sábado, 9 de abril de 2016

Jogadores à Porto: procura-se

..e pronto, ficou o diagnóstico feito pelo presidente: afinal a razão pela qual os resultados foram maus nos últimos 3 anos é porque os jogadores «não são à Porto». Está explicado.

Mas será que está mesmo? Coloco a seguinte pergunta: mas por acaso temos hoje menos «jogadores à Porto» do que nos anos anteriores, em que conquistámos 7 campeonatos num período de 8 anos?

Mas afinal Maxi Pereira, Casillas, Ruben Neves, André André não foram elogiados por Pinto da Costa como «jogadores à Porto»?

Ah, «e os outros do plantel?» Bem, mas afinal isso era muito diferente na era «tri»? Era tudo «jogadores à Porto»? Danilo, Otamendi, Alex Sandro, Belluschi, Mangala, Rolando, James etc eram «jogadores à Porto» que deixavam tudo em campo e não estavam cá a pensar no «salto» para outro clube, ao contrário de Herrera, Aboubakar, Marcano e Cia? Poupem-me.

Desde 2003/2004 que não temos um núcleo considerável de «jogadores à Porto». Pinto da Costa demorou mais de uma década para reparar nisso, se era um problema assim tão grave? Digo isto e por acaso até acho q é um problema para tentar melhorar, mas nunca com a dimensão que Pinto da Costa lhe quis dar e um problema que certamente não explica os resultados dos últimos 3 anos em contraponto aos dos anos anteriores.

Se calhar o maior problema passa por outros lados, digo eu. Se calhar é um problema muito maior que - independentemente de serem jogadores à Porto ou não - o plantel actual seja desportivamente mais fraco e desequilibrado mas custe o DOBRO (salários e passes) do plantel de há 5 ou 6 anos atrás. Como se chegou a esse ponto? Isso é que eu gostava de ver discutido.

Se calhar é também um problema maior que os gastos totais da SAD tenham aumentado a um ritmo muito mais elevado do que as receitas nos últimos anos.

E se calhar é também um problema maior a forma como Pinto da Costa escolhe treinadores. Independentemente dos jogadores, acho que quase todos vão concordar que, na época em que passou pelo FCP, Paulo Fonseca foi mais parte do problema do que parte da solução: e cada vez mais há mais gente que também se convence que o mesmo se aplica a José Peseiro. De Lopetegui nem preciso falar (e é irónico que Pinto da Costa diga que lhe deu demasiada confiança - mais do que aos outros, presume-se - tratando-se de um treinador sem qualquer currículo a nível de clubes e já com uma longa carreira de treinador).

Pois bem, cá eu acho que Pinto da Costa fez essa afirmação não por convição mas sim com dois objectivos em mente: o primeiro e mais imediato, desviar a ira dos adeptos da Direção para com os jogadores (e nem é a primeira vez ou segunda vez que faz isso); o segundo, preparar os adeptos para tempos de vacas magras em contratações (não há dinheiro), «vendendo» aos papalvos a recuperação de emprestados, jogadores da equipa B e contratações de tostões como uma estratégia deliberada de ir buscar «jogadores à Porto»... quando a falta de pilim é a principal razão para o apertar do cinto, senão a única.

Mas pronto, quem quiser acreditar que basta mudar metade do plantel para «jogadores à Porto» e assim passamos a ganhar tudo, está no seu pleno direito, claro. Afinal de contas, também há quem  acredite no Pai Natal.

13 comentários:

JON disse...

Tudo dito.
100% de acordo.

Felisberto Costa disse...

Uma vez um cigano decidiu ir comprar um burro á feira. Chamou o filho para ir com ele.
Depois de adquirido o animal, e de regresso a casa vinham ambos a pé a falar entre si, eis que passa gente e alguém diz: estes ciganos são mesmo mais burros que o burro! Compraram o bicho e vão a pé!
O pai cigano, diz então ao filho para montar no animal.
Mais umas passadas á frente e ouvem o seguinte comentário: coitadinho! O velhote vai a pé, e o calmeirão do filho é que vai no burro!
Toca a trocar de lugar!
Meio minuto depois: já viram? O velho do caraças ali refastelado no burro, e o filho a transpirar que se farta, a pé!
Dito e feito, os dois em cima do burro.
Ao chegarem ao acampamento, levam nas orelhas por: então que é isso? Dois marmanjos em cima do pobre animal? Não tem vergonha?

Moral da história, Pinto da Costa é culpado, Lopetegui é culpado, o Antero idem, a SAD é uma vergonha, os jogadores não são á Porto há um ror de anos,o Peseiro tá a prazo...
Porque em cada cabeça há uma sentença!

Luís Vieira disse...

O Presidente não se limitou a dizer isso, como referi no comentário ao post anterior. Na entrevista, não vi uma postura de sacudir água do capote. Houve uma assunção de responsabilidades pública como nunca vi, o que é normal, atendendo ao período extenso de seca de títulos (também ele uma novidade). Ademais, PdC referiu que com o dinheiro da MEO, haverá mais estabilidade na construção dos plantéis e maior capacidade de retenção de jogadores. O que extraí das suas declarações (senão directa, pelo menos indirectamente), para além da recuperação de jogadores à Porto, foi a necessidade de escrutínio nas contratações, exigindo-se "carácter e qualidade". PdC assumiu o erro de ter concedido demasiado poder a Lopetegui nesse particular e parece-me que pretende voltar a tomar as rédeas das contratações, esquecendo a ideia de um manager. Por outro lado, como é evidente, o Presidente não iria debater publicamente os problemas internos da estrutura. Disse apenas que a radiografia foi feita, que os problemas foram identificados e que as medidas devidas irão ser tomadas para obviá-los. A começar pelo referido escrutínio na construção de plantel, que me parece importantíssimo e onde PdC pôs a tónica, o que me agrada, ficando, contudo, aquém, ao não sublinhar que essa exigência também se deve aplicar à escolha do treinador que tem falhado consecutivamente desde Vítor Pereira.

