sexta-feira, 8 de abril de 2016

A Vergonha (Alheia!)

Pinto da Costa e a equipa de futebol do FC Porto estão em sintonia. Como nos velhos tempos, mas em negativo. Se na segunda-feira os jogadores e staff técnico foram protagonistas de uma derrota que envergonhou a história do clube (o próprio Presidente o afirmou), ontem foi a vez de Pinto da Costa voltar a demonstrar que é uma alma penada sem uma pinga do brio, da garra e da sagacidade para liderar este clube que ele ajudou, e muito, a fazer grande. A entrevista ao Porto Canal, como se esperava, não foi morna. Foi fria como uma manhã da Invicta cheia de nuvens e neblina e com apenas uma mensagem clara, a da incapacidade de Pinto da Costa de fazer auto-crítica e explicar, tirando os chavões da praxe, ao que vem para os próximos quatro anos. O homem que destroçou Portugal com o seu discurso, herdeiro de Pedroto, desapareceu. A sombra que surgiu ontem deu vergonha alheia aos que ainda têm memória e não se deixam levar pelo mito da personagem. Pinto da Costa quer ser o El Cid do FC Porto, ganhar batalhas depois de morto. Alguns, seguramente, ainda verão nele o guerreiro que foi mas a prática demonstra o contrário. Tal como o seu discurso ontem.

Não houve perguntas incómodas. Não pode haver. Quando o entrevistado é, ao mesmo tempo, o "patrão" - indirectamente Pinto da Costa é o "dono" do PortoCanal - só podemos esperar perguntas frouxas, débeis e ás vezes sem qualquer tipo de sentido como apontar aos críticos na bluegosfera uma insatisfação com o contrato da MEO que ninguém entendeu. Se calhar a pergunta estava mal preparada ou a resposta não dava para mais. Quando PdC tinha de ir medir-se aos meios da capital, que sabia rivais, sacava o melhor de si mesmo e era um gozo vê-lo atacar e desmontar o sistema com um discurso fluído, lógico e ganhador. Hoje, a falar como Marcelo Caetano, na comodidade do lar, tudo soa a falso, tudo soa a mofo.

A estratégia era previsível. Pequena moralmente e previsível.
Pinto da Costa sabe que tem de agradar aos fiéis e descarregou outra vez em Lopetegui todos os males da Humanidade. Ou tem fraca memória ou bipolaridade porque o homem que hoje é a encarnação da Besta do Apocalipse era alvo dos mais rasgados elogios há um ano, quando enchia o peito para falar com a imprensa espanhola sobre o "inovador", "profissional", "competente" Lopetegui. Quando elogiava as escolhas do treinador e como a sua capacidade de trabalho tinha permitido sacar um negócio tão rentável como o de Casemiro não ouvi em nenhum lado frases do estilo "eu nem os conhecia". Pinto da Costa é um homem do futebol, um homem que sabe e sempre soube muito de futebol. Se não conhecia os jogadores contratados sob o seu mandato, como Presidente, é grave e está a dar justificação aos que acreditam que já não está com a cabeça no clube e capacitado para os liderar. Mas reclamar que nem sabia quem eram é levar a coisa a outro nível, particularmente porque a esmagadora maioria jogou ao serviço de Lopetegui e, se escolheu o treinador, deve ter visto alguns jogos seus antes para conhecer o seu modelo de jogo. Ou talvez não.
O certo é que agora o problema não é o Ferrari, agora o problema é Campaña - um flop, sempre o disse - num plantel de 25 jogadores dos quais o clube valorizou importantes activos (Danilo, Alex Sandro, Casemiro...) e que foi montado à revelia do presidente para satisfazer o treinador. Das duas uma, ou Pinto da Costa perdeu as faculdades e decidiu, num arreigo de insanidade, abandonar a parcela desportiva à sua sorte e agora sente-se traído ou o caminho do engano voltou, como em Janeiro, a ser a opção mais fácil para agradar à nação portista. Já agora, depois de se ter confirmado que Adrian estava contratado ANTES de ter chegado o treinador - um ano, mais precisamente - continuar com essa lenga lenga é tomar os adeptos do FC Porto por parvos. Mas isso também já não é novidade.


Ficamos igualmente a saber que o Presidente sentiu vergonha como sócio do jogo do Tondela.
Não foi o primeiro nem o pior jogo do FC Porto dos últimos três anos mas é bom saber que o homem parcialmente responsável por esse jogo se sente envergonhado de si mesmo. Ainda que, naturalmente, não o assuma. O que parece mais estranho é exigir agora, a semanas de ir a votos, aquilo que podia ter exigido há um ano e meio quando apoiou seguir o caminho da política de empréstimos. Ou há dois e meio quando tentou pescar em distintos portos jogadores com pouca experiência de exigência. Ou há três e meio quando, directamente, não quis sequer investir num plantel campeão nacional. Exigir agora jogadores com carácter e da casa é fácil, barato e dará votos. Mas como homem detentor do poder, essa decisão não é mais que o resultado das decisões erradas dos últimos anos. Não de um ano que correu mal. De vários. Na altura a luz não abençoou Pinto da Costa com a necessidade de ter jogadores com carácter e que não vejam o FC Porto como clube ponte? É uma pena.

