quarta-feira, 31 de maio de 2017

O complexo de inferioridade do novo "velho" Dragão

Há quem pense que o pior dos últimos quatro anos tenha sido a ausência de títulos para o Futebol Clube do Porto. Não é. O pior é a constatação da incompetência recorrente e da cobardia de quem dirige os destinos da instituição perante várias situações transversais que têm condicionado os resultados apresentados pelo clube. O FC Porto perde títulos por muitos motivos mas um dos mais importantes é, sem dúvida, que passou a ser gerido como o clube pequeno, de mentalidade pequena, com gestores pequenos e de ambições e objectivos pequenos como era antes de 1976. Não foi por casualidade que o clube viveu um longo deserto de títulos entre Guttman e Pedroto. É muito fácil e prático culpar o "Regime" desses anos negros mas o certo é que durante o "Regime" o FC Porto venceu vários troféus incluindo todos os títulos nacionais que ostentava. Não, a ausência, em muitos casos, desses títulos devia-se muitas vezes à gestão pequena e complexada dos seus dirigentes, capazes de despedir um treinador e irradia-lo do clube quando este está a forjar uma equipa ganhadora ou de dar sucessivos tiros nos pés na escolha de jogadores ou técnicos. O mesmo cenário do presente com o simbolismo tão doloroso para qualquer portista que alguns dos homens que acabaram com esse ciclo nefasto presidam agora a uma repetição da História.

O caso do baile de nomes de treinadores é só mais um exemplo. Nuno nunca esteve implicado no Porto, como se disse tantas vezes, porque era um homem que sabia que à mínima ia sair do clube amparado pelo seu agente e amigo que tão bem o colocou num emblema do seu império. Que o treinador com quem o Porto quis ser campeão acabe na segunda divisão inglesa, um lugar de acordo com a sua valia, diz muito da narrativa do último ano. O Porto hoje é rejeitado pelos Marco Silvas da vida, técnicos que não são ninguém no mundo do futebol mas que já perceberam que a gestão negativa do Porto não vai ajudar em nada as suas carreiras. Alguns comentadores a soldo querem atirar areia para os olhos dos adeptos dizendo que há filas e filas de nomes conceituados a pedir de joelhos para treinar no Dragão, algo coerente com a colecção de fracassos pos-Vitor Pereira e que será devidamente explicado - ou não - quando Sérgio Conceição, amigo intimo do filho do Presidente e um treinador de terceiro nível, apareça com o seu discurso do "Somos Porto versão Até os Comemos Carago que eu Parto isto Tudo". Comer a relva em campo e querer comer a relva desde o banco nunca funciona como sabem bem aqueles que conheceram os treinadores de maior êxito na história do clube, futebolistas finos como Pedroto, Artur Jorge, Bobby Robson ou mentes analíticas como José Mourinho e André Villas Boas. Sim Sérgio, és o exemplo desta mentalidade desencontrada por muito respeito te tenhamos todos!



O que mais indigna neste circo em que se tornou o quotidiano do FC Porto é a cobardia da sua gestão.
O silêncio confrangedor em momentos em que o clube é expoliado por quem antes levantava as pedras da calçada, a entrevista da praxe ao menor sinal de coisas boas para colocar medalhas no peito, continua tudo lá. Mas o que preocupa verdadeiramente e o que dá sinais de desnorte ou de absoluta e nefasta mediocridade é quando o FC Porto decidiu deixar de se preocupar consigo mesmo e passou a querer ser uma réplica anedótica dos clubes do sul, com o vitimismo sagrado do Sporting e o complexo de perseguição do Benfica. Para atirar areia aos olhos dos sócios e adeptos, como esses clubes tantas vezes fizeram, a autocritica desapareceu do FC Porto para dar lugar a uma bipolaridade confrangedora que, ainda para mais, se beneficia do silêncio oficial do clube, amparando-se assim na desculpa de que os adeptos é que são a voz desse descontentamento. Nesse cenário de atirar as culpas para os outros há desde a tentativa de criar um novo modelo de cartilha azul e branco - o Porto sempre teve os seus jornalistas e comentadores encartilhados, como qualquer outro clube - á anedótica criação de uma página de supostos "portistas" que se quer transformar num espaço de defesa do clube, na ausência da disposição deste. Essa página, criada há semanas no Facebook, quer aparecer como um acto espontâneo de revolta quando transpira a encomenda por todos os poros e surge no seguimento de uma mudança na política de comunicação que faz de um programa televisivo semanal o novo livro de queixinhas do "portismo". Em ambos casos o silêncio de Pinto da Costa é substituído pelas criticas dos seus novos lacaios, oficiais ou não, que em nenhum momento parecem estar interessados em discutir o que está mal com o clube - algo evidente aos olhos de todos - para desviar atenções ao que outros clubes fazem. Ninguém vai questionar a estas alturas o tamanho gigantesco do "Polvo" - aliás, o silêncio do clube até agora quando espaços como este o denunciavam sim é confrangedor - nem a influência que o Benfica tem em todos os membros do organismo desportivo, judicial, financeiro e político em Portugal. Não é necessária uma página de bitaites para isso. Se o FC Porto quer realmente fazer-se ouvir deve-o fazer onde pode e tem de exercer toda a sua influência, nos tribunais desportivos e nas assembleias gerais da Liga e da Federação, espaços onde a sua presença tem sido exigua e a lista de aliados encolhida de ano para ano. Institucionalmente o Porto continua a mexer-se ao ritmo de uma lesma, talvez de acordo com a idade de quem o dirige, num ritmo similar ao do Partido Comunista soviético dos anos oitenta pre-Gorbachov, tanto na defesa do clube frente aos inimigos externos - a alguma claque do clube sim se podem tratar ao velho estilo soviético ou "salazarista", como preferirem, banindo-as do campo ao menor sinal de discordância - como na preparação de um plano de futuro sustentável e positivo a nível interno. 

