quinta-feira, 21 de abril de 2016

Da clausula do medo ao amanho de resultados e o Porto em silêncio

O Sporting Clube Farense é um dos históricos do nosso futebol. Presenças europeias, equipas míticas, um estádio com alma própria, representante de uma região onde o futebol sempre teve um papel importante desde os grandes dias do Olhanense na década de vinte passando pelas gestas do Portimonense ou do Louletano. Que um clube assim se venda tão barato é sinal do que vale a moral no futebol português.
Não é novidade que os algarvios há muito decidiram posicionar-se no bando de subserviência do Benfica. Fizeram-no com vários protocolos, da venda dos direitos televisivos, da recepção de jogadores emprestados, etc. No fundo o Farense comporta-se hoje como muitas filiais se comportavam a meados do século passado, um regime de subserviência. É isso que os adeptos do Farense parecem querer para um clube que merecia outra coisa. Azar o deles.

O que não é tanto um problema dos adeptos do Farense, pelo menos em exclusividade, é a vergonha produzida no jogo entre o clube e a equipa B do Benfica. A Academia do Seixal, essa fábrica de produção de talentos mundiais que já é "uma das melhores do mundo", como alguém tentou vender por aí, está a ponto de cair nos campeonatos distritais. Enquanto a primeira equipa funciona bem, a segunda é uma miséria. Futebolisticamente ver um jogo do Benfica B é um autêntico suplicio. Entre que metade dos seus melhores produtos foram vendidos á Doyen para pagar dividas sem quase minutos na equipa principal e a outra metade já foi promovida á equipa A, não sobra nada salvo um ou outro jogador de potencial mediano. O resto é de um nível deplorável e não estranha a ninguém que a equipa esteja na luta pela manutenção. Ao mesmo tempo o Sporting continua consolidado na parte alta da tabela e o Porto B, bem, o Porto B anda a mostrar ao Porto A como se faz, o que não é pouco.

Ora muita gente começou a tremer, a entrar em pânico. Como vender aquela maravilha do século XXI com a equipa a jogar contra o Marialva e amigos semana sim, semana também? Podia o Benfica tapar a vergonha de ter um projecto tão bem vendido na imprensa e sites especializados com a equipa a definhar nos campeonatos semi-profissionais? Obviamente que não.
Era preciso resolver o problema e parte dele ficou solucionado. Como no Padrinho.
Há uma cena no filme original de Copolla em que Brando, magistralmente, relembrar ao cangalheiro a que decidiu ajudar no inicio do filme, que este lhe deve um favor e que está na hora de o cobrar. No filme o favor é deixar apresentável para a família o corpo de Sonny Corleone, baleado sem piedade. Na realidade da Liga de Honra - uma Liga sem Honra - é que o Farense não só se deixe perder como se prejudique ainda mais nas contas pela salvação. Provavelmente com a promessa de um ano no poço com ajuda financeira e uma subida garantida, de alguns trocos a mais debaixo da mesa ou, pura e simplesmente, a troco de nada porque já muito lhe foi dado. O Farense, recorde-se, pode ser um histórico mas até há bem pouco tempo era um histórico cheio de dividas a morrer no deserto.

A politica de empréstimos - que tanto critico e critiquei - criou há uns anos a chamada "clausula do medo", a de tu não jogas e não me prejudicas. Se isso faz com que a equipa rival saía debilitada, problema deles. Surgiu depois de alguns jogadores emprestados não colocarem "toda a carne no assador" nos duelos com as casas mães, o que dava demasiado nas vistas (ao Tozé, felizmente, ninguém lhe explicou isso, como já sabemos). Mas da clausula do medo agora passamos, directamente, ao amanho de resultados. Sim. Amanho de resultados.
As contas são simples. Um jogador emprestado não pode jogar contra o clube que o empresta segundo as regras da competição. O que faz o Benfica? Empresta vários jogadores ao Farense. Não é o único clube. O Farense joga com os outros clubes de quem tem emprestados e não há problemas. Porquê? Porque os emprestados não jogam. E o que faz o Farense contra o Benfica? Coloca em campo no jogo disputado no Seixal a 16 de Março - e que o Benfica ganha por 2-0 - um deles e com isso garante não só a perda de três pontos - a derrota na secretaria - como uma suspensão mais por infringir as leis da competição. Fazem-se de burros os que mandam, contradizendo a politica de comunicação do clube e no final de contas tudo corre bem para o Benfica como explica o TdD muito bem. Com esse resultado o Farense está quase despromovido e o Benfica a três pontos da salvação com quatro jogos - que vão ser muito curiosos de seguir - por disputar.



