segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Sofrimento


O jogo nunca mais acabava. Que aflição. Os jogadores não se juntam e não conseguem jogar fechadinhos, lá atrás. Nas saídas em transições, há sempre uma escorregadela, uma perna que se ressente ou um acidente invulgar. Foram tantas as avenidas em que a rapaziada de Belém se movimentou à vontade para criar situações de golo, e nós, sem semáforos, perdidos nelas, sem força, nem jeito. Tal incapacidade custa a engolir. Não sou capaz de aduzir se é defeito do treinador, dos processos, dos jogadores ou se é a bola que estorva. O trio de meio campo conheceu uma inovação com Danilo mais alto, provavelmente para pressionar mais à frente. E o André mais de contenção? Que grande confusão. A exibição foi muito pobre. Fica a vitória. Foi tudo tão triste: imagem do ambiente dominante de uma época perdida.
   

31 comentários:

Luís Vieira disse...

Valeu pelo resultado e pelo aproveitamento do Brahimi em espaços interiores (a fazer mossa). De resto, um Belenenses que é já uma das melhores equipas do campeonato (uma surpresa este Velázquez). A defesa sofreu muito e continuará a sofrer enquanto não houver estabilização. Basta algum frisson para escalar rapidamente para pânico (a que não é alheio o momento psicológico, para lá da táctica). O Peseiro demorou muito a fechar o meio-campo: Evandro e Rúben Neves eram obrigatórios, bem mais cedo. Mas pronto, conseguimos o mais importante, ainda por cima em Lisboa, que tem sido o cabo dos trabalhos. Agora rezemos por perda de pontos da mouraria para voltarmos à luta.

João Lima Ribeiro disse...

O Fc Porto que jogava futebol a sério já era. Este é um portinho de papel.

E para o ano será mais do mesmo.

Se os adeptos não acordam a Sad continua a dormir

bruno borges bayr disse...

conseguimos os 3 pontos, o mais importante!

e hoje os da 2a circular vão escorregar, e estamos aí!
vai ser uma boa semana para o FCP!

DC disse...

Tudo tão pobre e bastava ter um Tello no lugar do Marega e tinham sido 4 ou 5...
Quem ler algumas crónicas nem se lembra que no ano passado nestes jogos em Lisboa foram 2 pontinhos e o Peseiro já lá foi buscar 9.

Alberto Silva disse...

Estamos a cambalear e vamos continuar ate o proximo jogo(braga), se nao cairmos talvez conseguimos levantar a postura. De fato nao é nada bom vermos o Belenenses a ter a bola e a encostar o Porto lá atrás. Contudo o grande objetivo da partida foi conseguido(3pontos), agora é necessária uma boa gestão frente ao Gil e preparar o Braga como uma final, sim porque sabemos que ganhando recuperamos pontos. E hoje a ver vamos o que acontece no Minho.

João Barbosa disse...

O Licá já não é o extremo mais cepo que passou pelo Porto, fds!

João disse...

A defesa sofreu muito e continuará a sofrer enquanto o Danilo (mal coadjuvado, é certo) não fechar aquele meio campo. É um autêntico passador. Não é a ganhar dois ou três lances no físico contra o Dortmund que se faz jogador. Mas o pessoal não se convence disso.

miguel.ca disse...

Mas esse é o eterno dilema do treinador. Fechar já ou ir ainda à procura de mais um golo?

miguel.ca disse...

Nós somos demasiadamente frágeis a defender e enquanto não se resolver esse problema, vamos andar os jogos quase todos a patinar.

Paulo Rodrigues disse...

João,
O que diz sobre Danilo é verdade por vezes é demasiado anjinho e parece-me a mim que ainda não se sabe posicionar corretamente( Fernando é uma referência a seguir) precisa de melhorar e muito mas tem margem de progressão.

MIguel Alexandre disse...