O triste, tal como sucedeu nos anos sessenta e setenta, é que esse plano não existe e enquanto não surgir outro José Maria Pedroto e outro Jorge Nuno Pinto da Costa, ainda que o contexto seja radicalmente distinto, não há esperanças de que algo quebre o ciclo. O que sim ameaça ridicularizar ainda mais o clube é a importância que se tem dado a este tipo de "portismo" mesquinho, aziado e sem argumentos que se tem dedicado a levantar podres alheio - em alguns casos de uma forma falaciosa e confrangedora que dá vergonha a qualquer portista minimamente informado e sem palas nos olhos - e como esse posicionamento sufragado desde o clube pelo tempo de antena que se lhe dá em oposição a outros espaços mais críticos - basta recordar o que disse dos blogues "anónimos" o recém re-eleito presidente há poucos meses - para entender que essa mensagem é para o consumo interno, ou seja, para doutrinar ainda mais os portistas a uma submissão intelectual a partir de um complexo de inferioridade e de perseguição que não tem qualquer motivo para existir. O FC Porto fez-se grande, precisamente, quando deixou de se vitimar, de se queixar e de se comportar como "bons rapazes", actuando onde tinha de actuar para equilibrar a balança do poder. O regresso a esse vitimismo que faz rir qualquer rival e dá vergonha a qualquer portista só augura um cenário negro para o futuro imediato. Em 1977 Pinto da Costa percebeu onde estavam os grandes cancros do clube que iam desde detalhes tão insignificantes como a presença dos sócios nos treinos até à logística das deslocações do clube. Quarenta anos depois, num triste e previsível fecho de ciclo, reabriu essas portas a sócios escolhidos a dedo para vociferarem idiotices em seu nome e do clube e abriu os corredores do Dragão a todos, fazendo com que decisões que antes eram tratadas no segredo dos deuses hoje sejam conhecidas na praça pública de imediato. Contra isso, problemas reais e graves do Dragão, os comentadores a soldo nos programas semanais e as páginas serviçais e de mente pequena, nada têm a dizer. O discurso oficial é outro, disparar para o ar para que os adeptos e sócios se entretenham a olhar para as nuvens enquanto o chão se continua a abrir debaixo dos pés.

20 comentários:

Francisco Paulos disse...

Muito bom post. Parabéns! De facto o nosso clube vive num vazio: de responsáveis; de ideias; de crítica interna; de comunicação; de reação aos roubos etc.
Enquanto PC não se convencer que o seu tempo já passou há muito e viver dos êxitos que estão no museu é evidente que não vamos a lado nenhum e preparemo-nos para mais 3 anos de seca que é o tempo até ao final do seu mandato.
O nosso clube é um caos desportivo e financeiro e ninguém é responsabilizado. Que fizeram aos milhões ainda há pouco ganhos quando desfizeram equipas ganhadoras? Esta rábula do treinador já virou anedota Nacional. Tanto tempo para acabarem por escolher um perdedor e desequilibrado emocionalmente que além do mais não tem palavra. A ser verdade diz bem ao ponto a que chegamos. E não há ninguém na massa associativa que avance? Têm medo de quê? De uma sombra? Ou será do braço armado desta Sad caquetica? Voltamos aos anos 60 do século passado....infelizmente.

