sábado, 4 de fevereiro de 2017

Um foi à escola, o outro tem muito que aprender

Recentemente tanto o FC Porto (através da Dragon Force) e o SLB inauguraram escolas de futebol no Canadá. Isso justifica-se porque o futebol tem sido extremamente popular no Canadá. Todos os grandes campeonatos Europeus são transmitidos pelos canais Canadianos, assim como as competições da UEFA e o Campeonato do Mundo.

O FC Porto tomou o primeiro passo, quando no fim de 2015 inauguraram a sua escola na cidade de Bradford (que nem sequer é cidade satélite da maior metrópole do país). Bradquê? Eu pensei o mesmo e já vivo cá há 27 anos.



Vejam no mapa acima o centro da escola do FC Porto. Daqui a uns meses os jogadores terão milho à mão de semear. Com sorte podem fintar uma vaca ou duas.

Gozo com isto porque a decisão de levar a escola do FC Porto para uma cidade minúscula (24 mil habitantes) sem relevância cultural nenhuma raia o absurdo. Há uma comunidade portuguesa lá, tudo bem. Duvido que sejam mais de 3000, dos quais talvez 1000, com sorte, serão Portistas. E desses improváveis 1000 Portistas talvez uns 200 terão idade para fazerem parte da Escola. E nem sabemos se gostam de jogar futebol. A escola, se quiser captar talento terá de o fazer a mais de 70km de distância. Tivessem escolhido a cidade de Toronto teriam mais juízo. A cidade de Toronto tem 300 mil portugueses, tem infrastruturas condignas, não fica a uma hora de viagem (com sorte!) e tem amplamente muito maior capacidade de atrair talento.

O Benfica, na semana passada, inaugurou a sua escola em conjunto com a Casa do Benfica de Toronto. Escolheram o norte da cidade (Downsview Park) para treinarem os jovens que, de certeza, captarão consoante o seu talento. Downsview Park tem um complexo polidesportivo de qualidade, fica equidistante das maiores comunidades Portuguesas do país e não sofrerá (de forma alguma) do isolacionismo deprimente da Dragon Force numa cidade cujo centro metropolitano fica bem demonstrado aqui:



Bem, não tenho mais palavras. O amadorismo do FC Porto atravessa fronteiras!


10 comentários:

Unknown disse...

Isto de atacarem a administração do nosso Porto por qualquer motivo roça o absurdo muita vezes, mas porque raio havemos de fazer ou sequer comparar as nossas ações com o Benfica??? O CR7 foi recrutado na maior metrópole do país??? Sim devemos abrir escolas e captar talentos onde socialmente mais se justificar...ou será que só nas grandes cidades tem de haver meninos prodígios???

Francisco Paulos disse...

O que é dito tem uma certa lógica mas não estamos na posse de todos os dados para saber porque fizeram essa escolha. Se calhar há algum motivo.

Antonio Silva disse...

Unknown: não conheces a realidade da emigração Portuguesa no Canadá. Esta decisão de levar a Dragon Force para cascos de rolha é completamente absurda.

Rui Sousa disse...

Suponho eu que a Dragon Force não seja exclusiva para portugueses...

Hugo disse...

Não vives no Canadá portanto não sabes do que falas. É só dizer merdalejo sem conhecimento de causa para bater no ceguinho.

Pedro M. disse...

Ia jurar que o projecto Dragon Force até está a ser copiado pelos rivais, mas pronto ficou na moda criticar tudo e mais algo...
Até pode ser um flop esta escola, mas o projecto faz todo o sentido.
Parece a crítica a um jogador que falha um penalty...
Saudações Portistas.

Pedro disse...

Creio que a decisão, e isso foi explicado na altura, teve a ver com a demografia muito especifica de Bradford, e das zonas circundantes, em que a maioria dos habitantes são de descendência europeia, desde Holanda a Alemanha e naturalmente Portugal, etc. O objectivo não é apenas a comunidade portuguesa como é óbvio. Para além disso a Dragon Force depende muitas vezes também de apoios locais.

Não vejo como sendo preto no branco que a estratégia do Benfica seja melhor. O tempo o dirá. Parece-me algo desesperado falar em amadorismo que atravessa fronteiras.

A comparação com o Benfica também não é feliz. Se vamos por ai, vamos comparar a localização das escolinhas e captações na Colômbia e Brasil... a ver quem parece mais amador.

Sendo uma questão de opinião, parece-me que o artigo é exagerado e sem nexo algum. Sem colocar contexto nas coisas, tudo parece mal ou bem.

miguel.ca disse...

Eu vivo em Mississauga, cidade satélite de Toronto e tinha o vontade de dar a oportunidade ao meu filho de 8 anos de experimentar a Dragon force mas... Bradford?

csantos disse...

Se a utilização do nome Dragon Force em vez de FC Porto já é ridicula, pior tem sido a sua gestão.
Fora os jogadores vindos das escolas nacionais, julgo que ainda não deve ter havido nenhuma escola dragon force internacional que tenha dado um jogador sequer para os juniores ou equipa B.
Talvez esta do Canada não seja a unica a sofrer de má localização e planeamento.

vidente mor disse...

la estao os tugas com a mania das grandezas, alguns acham que os grandes colossos europeus estao a dormir , em relaçao ao canada so quero um nome de um canadiano que jogue alguma coisa a bola, so um. Os craques quando aparecem vem de africa ou da america latina agora do canada onde a juventude temm umas consiçoes otimas, onde nao falta nada? A dragon force tambem esta em valencia por exemplo e acham que e para que venha para ca algum espanhol jogar?