O regresso - já anunciado - de Rafa, de Otávio (culpa de Lopetegui, naturalmente) e de Josué seguem a mensagem anterior e no caso dos dois primeiros são uma boa notícia. Mas fazer tanto finca pé num jogador absolutamente mediano (Sérgio Oliveira e André André já cá estão e fazem melhor figura) é realmente o nível de compromisso e exigência que se quer para os próximos quatro anos? A sério? Fico admirado com a bandeira branca que afirmações deste estilo desfraldam. A ideia da pré-época começar em Abril pode ser racional mas é um insulto ao portismo, um insulto vil. O FC Porto, aquele que admiramos, luta até ao último dia de cada ano, não começa a preparar o seguinte com antecipação ainda que o faça, indirectamente. No discurso populista de mostrar-se como pai zangado com os jogadores, Pinto da Costa vendeu o balneário e o treinador, deixando-os expostos aos adeptos nos próximos jogos nesses castings públicos onde quem for mais assobiado terá menores probabilidades de ficar. Não é assim que se gere um clube profissional mas pode ser assim que se evitam alguns votos nulos. Afinal era para isso que servia uma entrevista onde se falou quase tanto tempo da selecção de futebol - que interessa, realmente, muito ao FC Porto e aos portistas - como da total ineficácia no combate ao #Colinho ou aos poderes instituídos na arbitragem, na Liga e na Federação de Futebol. Onde antes o FC Porto de Pinto da Costa se distinguiu no discurso e nos actos hoje esse mesmo decadente FC Porto de um decadente Pinto da Costa não rosna, mia...e mia fininho.

Pinto da Costa, que não garante a continuidade de treinador e jogadores, que tentou fazer de um acto vil e que deve ser denunciado de meia dúzia de imbecis às portas de sua casa (quem estiver em desacordo que debata abertamente ou vote nulo, não se atacam residências na covardia da noite) um acto de "terrorismo", com a conotação mais triste que a palavra possa ter, e que ainda teve tempo de mandar bocas aos blogues (ao ter falado em anónimos imagino que ainda lhe doam os posts publicados pelo Tribunal do Dragão...porque a maioria dos espaços da Bluegosfera são escritos por pessoas com nome e apelido) disse mais do que uma vez que como sócio que é - e ninguém duvidará do seu portismo - que sentia vergonha da situação e que se candidatava contra a situação actual do clube.


Senhoras e senhores, Pinto da Costa candidata-se contra ele próprio e contestando o seu próprio trabalho. Só ficamos na dúvida se essa contestação contra o estado das coisas é também uma contestação contra os negócios (falou-se no caso de Rúben Neves por alto mas nunca sem mencionar a pequena fortuna que José Caldeira saca do jogador), contra os empresários (o nome do filho e das empresas associadas desapareceu por magia do discurso que se focou em Jorge Mendes), contra o facto de ter familiares directos e de outros membros da SAD a trabalhar nos quadros do clube, se é uma contestação contra o despovoamento de referências no balneário propiciada pela sua gestão, se é uma contestação contra as sucessivas escolhas erradas da sua pessoa dos últimos treinadores desde a não renovação de um bicampeão nacional ou se é uma contestação vazia, oca como o seu discurso.
Perguntas que nunca poderiam ter sido feitas, claro está. Não é preciso ir muito longe para perceber que o tempo de antena tem de ter uma mensagem apenas, a de que o futuro do clube será construído por aqueles que estão contra o presente do clube e que, com as suas decisões do passado provocaram o estado das coisas actuais. Pinto da Costa leu Orwell, seguramente, mas não sabe quem é Campaña. Talvez não saiba também para onde vai, como o seu poema favorito, mas devia saber de onde vem e o que deixa para trás. E que depois de três décadas e meia já não pode dizer, como tanto gostava, "sei que não vou por aí". Porque foi, e essa viagem já não tem bilhete de regresso.
   

30 comentários:

Orlando Sousa disse...

E a ida de Emídio Gomes (Presidente da CCRNorte) para um cargo! Lamentável!

Cenas disse...