Caros, são 9 quartetos defensivos diferentes em 10 jogos, Peseiro herdou um camiao de problemas e não tivesse sido roubado frente ao Arouca e não tivesse sido surpreendido por problemas adicionais de o seu Capitão com o mercado fechado se revelar um problema em vez duma ajuda (Maicon) se calhar estávamos numa posição impar e com um percurso na Liga Europa bem mais ao nível da nossa história (porque a eliminatória foi muito marcada pela ausencia de soluções defensivas).
Temos muitos problemas mas Peseiro não é um deles, nas circunstâncias a que deixaram o nosso clube chegar nos últimos 3 anos é difícil fazer melhor. Passo a passo...Gil está arrumado, pensar no Braga que vai ser um bico de obra e cheira-me que vem aí um Bruno Paixão.
Miguel Alexandre.

bruno borges bayr disse...

2 pontinhos e com o tello

bruno borges bayr disse...

frágeis a defender, e não melhor a atacar.

o que interessa até ao final da época são os 3 pontos em cada jogo.

DC disse...

Concordo em absoluto com o João. Ontem no golo parecia que estava a filmar.

Luís Vieira disse...

João, reduzir os problemas defensivos do FCP ao Danilo é muito simplista. Concordo que apresenta problemas de posicionamento (aliás, é o seu maior defeito), mas a exposição da defesa é um problema colectivo que urge ser corrigido.

Miguel, naquela altura, podia e devia fechar o jogo. Como diz o outro, "meter o jogo no congelador" Além do mais, o Evandro e o Rúben Neves garantem mais criatividade e são mais perigosos do que um Marega. O AVB, recorde-se, ganhava jogos com o Guarín vindo do banco, abdicando de um extremo.

Luís Vieira disse...

O mesmo Tello que falhava golos cantados de ir às lágrimas? O Marega é mau, mas deixemos em paz os moribundos.

Luís Vieira disse...

Ahahah, inenarrável o Marega. E estão ali enterrados uns milhões. Volta Hernâni, estás perdoado.

Francisco Paulos disse...

Peseiro tem feito um bom trabalho com este plantel que é um dos mais fracos dos últimos anos.Se querem assobiar e pedir responsabilidades façam-no aos responsáveis desta situação ou seja à Sad.Nos últimos anos têm sido de uma incompetência a todos os níveis. As equipas apresentadas contra o Borussia demonstram a irresponsabilidade que tiveram na formação deste plantel.Nunca vi Antero dar uma entrevista a denunciar as arbitrariedades a que somos sujeitos. Ao longo de 30 anos Reinaldo Teles fez o mesmo ou seja nada. Pinto da Costa fez um clube ganhador mas errou sempre na política de (não )comunicação e isso ve-se a nível de adeptos pois não crescemos na mesma proporção. Mesmo agora que podíamos aproveitar um ótimo meio que é o Porto Canal não o fazemos e fazemos figuras patéticas onde o palhaço mor é esse Betinho do Júlio Magalhães. E ainda vamos levar mais 4 anos desta miséria. Conclusão não nos podemos queixar somos uma massa associativa passiva e temos o que merecemos ou seja mais uns anos a chuchar no dedo.

João disse...

Luís, eu referi que o Danilo foi mal coadjuvado. A transição defensiva do Porto já começa manca no ataque, sair daquela primeira linha de "pressão" (e por pressão entenda-se o Suk a correr feito deficiente entre jogadores porque tudo o resto ou está muito recuado ou completamente fora do lance, hence as aspas) é manteiga. A 2ª linha é uma rotunda, Herrera e André é só contornar, em termos de recuperação estão ali a fazer exactamente a mesma coisa que dois pinos dos treinos. Depois os défices de posicionamento do Danilo abrem o que falta abrir e as abordagens retardadas do Marcano e Chidozie completam o ramalhete.

Mas o ponto nevrálgico continua a ser aquele sector central do nosso meio campo defensivo, onde tudo se faz com calma e espaço.

Alberto Silva disse...

Estamos a 4 Pontos, e temos uma autentica final em Braga, se ganharmos vao levar conosco ate ao fim, se ganharmos quero o SCP nao perca( penso que seja este o melhor resultado para nos). Cumprir calendario com o GIl ( nao esquecendo que temos de garantir final) e aplicar tudo e tudo no Braga.

DC disse...

O mesmo Tello que é titularíssimo na Fiorentina já com alguns golos e assistências. Moribundo mesmo...

DC disse...

Bruno sabe qual é o problema de falar de cor? É dizer asneiras atrás de asneiras.

