terça-feira, 14 de março de 2017

Pedia-se uma saída "limpa"...

...e pouco mais se poderia, verdadeiramente, aspirar contra esta Juventus que é, de facto, não na estatística mas em termos de poderio, a melhor defesa da Europa. Durinha, é certo, mas é mesmo assim que tem que ser, como bem sabemos. Os nossos Jorge Costa e o Fernando Couto que o digam...


Mais uma expulsão a marcar decisivamente o desenrolar do encontro.
Desta vez foi Maxi, em desespero de causa. Já antes, permitira um cabeceamento perigoso ao homem que estava a marcar. É aqui, ao mais alto nível, que as limitações deste uruguaio lutador, mas já na fase descendente da sua carreira, ficam bem patentes.

Mas quem esteve, efectivamente, bem? Ninguém, claro está. Não dava para muito mais e ficou sempre a ideia que a Juventus, bem à moda italiana, e felizmente, não é equipa para goleadas. Marcam os golos estritamente necessários e nem um a mais. Julgarão que é um gasto de energia desnecessário. É mesmo uma espécie de tradição transalpina.

Soares, tal como em Arouca, voltou a falhar um golo cantado mas quem esteve muito pior foi André Silva, que passou ao lado de mais uma partida. A pensar já num futuro muito próximo, talvez fosse melhor Otávio ou Jota preencherem o lado direito do nosso ataque no lugar do jovem ponta-de-lança. São fases menos boas que acontecem a todos.

NES não esteve mal nas substituições mas optou por trocar a posição de 3 dos 4 defesas, após a saída de Maxi. Não correu muito mal mas pareceu algo exagerado tamanho risco.

Enfim, saída sem história, nem glória, da edição deste ano da Liga dos Campeões.
Fica apenas o jogo de Roma para mais tarde recordar. Só que, desta vez, e num estádio para 41 mil pessoas que parece ainda maior que o Dragão, a Roma fomos nós.

5 comentários:

Mefistófeles disse...

Eu deixei de comentar aqui há muito tempo por comentários como o seu. Abro agora uma única excepção apenas para dizer o seguinte : é absolutamente extraordinário que se comentem com tal rapidez as derrotas do nosso FCP mas, nas grandes vitórias do clube a mesma velocidada de comentário demora 2 a 3 dias. Vá-se lá saber porquê... deste blog guardo um profundo respeito por José Correia e Mário Faria. Todos os outros, incluíindo-o a si me parecem...soníferos, só para ser simpático ou não demasiado rude. Publica ? Espero que sim porque é aqui que se vê quem tem "cojones".

Saudações verdadeiramente Portistas e até nunca !
José Fragoso, Portista de Lisboa e pai de 5 dragões. Embrulhe, se fizer o favor.
Nota final: o FCP actual, a nossa equipa actual, nosso presidente "de sempre", enchem-me de orgulho. E aos meus filhos também. O resto é letra, para não dizer outra coisa. Chapeau, Nuno.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Foi um excelente jogo de um Brahimiq ue esteve sempre mal acompanhado e quanto ao André, atira-lo para fora da sua zona de acção é condena-lo a um jogo que não é o seu. No futebol nacional o 442 do Nuno funciona perfeitamente porque os laterais podem subir, os interiores apoiar e André mover-se em zonas interiores no apoio ao Soares e é aí que a associação tem dado frutos. Se começamos a pensar que esse modelo funciona na Europa - anos e anos de JJ já demonstraram que não - e que manter as peças em campo mudando-as de zona de acção as vai ajudar, teremos um problema.

Este FCP está num processo positivo de transformação mas não tem ainda unhas para a guitarra europeia a este nível e não é por problemas individuais - sobretudo nas alas - mas sim por conceito de jogo e mentalidade.

Pedro disse...

"Mas quem esteve, efectivamente, bem? Ninguém, claro está."

Absolutamente extraordinária esta frase. Filipe faz um jogo fantástico, Danilo faz um jogo fantástico, Oliver e André André muito bem. Mas ninguém esteve bem...

De facto perdemos por 2 tiros nos pés. E ainda falta maturidade, e em alguns casos categoria, para superarmos estes momentos. Mas olhar para o Porto moribundo de Dezembro e para este... não há comparação. Não sendo "apoiante" de NES, admito que a sua ideia de construir em primeiro lugar uma equipa coesa, talvez tenha sido a melhor forma de encarar esta época. Isso e recuperar Brahimi.

Bruno Salvado disse...

É isso mefistófeles, ás vezes aqui a crítica negativa é demasiado fácil.
Já somos 2, portistas de Lisboa e com 5 dragõezinhos!😉

MLP, concordo com tudo o que diz, excepto quando faz a comparação ao JJ, a nossa identidade é única, não temos que olhar ou nos rever nos outros, e para finalizar o NES também ainda está num processo evolutivo que até agora tem sido positivo.

Dia do pai lá estaremos a acompanhar o nosso Porto!

Mefistófeles disse...

Bruno, temos que combinar um jogo de futebol de salão entre os nossos putos ;) Mas todos equipam de azul e branco ou então uns de azul e outros de branco :) Vermelho ou verde é que não dá. E nós ficamos no banco a dier umas bacoradas ;)

Forte abraço e muitas felicidades para si e os seus ilustres dragões, todos somos poucos ;)
Tudo de bom, tenho a certeza que este ano festejamos todos.