Ora não basta levar jogos para o estádio do Algarve em vez de serem disputados no Estoril. Não basta corromper meia dúzia de clubes comprando os direitos televisivos para transmitir na BTV. Não basta encher os clubes de emprestados ou comprar jogadores a esses clubes para depois voltar a emprestá-los sem que alguns cheguem a vestir a camisola do clube. Não basta ter um Vitor Pereira onde importa, um Mário Figueiredo onde importava nem sequer basta com controlar os media ou comprar uma bancada inteira de um clube rival para jogar em casa como passará em Vila do Conde. Não, isso não basta. E porque não basta? Porque quando se desce baixo uma vez, desce-se sempre e o Farense pagou o preço de se ter aliado com gente sem escrúpulos que é capaz de amanhar um resultado - nem que seja por omissão uma vez que os delegados de jogo do Benfica sabiam no momento em que Harramiz aparecia na ficha que o jogo estava ganho - para não transformar a sua preciosa Academia numa anedota mundial.

O triste nisto tudo é que nos últimos dias, após a sua eleição, Jorge Nuno Pinto da Costa preferiu apontar baterias a um portista e antigo dirigente do clube como Angelino Ferreira, preferiu voltar a atirar o morto para cima de Julen Lopetegui e Jorge Mendes, preferiu voltar a centrar-se em temas perfeitamente redundantes para a realidade do FC Porto em vez de ter aproveitado todo o tempo de antena para defender o clube de rivais deste nível, denunciando como fez no passado - melhor do que ninguém - este clima de impunidade. O homem que deixou Lopetegui levar com o peso da luta contra o #Colinho, que desde o Apito Dourado tem tido um tom muito mais condescendente com o que antes não tinha medo de catalogar como "Roubos de Igreja", podia começar o seu novo mandato de quatro anos a denunciar esta podre realidade como a do Farense vs Benfica em vez de se preocupar com Angelino, os impostos e Lopetegui. O caminho do FC Porto faz-se para a frente e contra rivais melhor preparados do que nunca. Desviar as atenções e os tiros para os seus em vez de expor os podres dos inimigos reais não é o melhor sinal de que algo vá mudar.

Caro Pinto da Costa, uma reflexão portista. Deixe de um lado os portistas que pensem de maneira diferente e que não deixam, por isso mesmo, de ser portistas e aponte baterias e todas as armas ao seu dispor a quem realmente quer prejudicar a instituição Futebol Clube do Porto. Que tal uma nova entrevista no Porto Canal dedicada exclusivamente a isso e não a disparar a alvos internos ou abrir caminho a sucessões pensadas?

14 comentários:

DC disse...

Isto é um verdadeiro escândalo. Se isto passar em claro, o futebol português assume definitivamente que não tem seriedade.

Paulo Rodrigues disse...

@DC já passou em claro e nao tenho a menor duvida de que o benfica B assegurou a manutenção com esse estratagema.

Pedro Reis disse...

Caro Miguel,
Acho muito pertinente e concordo com a maioria das coisas que por aqui escreve, mas deixe-me dizer que achar que os portistas e/ou o seu presidente devam estar preocupados com esta questão do Benfica B e do Farense, com tantas questões importantes não dá para perceber...
Enfim, totalmente irrelevante.

Paulo Azevedo disse...

Eu sei que o nosso clube esteve envolvido em situações menos claras no passado,mas também sei que era prática comum a todos os clubes, mas o apito dourado em relação ao que se tem passado nestes últimos anos é uma brincadeira de crianças. Está tudo minado, tudo comprado. Desde árbitros a clubes e até jogadores,com a complacência da comunicação social.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Adulterar uma competição é tudo menos irrelevante e é apenas o reflexo de como os tentáculos do polvo controlam cada vez mais variantes. Assobiar para o lado em situações assim só serve para abrir ainda mais as portas a outras ainda mais graves.

LR disse...

Caríssimo, sigo com atenção os seus escritos pois fui educado a respeitar quem pensa diferente e gosto de o ler pela clareza com que se expõe. Não o cumprimentei qdo escreveu a proposito dos constragimentos q identificou no processo eleitoral do FC Porto pq seria oportunismo da minha parte, já que reconheci nesse post um elogio velado ao processo eleitoral do Benfica, o qual serviu-lhe de comparação.

Enquanto farense e desportista concordo com a falta de transparencia que estas cedências provocam, sobretudo porque mesmo sem ter sido esse o caso - de conluio ou premeditação nesta ilegalidade - da suspeição, agora, ng se livra.

Explico-lhe porque discordo; 1- A Farense SAD não tem, de facto, gente competente na sua estrutura administrativa, é uma negocio familiar gerido por pai (presidente) e filho (dir. tecn/ delegado). 2 - O Benfica não poderia nunca ocultar o vinculo q mantinha com o jogador Harramiz, pelo que o desconhecimento deste se deve apenas á falta de diligência dos responsávei farenses. 3- PROVA DESSA INCOMPETÊNCIA é que ao SCF ainda devem ser subtraídos mais 2/3 pontos por "culpa" do mesmo jogador, e dos mesmos dirigentes. Harramiz fui expulso num jogo e "cumpriu castigo" no jogo seguinte em casa, com o Benfica B, tendo jogado na jornada seguinte com GUIM. B. Ora, estando vigente o vinculo que agora é noticia, esse jogo com Benfica B nao servia para "cumprir castigo", visto q o jogador estaria impedido de defrontar a sua equipa em qql situação. No caso de o resultado ainda nao estar homologado qq equipa que se veja ultrapassada pelo SCF ainda pode protestar o referido jogo.