Paulo Monteiro disse...

"«vendendo» aos papalvos a recuperação de emprestados, jogadores da equipa B"

O problema é que esses jogadores valem tanto ou mais que os que foram comprados até agora por balúrdios!

Curioso disse...

Ao Felisberto Costa: "Estória" muito interessante por si própria mas no que se refere ao moral da mesma e às analogias digo-lhe o seguinte. Os críticos nesse caso acabaram por não ter razão porque o burro e os passageiros duma maneira ou doutra chegaram ao destino. No caso do FCP o burro (a equipa) actualmente nem anda e os donos do burro (a SAD) nem se preocupam com isso, ou disfarçam muito bem. E já andam nisto há uns 5 anos mas nos primeiros 2 anos o burro ainda andou alguma coisinha. Percebe onde está o problema? Para mais que o dono do burro confirma (e muito bem) que não é por ter conduzido bem burros antes que agora devem deixá-lo comprar e conduzir burros para sempre.

Pyrokokus disse...

Papalvo, seguidista, zelota...

Ainda bem que este é um espaço de reflexão.

Adeus

José Lopes disse...

Terceiro objectivo para ter dito o que disse sobre os jogadores à Porto: puro e simples populismo, ou seja, dizer aquilo que sabe que a populaça quer ouvir. Já fez o mesmo noutras alturas, incluindo a propósito da mudança de Vítor Pereira para Paulo Fonseca.

E fico muito mais descansado por saber que ele vai tomar as rédeas das contratações. Evitaremos Campanas, mas os Maregas não nos escaparão, ainda bem! O curioso é que eu tenho mesmo ideia de ter lido Pinto da Costa elogiar o facto de Lopetegui ter conseguido trazer jogadores que de outra forma não teriam vindo, devo ter lido mal...

José Rodrigues disse...

Mas a Direcao não tem tido mão nas contratações??

É por causa de Lopetegui q Adrian Lopez, Martins Indi, Imbula, Marega e tantos outros vieram parar ao FCP?? Ok...

O curioso é q nenhum dos maiores flops dos últimos 3 anos (jogadores caros q não deram em quase nada) teve dedo do treinador.

José Rodrigues disse...

Já agora, também deve ter sido por culpa dos treinadores q chegámos ao ponto de ter GR suficientes para fazer uma equipa inteira...

Miguel Magalhães disse...

Se tivéssemos um presidente e dirigentes à Porto, teríamos treinadores e jogadores à Porto.
Os jogadores chegam a pensar em dar o salto no ano seguinte porque os dirigentes transformaram a SAD numa trading de jogadores (e não foi só nos últimos três anos).
Se o Lopetegui teve o poder todo para contratar jogadores foi porque os dirigentes lho deram. E se não validaram o que estavam a contratar a culpa é deles.
O Porto não tem um problema de treinadores nem de jogadores. O Porto tem um problema de liderança e uma estratégia desportiva, financeira e de comunicação para fora e para dentro (adeptos) que se revelou errada e inconsistente nos últimos (vários) anos.
E não ouvi nada na entrevista do presidente que me garanta que algo vai mudar para melhor

Ângelo Henriques disse...

Completamente de acordo, caro Miguel Magalhães.

Luís Vieira disse...

Tem, claro, mas com Lopetegui delegou bastante essa função. Ou não? E mesmo aí houve mea culpa: evitar "jogadores que já estão a pensar na porta de saída". Quanto aos jogadores referidos, 50% deles (Adrián e Imbula), foram escolha de Lopetegui, nas palavras de PdC. Mas o que importa reter é que houve um misto de equívocos, quer da parte do treinador, quer da SAD, que resultou num plantel desequilibrado e deficitário. Urge corrigir esta falha para melhores desempenhos futuros. E pelo que nos foi dado a perceber parece haver vontade nesse sentido. Contudo, uma coisa é o que se diz, outra o que se faz.

Vitor Gomes disse...

Concordo e acrescento: já estava na hora de se matar de vez esse chavão do "jogador à Porto", assim como os da "mística" e outros que tal.
Usados da forma que são, a toda a hora por qualquer pessoa (Portista ou não) e para qualquer fim, só servem para lançar mais poeira no ar.
Se Maxi e o Rubén podem ser ambos rotulados com esses chavões, só mostra o quão vazios e desprovidos de sentido eles são...

Mas pronto, a malta criou esse bode expiatório e o PdC, quando viu a oportunidade, agarrou-a com ambas as mãos para também fazer dela o que mais lhe convém. Não digo que o faça com as intenções erradas, mas que me parece um argumento desonesto parece.

Mas pronto, a culpa também é nossa (adeptos), por isso agora é aguentar. Ou aparecer uma alternativa nos próximos dias...