* 14/15 foi o primeiro que voltou a ter 34 jornadas, tal como tinham nas épocas de Mourinho.

bruno borges bayr disse...

confesso que perdi o interesse quando li o nome do guardiola.
inventou nada, aproveitou e muito bem a melhor geração de jogadores da história do barça, no melhor momento da carreira, e o explodir do melhor jogador da história, lionel messi.
depois, e muito inteligentemente, retirou-se por um aninho e foi tão valente que pegou na equipa apenas e só campeã europeia, equipa já feita, clube com o maior poderio económico da Alemanha, que sufoca os adversários com a táctica do, contratar a sua melhor estrela, ex - Lewandowski (que por sinal o vi jogar pelo Lech Poznan, em Varsóvia, e comentei em alguma blogosfera azul que estava ali jogador para o porto, oxalá tivesse o telemovel do ti Adelino)
ora, agora, para grande surpresa do mundo de futebol, vai treinar o modesto city, com orçamento limitado e com jogadores de nível medíocre como aguero, bomy, sterling, etc, apadrinhado pelo beriguistain, seu amigo de barcelona.
o guardiola que vá treinar o Milão, ou o inter, e os faça campeões no estado em que estão, aí sim veremos se o guardiola é um genio do futebol.
uma coisa é certa, provavelmente é o treinador que melhor sabe gerir a carreira, mas nunca será um Mourinho, que depois de ser campeão europeu por dois anos seguidos com o fcp, foi ganhar 2 ligas com o chelsea (depois de 50 anos), e triplique com o inter, e liga espanhola com 100 pontos.
tenho enorme respeito pelo guardiola, pela inteligência que gere os seus recursos e nível de como profissional que transparece, mas a verdade é esta, ele ainda não teve um desafio como treinador, como um ferguson, Mourinho ou arrigo. e o cruyf, foi esquecido, o eterno professor e mentor do guardiola (o tal que vetou o Mourinho no tempo do Laporte, para que o guardiola fosse promovido) o cruyf foi o pai do futebol de ataque, dos tempos mais modernos.

agora vou voltar ao artigo, que pela dimensão deve ser interessante, na medida em que parei quando vi o nome do guardiola.

ps - entretanto, viva o peseiro carago, que é um dos nossos! pelo menos até maio, mas vai sair com taça e campeonato no papo!

Hugo disse...

Ja todos percebemos como o Miguel vai malhar sempre no Peseiro. Agora e por causa dos 2 golos. Daqui a umas semanas vai ser por algum motivo que se lembrar desde que se enquadre na narrativa.
E para o ano ele vai continuar a malhar com qualquer treinador que ca estiver...'q

DC disse...

"Um treinador de créditos firmados, que tenha tido exito com a sua ideia onde tenha estado antes, sem experimentalismos do tipo Fonseca (clube pequeno) ou do tipo Peseiro (treinador sem exito em dez anos perdido na Arabia Saudita) que é o que o FC Porto devia ter feito há muito tempo. E não foi por falta de dinheiro está claro."

Por exemplo?

DC disse...

"talento individual (Telo, Niculae)"

Estás a falar a sério?

E tinha uma defesa ridícula em que o melhor elemento, o Polga, não passava do Maicon da época. E um meio-campo onde Moutinho tinha que jogar com 18 anos e era ladeado pelo gajo menos profissional que passou por Portugal (Rochemback) e um veterano de 34 anos. Basicamente era como se o Peseiro pegasse no plantel actual do Porto e chegasse à final da Liga Europa e lutasse para ser campeão.
Desvalorizar isso é triste, até.

Antonio Jesus disse...

"Ninguém espera um golpe de génio táctico de um treinador com dez anos de fracassos acumulados às costas...."
quando o clube do qual sou sócio, tem adeptos a pensar assim é claro que não vamos longe.
O melhor será começar a fazer os nossos jogos longe do Dragão.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Pior, muito pior, era o plantel do Braga do Domingos e ninguém com pés e cabeça queria o Domingos a treinar o FC Porto (acho,e eu gosto muito do Domingos...jogador). O Niculae tinha muito talento e um péssimo fisico, o Telo era um jogador vertical que desbloqueava muitos jogos (e inconstante) e montar um meio-campo com Viana, Moutinho, Barbosa e Rochemback era muito diferente de ter um Herrera, Evandro, Ruben e André André?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

"Só falta um pormenor, exemplificar com 4/5 exemplos para podermos acompanhar e perceber concretamente o que significa tal perfil, porque eu por exemplo, em que se discutia o sucessor de Lope, de todos os nomes mais falados não me lembro de 1 que encaixa-se neste perfil."

O perfil é o do Bobby Robson ou do Tomo Ivic, transferido para a realidade. A partir de aí a SAD que faça o trabalho de casa.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Quando os adeptos conseguem transformar a realidade e ignorar factos como os dez anos de fracassos acumulados na carreira de treinador de Peseiro para justificar o injustificável, seguramente não se irá muito longe, sem dúvida.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bruno,

Parabens, recebeu o prémio do comentário com mais contradições do dia.
Então o pobre do Guardiola vai treinar o Bayern, campeão europeu - o contrato foi anunciado a 1 de Janeiro, meio ano antes do titulo europeu ser conquistado - que asfixia todos os rivais porque tem muito dinheiro e vai agora para o City que também tem muito dinheiro e não vale nada ao pé do Mourinho que foi, ironicamente, treinar o clube que mais dinheiro gastou em Inglaterra até 2010 - esse tal Chelsea de pobres que era ao futebol de 2004 o que o City é hoje - e depois vai para o Inter que vinha de ganhar dois Scudettos seguidos, para depois ir para o Real Madrid, um clube pobrezinho e que não asfixia rivais, para ganhar 1 titulo em três anos. Realmente são movimentos de carreira que nada têm a ver entre si.

Eu pessoalmente até proponho que o Guardiola vá treinar o Girona, o faça campeão europeu só com jogadores catalães para começar a dar algo de mérito à sua carreira. Como se a vida dele fosse um save do FM claro.

"o cruyf foi o pai do futebol de ataque, dos tempos mais modernos. "

Se estamos a falar do Cruyff como jogador, lamento mas ele seguia os ensinamentos de Michels - que era treinador principal - e ainda podemos falar do Maslov no Dinamo Kiev que é contemporaneo. Se estamos a falar do Cruyff treinador, quando o Dream Team do Barça carbura (esteve a dois jogos de ser despedido) já o Milan era uma referencia absoluta.

PS: Viva!

SUMO disse...

"O perfil é o do Bobby Robson ou do Tomo Ivic, transferido para a realidade. A partir de aí a SAD que faça o trabalho de casa." E a montanha pariu um rato no que toca a seriedade de debate e a realismo.

SUMO disse...

"Quando os adeptos conseguem transformar a realidade e ignorar factos" para justificar pré-conceitos, estamos explicados. Exacto.

Hugo disse...

Claro que nao. Vamos todos malhar no Peseiro so porque somos uns adeptos muito exigentes e isso de apoiat a equipa e coisa de burros. Curioso que a seguir a vitoria na Luz o Miguel ficou calado. Quem nao o conhecer que o compre

Jorge Vassalo disse...

Curiosamente, o MLP é especialista em identificar problemas. Já arranjar soluções... é com outro qualquer.

Treinador com creditos firmados? Certo. Qual? A SAD que faça o seu trabalho.

Ora aí está, in a nutshell, toda a questão.

Vamos fazer uma coisa, ok? Você sugere aí um nome dentro do perfil. Mas tem de ser um realista. Nada de trutas que ganham milhões.

Ou então perceba que uma crítica, por muito certeira que seja, se esvazia quando não há uma proposta de solução alternativa.

Abraço

SUMO disse...

Aliás, o irónico é que não foi apenas ao Museu, como tanto gosta, infelizmente teve também que ir ao cemitério. Eu acho que um perfil a Otto Gloria ou Pedroto seria o mais adequado. Agora a SAD que se amanhe. Tendo em conta que em termos de jogo, o unico que une o Robson ao Ivic é facto de ambos usarem um GR e 10 jogadores de campo, o perfil será então alguém com muita experiência, que tenha passado pelo campeonato de PT, de preferência num rival e que tenha sido pelo menos campeão. Já sei! O Trapatoni ainda está livre?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Jorge,

Arranjar soluções é competência de quem ganha no mês o que muitos portistas não vão ganhar numa vida. Os sócios devem ser criticos com as decisões erradas e apoiar o clube mas era o que mais faltava cair sobre o peso dos adeptos arranjar soluções quando há cargos eleitos, pagos principescamente, para isso.