As especulações são livres, não estarei por nenhum blog a refutar esta conspiração mas, pela estima q tenho pelas suas palavras, senti q estas observações podiam ser-lhe uteis.

Cumprimentos

Felisberto Costa disse...

Plenamente de acordo...
Imaginemos que isto se passava com o FC PORTO?
Lá vinha a Morgado, o DIAP, e todos os honestos sacristãos da Carregueira!!!
Acho que não foi o FC PORTO que bateu no fundo. Foi o futebol português!!!

Soren disse...

100% de acordo. Túnelgate, Estorilgate e agora um regresso ao Algarve para um Farensegate. Enquanto isso discute-se o Angelino e o Lopetegui.

Não basta ter o Pereira no CA, nem os Cunhas pouco Leais, Ricardos Costas e Figueiredos na Liga, só isso não é suficiente. Eles são tão fracos, tão mais fracos do que a sua máquina de propaganda vermelhas apregoa, que são sempre necessários outros estratagemas.

O fascismo ainda vive e está bem presente no nacional benfiquismo, que é a principal razão do atraso civilizacional da sociedade portuguesa. Vale tudo no único clube em todo o mundo com os últimos 4 Presidentes condenados. Tudo à vista desarmada, a céu aberto, sem vergonha.

Desengane-se quem pensa que estas poucas vergonhas vermelhas se ficam pelo futebol.

Francisco Paulos disse...

E nós a Norte que fazemos para desmascarartudo isto? Nada!Para que nos serve o Patético Canal a não ser para dar tachos aos filhos e amigos? Ah pois é. ...estamos à espera que sejam os pasquins do regime a fazer o trabalho que deve ser feito por nós? Mas algum Pai prejudica o filho? Falar mas não agir não dá resultados. E esta cambada de desonestos intelectuais ainda têm como prémio convites para a nossa feira de vaidades. Ao que chegamos.

António Silva disse...

Excelente texto. Há apenas algo que não compreendo no mesmo, quando diz "...o Benfica a três pontos da salvação com quatro jogos,..., por disputar."

É que estive a olhar para a classificação no site zerozero e lá diz que descem 5 equipas, estando o Benfica B em 21º com os mesmos pontos do 20º e do 19º (primeiro lugar que garante a manutenção) a 1 do 18º, 2 do 17º e 3 do 16º. Com esta salganhada nessa zona da classificação concluo que três pontos não garantem a manutenção, a não ser que não sejam mesmo 5 equipas a descer de divisão.

Luis Pereira disse...

Bom artigo.
Começa com um assunto interessante e perspicaz;
Passa a um outro assunto e sugestão essencial para o futuro portista que é o "apontar baterias e todas as armas" a quem tenta prejudicar a instituição.
Pinto da Costa é reflexo de parte, cada vez maior, de portistas que perdem as energias a arranjar e a combater fantasmas internos.
Neste momento, a gestão é muito complicada por culpa própria (dos portistas).
Quando se "reiniciar" o ataque aos inimigos externos virá, inevitavelmente, a reacção destes e aí veremos se os portistas, no global, o apoiam (PdC e o clube)ou vão, uma vez mais, cair no engodo e adotar as "razões" dos "inteligentes" da capital e seus acólitos regionais.

Off-topic: Parece-me que os clubes de Lisboa só se queixam das horas tardias em que terminam os jogos de futebol quando as suas equipas e adeptos têm jogos fora de casa.
Se for em Lisboa podem acabar ás 23h.
São pormenores, mas é típico de quem tem o "rei na barriga".

Saci Pererê disse...

Há uns dias deixei aqui um comentário apelando para uma critica mais concisa e com sentido. Devo agora dizer que sim senhor, tiro o meu chapéu e creio que isto é uma critica merecida à politica de comunicação do clube.Considero que isto sim é uma vergonha e que quem com silencio actua com o crime pactua.
Saudações

bruno disse...

pode ser que desça a equipa b e a equipa a.. com perda de títulos incluído.
os papagaios andam muito inchados, até parecem pavões, e pode que lhes caia a justiça em cima.
em Itália há uns anos a juve também desceu, e nós no que toca a matreirice, ao lado dos italianos, somos uns anjinhos.
o clã vieira anda a abusar, com ganância de gatuno vai cair.
para mais tarde recordar.

Lápis Azul e Branco disse...

Porra homem, finalmente de acordo!

Abraço portista,

LAeB : Do Porto com Amor