Tanto no Estoril, como no Belenenses como no Benfica no ano passado o Tello nem 1 único minuto jogou. 3 empates sem ele, e logo ele que tinha culpa de tudo, já viu?

Luís Vieira disse...

João, a sua descrição, agora pormenorizada, é bem mais ajustada ao sofrimento defensivo da equipa do que a singularização do Danilo. O Danilo é um mal menor naquele frágil processo defensivo. É mais um a ajudar à festa, mas como bem referiu, são muitos os contribuintes (se não todos).

Luís Vieira disse...

"Titularíssimo" + "alguns golos" = 1 golo em 5 jogos/374 mins. Uau, que loucura este Tello...

José Lopes disse...

No caso do Tello, os golos nos treinos tambem contam, suponho. Nunca ninguem ira perceber a paixao que o DC tem por ele. So se o ponto de comparacao for o Marega.

DC disse...

Eu sou responsável pelo que escrevo e não pela sua literacia: "Alguns golos e assistências".

Se for preciso um desenho avise que eu abro o paint.

Paulo Marques disse...

DC, o Tello até pode ser bom, mas no FCP já não era à muito.

DC disse...

Ele e mais quantos?
E eu nem teci considerações sobre a valia dele, apenas disse que com ele tinhamos goleado porque o jogo estava para ele e para a sua velocidade na transição. Não tenho culpa de haver tanta gente que parece traumatizada com o nome Tello. Faz lembrar um bocadinho o que me acontecia quando falava de VP por aqui. Há ódios que são muito complicados de entender.

Luís Vieira disse...

Agradeço a gentileza do DC, mas declino respeitosamente. Não deixo de sublinhar o contorcionismo linguístico. Façamos o seguinte exercício: há um burro e duas porcas. Recorrendo ao seu literato raciocínio: "o sujeito já tem alguns burros e porcas". Quem, no seu perfeito juízo, acha que só há um burro? Talvez os conhecedores (?) dos dados concretos que querem induzir em erro os incautos. Vertendo ao caso, na falta de golos do Tello, não se estranha o sucedido. Entre "um golo e duas assistências" e "um golo e algumas assistências", preferiu-se "alguns golos e assistências". Para forçar a nota ou inocentemente? Tendo em conta o emissor, aposto na primeira. Por último, relembro que a "velocidade na transição" do Tello redundou, no FCP, não raras vezes, em bolas pela linha de fundo ou nas mãos do guarda-redes adversário. O Marega nem essa proeza consegue, mas se somos exigentes uma vez, sejamo-lo sempre e falemos em reais referências de "velocidade na transição" e na finalização ("tinham sido 4 ou 5").

DC disse...

"Por último, relembro que a "velocidade na transição" do Tello redundou, no FCP, não raras vezes, em bolas pela linha de fundo ou nas mãos do guarda-redes adversário."

O Luís pelos vistos conhece jogadores que em transição marcam os golos todos. E nunca a bola vai pela linha de fundo nem para o redes. Deve ver futebol na playstation, provavelmente.
O que responder a coisas destas? É melhor não dar valor.

Quanto ao resto e a todas as idiotices que inclusivamente procuram atacar a minha honestidade, volto a dar a mesma importância. Não merece resposta.

Luís Vieira disse...

DC, se calhar não fui claro: quando disse "não raras vezes" melhor diria "vezes demais". Acho que o Tello desperdiça em demasia situações privilegiadas de transição. Daí a minha intervenção inicial, porque o DC afirmou que com o Tello seriam "4 ou 5" e eu, tendo em conta o histórico do espanhol, achei um manifesto exagero. Depois o DC fala em obsessão pelo Tello, mas é o primeiro a trazê-lo à colação. É jogador da Fiorentina, deixe-o sossegado. Por último, não quis atacar a sua honestidade coisíssima nenhuma: acho mesmo que o DC tem tendência para forçar a nota quando quer defender um argumento mais frágil (como a capacidade de finalização do Tello). Daí os "4 ou 5" ou "alguns golos". Não me leve a mal, é só uma opinião. Em todo o caso, não teve pejo em falar em (i)literacia e idiotices, por isso não vejo o porquê de tamanha sensibilidade.