Quanto à questão, parte da falácia do argumento de "trutas que ganham milhões". Ora isso o que é? Porque um clube que pode pagar milhões por salários a jogadores que não merecem, que paga milhões em comissões, que paga milhões aos amigos e paga milhões em empréstimos anuais de jogadores que não trazem nada ao clube não pode recortar em gastos desnecessários e pagar realmente a um treinador que faça a diferença?

Se o FC Porto pudesse contratar um treinador de quilate mas esse exigisse o mesmo que ganha Jesus em Lisboa (cerca de 5 milhoes) já não podiamos? Mas podemos pagar 3 por um incompetente e gastar mal os outros 2? Vamos então esclarecer essa questão antes de colocar barreiras.

E por fim um último problema, que já citei anteriormente. Os treinadores a sério, não aqueles que chegam agradecidos porque antes estavam esquecidos em clubes pequenos ou na Arabia, gostam de trabalhar de forma profissional controlando o seu destino. Esses treinadores podiam encaixar perfeitamente num clube com o nosso perfil, sim, mas poderiam fazer o mesmo com o comportamento da cupula da SAD na sua imposição de jogadores, negociatas e afins? Talvez não.

Portanto, resumimos, queremos citar um nome que encaixe na politica dispendiosa, incompetente e que nunca valorizou o trabalho de treinador - o tal nome "realista - ou queremos citar um nome que seja realmente uma mais valia para o clube mas que possa ser pago e ter meios para trabalhar nesse sentido?

Quando esclarecermos a dúvida, podemos partir para nomes porque há muitos treinadores que ganham X mas que não aceitam Suks e Maregas e muitos treinadores que são bons mas só aceitam Y - que poderiamos pagar em vez de dar comissões a torto e a direito por Suks e Maregas - e depois há o treinador do Arouca/Tondela que aceita tudo o que lhe puserem na frente com o sonho de ser o próximo Mourinho.

Que queremos? Quando isso ficar esclarecido, falamos em nomes!

pancas disse...

Miguel,
A sua analise (ja que diz que nao e critica) peca por um pormenor muito importante: Onde esta o contexto?
Eu nem vou pelo mesmo caminho que acima o Jon ou o DC descreveram (embora concorde com muito do que eles dizem), mas sim pelo contexto. Que quando Peseiro chegou era:

1. Equipa animicamente de rastos. Jogadores que nao so nao acreditavam no treinador e no seu modelo de jogo, como ja comecavam a nao acreditar em si mesmos e em que cada golo sofrido os punha a tremer como gelatina.

2. Uma equipa que simplesmente nao sabia atacar. E tambem nao sabia defender (no que isso representa em termos de posicionamentos, apoios, etc) - o que sabia era trocar a bola inocuamente entre os centrais e os laterais. Uma equipa portanto que estava sempre mais perto de empatar do que de ganhar.

3. Adeptos completamente contra o treinador e a virar as costas a equipa pela miseria que esta mostrava em campo. Inclusivamente a comecar um abandono do estadio com as devidas consequencias a nivel de apoio e monetarias.

4. E por fim, 3 competicoes ainda em disputa. A Taca, com boas perspectivas. A Liga europa ate antes de se saber que era Peseiro ja se dizia adeus dada a qualidade do adversario. O campeonato - e aqui e que esta o busilis da questao - este campeonato nao se pode enfrentar com a teoria normal de que "ataques ganham jogos e defesas ganham campeonatos" porque ja esta a meio e temos um defice grande de pontos. Ou seja, a unica hipotese que temos de o ganhar (ou mesmo ficar em segundo) e de ganhar TODOS os jogos sem sequer arriscar um empatezito.

Portanto, com este contexto em mente, qual acha que e a melhor solucao para este fim de epoca?

1. O que o Miguel parece propor de que se devia treinar a defesa ou manter o mesmo estilo de jogo do Flopes, de maneira que haja pouca possibilidade de sofrer golos. Eu gostava de perceber como e que esta hipotese ajuda os jogadores a ganhar confianca, traz os adeptos de volta para apoiar ou nos possibilita lutar pelo campeonato!!!!

2. O que o Peseiro escolheu fazer - mudar radicalmente a maneira de atacar da equipa, proporcionando muitas oportunidades por jogo para marcar, mesmo sabendo que a defesa iria sofrer mais. Ja se ve as melhorias na confianca dos jogadores, de outro modo nunca teriamos as reviravoltas que temos conseguido. Os adeptos estao a acreditar, como se viu pela reaccao a situacao de 0-2 com o Moreirense. As vitorias estao a chegar em vez de empates que seriam esperados com a pastelosidade do futebol do Lopes. E a fe dos adeptos (claro que nao a tua) tambem voltou - ate ja sonhamos com virar o resultado esta quinta-feira, um feito que nunca antes foi visto e que tem hipoteses reais prai de 5%...

Ora, aconteca o que aconteca este ano, se chegarmos a Outubro, com uma pre-epoca, com um plantel mais equilibrado e mais ao sabor do Peseiro, e a equipa ainda estiver a jogar de uma maneira suicida com a defesa sempre aos papeis, eu serei o primeiro a vir aqui pedir a cabeca de Peseiro e a criticar a sua maneira de treinar. Mas se vir os mesmos comportamentos que se viram no Braga de Peseiro eu estarei muito contente - e tambem contente de finalmente dizimar as opinioes jornaleiras que acham que o Peseiro e fraco no trabalho defensivo!

Hugo disse...

O Miguel ainda vai engolir tudo o que diz sobre o Suk. So que claro nao vai admitir o seu erro pois isso nao lhe da jeito

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pancas,

1. Eu não proponho prolongar a "flopeteguice" eu nenhum momento. Outra coisa é trabalhar o colectivo de forma harmoniosa em lugar de partir a equipa em dois com um modelo novo que deixa o sector defensivo totalmente exposto a rivais muitas vezes inferiores que em condições normais não deveriam ter uma oportunidade de golo no Dragão.

2) Eu não critiquei nem ponho em causa a mudança na paradigma de ataque, apenas o facto da qualidade disponivel no ataque nao garantir á partida que a politica do "marco mais um do que sofro" seja infalivel no contexto vigente.

3) O que os adeptos acreditem ou não para um treinador profissional tem de valer zero. Ele trabalha com o balneário não com as bancadas. Existe uma perigosa mania de que os adeptos condicionem o jogo da equipa e não vejo de que forma é que isso pode ser positivo. A crença dos adeptos não deve vir de se jogar para as bancadas mas sim do seu apoio indiscutivel á equipa, seja quem for o treinador ou jogadores em campo.

4) O modelo actual - de ida e volta - seguramente é mais espectacular e intenso e promete muitos mais jgoos de 4-3 ou 3-2 que 1-0s ou 2-1s, isso é indiscutivel. Mas o que o FCP agora precisa são pontos para assegurar, pelo menos o segundo lugar, e este modelo não garante nada a não ser emoção. Num fim de semana pode gerar uma goleada e no seguinte a derrota com uma equipa da parte baixa da tabela. Se esse é o caminho para o titulo, com o atraso pontual que existe ,é um caminho muito perigoso.

6) Eu não estou a pedir a cabeça do Peseiro. O homem aceitou o trabalho da vida dele e em Junho estará noutro lado seguramente e por isso não tem nada a perder. Muitos dos jogadores que sabem que vão sair também não. Mas os adeptos ficam e esses é que deviam estar preocupados. Se não estão, isso já é outra conversa.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Hugo,

Pois vou, no dia em que ele ganhar a Bota de Prata como muitos engoliram o Pena.

pancas disse...

A defesa ganha campeonatos quando eles sao longos, as equipas sao relativamente equiparadas e todos comecam com os mesmos pontos. Neste caso temos um mini-campeonato de 12-15 jornadas, muito menos pontos que os rivais e obrigatoriedade de ganhar em 80% dos jogos - podemos ter a melhor defesa do mundo, mas se nao marcarmos golos vamos de empate a empate, e os adversarios ficam muito contentes com isso.

E tente perceber que uma equipa nao defende bem porque sofre poucos golos ou vice-versa. Porque senao explique-me la quando a bola entra devido a um ressalto, um erro do arbitro ou um tropecao de um defesa ou um livre directo como e que isso significa que a equipa nao sabe defender.

SUMO disse...