Agora defendem Lopetegui?? (usaram e abusaram para desancar em Lopetegui, agora usam e abusam para usar Lopetegui contra a direcção.)
Não percebo, candidatem-se! De certeza que não pagarão comissões, não contratarão jogadores que se tornarão em flops (seriamos o único clube do mundo certamente), escolheriam sempre pessoas desconhecidas para a direcção porque em quem vocês confiam o record pode dizer que são da vossa familia.
Não sei onde vão buscar as ideias para os posts que fazem mas certamente algum blog vermelho não faria melhor.

Abraço!

Pedro Santos

Fernando B. disse...

Je suis commissioniste.
Je suis un menteur.
Je suis riche.

Batemos no fundo, mas para o ano, temos o Tabinho. Sou bom não sou?

A senilidade é inexorável.

Paulo Rodrigues disse...

Miguel excelente texto não fiquei mais descansado com esta entrevista! As perguntas que deveriam ser feitas não foram e mesmo que tivessem sido ele fintaria nas respostas!
Espero estar redondamente enganado mas a era de PdC terminou.

Pedro disse...

"tudo soa a falso, tudo soa a mofo."

Este é um bom resumo deste post. Não retirando as verdades evidentes, de erros e perdas de faculdades, creio que tudo serve para atacar PC. Mesmo meias verdades e suposições.

Pior do que a ausência de critica, é a critica cega. Qualquer que tivesse sido o discurso, as perguntas e o contexto... o texto do Miguel seria o mesmo.

Francisco Paulos disse...

Este texto é lúcido e põe os pontos nos is. Essa ideia peregrina de num clube como o Porto dizer que estamos agora em pré época mais não é que assumir toda a incompetência da Sad nos últimos anos. Não foram falados pontos essenciais pois esta era uma entrevista viciada logo à partida com perguntas feitas à medida. Irritou-me principalmente o tempo perdido a falar na federação que podia ter sido aproveitado para outras perguntas mais pertinentes. Não disse nada sobre a Meo ter tirado o Patético Canal a muitos sócios pois estes não interessam para nada o que o interessou foi a parte financeira. Aí são clientes. O silencio perante os roubos e os ataques da CS.O manter os mesmos sem reformular e me ter sangue novo na estrutura. O homem julga-se eterno mas não é. Eterno só o clube que ajudou a crescer mas que agora por teimosia e cretinice está a destruir.Passando este tempo de eleições voltarão o silêncio e o comodismo. Cá estaremos para ver.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Cenas,

"Agora defendem Lopetegui?? (usaram e abusaram para desancar em Lopetegui, agora usam e abusam para usar Lopetegui contra a direcção.)"

Ninguém defende Lopetegui. Lopetegui foi um erro. Mas Lopetegui era treinador do FCP. Não era Director Desportivo nem Presidente. Cometeu muitos erros - escolha de jogadores, modelo de jogo, falta de plano B - mas ele não tinha um poder absoluto, nenhum treinador tem e muito menos neste clube. A sua politica foi sancionada por quem mandava, ao contrário do que se vende. Os jogadores que chegaram, também. A ideia de que Lopetegui é um mestre do crime que enganou um Presidente com 30 anos de futebol a desbaratar um plantel é um insulto na cara de todos os portistas e só alguém sem nenhum argumento e sem valor é capaz de o esgrimir.

Só fico sem saber, no meio das culpas a Lopetegui, que papel teve Paulo Fonseca no seu ano. Se calhar, como com Adrian, a culpa é de Lopetegui com um ano de antecedência.

Hugo Mota disse...

Confesso ser bastante raro concordar com as opiniões do Miguel. Mas hoje tenho que lhe tirar o chapéu. Os seus comentários são bastante pertinentes.

Não tive a oportunidade de ver a entrevista desde o início. Do que vi, claro que agrada sempre a bandeira de ter jogadores de raça no clube. Mas se não os temos presentemente, a culpa não é do treinador A ou B. A culpa é de Pinto da Costa, que para o bem ou o mal, deixou sair pela porta dos fundos jogadores com raça e mística como Lucho ou Quaresma. E se fala de Campaña ou afins, a verdade é que muito recentemente, Marega foi contratado exclusivamente pelo presidente, e quanto à sua qualidade e preço estamos falados... por isso, muito sinceramente, não me acredito em nada desta conversa digna de Pôncio Pilatos.

Quanto à última pergunta sobre a intervenção do Porto no futebol português, senti-me insultado pela resposta dada.
Com 76 anos, e com a experiência que tem, vi o presidente a fazer-se de parvo e ingénuo, algo que nunca o foi nem será.
Temos um representante na liga? Mas que raio nos interessa a nós o que esse representante na liga faz, ou melhor, não faz? O que queríamos ouvir da boca de Pinto da Costa é que acabou o tempo de sermos anjinhos. Que a partir de hoje (ontem) todos os inimigos na Capital, nos media e na arbitragem seriam combatidos.