Jorge Vassalo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JOSE LIMA disse...

Caro Miguel os seus artigos são extremamente assertivos. Nem deixam espaço para respirar. Acresce um pormenor (ou pormaior) que é o estado a que chegamos financeiramente. Como sabe não temos cheta, estamos cheios de dívidas, substituímos uns empréstimos por outros.
No passado fim-de-semana estive com cerca de 300 Portistas no Estádio do Dragão no habitual encontro de reflexão após a Liga. Pinto da Costa apareceu no final a pedir união entre sócios, adeptos e o Clube. Foi um dos momentos que me deixou arrasado. Já vivi aquele drama há muitos anos, ainda Pinto da Costa não era presidente.
Tenho o meu caro Miguel como um dos mais lúcidos comentadores Portistas mas, estranhamente, sei os portistas não pensam sequer nisso. Ninguém se quer juntar para preparar soluções de futuro. Alguns ainda não perceberam que o Portismo dos sócios e adeptos do Futebol Clube do Porto não é o mesmo do "portismo" da SAD.
A SAD é um enorme buraco negro que ninguém quer entender, ninguém o quer discutir, ninguém é responsabilizado, e do qual não sei como vamos sair.
Obrigado pelo seu artigo. Saudações Portistas

Pedro ramos disse...

A diferença entre o nosso clube e os nossos rivais chama-se competência e enquanto os adeptos não entranharem isso e preferirem entrar num processo de "estupidificação" nada vai mudar.

O pior dos últimos 4 anos para mim foram as últimas eleições, porque ninguém teve coragem para apresentar um projecto e chegar à frente, mesmo que fosse esmagado na votação.

vidente mor disse...

impressionante ainda nao temos treinador e ja desancam, mas este blog quer quem??? nao entendo pensa que o fcporto tem assim tanto dinheiro para contratar um treinador de nomeada? e mesmo tendo quem queria vir para portugal jogar com tondelas, aves e coisas do genero?? MAS AFINAL QUEM ERA MOURINHO? E ANDRE VILAS BOAS? BOBBY ROBSON OK JA TINHA HISTORIAL MAS VEIO DO ESPORTING, vitor pereira? o holandes? mas onde estao esses craques treinadores, desses so mourinho continua numa liga importante e a ganhar uma tacitas. NAO ENTENDO ESTE TEXTO NAO SERA COMPLEXO DE SUPERIORIDADE? MAS AFINAL QUEM E O FCPORTO A NIVEL EUROPEU? UM CLUBE RICO ? COM APOIOS RICOS? EXISTE NESTE TEXTO MUITO COMPLEXO DE SUPERIORIDADE, afinal deixamos de ser andrades quando? SABEM ONDE VIEIRA COMECOU A GANHAR?? NA SECRETARIA, A COLOCAR OS SEUS HOMENS EM LUGARES CHAVE, O PORTO TEVE TEMPO PARA CONTRARIAR ISSO E EQUILIBRAR MAS AI SIM O PRESIDENTE FRAGILIZADO COM O APITO DOURADO DESGASTOU SE COM NAMORADAS, MULHERES CADA UMA UM CASO COMPLICADO, TEM 80 ANOS MAS CONTINUA NA MESMA AGORA E OUTRA E O PROBLEMA FOI ESSE. Lisboa nao perdoou estudaram, cresceram hoje controlam a comunicacao sociual e nao existe bloguer, comentadeiro, ou seja o que for lampiao que diga mal ou critique o clube, NOS SOMOS O CONTRARIO, eramos andrades, passamos a dragoes e agora alguns de nos e alguns escrivas ja estao a atacar e ainda a procisao vai noadro. PERGUNTO AO BLOGUER SE TEM TOMATES PARA RESPONDER MAS AFINAL QUEM QUERIAS PARA TREINADOR?? OU SERA QUE BASTA ESTALAR OS DEDOS? OU QUERES DAR 6 MILHOIES POR UM? Ja vistes onde andam os treinadores tugas? shaktar, olimpyacos, wolves, wotford, cruzeiro, escocia, chipre, tirando mourinho que ou ganha para o ano ou esta finito tambem e agora o mergente jardim temos assim tao bons treinadores?? NAO SERA MELHOR APOSTAR EM CONTROLAR ARBITROS, FPF, COMUNICACAO SOCIAL, LIGA?? DIZ ME LA UM TREINADOR QUE QUEIRA PARA CA VIR E QUE ESTEJA DENTRO DO QUE SE PODE PAGAR , SO QUERO UM.

vidente mor disse...

