segunda-feira, 1 de maio de 2017

La Piovra | Penalties, expulsões e critérios



«Otávio – o primeiro a ver o cartão amarelo, aos 30 minutos, por uma falta menos grave do que algumas que sofrera antes e em que Carlos Xistra fora sempre benevolente (…)
No lance anterior ao golo, lá se viu o penálti da praxe sonegado aos azuis e brancos, com Bressan (deveria ter-lhe sido exibido o segundo cartão amarelo) a empurrar Otávio nas costas. (…)
Otávio, autor de uma bela exibição no regresso à titularidade e que se fartou de levar pancada: oito (!) faltas sofridas, mas ainda assim foi o primeiro a ver o cartão amarelo, como referimos.»
in ‘Dragão mandou para lá do Marão’, crónica do GD Chaves x FC Porto no site oficial do FC Porto



«A nossa equipa continua a três pontos da liderança da Liga Salazar e desta vez teve a felicidade de só ter sido prejudicada numa grande penalidade clara, por derrube de Otávio, imediatamente antes do primeiro golo. Dado o panorama das últimas jornadas, quase que podemos classificar a arbitragem de excelente - afinal, foi só um penálti, quando o habitual tem sido entre os dois e os três.
Quanto à expulsão de Maxi, o uruguaio teve uma entrada ao estilo das que tinha quando vestia outra camisola, sendo que deixou de beneficiar da proteção de então.
Por ser verdade, a arbitragem de Carlos Xistra foi muito, mas mesmo muito, melhor da que o FC Porto teve na última vez em que tinha jogado em Chaves, quando foi eliminado por João Capela da Taça de Portugal.
Há 15 dias, em Braga, por exemplo, houve três grandes penalidades a favor do FC Porto, que o árbitro Hugo Miguel não assinalou, ele que pelo meio assinalou - e bem - uma contra o FC Porto. Hugo Miguel esteve ontem na Luz e assinalou - e bem - um penálti a favor do Benfica. Por explicar continua a diferença de critério que faz com que a favor do FC Porto não se assinalem grandes penalidades.
Engraçado também um fora de jogo assinalado mal ao ataque do Estoril com o jogo em branco e que os "especialistas" ontem à noite na TV saltaram à frente. Viva o vídeo árbitro à la carte.»
Francisco J. Marques, em ‘Dragões Diário’ de 30-04-2017


No twitter, no site oficial, na newsletter ‘Dragões Diário’, o departamento de comunicação do FC Porto e, particularmente, Francisco J. Marques, reagiram rapidamente e bem, ao que se passou no jogo entre o GD Chaves e o FC Porto.

Além das críticas ao critério disciplinar adoptado por Carlos Xistra e ao penalti (mais um!) que ficou por assinalar a favor do FC Porto, foram feitas comparações com outros lances (noutros jogos), bem como, às diferentes decisões do mesmo árbitro (Hugo Miguel), consoante as cores das camisolas são azuis e brancas ou encarnadas.

Muito bem!
Isto chega?
Não. Aliás, o próprio texto de Francisco J. Marques, ao dizer que a nossa equipa “desta vez teve a felicidade de só ter sido prejudicada numa grande penalidade clara”, é revelador daquilo que se tem passado ao longo desta “Liga Salazar” e da impotência que os portistas sentem.

A generalidade dos portistas (pelo menos aqueles com quem eu falo), entende que o departamento de comunicação do FC Porto tem estado bem, adoptando (esta época!) uma política de comunicação forte, incisiva e agressiva q.b. Mas, já se viu, a atuação do departamento de comunicação é insuficiente para acabar com a roubalheira desta Liga Salazar.

O “polvo encarnado” tem de ser combatido nas suas entranhas. Isto é, ao nível dos diferentes órgãos da FPF – Comissão de Arbitragem e Conselho de Disciplina – e das pessoas (ex-árbitros, árbitros, observadores, delegados, etc.) que, ao longo de vários anos, foram sendo estrategicamente colocadas, para desempenhar uma “missão divina”.