Não me desagradam de todo as palavras mais duras ao plantel. Concordo com alguns pontos do pensamento do Miguel. Contudo tinha que ser feito ou dito algo, ou corremos o risco de em todos os restantes jogos até ao final da época, ver a equipa a arrastar-se e a sofrer derrotas ainda mais humilhantes do que com o Tondela.
É um pau de dois bicos. Pode resultar. Mas também pode ainda afundar-nos mais. Vamos ver...

Gonçalo Esteves disse...

Apesar da minha formação académica ser em Economia não vou aqui discutir que o aumento do activo mais do que aumento do passivo é mais importante que a redução do último. Vou me cingir a debater somente futebol. Não sou um fiel adepto de Lopetegui, mas o homem, é certo, com um plantel bastante superior ao actual em ano e meio de clube perdeu 8 jogos ( 3 na champions, 3 com o marítimo, 1 com o benfica e 1 com o sporting ) o Peseiro é certo, com um plantel bastante inferior já perdeu 5 ( 2 na liga europa, 1 com o Tondela, 1 com o arouca, 1 com o braga ) Tirem as vossas elações. Relativamente à delegação das culpas para o treinador é completamente absurdo, foi ele quem o contratou e foi ele que o manteve, e pior, o erro mais crassa foi ele que o despediu hipotecando as hipóteses de chegar ao título, foi ele que vendeu Imbula que teria lugar claro neste 11, alguém deve ter ganho com isso, foi ele que contratou marega por 5M enquanto temos melhores jogadores emprestados, o único ponto positivo é o facto de já termos começado a pré-época, embora lamentável a decisão de fazer voltar Josué, que não é melhor ( e não é difícil sê-lo ) do que os banais Neves, André, Evandro e Oliveira, trazer Otávio e manter um dos últimos 4 referidos é suficiente. Tentar vender Herrera por qualquer preço acima de 10M, reabilitar Brahimi, Aboubakar e Indi, que têm qualidade, e necessitamos e acho que é o principal foco tentar manter estável um plantel e não, de ano para ano andar a reforma-lo

Pedro ramos disse...

Não vi a entrevista, apenas sei alguns excertos que li na cs. Raramente uma qualquer entrevista ou discurso me interessam ou preocupam, o que realmente me interessa são os actos.

Dito isso, apenas 2 apontamentos:

- Vem aí mais uma revolução, mais uma época que estaremos mais longe de ganhar qualquer coisa. Mas com a necessidade de mais valias que estava no orçamento, nada disso é novidade, longe vão os tempos em que mesmo não ganhando se sabia que mantendo uma base de trabalho estaríamos mais perto de voltar a ganhar.

- "A época acabou" e não garante a continuidade dos treinador. Claro que o que vale é que o "mais reles treinador que já passou pelo dragão" pode ser culpado e entregue à multidão pela sua falta de capacidade enquanto profissional. Já sabemos que os jogadores depois de ouvirem que já estão de férias e que não vão aturar este
"reles individuo" para a próxima época, como profissionais que são, estão a "dar o litro" em todos os treinos.

O que vale é que já há adeptos a sonhar com um qualquer AVB e que por magia já somos campeões. Continuem a jogar PES...

Felisberto Costa disse...

Muitas vezes gosto de ler o MLP, mas desta vez não posso concordar com a sua critica!
E depois MLP aqui faz de português tipico: tal como a imensa maioria se satura de treinadores (o caso Alex Ferguson é impossivel em Portugal ao nivel dos clubes chamados grandes e médio-grandes), de jogadores, MLP saturou-se Pinto da Costa.
Tudo o que o homem disser ou fizer, para MLP não há tolerância zero!
Quem nunca pecou que atire o primeiro calhau!!!

Bruno Guedes disse...