Hugo, é problema de andar a arranjar argumentos para justificar preconceitos injustificáveis. Os mesmos argumentos que foram aqui usados servem para tudo. Não há coerência. Ele acha. Confunde opiniões com factos. Fala como se fosse dono da verdade. Não apresenta uma ideia, nenhum perfil válido, nenhum nome. Os únicos nomes e perfis são os do passado (o Lima é que era bom, o Robson, o ivic). O treindor está há pouco mais de um mês? Não presta. O jogador ainda nem chegou nem jogou, marcou muitos golos no campeonato? Mas não presta, precisamos de um Derlei. Porquê? Porque sim… ou não. Porque se diz algum nome quando se faz isso, pode-se falhar. é mais fácil criticar porque sim. Porque o contrário do porque sim é o porque não...

Jorge Vassalo disse...

Tenho o MLP como um homem inteligente, á lá, não faça innuendos. Você sabe que quando eu falo em "realista" não estou a falar só de salário.

Você sabe tão bem como eu que Guardiola, Pellegrini, Mourinho, Klopp e quejandos não vão largar as principais ligas para vir treinar o FC Porto. Mesmo que nós dessemos os 20M por Guardiola.

Pronto, concedamos essa política responsável de tirar a comissionamentos para ir buscar um nome - sugira lá um.

É que um exemplo ajuda a perceber a sua ideia!

Abraço

pancas disse...

Miguel,
Olhe que esta a torcer-se todo para defender uma posicao indefensavel... E note que todos os meus argumentos acerca do que o Peseiro esta a fazer agora se restringem a situacao presente, ao curto prazo.

Entao o Miguel diz que nos precisamos de pontos para chegar ao segundo lugar - eu concordo. Mas o Miguel diz que a falta de qualidade dos nossos atacantes nao dao garantias para que a teoria do "marco mais do que sofro" resulte. Mas essa mesma qualidade ja nao parece ser um problema para a teoria do Miguel de "nao sofremos e marcamos sempre pelo menos 1"!!!! Se as contas nao me falham, prefiro perder um jogo em tres do que empatar dois...

E a teoria de que os adeptos apoiam sempre a equipa ja foi claramente provada como errada - por isso se ouviam assobios ao primeiro passe falhado. E bem melhor ter os adeptos do lado da equipa, a apoiar sem olhar ao resultado porque acreditam na visao da equipa.

E alem do Robson e Ivic (que eram bons treinadores na altura em que o futebol eram 11 duelos individuais) diga-me la nomes de treinadores vivos que nao so sejam bons, mas que aceitem vir para Portugal (concordo que o dinheiro nao e problema, mas a visibilidade do campeonato portugues ja e).

E retomo como comecei - se o Peseiro, com tempo, nao conseguir por a equipa a jogar mais do que agora (especialmente em termos defensivos) entao sim, concordo e peco a substituicao. Mas ate la, com o tempo que ele tem para implementar o seu sistema (puoco ou nenhum tempo), entao acho que ele escolheu a melhor hipotese. E tambem a que demora menos tempo, ou seja simplesmente Des-flopeteguizar a equipa, porque treinar posicionamentos, especialmente os defensivos demora muito tempo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Jorge,

Obviamente que há uma lista que está acima das possibiliades do Porto e qualquer clube similar mas não era disso que se falava. Quando se fala em futuros treinadores para o Porto normalmente procuram-se low profiles que não ganhem muito mais do que 2 milhões de euros ao ano e sem poder de gestão do plantel como se exige num clube de elite.

Entre nomes disponíveis há vários, de diferentes perfis tácticos - depende do rumo que o clube quer tomar desportivamente ainda que a maioria prefira o 4-3-3 e um modelo de posse de cariz ofensivo - mas que reunem algo de experiência comprovada (o que o Lopetegui não tinha), fieis a uma ideia concreta de jogo e que ofereçam garantias sem ser um risco desnecessário a partir de um plano de jogo coerente.

Podemos estar a falar de Marcelino, de Valverde, de Berizzo, de Frank de Boer, de Thomas Schaff, de Mircea Lucescu, Philip Cocu, Rudi Garcia já para não ir ao extremo que representaria um modelo Paco Jemez.

São treinadores que, seguramente, com o salário, expectativas e controlo do plantel adequados não iriam ver com mãos olhos lutar todos os anos por titulos e oitavos de final de Champions que é ou devia ser o objectivo real do FC Porto em cada temporada.

Mas para continuar a gastar só 2 milhões ou 3 de euros ao ano com o treinador e para controlar o negócio em exclusividade nem vale a pena pegar no telefone, todos vão dizer não e com toda a lógica do mundo!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pancas,

"E a teoria de que os adeptos apoiam sempre a equipa ja foi claramente provada como errada - por isso se ouviam assobios ao primeiro passe falhado. E bem melhor ter os adeptos do lado da equipa, a apoiar sem olhar ao resultado porque acreditam na visao da equipa."

Isso depende dos adeptos, não da equipa.

"Entao o Miguel diz que nos precisamos de pontos para chegar ao segundo lugar - eu concordo. Mas o Miguel diz que a falta de qualidade dos nossos atacantes nao dao garantias para que a teoria do "marco mais do que sofro" resulte. Mas essa mesma qualidade ja nao parece ser um problema para a teoria do Miguel de "nao sofremos e marcamos sempre pelo menos 1"!!!! Se as contas nao me falham, prefiro perder um jogo em tres do que empatar dois..."

No contexto actual o Porto não se pode dar ao luxo de perder um só jogo mas pode ganhar muitos por 1-0. Começar a perder cada jogo é meio caminho para perder pontos inevitavelmente.

" alem do Robson e Ivic (que eram bons treinadores na altura em que o futebol eram 11 duelos individuais) diga-me la nomes de treinadores vivos que nao so sejam bons, mas que aceitem vir para Portugal (concordo que o dinheiro nao e problema, mas a visibilidade do campeonato portugues ja e)."

Já está acima respondido ao Jorge Vassalo.

" retomo como comecei - se o Peseiro, com tempo, nao conseguir por a equipa a jogar mais do que agora (especialmente em termos defensivos) entao sim, concordo e peco a substituicao. Mas ate la, com o tempo que ele tem para implementar o seu sistema (puoco ou nenhum tempo), entao acho que ele escolheu a melhor hipotese. E tambem a que demora menos tempo, ou seja simplesmente Des-flopeteguizar a equipa, porque treinar posicionamentos, especialmente os defensivos demora muito tempo."

Precisamente porque demora muito tempo, a abordagem mais responsável - que não a única nem a "Verdadeira" porque isso não existe - era a de não partir a equipa em duas e deixar a defesa à sua sorte.

SUMO disse...

Fantástico! Desconhecia que essa lista de treinadores tinham já créditos firmados - ou são só os portugueses que têm de ter créditos firmados? - e que correspondem a um perfil aonde se pode englobar o Robson e o Ivic. Para além de que a maioria deles são soluções realistas.

Pedro ramos disse...

"Um treinador de créditos firmados, que tenha tido exito com a sua ideia onde tenha estado antes, sem experimentalismos do tipo Fonseca (clube pequeno) ou do tipo Peseiro (treinador sem exito em dez anos perdido na Arabia Saudita) que é o que o FC Porto devia ter feito há muito tempo. E não foi por falta de dinheiro está claro."

Para este perfil a resposta é:
"Podemos estar a falar de Marcelino, de Valverde, de Berizzo, de Frank de Boer, de Thomas Schaff, de Mircea Lucescu, Philip Cocu, Rudi Garcia já para não ir ao extremo que representaria um modelo Paco Jemez."

Temos realmente ideias completamente diferentes do que é um treinador de créditos firmados que tenha tidos exitos com as suas ideias por onde passaram.
Por exemplo PF é experimentalismo (clube pequeno) mas Berizzo já é alguém de créditos firmados em grande clube...
Marcelino outro com uma carreira de sucesso de 17/18 anos em grandes clubes como Gijon, Santander ou Saragoza, que está a ter pela 1º vez sucesso com as suas ideias no Villarreal é outro que tem um perfil de créditos firmados... ou por exemplo Paco Jémez que ainda consegue ser pior que Peseiro em termos defensivos.

PS. Eu até gosto de vários treinadores apontados mas, pelas ideias que as suas equipas apresentam não serem treinadores de créditos firmados o que a maior parte claramente não é.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Berizzo é um treinador referenciado na Argentina e que tem tido um desempenho excepcional na liga mais exigente do Mundo, comparar isso ao treinador do Paços de Ferreira é alucinante.