Não tenhamos ilusões. O Estado Lampiónico não será derrubado apenas com comunicados. É necessário que a Direção e o Presidente do FC Porto assumam esta “guerra” publicamente, vão para o terreno e liderem o combate a outros níveis e noutros tabuleiros.

11 comentários:

Hélder disse...

O rei vai nú, e não é de agora. É desde o início de época. A administração do clube não pode estar calada, sobre a maior vergonha de que tenho memória desde que vejo futebol. Nem que se tenha de recorrer ás altas instâncias Internacionais. 50% dos jogos do Carnide, também não podem ser transmitidos em exclusivo pela realização da cartilha/clube. Há que fazer barulho, e é já. Dragões mansos pombinha, não prestigiam José Maria Pedroto.

Francisco Paulos disse...

Enquanto tivermos uma Sad composta por velhos caqueticos, bem de vida,acomodados e completamente ultrapassados não vamos a lado nenhum e o clube do regime será tetra, penta etc.

Roberto Tavares disse...

Já tinha aqui escrito isto, mas vou voltar a fazê-lo, o Pinto da Costa transformou-se no Américo de Sá. Se eles mandam no futebol foi porque assim "quisemos", o presidente deixou que se instalassem como quiseram no futebol português e na cs.

Se antes tínhamos de jogar o dobro, agora nem sempre o triplo chega,(ex. Porto—benfica, Porto—Setubal). Não vou na cantiga que temos é de nos preocupar com nós exclusivamente. Porque há de facto uma proteção que outras equipas têm que nós não temos. Se de facto chegássemos ao fim de um jogo em que os nossos jogadores não sofressem faltas em lances ofensivos, mas não é o caso. Essa falta e respectiva ausência da marcação da mesma, mais não é que um lance de perigo que se perde, e só por aí já estamos em desvantagem face aos rivais diretos, sem falar nas outras dualidades face a cartões e ausência de texto nos relatórios dos árbitros. E é por isso que enquanto isto se verificar não poderei nunca criticar a equipa/treinador independentemente como entrou em campo ou como jogou os 90 minutos

miguel.ca disse...

Pois, mas a quantidade de Portistas que se recusam a aceitar este facto é assustadora.

miguel.ca disse...

Enquanto Pinto da Costa e sua trupe se andaram a entreter com umas catraias Brasileiras enquanto delapidavam o plantel Portista na caça aberta à comissão, Luís Filipe Vieira construiu um império de influências que lhe tem trazido resultados vastamente superiores ao alguma vez projectado com a farsa do apito dourado.
Cada vez que haviam alterações aos quadros activos e consultivos da FPF ou Liga, lá entravam mais dois ou três artistas conotados com o benfica enquanto no Dragão se rejubilava com recordes de vendas e "roubos" de jogadores ao Maritimo.
No final da época passada, o tri do benfica parece ter feito soar o alarme na SAD portista que teve o condão de fazer Pinto da Costa interromper a sua longa hibernação e acordar para a realidade de que já ia no terceiro treinador falhado, a equipa era uma sombra daquilo que era há 4 ou 5 anos atrás e o benfica tinha o controlo absoluto do futebol português. O nosso Velho e desgastado Presidente corre agora atrás de um comboio do qual saltou há muito tempo atrás e as pernas não ajudam pelo que as questões que se colocam agora são estas... Quanto tempo vai levar o FCPorto a trepar para cima do comboio outra vez e será que as pernas de Pinto da Costa estão aí para o desafio ou vamos ter mesmo de precisar de pernas novas?

Stephan santos-silveira disse...

"(...) é revelador daquilo que se tem passado ao longo desta “Liga Salazar” e da impotência que os portistas sentem. (...)"

Discordo da palavra impotência pq acho que é querer exagerar na justificação das nossas falhas. das nossas próprias falhas.

Estamos a falar de penaltis não assinalados e faltas cirúrgicas, q eu concordo, mas isso não quer dizer que ganharíamos os jogos em causa. Impotência seria se por jogo tivessemos 1 ou 2 golos mal anulados, Aí sim poderiamos rotular este sentimento de impotencia que nós Portistas sentimos.