Boa tarde Sr. Miguel Lourenço.
Ponto prévio leio sempre atentamente a suas crónicas, como de todos os que aqui escrevem.
Por motivos pessoais deixei de comentar aqui já algum tempo.
Sei bem que voçê é alvo de aatques aquando escrev alguns posts, fico indignado, pois todos temos direito a opinião. E discordando devemos manter sempre o respeito.
Nunca fui pintista e o único andor que carrego é o simbolo mais lindo do mundo, o simbolo do FCPORTO.
Sou daqueles que diz que JNLPC é parte do problema e não da solução, já o digo a alguns anos. ainda na quarta feira escrevi isso num blogue;
Sou daqueles que diz que estes três anos sem titulos, são muito diferentes dos três anos no final da década de 90;
Sou daqueles que sente que está a começar o nosso deserto e que o nosso portismo será posto à prova;
Sou daqueles que diz que o mal do FCPORTO está tão enraizado que serám muito dificil cortar esse mal;
Sou daqueles que diz que JNLPC deveria de sair, mas que não encontro uma única solução válida ( só me ocorre o Dr.º Rui Moreira, mas Lisboa poderá chamar por ele), embora isso mais cedo ou mais tarde venha a contecer;
Sou daqueles que quer um portista de berço na presidência e por isso Antero henriques nunca terá o meu voto, é um convertido.
Ontem depositei muitas esperanças naquela entrevista e apesar de não ter sido nada de outro mundo, existem coisas que ficarame que me deixam alguma esperança de que JNLPC poderá voltar a ser o que já foi: UM VERDADEIRO LÍDER em que só ele é que manda e que os empresários ficam a porta.
Ontem JNLPC, marcou uma posição, não está contente, quer que a equipa volte a ganhar, disse e bem que esta equipa não tem caracter e que quer uma equipa a FCPORTO.
JNLPC por tudo aquilo que já deu e pela sua história merece, após, reconhecer que o clube está mal, umaúltima oportunidade.
Esperemos pela próxima época e então sim, por esta altura faremos uma analise concreta apesar desta analise estar horrivél á já 3 anos.
Cumprimentos

Bruno Miguel Guedes -23657 anterior 28061

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bruno,

"Esperemos pela próxima época e então sim, por esta altura faremos uma analise concreta apesar desta analise estar horrivél á já 3 anos."

Na próxima época o que podemos analisar se a direção estiver no poder? Nada, a não ser esperar outros três anos. As eleições são daqui a quinze dias. O que se passar em Abril de 2017, 2018 e 2019 é absolutamente irrelevante porque só se voltará a ouvir os sócios em 2020!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Felisberto,

"MLP saturou-se Pinto da Costa."

Eu saturo-me facilmente de incompetentes. E PdC nos últimos três anos - último mandato ao completo - tem sido extremamente incompetente no exercicio das suas funções.
O Porto pode ter um ou dois maus anos, pode enganar-se uma ou outra vez, mas a incompetência vai para lá dos Tondelas e Aroucas. Está na perda de poder, na passividade com que se prejudica o clube, na escolha desacertada consecutiva de treinadores, na ausência de politica desportiva, no nepotismo, nas comissões...

Saturar-me disto? Podem crer que estou saturado disto.

miguel azevedo disse...

E continua o circo. Isto é como diz o Oliveira, se há pessoa habilitada para dar a volta a isto só mesmo o Pinto da Costa. Alguns blogger´s querem é ver a casa a arder.

Bruno Guedes disse...

Boa tarde Miguel.
Não acredito, que os sócios do FCPORTO, após a entrevista de ontem, se daqui a 1 ano as coisas estiverem na mesa, não tenho a menor dúvida que todos nós, que estamos contra JNLPC, mas que ainda temos respeito, não consigamos deitar abaixo a direção.
Voçê sabe tão bem quanto eu, que bastam 300 assinaturas para pedir uma AG, não tenho a menor dúvida de que aí, JNLPC vai cair.
Portanto, serão masi 4 anos iguai se nós deixarmos. Existem meios legais para uma direcção cair.
Eu não concordo com JNLPC, mas se JNLPC voltar a ser o lider que foi, e acho que isso, após ontem pode acontecer, nós vamos voltar a ganhar.
Eu nunca ouvi dizer de JNLPC que tinha vergonha do FCPORTO, e ontem ele disse isso com todas as letras, é sinal que ele também sabe que errou e muito. Dou o beneficio da dúvida, apesar de estar contra ele, por tudo aquilo que já fez.
Já agora, deixo-lhe esta pergunta, se quiser eventualmente responder,quem é que voçê sugeria para Presidente?
Encontre alguém que possa liderar o clube?
Atenção, nós não vamos ter paciencia para um presidente que esteja 2 anos sem ganhar nada.
A nossa história tem nos anos do desero um cemitério de treinadores ( inclusive na altura o Mestre saíu pela porta pequena), após JNLPC, vamos também ser um cemitério de Presidentes.
JNLPC não é imortal, longe disso, mas ninguém tem coragem para o enfrentar.
Pagamos o preço de uma liderança longa, mas se foi longa foi porque ganhou muito.
Está na altura de diferenciar o tigo do joio, e de diferenciar quem AMA o FCPORTO de quem apenas gosta por gostar.
Eu não quero 19 anos sem um campeonato, mas mesmo que isso aconteça, prevejo que ou ganahmos já, ou então no minimo será uma década, serei Portista até morrer, mais triste, mas sempre com o orgulho naquele símbolo.
Olhe, vou dizer-lhe uma coisa, eu 2/3 vezes por semana vou para o Ginásio em Braga, nasci em Gaia, formei-me no Porto mas o coração enviou-me para Braga e espero ficar lá para sempre, todos os dias treino com a camisola do FCPORTO, existem anónimos que dão os parabens, existem muitos que olham de lado, outros dizem" é preciso coragem ". Eu respondo
- " Coragem"? " Isto é a minha segunda pele,só existe e só não vou trabalhar com ela pois não me deixam."
ATENÇÃO, não sou mais portista que ninguém e todos nós AMAMOS o FCPORTO, a nossa maneira.
Doí imenso ver o atual FCPORTO mas também é agora que se vê o Portismo.
Pois o Portismo não se apregoa, pratica-se.
É verdade, que a nossa vida é mais alegre quando ganhamos, sem dúvida que ninguém gosta de perder, mas prefiro perder a vida toda do que mudar de clube.
JNLPC é incompetente? Sim, concordo, e também detesto incomptência, mas dou valor a quem reconhece o erro, aquem sabe que fez asneira mas que vai arregaçar as mangas e que vai outra vez lutar.
Agora é esperar, sempre desconfiando, e ver o que vai dar.