Schaff é campeão da Bundesliga; Frank de Boer e Cocu da Eredevise; Rudi Garcia da Ligue 1; Lucescu da Roménia e Ucrania; Valverde campeão na Grécia, finalista vencido Taça UEFA com o Espanyol e terceiro/quarto da liga mais exigente da Europa com dois clubes diferentes; Marcelino tem um largo historial de competitividade na liga espanhola e montou em Villareal uma equipa tremendamente competitiva; Berizzo idem com o Celta.

Estamos a falar de treinadores campeões nacionais nas suas ligas com experiência europeia de Champions League e treinadores de ligas exigentes com êxito nos seus projectos.

Robson chegou a Portugal com titulos na Holanda, uma FA Cup e Taça das Taças com o Ipswich e oito anos como seleccionador inglês. Ivic fê-lo como campeão na Holanda com o Ajax, na Belgica com o Anderlecth e na Jugoslávia. Em ambos os casos com equipas ofensivas e com experiência europeia contrastada.

Não vejo neste perfil nenhum dos treinadores recentes do FCP e muito menos nos ultimos três anos, lamentavelmente.

SUMO disse...

Berizzo muito referenciado, como adjunto do Chile… Garcia? 0 títulos - foram 6 ou 7 do Barça? Defesa?. De Boer? 0 títulos. Há quantos anos seguidos é que a equipa do Marco Silva é campeã na Grécia? De facto, o espanyol era uma grande equipa… Cocu? Uma liga holandesa, também ela muito competitiva, como podemos ver na performance das equipas na Europa nos ultimos anos. A Ucrania e a Romenia têm grandes campeonatos, nós é que desconhecemos… Sim, todos eles têm muito que ver com o perfil do Ivic e do Robson. De facto, não há nenhum experimentalismo em trazer treinadores estrangeiros de equipas de 2a para a Porto. Temos muitos bons exemplos: Lopetegui, Quique Flores, Materazzi, etc… A tua coêrencia foi dar um passeio hoje de manhã e ainda não regressou. Porquê estes? porque sim, calhou. Porque não o Peseiro - final taça uefa, uma taça da liga, um 2o lugar? Porque não...

miguel87 disse...

"A defesa ganha campeonatos quando eles sao longos, as equipas sao relativamente equiparadas e todos comecam com os mesmos pontos."
1) de acordo.
2) isso não altera o facto do Peseiro implementar este conceito de jogo a partir da próxima época (no caso improvável de cá ficar) e de eu ser da opinião que com esse futebol não vamos longe.

"Neste caso temos um mini-campeonato de 12-15 jornadas, muito menos pontos que os rivais"
3) exactamente, neste momento temos menos 6 pontos do que o primeiro classificado, quando tínhamos 4 a menos no momento em que despediram o anterior treinador e com isso deram o maior sinal de que o campeonato estava perdido. Entretanto desde essa data, o primeiro classificado já perdeu 4 pontos e ainda vai jogar com o 2º classificado e vem jogar ao Dragão...

"uma equipa nao defende bem porque sofre poucos golos ou vice-versa. Porque senao explique-me la quando a bola entra devido a um ressalto, um erro do arbitro ou um tropecao de um defesa ou um livre directo como e que isso significa que a equipa nao sabe defender."
Eu sei que a estatística não explica tudo, mas desvalorizar diferenças de 13 e 6 golos com o argumento dos ressaltos, erro do arbitro ou tropeções... só a brincar, não?



SUMO disse...

Ou: o Miguel acha que têm créditos firmados e acha que o Peseiro não. É uma opinião. Longe de consensual, mas uma opinião. O Ivic na última passagem pelo Porto, que é a que eu me lembro, era cá um futebol de ataque….

DC disse...

Este Bruno só pode ser uma conta de paródia. Ninguém diz tanto disparate sobre tanta coisa diferente.

DC disse...

Por falar em Klopp, bom trabalho do Klopp num plantel depenado em que pegou a meio da época. É por ser fácil.

DC disse...

Criticar Peseiro e falar de Paco? Miguel, estás a ser incoerente como nunca. Paco é o pior treinador da liga espanhola a defender e um dos melhores a atacar.

Hugo Mota disse...

"Podemos estar a falar de Marcelino, de Valverde, de Berizzo, de Frank de Boer, de Thomas Schaff, de Mircea Lucescu, Philip Cocu, Rudi Garcia já para não ir ao extremo que representaria um modelo Paco Jemez."

E estes treinadores que enumera, conhecem o campeonato português como a palma da mão. Chegavam cá a Portugal de paraquedas, sem nunca ouvirem falar de moreirenses, aroucas e afins, e começavam por milagre da virgem a ganhar os jogos todos, a meio da competição???

A sua argumentação chega a ser desesperante Miguel.

Quanto ao Peseiro, não sei que mais queria que fizesse. Tem ganho os jogos, excepto um que foi ROUBADO e outro que foi deixado com uma mão à frente, e outra atrás, pelos senhores da SAD. Ou seja, o ratio de resultados em relação às expectativas iniciais, é bastante positivo.

Cumprimentos

Miguel Lourenço Pereira disse...

Hugo,

"tes treinadores que enumera, conhecem o campeonato português como a palma da mão. Chegavam cá a Portugal de paraquedas, sem nunca ouvirem falar de moreirenses, aroucas e afins, e começavam por milagre da virgem a ganhar os jogos todos, a meio da competição???"

A competência não conhece fronteiras, qualquer bom treinador triunfe noutra liga, só precisa de não ser teimoso como foi Lopetegui. Em Portugal o ratio de treinadores campeões de Liga é imenso.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Com os meios do Rayo (uma equipa só com jogadores emprestados e a custo zero) o que o Paco Jemez faz é o equivalente a ganhar a Champions League.

Pedro ramos disse...

"Berizzo é um treinador referenciado na Argentina"- isto quer dizer o quê? JJ é um treinador referenciado em Portugal e todos sabem o que tu pensas dele.
Para mim um treinador de créditos firmados precisa de mostrar a sua capacidade ao longo de 5/6 anos competindo sempre a grande nível. Para ti basta fazer um brilharete na liga mais competitiva do mundo e já é alguém de créditos firmados. E dizer que Marcelino tem um longo historial de competitividade na liga espanhola...
Faz lembrar Scolari, qualquer um que jogasse numa liga estrangeira era automaticamente melhor que outro que jogasse em Portugal.
Luigi del Neri e Fernandez enquadram-se nesse perfil.
Depois atirar com títulos sem contexto para mim vale zero. Titulos como campeao grego deve fazer de Marco Silva, que bate recordes lá, automaticamente já competente para o nosso clube.

Neste aspecto estaremos sempre separados: para si valem os títulos, para mim as ideias.
Paco, por exemplo que é tão aplaudido porque joga ao ataque, mas os comportamentos defensivos são horriveis e não é culpa da qualidade individual dos seus jogadores. Esse seria o comportamento da nossa linha defensiva.

Só uma ideia que se passa em nossa casa: LC esta época farta-se de ser elogiado pelos portistas, veja-se lá pode até ser campeão da 2º liga. Quando finalmente vem de lá um jogador, Chidozie, percebo que em 6 meses a treinar como defesa central, não sabe fazer uma contenção.

João Arem disse...

Integralmente de acordo com o DC. O q Peseiro está a fazer, com tão pouco tempo de treino útil,é próximo de um milagre. E q gosto já dá ver as combinações ofensivas, o número de jogadores em situações prometedoras e com mais do q uma solução de passe. Quanto ao anímico, o jogador de futebol percebe bem se o treinador percebe ou não do seu ofício, e estes já entenderam q os métodos do Peseiro são mt mais válidos q o antecessor. Peseiro tinha 2 caminhos, chicotada psicológica ou metodológica, foi pelo segundo e conquistou o respeito do grupo. Fizemos 4 reviravoltas de facto (conto com Arouca) e isso não acontece por acaso, mas sim pq os jogadores (q estavam psicologicamente de rastos) acreditam q o estilo de jogo, os métodos actuais os aproximam do sucesso. E vão tê-lo.

João disse...

Concordo em dois aspectos com o Miguel. 1) a argumentação do salário não colhe, quando se dão milhões por jogadores que não vão ser minimamente decisivos. 2) percebo a referência ao rumo que o clube pretende seguir. Veio-me logo à cabeça Bielsa e estas contratações para encher o bandulho a algum espantalho da SAD.

Não concordo em como elogia o trabalho do Paco Jemez por não ter ovos e depois se esquece da banda de música que o Peseiro encontrou no sector defensivo, com as várias (!) agravantes que se conhecem, do ter que corrigir o trabalho anedótico do antecessor às lesões e castigos, passando pelas embolias cerebrais do Maicon.