JA AGORA CONVEM NAO APAGAR OS COMENTARIOS QUE SAO DISCORDANTES DE UM TEXTO SEM PES NEM CABECA E QUE SO SABE DIZER MAL DO PROPRIO???? CLUBE, nem o melhor lampiao escreveria melhor sobre o fcporto, impressionante. Somos mesmo democraticos, bestial, em lisboa se vieira disser que as camisolas do benfica sao azuis todos, mas todos dizem que sao azuis e asim que se ganham as guerras como ele a esta a ganhar.

Diogo Martins disse...

Os meus sinceros parabéns por esta análise. Hoje em dia parece que o "portismo" é quantificável, quem não diz "amén" ao Papa e à Corga reinante, é crucificado.
Subscrevo a 100%

Saudações Portistas
Diogo Martins

Dr Sigmund V disse...

Ó Vidente, tu, apesar do teu nome, enxergas pouco, e achas que os outros são surdos, para te pôres para aí aos berros.

Olha, se queres democracia, vais às AGs. Aquilo até parece a Atenas clássica. Nem faltam os sofistas, e há também alguns estoicos.

Bruno disse...

Como andou se tão cego e deixa-se chegar um clube a este ponto com tanta venda astronómica? Continuem a bater nos de Lisboa. Só não vê quem nao quer.

HULK ONZE MILHAS disse...

Os comentários do "vidente mor" veem mesmo a calhar porque são o esclarecimento para quem não entende porque não aparecem candidaturas alternativas ao nosso ex grande presidente.
Qualquer candidato que se perfile verá de imediato o seu nome enxovalhado na praça pública. E já existem exemplos disso, um deles da autoria duma das várias ex-esposas do Presidente, em resposta a umas bocas do Vítor Baía...

rvaz disse...

Estou totalmente de acordo com a análise. Nós somos portistas independentemente da Administração do Clube. Cresci com uma gestão do mais competente que havia. Estavam sempre de pé, sempre atentos eram pioneiros. Hoje em dia, estão sentados em poltronas de costas viradas para voltadas para os adeptos e virados para os negócios.
Eu sou alguém com fé. Espero que o Sergio Conceição seja um Simeone. Mas tenho as minhas dúvidas.

Saudações Portistas

Pedro ramos disse...

Eu percebo porque não aparecem candidaturas, mas é exactamente por isso que destaco esse aspecto como o mais negro dos últimos 4 anos.

Mário Faria disse...

Sou sócio desde 1950. Não é vantagem, nem defeito. É um número que identifica que assisti aos vários momentos que o Miguel cobriu. Lamento que se menorize os anos de cinquenta e sessenta como se fossem descartáveis porque se ganhou pouco. E daí vem de imediato algo que não rimar quando se escreve que não tenha sido a ausência de títulos o que mais doeu. Claro que foi. E não perdemos tudo porque nas últimas três épocas, acedemos à Champions. Não houve taça mas houve prémios pecuniários fundamentais. E que serão mais escassos no futuro. Se a situação está má como estaríamos sem esse importantíssimo recurso? O descontentamento pela derrota tem um efeito duplo provocado pelo ódio de perder e consequentemente pela odiosa vitória do nosso principal “inimigo”. E no futebol a honra só se lava com “drama e sangue” e nada conta mais do que o esmagamento do adversário. A alegria de ganhar segue muito próxima do gozo de derrotar o rival. E como tal não tem acontecido só resta a vingança junto dos responsáveis. Nós perdemos por causa deles. O treinador é tratado abaixo de cão, os jogadores cadastrados são vilipendiados e os dirigentes de outrora que deram o nome de “jogar Porto” passaram a ser parte do problema. As palavras são fortes, quase brutais. Os anos sessenta representam o medo do futuro. Esquecem que foi essa gente que manteve o FCP na órbita. Estou certo que esta geração fará o mesmo. A crer nos meus filhos e netos e nos muitos jovens com que me cruzo, temos gente.

Mário Faria disse...