Cumprimentos
Bruno Miguel Guedes - 23657

agostinhop disse...

Os críticos desta direcção, com PC à cabeça, prestavam um enorme serviço ao clube e até ao futebol Português se juntassem uma lista credível a se apresentassem a eleições. Qual poderia ser o pior cenário, Só terem 5% dos votos? E então. Imaginem o quanto se poderia discutir e debater a sério e publicamente os problemas do clube e estratégias para o futuro. Sem esquecer que muitos ganharam eleições no futuro perdendo outras no passado.

miguel.ca disse...

Portanto, somos um bando de tolos liderados pelo Miguel e este Porto tem tudo a ver com o Porto que ganhou a Champion's League em 2004 só com a diferença que temos tido azar com as arbitragens, correcto?
Acho que vou sugerir o próximo Dragão de Ouro para o Marega... Mas tem de ser o Deco a entrega-lo.

Unknown disse...

Porquê?

DC disse...

O Júlio sabia e sabe da ligação do Ruben ao Caldeira e teve medo de perguntar. O presidente quando lhe falaram do Ruben começou a falar de aposta na formação na equipa B, que tem para ai 7 titulares que não são formados no Porto.
Enfim, uma tristeza.

Pedro Santos disse...

Sinceramente não consigo entender tanto ódio. Onde andavam todos de há quatro anos para trás? E agora esse ódio que destilam constantemente deve-se apenas à direcção?
Não percebo porque se há assim tão vil gente à frente dos nossos destinos, que portistas são vocês se nem gente competente para uma lista conseguiram formar? É que desde que vos leio nunca vi uma única alternativa sequer, nunca apresentaram uma ideia de mudança, nunca nem um simples projecto de plano apresentaram.
Gostava de ler apenas um hipotético projecto, ver que ideias novas e frescas se propunham a apresentar aos sócios. Ou ficamo-nos só pelas palavras na Internet?
Querem que alguém se candidate para apoiarem o primeiro que se ousar opor à direcção? Querem propor nomes à sorte como fazem com treinadores para semana após semana trucidarem quem quer que se apresente?
Acho que já percebi, bruno de carvalho é que é, esse sim um homem para seguir, um modelo de gestão, ou então o vieira, o vieira é que é bom, e se junto com ele vier o gabriel e o guerra ui que temos os supra sumos do futebol.
Quando as coisas não estão bem é que se vê quem realmente tem amor ao clube ou quem anda por ver andar, isto não é uma critica a quem critica, mas apenas a ideia que fica é que criticam porque sim. Criticam por não se ganha mas apresentar ideias nada.
Cumprimentos.
Pedro Santos

José Pedro Fernandes disse...

Adoro o facto de o autor do post so vir no fim do texto. Quando o Miguel escreve, concorde ou discorde de si, ao fim de 2 paragrafos ja sei de quem é o texto :).

Tem sido 3 anos bastantes maus, do pior que me recordo nos meus 33 anos de existencia mas esta critica que faz nao tem qualquer efeito catartico. Parece-me que para muitos portistas o PdC ja passou o seu prazo de validade e eu entendo o sentimento. Nao vejo é grande valor no cortar por cortar com o passado.

Parece-me que vimos ontem do nosso Presidente um discurso que foi claramente para dentro e para os portistas e nao, os mais comuns, discursos para a Liga e para adversarios. Dada esta audiencia, fez sentido o discurso reconhecer mais erros em 40 min do que alguma vez tinha visto o PdC fazer. Estou a ler aqui comentarios que dizem que nao foi longe o suficiente, mas esquecem-se que de nada serve ir para a televisao dizer que a gestao da SAD durante 3 anos foi uma porcaria. Reconhecer os erros, dar algumas ideias sobre o plano para ao futuro era essencial e isso foi atingido, pelo menos parcialmente.