DC disse...

Miguel, não quero saber de resultados para nada. É só uma questão de coerência. Eu adoro o Paco mas o processo defensivo dele é rudimentar. Simplesmente manda os jogadores marcar H-H e esquece o resto. Ele adora atacar, não quer saber da defesa. E o Berizzo é pouco melhor.
Se para ti o Peseiro se devia focar na defesa, falar de Paco e Berizzo é completamente incoerente. E eu adorava qualquer um deles no Porto. Mas não tem nada a ver com o teu post.

pancas disse...

"2) isso não altera o facto do Peseiro implementar este conceito de jogo a partir da próxima época (no caso improvável de cá ficar) e de eu ser da opinião que com esse futebol não vamos longe."

Entao mas agora criticamos face a eventos futuros? Quem e que lhe diz que Peseiro vai implementar este conceito de jogo na proxima epoca? Alias, nenhuma das suas equipas anteriores tinha uma defesa muito fraca, porque senao nunca teria chegado a uma final da uefa e a lutar pelo titulo a poucas jornadas do fim. Se fosse o caso da defesa nao melhorar comportamentos depois de uma pre-epoca, entao sim, critique-se, mas nao se critique baseado no mito de que as equipas de Peseiro nao sabem defender...

"Eu sei que a estatística não explica tudo, mas desvalorizar diferenças de 13 e 6 golos com o argumento dos ressaltos, erro do arbitro ou tropeções... só a brincar, não?"
Eu nao estava a explicar as diferencas nas estatisticas (nem olhei para elas). O que dei foram so alguns exemplos de golos sofridos que nao tem nada a ver com saber defender ou nao. Saber defender mede-se pela movimentacao e posicionamento dos jogadores. Nao pelas estatisticas. Mais um exemplo - uma equipa que so concede uma ocasiao clara de golo em cada jogo - mas em todos os jogos os adversarios concretizam essa ocasiao. E outra equipa que concede 10 oportunidades claras por jogo, mas as bolas vao ao poste ou simplesmente desperdicadas... Pela estatistica, a segunda equipa defende melhor... Acha logico?

Nao percebi o seu comentario sobre os pontos a mais ou menos dos adversarios. Espero que nao estejamos a culpar o Peseiro pelos pontos perdidos antes de ele ter feito 2 ou 3 treinos ou antes de ele ter aterrado no Porto...

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

O Paco já disse várias vezes que não jogaria com a defesa da mesma forma noutro clube, que o faz porque é a unica ferramenta que encontra válida para o que tem e tem triunfado dentro do que são as expectativas do Rayo. O Berizzo tem um enfoque no ataque mas a organização defensiva é bastante mais organizada do que a do Peseiro.

João,

O Peseiro tem um historico de 10 anos onde jogou sempre da mesma forma, não me estou a referir exclusivamente a um mês.

Pedro,

O que vem de fora nem sempre é melhor do que está dentro mas a qualidade média do treinador português é manifestamente inferior e só mesmo a propaganda e o espirito Mendes - que coloca treinadores de terceiro nivel em equipas de segundo nivel - permite pensar o contrário.

DC disse...

Berizzo mais organizado? Estás bastante enganado. Pode defender com mais, não defende mais organizado. Referências ao homem também tal como o Peseiro na luz com a diferença que o Peseiro o faz porque ainda não teve tempo para trabalhar outra coisa.
Quanto ao Paco, não sei se disse isso. Mas se diz que vai atacar muito quando tem jogadores banais e passar a atacar menos se fosse treinador de um grande, é completamente estúpido. Quando melhores os jogadores mais bola tens, menos tempo passas a defender, mais autocarros defrontas, mais tens de atacar.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Não vai passar atacar menos, mas a defesa de três e marcação ao homem é algo que não está a pensar utilizar numa outra etapa, são conceitos diferentes.

Francisco Paulos disse...

E se se deixassem de tretas e apontassem o dedo ao principal responsável de tudo de mau que nos tem acontecido este ano? Ou seja a uma Sad incompetente e desleixada!A esses é que devia ser pedidas responsabilidades pela incompetência. Peseiro faz milagres com os jogadores que tem. Defesa??? Os piores de há 30 anos.Avançado? Um zero que para marcar 1 falha 10. A incompetência da Sad é que deve ser posta em causa.

Miguel Pais disse...

OFF TOPIC, caro Miguel Lourenço Pereira, tendo de me deslocar a Madrid esta quinta e sexta por afazeres profissionais gostava de ver o FCP. Estive a ver e creio que Madrid nao tem casa do FCP. Pode pf indicar algum sitio onde se possa ver o jogo em Madrid? Ha alguns anos naquele jogo que ganhamos ao SLB com um golo de Maicon de cabeça andamos por dezenas de bares, cafes e restaurantes na Gran Via e arredores e nao conseguimos ver o jogo. PF desculpe o incomodo. Obrigado

Antonio Jesus disse...

O MLP tem a sua opinião e como tal tem que ser respeitada o que não quer dizer que não possa ser criticada.

Falar sempre baseado nos "se's" é fácil. Se isto, se aquilo, temos é que ser honestos e factuais.

Falar mal do nosso treinador a esta altura, logo num BLOG que se diz de Portistas e para Portistas é dar trunfos aos outros, é semear a confusão, ser intriguista e criticar por tudo e por nada quem algo tenta fazer....

Não sei se vamos ganhar algo com Peseiro, espero sinceramente que sim.

Poderia ter vindo alguém mais competente que Peseiro? Não sei, não gosto entrar no mundo dos "se's".

Só uma coisa me bastou para passar a ser apoiante do José Peseiro: nas conferências de imprensa ter uma atitude que reflete a força e a atitude que um treinador do FCP tem que ter, ao contrário do anterior que não se cansava de dizer que íamos defrontar uma grande equipa. A partir de certa altura dava a entender que os nossos jogadores entravam a medo.

Gaspar Santos disse...

Na minha modesta opinião, tudo se resume a um plantel desequilibrado e como se isso não bastasse, a sua qualidade deixa muito a desejar.
Quer o treinador fosse o Prof. Neca ou o Mourinho, com este plantel ninguém conseguira mais do que isto.

A manta é curta! Tapas de um lado, destapas do outro!

Não vou colocar em questão a qualidade dos jogadores contratados em Janeiro, mas pergunto, era o sector avançado que mais necessitava de ser reforçado?
Já desde a pré-época que se sabia que a zona central da nossa defesa tinha de ser muito melhorada e que necessitávamos de um médio criativo como de pão para a boca. Entenderam que o que tínhamos era suficiente. Enganaram-se! Mas se errar é humano, persistir num erro que até um cego vê, é...
Mas como alguém disse, "os adeptos não percebem nada de futebol", temos de nos reduzir à nossa insignificância e aguentar.

Alguns Senhores da SAD, do alto da sua cátedra, olham-se ao espelho e perguntam: "Espelho meu! Há alguém que perceba mais de futebol do que eu?"

Seja o Peseiro ou outro qualquer treinador, enquanto os responsáveis só olharem para o seu umbigo, será a nossa queda vertiginosa em direcção ao abismo.

Espera-nos uma travessia do deserto equiparada àquela que vivi durante dezenove anos.

Jorge Vassalo disse...

Acho lindo o wishful thinking!

Miguel, escute com atenção, a ver se a gente se entende:

Eu dou um desconto porque o Miguel não está cá, portanto desconhecerá a realidade de que vou falar.

Lopetegui ouviu assobios NO JOGO DE APRESENTAÇÃO da PRIMEIRA temporada! Desde a jornada UM de 14/15 que se ouvia nas bancadas "espanhol vai prá tua terra" e "só pões os teus a jogar!".

Lopetegui chegou aos Quartos da Champions e teria, não fosse o #colinho teria acabado 6 pontos à frente - contas de Rui Santos, que é insuspeito de ser Portista!

Lopetegui não teve nenhum apoio para as massas, serviu de escudo até quando saiu e você acha que, com qualquer outro que fala, não seria EXACTAMENTE o mesmo?

Nenhum destes conhece o #colinho, nem o Record e a A Bola, nem a SIC, nem a paineleiragem, nem os assassinatos de carácter e de nome!

Só é possível dois estilos de treinador: um raçudo, que saiba o que é ser Porto, e que não tenha medo de levar porrada de todo o lado, ou um galáctico transversalmente consensual.

Porque isto da táctica é muito bonito mas sou até capaz de apostar que, um discurso tipo "Luisinho, pá, este ano tens de vender pelo menos um dos 3 da frente, o Piquê, o Busquets e o Mascherano, e se calhar o Rackitic", a ver como seria o ano seguinte!