A situação do FCP é complicada. Em termos desportivos e financeiros. Os números são preocupantes. A justa denúncia sobre o polvo e outras pescarias foi lançada com êxito e deve continuar. Mas, atenção: o seu impacto tenderá a diminuis se insistirmos no mesmo registo sem aumento de criatividade e de mais critério. E não pode servir para desviar a atenção dos principais problemas do FCP. Temos de discutir o futebol e a gestão da coisa. O 25 de Abril abriu horizontes e tomámos todo o partido do associativismo: pertencíamos a AFP a mais representativa (e poderosa) do país. Hoje, o futebol rendeu-se ao capitalismo global. O SLB aderiu às nossas boas ideias, acertou nos companheiros e nos atletas. E passou a ser o alvo preferencial porque garante mais retorno. Tem muitos sócios e o seu poder é tentacular. Cobre todo o país, todas as classes sociais e entra pelos governos adentro. E é muito justamente considerado o clube do regime. São as leis do mercado livre a funcionar num país macrocéfalo que canoniza Eusébio e faz de Vieira um santo. O actual ambiente não é amigo do nosso FCP. Os sócios são o garante do clube, mas é tempo de ir além das redes sociais. A acual direcçãao tem mandato por mais três anos e não há sinais de mudanças a não ser do treinador e do plantel. As assembleias são anuais e produzem poucos efeitos. Os Super Dragões constituem um forte apoio ao Presidente que continua a ser um elemento desmobilizador de alguns notáveis que aguardam, por tacticismo, pela sua reforma. Na SAD a maioria está garantida e sobrava algum diálogo com os mesmos do costume. Alexandre Magalhães deu o peito às balas muitas vezes. Nunca lhe foi reconhecido qualquer mérito. E desistiu, por cansaço provavelmente. Sim é preciso animar o diálogo mas até isso estará em vias de extinção. Que força teremos para combater as ameaças feitas de loucura que dominam o futebol mundial? É tudo mau? Obviamente que não. Acredito na paixão e espero que os jovens mantenham a resistência (resiliência ) dos anos sessenta.

armando sousa disse...

Pronto, é unânime que a SAD não será aquilo a que sempre fomos habituados; também se sabe que o discernimento de Pinto da Costa não será o mesmo de há 40 anos atrás.Ruído, já ouvi muito e comparações com outros clubes melhores posicionados na "gangstaria" há por aí que chegue. Mas acho que basta, o F. C. do Porto não é uma coletividade de bairro, é um clube que fez tremer os maiores clubes da Europa e do Mundo, protestem mas não façam comparações, digam o que sentem mas, por favor, respeitem o enorme Dragão. Ele ainda vai rugir e queimar tudo e todos em volta. Se nós quisermos.
Armando Paulino

Unknown disse...

Respeito a opinião de qualquer portista e de todos, ainda mais quando sabem de coisas que eu não sei, e portanto sabem mais do que é publico. Reconheço que a SAD tem muito para explicar, que o nosso PC anda muito afastado da comunicação do FCP e que isso é sem dúvida muito prejudicial para o nosso clube. Sem ser vidente, na altura em que tinhamos o Ótavio a treinador (voces sabem de quem eu estou a falar), ouvi exactamente a mesmas criticas ao PC, está velho, senil, acabou o ciclo e várias manifestações publicas de desagrado em relaçaõ principalemnte direcionadas ao nosso Presidente, e embora achasse que o problema era o facto de já não estar a ganhar, não tinha a certeza pois já existiam bastante videntes que nunca mais ganhariamos nada. O Mourinho foi contratado e de repente ganhou anos de saude e lucidez. Isto apenas para vos ajudar a recordar momentos identicos, mas não que não tem nada a ver... No entanto não posso deixar de achar pouco respeitador a forma como se apelida, se encaixa todos os que não concordarem com a forma ou conteudo das criticas que são feitas sobretudo ao PC. Atenção: desconfio, não gosto nem aceito a forma como decorreram as ultimas eleições (mesmo não havendo concorrente) a falta de informação e cosmética financeira que justificam a actual situação financeira do FCP. E desiludido quando a a determinado momento que se fala que o filho do PC anda envolvido em negociatas á custa do FCP.

No dia que decidirem dar um novo rumo ao clube, contem comigo (Vitor Silva - sócio n 7720 - 43 anos), até lá deviam moderar a forma e conteudo como falam de outros portistas que não vem tão longe como que alguns "iluminados", pois isto é dar tiro nos pés,acima de tudo só trás divisões, precisamos concerteza de muitos portistas para mudar o rumo.