Quem esperava uma penitencia maior que a de ontem pelo PdC deve ter andado a dormir nos ultimos 20 anos. Nos maus anos, e alguns foram mesmo mt maus, nao tivemos grande reconhecimento de erros e agora queriam a total inversao de valores. Isso nao acontece a nao ser com pessoas sem visao e espinha dorsal.

Para mim a pergunta que ponho aos portistas é se querem ser um Liverpool ou um Man Utd. O Liverpool faz cortes radicais de plantel e treinador a cada curva e vive constantemente no fio da Navalha com objectivos nao realistas a que se propoe. O Man Utd, mantem uma politica constante, e sabe-se que mesmo que as coisas corram mal 3-4 anos a maquina volta a encontrar o caminho das vitorias e a imagem do clube nao se destroi por alguns resultados desastrosos. Ha uma memoria e uma cabeca fria no Man Utd que tb existe no nosso clube.... queremos mesmo destruir isso?

A estrutura ganha muita coisa, nao no campo mas a criar a mentalidade certa. Parece-me que relaxamos desde os tempos do Vitor Pereira e deixamos de defender o clube com unhas e dentes de arbitragens e afins. O Porto tem estado desde o AVB a tentar criar uma figura de um General Manager, dando ao Treinador o papel de porta voz e demasiado poder a escolher o plantel. Quanto as contratacoes, é sempre possivel fazer melhor, andamos a anos em apostas mt duvidosas.

A conjuntura tem um grande impacto na visao que temos da qualidade do plantel: Danilo, Ruben Neves, Herrera com uma grande epoca que os fizesse progredir nao seria certamente inferior a um trio Fernando-Guarin-Belushi. O mesmo se podia dizer uma dupla Brahimi-Corona quando comparada com Hulk-Varela (o Hulk era fora de serie mas o Varela era mediano nos seus melhores dias) os nossos extremos de hoje tem potencial para serem dos melhores da Europa... bastava terem continuado a crescer e estarem confiantes como se ve nas suas seleccoes.

Nao estou a sugerir deixar cair a pressao recente sobre a SAD e mostrarmo-nos criticos com o que tem sido feito; mas este tipo de critica que o ML escreve é mais emocional que racional. Se vamos sair do buraco vai ter de ser com analises frias, determinacao e sem destruir o valor que ainda existe dentro do clube.

A frase da entrevista foi a epoca ter terminado e estarmos a avaliar quem vai ficar. A mensagem aos jogadores que pensam no porto como uma plataforma giratoria ficou dada para 2-3 anos. Quem vier sem sentir o desafio e nao se esforcar como a camisola exige, vai entrar na plataforma giratoria e sair pela porta pequena para um clube romeno ou onde tiver de ser. Ha aqui um aviso grande ao plantel de hoje e ao futuro, as decisoes dificeis vao ser tomadas com base na dedicacao e valor. Se o tema das comissoes ligadas a membros da SAD continua completamente por explicar, a construcao do plantel pode finalmente estar de volta ao caminho certo.

Saudacoes portistas.




MIguel Alexandre disse...

Épa, Eu também tenho MUITAS dúvidas, também lamento muitas respostas do Presidente e ausencia estrategica de certas perguntas MAS aquilo é o máximo a q alguém com as suas responsabilidades pode ir, nao pode desatar a enfraquecer a sua direcção. Ontem pareceu-me evidente q o Presidente tem completa noçao da gravidade do momento e como ele é definidor agora pede-se aos Portistas q não percam o sentido critico mas acreditem!
Miguel, dos eufemismos ou termos de comparação q costumas usar, usares Marcelo Caetano para o comparar ao suposto mofo do Presidente epa soa muito mal!!! Ha limites, na minha opinião.
Miguel Alexandre.

Cheue disse...

Dizer mal de tudo não equivale a inteligência.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Miguel,

"Ha limites, na minha opinião."

Que limites?
Os de utilizar meios do clube para censurar e criticar adeptos por posições opostas? Não era isso, entre outras coisas, que defendia Caetano?

O tempo da impunidade acabou!

Luis Pereira disse...

Concordo com esta visão de José P. Fernandes sobre o momento. Em futebol a diferença entre a Glória e a desgraça é absurdamente ténue e ora fascinante, ora deprimente.

Tiago Afonso disse...

Não não acabou o tempo da impunidade. Só um incauto e que acreditará nisso.

As críticas fazem sentido. Algo excessivas nos termos utilizados mas com sentido.

Sabemos que a crítica quando temos mais de anos de poder numa entidade é difícil de ser aceite.

Diga se em abono da verdade que a questão das comissões, os rumores sobre isso e outras questões já circulavam há uns anos.