Não me diga que esperava que o contexto fosse diferente. Isso, com franqueza, é acreditar no Pai Natal.

Abraço

Miguel Lourenço Pereira disse...

Miguel,

Sinto muito não ter boas noticias mas não vai encontrar nada. Apesar da Bein ter os direitos da liga portuguesa a maioria dos jogos dão em diferido e, quando dão em directo, coincidem sempre no horário com um jogo da liga espanhola, em qualquer um dos três canais (RTVE, Movistar, Bein) que faz com que seja o único a dar ao vivo. Só se salvam os jogos da Premier que dão em algum pub. Eu pessoalmente em nove anos só por duas vezes vi jogos do FCP num espaço publico de Madrid e eram ambos da Champions.

Miguel Pais disse...

Obrigado na mesma Miguel... Paciencia...tentarei ver no Hotel atraves da Net.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Jorge,

Não tem que dar descontos a ninguém, estar longe geograficamente não implica estar longe do que se vive in loco.

Limitar a um clube da grandeza do FCP um treinador bronco ou um galáctico (coisa que o Porto criou mas nunca contratou) diz muito pouco do que pode e deve ser o clube e explica também muito do que se passa. Quem tem de conhecer o colinho, os jornais, os canais, os arbitros e essa lixeira não é o treinador, que está para trabalhar no campo, com os jogadores; é quem dirige o clube. Essa mentalidade, uma vez mais tapa o sol com a bananeira porque transmite para o treinador essa responsabilidade que é o que tem sido feito nos ultimos dez anos.

Pode haver treinadores melhores e piores entre portugueses e estrangeiros mas quando Adriaanse, CAS, Robson ou Ivic foram campeões fizeram-no porque só se preocuparam com futebol, havia quem tratasse do resto. Se quiserem ir por aí, qualquer treinador de talento, tenha nascido no Curdistão ou na Ribeira, pode triunfar. Se vamos por o treinador a dar o peito ás balas a cada roubalheira, então contratem o Sergio Conceição que acabaria as conferências de imprensa ao soco.

bruno borges bayr disse...

" e, sobretudo, o Casillas, que tem estado soberbo a aguentar o vendaval."
será este o mesmo casillas que tem enterrado em 50% dos golos nos últimos 5 jogos? e perda de pontos que nos dariam igualdade na liderança do campeonato, ou a própria liderança?
critica-se o abou, mas o principesco espanhol é intocável, será por um ser negro e outro ter filhos da carbonero? não me lixem com demagogia

ps - concordo plenamente com o dc, o peseiro está a fazer uma correta abordagem, ataque primeiro, até porque temos mesmo de atacar os que vão à frente, e pelo que é evidente à vista de todos, não temos defesas nem em quantidade, nem em qualidade, fruto do trabalho do basco.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Miguel,

Outra alternativa é entrar numa das várias salas de apostas que habitualmente têm ecras de vários desportos mas para isso acho - nunca tentei - que é obrigatorio apostar em algo e consumir. Mas não tenho certeza. Na zona centro há varios espaços assim.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bruno,

Quando o Iker esteve mal, aqui falou-se nisso. Nos ultimos três jogos compensou com juros varios erros anteriores. Não fosse por ele e na Luz e contra o Moreirense o Porto tinha sumado 0 pontos e aí sim que não havia nem titulo nem segundo lugar para ninguém.

Isso não o exime de responsabilidades directas na Champions League, sobretudo.

bruno borges bayr disse...

esse mesmo inter que ganhou 2 campeonatos seguidos que se refere, é o mesmo que jogou sem adversários? a juve desceu de divisão e o Milão começou com (se não estou em erro) 20 pontos de atraso.
o Mourinho ganhou a champions no inter (com melhor ou pior futebol) ou terá sido o guardiola?
já comparou os planteis do barça e Madrid no tempo em que Mourinho treinou em Espanha?
análise o plantel do ancelloti na época seguinte.
e compare também os planteis do chelsea com os adversários (inclusive o da última época) e faça as suas conclusões de milhões de €.
o Mourinho não é um treinador de contratações milionárias, de super estrelas, guardiola sim.
e diga-se, que nem aprecio o futebol de Mourinho, desde que foi para Itália.

e quanto a disparates, por sorte não sou o único a vomita-los, há bastante mais por aí, contas de paródias há muitos, como chapéus!

bruno borges bayr disse...

deixem o peseiro trabalhar!

no que respeita ao futuro, se a estratégia é consumo interno, campeonato e taça, qualquer um serve, com um plantel decente, e organização interna.
pessoalmente que seja português, e monte um plantel de jogadores nacionais.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bruno,

Confirmar dados ajuda a formular raciocinios.
O Inter de 2008/09 era de longe o clube que mais gastava na Serie A, muito mais do que qualquer um dos seus rivais. Foi eliminado nos 1/8s no primeiro ano da Champions e teve uma sorte (e algo) mais descomunal no segundo. Ganhou até um campeonato no sprint final quando tinha tudo para dar um baile de avanço.

O Chelsea na primeira etapa de Mourinho foi o clube que mais dinheiro gastou no mundo em toda a decada de 2000. So no ano em que Mourinho chegou gastaram mais de 130 milhoes em Cech, Drogba, Paulo, Ricardo, Tiago, Smertin, Robben...nos anos seguintes ainda houve dinheiro para os Schevchenkos e companhia. Ao lado desses numeros o que gastavam Arsenal, Man Utd e Liverpool eram trocos. Na segunda etapa o Chelsea foi o segundo clube ingles a gastar mais (também vendeu, muito bem) e fê-lo apenas menos que o City porque tinha de quadrar as contas em relação ao FFP.

Em Espanha, pasme-se, o Mourinho herdou um plantel que no ano anterior tinha custado 200 milhoes de euros no mercado para trazer a CR, Kaka, Benzema, Alonso, Arbeloa e companhia, e nos primeiros anos pagou fortunas por Di Maria, Coentrao, Varane e companhia. Comparado o Barcelona - cuja diferença é que tem uma massa salarial maior - comprou, durante a estadia de Mourinho, Alexis, Cesc e pouco mais.

É só documentar-se!

bruno borges bayr disse...

miguel, nao vou argumentar, parece-me que de facto estou menos informado ou documentado, porque a realidade é que de futebol, sigo pouco, leio as gordas e estou apenas e sempre mais atento ao fcp.
(o meu desporto favorito até é a F1, cumprimentos desde o circuito da Catalunha já agora)

o FCP interessa-me mais que qualquer outra realidade futebolística.

se o Mourinho gasta mais ou menos que o guardiola, até nem me parece importante.
uma coisa é certa, no presente, prefiro um perfil guardiola a treinar o FCP, que um Mourinho, porque este ultimo queimou a ficha toda durante a sua passagem por Espanha, e em Inglaterra foi o que se viu, um tipo azedo, revoltado, mal educado e com ar de superioridade, que, honestamente, não glorifica em nada os portugueses no estrangeiro.
espero que assine pelo united e volte a ser o que foi em tempos, respeitado e um excelente gestor de recursos humanos.

eu não analisaria os shevchencos, ballacks, kakas, etc, como contratações a ter em conta, na medida em que sim, entram nas contas dos milhões, mas não do treinador. parece-me.

no que é importante no meio de todo este vendaval de disparates e pancada verbal, o FCP tem um treinador, que tem de ser apoiado. deixem o homem trabalhar!
pessoalmente, não seria a minha escolha, tal e qual lopetegui o Fonseca e até VP (e oxalá tivesse seguido, e fui bastante crítico na altura, erro assumido da minha parte)

nesta fase da época, reflectir sobre se o modelo de jogo é o adequado ou não, importa pouco na minha opinião. estamos a poucos meses de terminar a época e ainda se pode salvar alguma coisa, aka, taça e campeonato (sim, eu ainda tenho esperança e vou acreditar até ao fim!)

importante seria discutir e entender qual a estratégia do clube para o futuro.

haverá muitas opiniões distintas certamente.
a minha, se me é permitido, é a de voltar às origens e ganhar identidade de clube, desde a formação à organização interna.
mais que discutir um treinador, ou este e aquele jogador.
estruturar o futebol com um líder, uma figura que seja a imagem dos valores do clube (um fernando Couto por exemplo), um responsável por toda a formação do futebol (Jesualdo ferreira por exemplo), introduzir ex jogadores em apoio aos treinadores da formação (João pinto, Magalhães, André, costinha, etc, tipos com carácter, com experiência de clube, com histórias para contar aos miúdos), uma boa equipa de olheiros a nível nacional.
no que toca a treinador da equipa principal, português!
nuno, Jesus, jardim, VP e porque não peseiro (obviamente nomes que irão criar polemica).
o plantel, jogadores portugueses maioritariamente. não precisam de ser todos da formação (capucho ou Maniche vieram de Lisboa), recuperar alguns perdidos em ligas e clubes menores, que venham com fome de ganhar títulos, trazer experiência (Antunes, Luís neto, Bruno Alves, por exemplo).

em resumo, uma estrutura sólida para o futebol, é mais importante que debater o treinador e suas tácticas, porque o futuro depende disso.

mas isto é uma opinião pessoal, que mando uns disparates e sou um somatório de barbaridades :)

João disse...

