segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Filhos & Enteados - O Regresso

Cartão amarelo
Ordem do Infante D. Henrique

9 comentários:

F. Gomes disse...

Apesar de ser adepto do Benfica, vi a expulsao do Telles como ridicula. Estamos caminhar para um nivel que ja nao pode haver contacto entre jogadores.

E a culpa de quem e ? Dos arbitros claramente ! Pois permitem este tipo toques seja marcado falta e posterior cartao amarelo.
A marcacao deste tipo de falta, jogador protege a bola de costas e braco voluntariamente toca no adversario, tem crescido e tem vindo a occorrer com muita frequencia de ha dois ha anos para ca. Porque antes nao se marcada este tipo de "faltal" ? Porque bastou um arbitro ( com muito pouco jeito para a actividade) comecar a marcar e jogadores vao vendo que da para sacar este tipo de lances com algo teatro a mistura e os demais arbitros seguem a corrente.
Aqui o presidente da liga, como antigo aribtro, devia de dar instrucoes aos arbitros mais tenrinhos para nao sancionar este tipo de "falta". Se os jogos da liga portuguesa ja tem muito pouco tempo util de jogo se continuaram a marcar faltas e fatinhas a qualquer toque vamos ter cada vez mais espetaculos miseraveis.

P.S. Nota se bem a ingenuidade do Alex Telles, sendo um estreante na liga portuguesa, que ainda nao conhece este tipo de manhas e jogos baixos e teatrais por parte dos adversarios, refiro-me a Heldon.

José Pedro Fernandes disse...

100% de acordo com F. Gomes.

Os jogadores como super competitivos que sao vao tentar sempre posicionar-se para tirar proveito das regras. É por isto que tem de haver os incentivos certos, para evitar que as tentativas de aproveitamentos das regras deturpe o proposito com que foram desenhadas.

Das duas uma:
- ou os arbitros tem de ter mais poder para julgar estas simulacoes e devem puni-las ate com cartoes amarelos e vermelhos;
- ou entao a posteriori é preciso ir uma comissao de disciplina penalizar os jogadores que facam simulacoes.

Se a cultura do futebol fosse como em Inglaterra, o proprio treinador do Heldon (e adeptos) dizia-lhe que tinha de deixar o teatro em casa. A comunicacao social depois difunde esta cultura e acaba por torna-la universal.



Luís Pires disse...

Dê-lhe outra comenda qualquer, o Infante D. Henrique é portuense e, obviamente, um grande portista :)

O F. Gomes não entendeu o post, o que é natural sendo ele, como afirma, ben7iquista.

A culpa não é dos árbitros, é de quem manda neles.

Os árbitros portugueses, salvo alguns Brunos Paixões (a quem dificilmente chamaria árbitro de futebol), até conhecem as leis do jogo e, se os deixassem, até eram capazes de fazer umas arbitragens assim pró mais ou menos.

A grande questão é que se querem continuar a arbitrar e progredir na carreira têm de atender o telefone quando ele toca (Marco Ferreira dixit).

Claro que também os há a quem nem é preciso mandar recado, sabem bem ao que vão (e lá está, outra vez o amigo Bruno Paixão. Quando foi nomeado para arbitrar o Ben7ica-B na última jornada da época passada, certamente que não foi necessário nenhum telefonema, o homem bem sabe como consegue continuar a andar lá pelas arbitragens).

Paulo Rodrigues disse...

Penso que qualquer adepto portista já estaria à espera destes casos de favorecimento ao clube da luz mas agora já à primeira jornada?! Esta época vai ser muito dificil para nós.

Gaspar Santos disse...

Conheço um ex-árbitro assistente (por opção deixou a arbitragem) que me garantiu que a corrupção estava nos observadores e não nos árbitros, salvo raras excepções. Segundo ele os árbitros apitam de acordo com o que o observador indica na palestra antes do início dos jogos. A nota do observador é que conta para os árbitros!

P.S. Este ex-árbitro assistente também me garantiu que o Victor Pereira não gostava dos árbitros de Aveiro. O certo é que não há árbitros da 1ª categoria na AF Aveiro.

Soren disse...

Sim Paulo Rodrigues, logo á primeira jornada. Surpreso?
Viu como o beneficia chegou à vantagem em Tondela? Viu a pretensa falta que deu origem ao livre que deu golo?

Acho que nem a nossa direcção se surpreende com estas coisas, a avaliar pela inacção e falta de defesa dos interesses do FC Porto perante tanta roubalheira vermelha.

Depois do que se passou na final da Supertaça, só faltava mesmo a multa do jogo de Vila do Conde para fechar o ramalhete.

É o nosso futebolzinho em todo o seu esplendor.

Carrela disse...

Se fosse só esse caso.
Vejam por exemplo o que fez Feja durante o jogo.
Se vestisse outras cores, obviamente que não tinha acabado o jogo.
E quem sabe o resultado final.
Sempre que não jogam a ponta de um chavelho, lá estão os do costume para segurar o circo em pé!
Petit foi expulso porque não suportou mais, depois de assistir à protecção dada a Feja, com amarelo e a dar-se ao luxo de fazer o que fez... mas depois, já mais calmo, encolheu-se e nada disse... tb ele, vestiu o manto protegido!

Soren disse...

Sim Carrela tem razão. Mas e depois o que disse Petit na conferência de imprensa? Ah e tal é o futebol.

Se fosse com o Porto, dizia o quê? Como tantos outros, os Costas, os Norton de Matos, etc.

É o que temos.

Pedro Reis disse...

Acreditemos que a culpa do nosso insucesso é dos árbitros e vamos continuar a afundar-nos rapidamente! Onde é que estava a cabeça dos sócios que voltaram a eleger esta Direção? Acéfalos...