A combinação de dois factores: a ausência de títulos e o football leaks vieram por em causa a opacidade e alguma podridão que existe no clube.

Há questões com grau de complexidade para resolver. E vamos a guerra com quem?!


Nuno de Campos disse...

Infelizmente, um artigo muito certeiro. Quando diz que se envergonha deste Porto, Pinto da Costa deveria antes dizer que se envergonha da sua incapacidade para fazer melhor. O criador é responsável pela criatura.

E a incompetência não se limita à gestão da equipa que veste de azul e branco. O trabalho que assegura que as equipas de preto nos tratam com justiça não foi feito. Como não se tem comunicado com a precisão e a contundência de outros tempos.

Pinto da Costa diz que é nas derrotas que se vê quem serve e quem não serve. Depois do falhanço pós Kelvin, ele próprio, teve oportunidade de passar esse exame no ano passado e este ano. Prepara-se para obter mais quatro oportunidades brevemente, num total de seis. Será que mais alguém mereceria tanta benevolência?

Luís Vieira disse...

Não vejo necessidade de tanta verrina, principalmente depois de PdC ter assumido com as letras todas o falhanço da Direcção. Não podia ter sido mais explícito: "batemos no fundo", "tenho vergonha", "temos de mudar". Se isto não é um enorme mea culpa, não sei o que será. Relembro que o Porto, na presidência de PdC, já teve épocas piores, designadamente com o Octávio Machado e com o Paulo Fonseca. A novidade é a seca de títulos prolongada e consecutiva. E naquelas alturas não houve assunção pública de responsabilidades. Além do mais, PdC explicou o que pretende fazer para mudar: construir um plantel de "carácter e qualidade", regressando um pouco às origens. Novamente, é a assunção da falência de um modelo de negócio levado ao limite e a tentativa de recuperação de valores entretanto perdidos. Um deles é a necessidade de portismo, daí a referência a jogadores como Rafa e Josué (perfeitamente capazes como jogadores de plantel, que o Porto que conhecemos sempre teve - os "Chaínhos", como por aqui se disse outrora). A reintegração do Octávio é outra boa notícia. A triagem de plantel e consequente revolução também me agrada, porque há muito boa gente que, parafraseando, não tem qualidade, nem carácter. A questão do treinador ficou ambígua, uma vez que PdC não afirmou peremptoriamente que contava com Peseiro para a próxima época. Sou partidário desta opção apenas na hipótese de o plantel ter uma excelente defesa, senão não vamos lá, conhecidas as dificuldades defensivas das suas equipas. Caso contrário, apenas um AVB pacificaria a generalidade dos adeptos ou um treinador estrangeiro de reconhecida capacidade (com um raro investimento num timoneiro). Foi o ponto fraco da entrevista, PdC não se quis comprometer com nada, mas a "questão treinador" é vital e quanto mais cedo estiver definida, melhor. De resto, a crítica à arbitragem foi no tom costumeiro, mais macio, corporizada no Vítor "ladrão" Pereira. PdC acredita que com a mudança de personagem, as coisas vão melhorar. Eu não: acho que é uma coisa mais sistemática, mais profunda, e não mudará com a simples troca de presidente do CA, mas cá estaremos para ver. Faltou acutilância neste aspecto. Em suma, acho que esta Direcção prestou um mau serviço ao clube nos últimos três anos e que, centrando-nos neste período, não merecia continuar. Contudo, há um historial de vitórias e competência dos mesmos protagonistas que, a verificar-se a mudança de rumo propalada, pode trazer o Porto de volta ao sucesso. Na falta de alternativa, dou o benefício da dúvida. Acredito que toda aquela equipa se sente acossada e escrutinada como nunca. Vai, por isso, querer mostrar que ainda está aí para as curvas, nem que seja por orgulho pessoal. Se os excessos e os pecadilhos do passado recente forem corrigidos, acredito, com reservas, que podemos voltar a ganhar. Se se aplicar a teoria de Lampedusa, de tudo mudar para tudo ficar na mesma, então teremos um futuro pouco auspicioso pela frente.

Curioso disse...

Disse Luis Pereira: Em futebol a diferença entre a Glória e a desgraça é absurdamente ténue e ora fascinante, ora deprimente.
Voltamos sempre ao mesmo. Tem muita razão quando se trata da bola no poste que ou entra ou sai, ou quando se contracta o campeão olímpico que nos séniores fica aquém do prometido. Agora quando se anda a comprar guarda redes ao molhos e jogadores que nem nos clubes secundários onde estavam se destacaram, anos e anos a fio com essa brincadeira e finalmente os resultados (acumulados) se tornam visíveis já não é sorte ou azar, é incompetência. Ou como o futebol leaks nos vem mostrando é um tipo inesperado de competência para uma gestão de sociedade anónima.