Vi o jogo do Kelvin na Casa Lusitana. Não sei até que ponto ainda passam jogos depois dessa enchente.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bruno,

Estamos de acordo em muita coisa mas escrever um artigo não exclui nenhum outro debate no artigo seguinte ou anterior. Podemos - e fazemo-lo - falar de tudo isso e estou na minha lista em muitos pontos levantados (director desportivo sério, formação bem trabalhada, voltar ás origens sem abdicar de procurar sempre a qualidade como motor principal, jogadores com mais presença de balneário) e esse debate foi já discutido aqui e seguramente o voltará a ser.

Além do mais nenhum artigo escrito por mim ou, seguramente, por qualquer outro colaborador do RP tem a mais minima influência no que Peseiro faça ou deixe de fazer. E espero que tenha a melhor sorte do mundo.

Ainda bem que gosta de F1, eu também. Boa sorte para ver o "ressuscitado" McLaren e a sucessão de golpes Vettel-Rosberg-Hamilton que os testes vão ser interessantes. As corridas já serão outra coisa.

DC disse...

Mourinho é o treinador que mais dinheiro gastou no mundo. Esse ranking é bem conhecido mas fica aqui uma ajuda para ver se lemos menos disparates.

http://www.90min.com/posts/2043756-the-world-s-12-biggest-spending-managers-since-2004

DC disse...

E o Ballack veio a custo 0 e o Kaká foi contratado pelo Pellegrini e não pelo Mourinho.

Jorge Vassalo disse...

Não consegui perceber se entendeu o que lhe disse.

Aqui não estamos em desacordo, mas a realidade do FC Porto é esta:

- Um treinador não treina só, é a cara e a voz do Clube. O Presidente aparece nas horas boas e MAIS NINGUÉM FALA.

- A massa assobiativa emprenha pelos ouvidos e jamais aceitaria outro treinador estrangeiro que não fosse de nomeada internacional. O ambiente no Dragão seria insustentável como foi em TODO o consulado Lopetegui, excepto, curiosamente, na Champions League. Ninguém virá explicar nada aos adeptos nem coisa nenhuma. E você sabe disso.

- Peseiro não tem (muitos) assobios porque está de passagem e é "um tuga".

Estamos de acordo nisto, certo?

Sugira então um nome, ou dois, vá, que encaixem neste contexto.

O resto é, insisto, teoria e wishful thinking.

Abraço

bruno borges bayr disse...

honestamente miguel, uma lastima que os artigos escritos pelos "migueis" da blogosfera azul, e opiniões de outros como eu que mandam umas postas de bacalhau, não tenham influência na actualidade e realidade do clube, pois seguramente seriamos mais fortes.
o clube está desatento e/ou desactualizado em relação às novas tecnologias, e não reflexiona sobre o que comentam, pensam e sentes os adeptos e sócios.
exemplos como dragões diário representam o patético estado da nação

ps - cheira-me a outro passeio Mercedes este ano, com algum brilharete aqui e ali da ferrari. conto com verstapen para alguma emoção bem como sainz

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bruno,

É uma pena sim mas é a realidade. A esmagadora maioria dos adeptos não está interessada no clube e o clube trata os adeptos como consumidores.

PS: O Verstappen e o Sainz com um carro ligeiramente melhor ganhavam corridas, são excelentes. Este ano a luta vai ser a três se a Ferrari for um carro fiável, pelo menos até ao último terço. Vamos ver como influencia a palhaçada que se aprovou na qualificação.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Jorge,

O presente é esse mas o presente não me interessa nada se prejudica o clube. Se esse é o modelo que vai prevalecer nos próximos anos então quem o defende, apoia e sustenta que se sujeite aos Fonsecas e Peseiros e não se queixe. Eu não o faço - nem em eleições nem publicamente - e portanto tenho carta branca, creio, que para sugerir outra via (via que aliás nasceu precisamente de pessoas que agora defendem outra coisa, o que é triste). Se os adeptos são tão limitados para definir a nacionalidade como critério de qualidade e a direcção é tão cinica a ponto de continuar a queimar treinadores, sinceramente, isso já não é problema meu nem tenho de entrar nesse espirito e procurar os nomes que os Anteros vão resgatar. Para isso, como disse antes, a SAD que faça o trabalho. Eu tenho um modelo de gestão, nomes e ideias que já debati aqui e noutros artigos. O clube que faça o que entender, o que não vou fazer em nenhum momento é render-me a aceitar a gestão tão nefasta deste clube e entrar nesse joguinho.

Eu, para o meu Porto, tenho sempre o melhor wishful thinking. Caso contrário, deixaria de escrever e ver jogos. Até porque, felizmente, há individuos que estão a danificar as bases do FC Porto que não duram para sempre.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Joao,

Jogos sem ser debys ou Classicos habitualmente passam em diferido.

Luís Pires disse...

pelo menos dois comentadores mais acima dizem que o Peseiro não estará cá na próxima época.

suponho que o homem não teria sido tolo ao ponto de se desvincular da anterior equipa para fazer meia época no Porto e sem se assegurar que iniciaria a próxima.

bruno borges bayr disse...

e a pergunta que fica no ar: que podemos e devemos fazer para influenciar a alterar o estado de coisas? aproximar o clube dos adeptos e os adeptos do clube?
porque há e tem de haver maneiras, ou qualquer um destes dias temos os chincocas aí, estilo valencia ou espanhol.

as negociatas de comissões, isso nunca vamos impedir, até porque é a realidade actual (e já no passado acontecia), mesmo dos barões como o barcelona (Bartolomeu e rossel com a justiça a tocar à porta) por exemplo, mas os princípios fundamentais de identidade de clube, não podemos deixar de lado, e hoje em dia, vamos no mau caminho. que não é de hoje, arrasta-se de algumas temporadas (década e picos), disfarçada por uns campeonatos e taças. agora que não ganhamos, disparamos para todas as direções.
não se pode estar unidos apenas nas vitórias, somos porto carago! a nação portista tem de empurrar para a frente.

chatear a sad até que entendam! já que vamos levar com eles mais 4 anitos..

ps - os Mercedes ainda nem meteram os pneus rápidos..

bruno borges bayr disse...

embirro com o casillas, confesso, porque o vejo sobre valorado e não acho que seja gr para o porto, principalmente pela principesca folha salarial.
gostaria de ver outro estilo de gr na baliza do porto, valdez por ex, ou algum jovem estilo oblak ou courtois (que o atlético não teve medo em lançar as feras, apesar da juventude).

honestamente, acho que o casillas não tem feito mais que o Helton, ou o Fabiano (e repito-me, são fraquinhos), e esperava-se mais na champions (parece-me que era a mais valia que se queria) e até no campeonato. sinceramente acho que não transmite segurança (a uma defesa já por si medíocre). vejo-o demasiado relaxado e acomodado, e é muito fraco nas bolas aéreas. e admito que tem feito duas ou 3 defesas muito boas, e principalmente no jogo da luz foi fundamental, ainda bem! mas caramba, o Fabiano também não nos safou pontos a época passada? ou o Helton nas anteriores? e ambos enterraram também.

honestamente espero que no final da época se possa agradecer a sua contribuição para a conquista de campeonato e taça!
mas se não estiver no plantel da próxima temporada, não vou lamentar :)

o Sá e o godiño podem aguentar o barco. jovens, com talento, com vontade e ambição.

importante e fundamental, é despachar em definitivo, os 3 ou 4 que temos emprestados, porque provavelmente acrescentam uns números gordinhos às despesas do clube.

José Lopes disse...