Sejamos sérios e vamos atacar o Polvo sem tréguas, mas a nossa equipa deixa a desejar. Não pelo talento mas pela falta de vontade. O Nosso treinador é uma comédia que se pavoneia com mta teoria e pouca prática.

Lembro-me muito bem da ultima vez que fomos bicampeões e VP somente precisou de 2 jogos decisivos nas 2 épocas para nos dar o Bicampeonato. Não falhamos nunca quando fomos chamados a intervir e a mudar a nossa sorte. E se bem se lembram das épocas em Causa, já havia rotundas #RESERVADAS.

Por isso meus caros, a corrupção afecta-nos pq estamos a ser incompetentes dentro de campo. Quando eles anularem golos limpos e tivermos a praticar 1 futebol FORTE E FIRME de dominância e arraso do adversário, e mesmo assim não ganharmos os jogos é que eu, como portista doente, vou me sentir impotente.

Saudações azuis

J. Vieira de Sousa disse...

Tem sido evidente a forma díspar com que o nosso rival directo é tratado em lances similares mas convém não tapar o sol com a peneira e assumir claramente que falhamos em momentos capitais da temporada. Exigia-se à equipa esta época que lutasse contra um Benfica tricampeão e um Sporting com um plantel pago a peso-de-ouro dentro e fora das quatro linhas. Satisfeito com o percurso que fizemos até agora, mas temos razões de queixa - dentro de casa e também da arbitragem. Um FCP competente minimizaria e muito as influências externas e sem fazer grandes conjecturas, podíamos e devíamos ir um ponto à frente e não 3 atrás.
Acrescento ainda que demos uma volta de avanço aos rivais, Soares e sobretudo Brahimi são peças nucleares na manobra da equipa que até à chegada do brasileiro e reintegração do argelino jogava "coxa"

miguel.ca disse...

Assinado por baixo.

Filipe Sousa disse...

Quem prefere destacar as falhas da equipa, ao invés das arbitragens, como a principal justificacao para os maus resultados, está no seu direito. Convém é que ponha os olhos nas arbitragens dos outros - esse sim, o verdadeiro factor de desiquilíbrio. Com todos os seus defeitos, esta equipa merece ser campea, porque até as equipas de merda podem acabar em primeiro - o campeao de 2004/05, foi-o com 65 pontos; nós já temos 72 e ainda há jogos por jogar. O que mudou é que a outra equipa é literalmente levada ao colo sem pingo de vergonha. O Porto nao está a fazer um mau campeonato; os outros é que estao a ser artificialmente mantidos no primeiro lugar.

Paulo Marques disse...

Bah, a culpa é nitidamente do Vítor Pereira... perdão, do Fonseca... quer dizer, do Lopetegui... ai, que coisa, do NES, pá, do NES, pá.

miguel.ca disse...

Eu acho que ninguém aqui prefere destacar seja o que for por um lado, e por outro lado toda a gente está de acordo que o manto protector é um facto inegável.
Agora, querer Sportinguizar o problema atirando as culpas todas à arbitragem e ao sistema parece-me de pessoas com pouco espírito de observação e de crítica, mais talhadas para a desculpa fácil e consequente fuga para a frente.
Desde que vejo futebol que o benfica é ano após ano após ano fiel beneficiário de empurrões para cima e desde que o FCPorto assumiu a hegemonia do futebol nacional esses empurrões têm sido muito maiores e constantes para evitar o descalabro total, só que o Porto ganhava na mesma porque tinha melhores equipas, melhores treinadores e uma estrutura ultra profissional liderada por um homem apaixonado pelo clube.
O Benfica só conseguia ser campeão quando o Porto patinava e se punha a jeito para que o sistema salazarista carburasse em pleno como foi por exemplo no ano pos-Mourinho e agora nestes 3 anos de ausência total de liderança e rumo onde o objectivo deixou de ser o sucesso desportivo para passar para os recordes de vendas.