Gostava que o autor desta crónica/post me ilucidasse em relação a quem pretendiam para treinador, pois parece-me que existe alguém muito óbvio, que não conheço ?!. O Marco Silva seria quem eu gostaria, preferiu apostar no melhor Campeonato do Mundo com uma equipa de meio da tabela, deste modo só me apraz dizer que ainda bem que não aceitou. É legitimo !! Mas podemos olhar para a mesma situação e dizer que o problema foi que o Porto está Pior que uma equipa de 3º plano do Campeonato inglês.. para mim é demagogia.

O Sergio é neste momento o meu preferido ! sendo um Homem de carácter forte, imagino o que lhe custou dizer que não depois de ter dito que sim ao Nantes. Este Homem perdeu para muitos o carácter, mas para mim passou a ser o treinador mais portista que eu conheço, fez o sentido inverso do Libras Boas ( aquem tudo o Porto deu, e ele grande portista, disse que não podia perder tanto dinheiro, o que para a maioria dos portistas que conheço, é aceitável cagar no clube de sonho que lhe pagava 180k€/mês para ir ganhar 500k€/mês. Nem quero imaginar o que isto iria custar ao jovem treinador... talvez mais dias de trabalho na China não chegasse.

Se o Sergio é amigo intimo do filho de Pinto da Costa, eu se fosse o filho do PC ficava com medo do Sergio. Pois ele até 2 bofetadas deu ao seu amigo intimo, o Salvador do Braga.

Ignorar o controle absoluto dos media ao nível nacional pelo 5LB, conseguido pelo maestro vice-Moniz, e falar que o nosso curto espaço de comunicação fosse aproveitado para falar mal do nosso clube e não desmacarar esta palhaçada, é pedir de mais, não ? convenhamos..

Chamar ao grupo de elementos que criou a página facebook e que desmscara várias situações inacreditáveis, chamar encartados para mim é demasiado, pois mesmo que fosse... eramos ainda uns meninos comparando com tudo o que os media fazem para nos enxovalhar.

Sei que não apreciam moderados, no entanto e caso contrário contem comigo para qualquer candidatura que tenha como objectivo tirar de lá estes membros enraizados na nossa SAD (mamões) e que estão a mamar como sempre e a perder como nunca.

Abraços para todos
Vitor

miguel.ca disse...

Há uns dias atrás li algures que o dossier "treinador" era para estar concluído até ao final desta semana.
Bom, hoje é sexta-feira... já são 9:40 da noite em Portugal Continental (menos uma nos Açores).... E nada...?

Luís Negroni disse...

O que faz falta...é Cortar a Cabeça ao Polvo...o que faz falta; O resto são tretas...pra desanimar a malta...o que faz falta.
Um dia destes o FCPorto vai precisar de equipas de Super Heróis para ganhar qualquer coisita seja em que modalidade for. Já está a começar de acontecer no Andebol e no Basquete, apesar das indesmentiveis excelentes estruturas nessas duas modalidades. À medida que o momento decisivo da época se aproxima, as arbitragens vão piorando até chegarem a níveis impensáveis, como viu quem viu o slb-FCP em andebol e a sua inqualificável arbitragem que no ultimo minuto "só" anulou um golo limpo porque não foi preciso anular mais e "só" deixou por marcar um livre de sete metros porque não foi preciso deixar por marcar mais. E com estes "sós", um campeonato que seria do FCP, a melhor equipa durante toda a época, passou para o sporting. Mas pronto, não devemos "vitimizar-nos", devemos ficar quietos e calados, sem fazer muitas ondas, aceitando serenamente todas as ordálias a que nos queiram submeter, até porque como toda a gente sabe o Reino dos Céus é dos mansos e dos pobres de espírito.

Pedro ramos disse...

Pois caro Luis continue a acreditar nisso.
Continue a acreditar que passar de Obradovic para Ricardo Costa não tem nada haver com o caso.
Também é dos que acredita que o slb ter 10/12 jogadores em cada escalão nas seleção e nós 1 ou 2 é tudo uma conspiração. Mas depois ficam escandalizados quando uma qualquer equipa do porto leva 6-1 em casa.

Roberto Tavares disse...

Dividir para conquistar. Uma grande estratégia. Os portistas estão divididos, culpas?
Só acho muito estranho, ou conveniente que a cs esteja sempre a frisar que os árbitros não são desculpa para fracassos, ou que o clima de guerrilha não leva a lado nenhum. E isto pela mesma CS que durante anos alimentou o ódio dos adversários e propagou a insatisfação dos resultados dos rivais. Há coisas que fazemos mal, muito mal até, mas ha outras que só ajudam à "festa".