Eu suponho que o Miguel País está a falar do jogo de amanhã e não de um jogo de campeonato. Quando vivi em Madrid (2004), vi os jogos do Porto na Champions em bares irlandeses, que costumam passar vários jogos ao mesmo tempo. O de amanhã é jogo grande para o padrão da Liga Europa, por isso deve certamente conseguir ver nesses bares. O jogo vai dar na TV canadiana, por isso imagino que não terá problemas num bar de Madrid sem outros jogos à mesma hora que não os da UEFA.

Miguel Lourenço Pereira disse...

José,

Havendo duas equipas espanholas e britanicas à mesma hora do jogo do FC Porto não vai ser tarefa fácil.

miguel87 disse...

"mas nao se critique baseado no mito de que as equipas de Peseiro nao sabem defender..."
Não estou a criticar, até porque após o despedimento do treinador antes do meio da época já não espero nada desta equipa. Muito menos irei acusar o treinador actual dos maus resultados que tivermos (e os que já tivemos). É apenas a minha opinião sobre o estilo de jogo deste trainador e a forma que passamos a ver a equipa a jogar. É algo que não gosto de ver no meu clube.

"Quem e que lhe diz que Peseiro vai implementar este conceito de jogo na proxima epoca?"
E quem diz o contrário?
Se durante toda a carreira jogou assim, é muito mais provavel que não mude do que o contrário.

"Mas se vir os mesmos comportamentos que se viram no Braga de Peseiro eu estarei muito contente"
O Braga que acabou em 4º lugar atrás do Paços de PF, e com apenas a 8ª melhor defesa dum campeonato onde até o Olhanense que se salvou da descida por um ponto sofreu menos golos? Eu não me contento com tão pouco.

Quanto às estatisticas, apesar de não explicarem tudo, não deixam de ser o melhor indicador disponivel para as analises em questão, não fossem elas uma das ferramentas implementadas no clube pela mão de Pedroto que nos ajudaram a atingir os resultados que todos conhecemos.

"uma equipa que so concede uma ocasiao clara de golo em cada jogo - mas em todos os jogos os adversarios concretizam essa ocasiao. E outra equipa que concede 10 oportunidades claras por jogo, mas as bolas vao ao poste ou simplesmente desperdicadas... Pela estatistica, a segunda equipa defende melhor... Acha logico?"

Estes exemplos é que não são lógicos nem realistas.
A estatistica estuda um conjunto de resultados, factos e numeros, não casos isolados ou excepções à regra.

José Lopes disse...

Pois, tens razão!

bruno borges bayr disse...

o tipo estava na arábia, obviamente aceitaria o convite do FCP.
foi para essas paragens, pelo mesmo motivo que há portugueses que vão para angola...
tem feito o que pode e é de louvar.
sorte tenha e que ganhe campeonato e taça.
eu sou um dos que opina que está a prazo, com isto não quero dizer que crítico o seu trabalho.
há que apoiar até ao fim.
quero é que ele ganhe já esta época.

pancas disse...

Miguel,
Eu ate sou formado em Estatistica e garanto-lhe que excepcoes e casos isolados sao muito importantes quando se trata de estabelecer formas de medir valores. Ha coisas que a estatistica serve como o melhor indicador - mas experimente la usar estatistica para dizer quem e o melhor dancarino de Ballet ou o melhor cantor de opera... No futebol a qualidade de um treinador mede-se por organizacao, movimentos, posicionamento, nao por resultados.

Como o MLP nest texto, voce esqueceu-se do contexto - o Braga (que ainda venceu a taca da liga) na segunda volta do campeonato (ate meio estava em terceiro) tinha os mesmos problemas do que nos temos hoje na defesa, mas eu nao quero dizer em termos de falta de organizacao, mas sim que lesoes e castigos fustigaram a equipa e provocaram mudancas constantes na defesa e meio-campo. E ja agora ainda assim esse Braga acabou como terceiro melhor em GM-GS.

E mais uma vez - eu estou a falar de COMPORTAMENTOS!!! como se posicionam os jogadores, como se movem em funcao da bola, da baliza e dos colegas. Estou a falar do que um treinador controla, ja que ele nao controla a qualidade individual dos jogadores nem a forma deles, que sao coisas que tem alto impacto nos resultados e nas estatisticas.

O Miguel ficava mais satisfeito com um dos tres treinadores do Sporting nessa epoca, que sofreu menos golos? E que se sofrer menos golos e o grande objectivo entao pomos sempre 11 defesas como algumas das equipas que tiveram melhores resultados de golos sofridos que o Braga...

bruno borges bayr disse...

dos nomes aqui falados, nenhum me agrada.
já agora, porque não o Nuno, Jesus ou jardim? VP? ou peseiro.

sou da opinião desde há muito, que deveríamos ter um treinador português, para um projecto a longo prazo.
sustentar o domínio a nível nacional, e com tempo, um brilharete na Europa.

João disse...

Miguel, posso estar a dizer uma enormidade mas tenho quase a certeza que era Sport TV. Agora não sei em que canal vai ser a transmissão

miguel87 disse...

Ok, mas continuo convencido de que o futebol do Peseiro não nos vai trazer o titulo de volta.
Assim como acredito que os numeros da estatistica não resultam de acasos, imprevistos ou excepções à norma quando se analisam os comportamentos.

Entretanto, num aparte, e no contexto que temos discutido lembrei-me de um pormenor engraçado:
nos únicos 2 jogos com Peseiro que não sofremos golos (Maritimo e Gil Vicente), levamos com bolas no ferro... isto quer dizer que se tivesse sido sempre assim nos outros jogos, a equipa estava a defender bem?? :)

bruno borges bayr disse...

um anito desactualizado este artigo DC, disparate por disparate.. mas tudo bem, leva lá a bicicleta, mas que seja azul e branca, não vá o vermelho combinar bem contigo

bruno borges bayr disse...

incompetência da sad e dos jogadores, porque a grande maioria não deu o litro sempre, que é o que lhes compete.

o peseiro tão pouco está a fazer milagres, está a fazer o que pode e o que deve fazer, trabalhar em prol do FCP.
milagre tinha sido um bom resultado em dortmund.
ou uma reviravolta frente ao moreirense em casa, e uma vitória na luz são considerados milagres?

que trabalhe em paz, tenha sorte e ganhe campeonato e taça!

Meki Rodrigues disse...

Caro Miguel, este blog faz parte da minha leitura recorrente da bluegosfera, mas começa a ficar complicado.
Permita-me expor algumas coisas:

Quando se prima pelo modelo de jogo de Posse, não quer dizer que se defende melhor. Simplesmente limitas o adversário à mais ataques, porque "agarras a bola" e ela é só uma, right?! Era esta a máscara do jogo de Lopetegui, à quem recorreste como exemplo. A equipa de Lopetegui não defendia bem coisa nenhuma, veja golos estúpidos que na altura sofreram. Ou então, veja nas suas próprias análises aos jogos e mostre-nos uma vez que escreveu algo do género: "criamos poucas oportunidades, não atacamos bem, não havia fio de jogo no ataque, mas a nossa defesa foi uma maravilha. Se empatamos/ganhámos este jogo, foi graças à esta defesa muito boa.

Pré-épocas, a tal altura de assimilação de ideias das equipas, de geralmente um mês, Peseiro não tem esse tempo. O rapaz anda por cá há pouco mais de um mês e à meio do "destruir/treinar/construir/consolidar" qualquer ideia de jogo completo, teve os obstáculos de não ter tempo e qualidade de plantel.
Dá tempo, deixe o homem trabalhar e vamos vendo os resultados. A equipa perdeu com o Arouca, ok. Mas ganhou ao Benfica, na casa deles... Não é o Miguel que diz que ele só fica cá só até o fim da época?! Por esta altura estaria à vontade para "falar" do que modelo de jogo do Peseiro teve de bom e de mau.

Reclama da pobre postura defensiva da equipa, mas lá o tal Paco "defende assim porque é o que tem". O Peseiro tem 2 centrais de raíz de qualidades medianas e tem de andar a enfiar por aí a meio um puto de 19 anos ou um lateral - o rei das assistências da equipa. No caso de Peseiro já não é "defender com as ferramentas que tem"? Ah ok, experiência de 10 anos, as equipas dele sempre sofreram disso. Sim, e Peseiro sempre teve na defesa das suas equipas Maldinis, Baresis e Cannavaros... Ok.

Como é um post de "se", permita-me um "se" e espero que o responda:
Os treinadores por sí indicados, nada a mais têm se não "já ganhou um título". SE o Peseiro por onde andou, tivesse ganho um título, um campeonato, já se encaixaria no seu perfil? É que a distância de Peseiro e dos treinadores que citou são os títulos...


Saudações Portistas desde Angola.