sexta-feira, 16 de junho de 2017

Querem reabrir o Apito Dourado, eu também

Consta que o medo no estádio da Luz é parecido àquele que sentiam cada vez que viam a Hulk pela frente. Está em níveis de alerta máximo. Normal. O que primeiro eram emails forjados agora são emails roubados (e portanto, verídicos). O que primeiro eram detalhes e conversas de pessoas que, na realidade, nada tinham a ver com o clube hoje são teias tecidas entre personalidades das altas esferas. O que primeiro era um programa para consumo interno no Porto Canal hoje é um pesadelo parecido ao que sofrer Cavaco Silva cada vez que lhe entregavam um exemplar do Independente de Paulo Portas. O estômago de Luis Filipe Vieira não deve andar de boa saúde. Entende-se. O homem, que até já foi julgado por um crime cometido há mais de duas décadas, preside actualmente o período mais delicado e sério de um clube que tem elementos que nem sequer sabem seguir uma simples instrução:

"AGORA, APAGUEM TUDO!"

No meio das revelações feitas sobre os emails - que se seguiram ás divulgações sobre os favores a presidentes de clubes, a novela da cartilha e tudo o que pode estar ainda por chegar - e retirando-se estrategicamente de entrevistas programadas há semanas, o Benfica lá se dignou a reagir e achando-se, uma vez mais, moralmente superior, decidiu repetir um estratagema velho conhecido, o de desviar as atenções. Vai acusar o Sporting de ingerências, vai acusar o Porto de pagar a hackers para roubar emails - recordamos que a denúncia anónima que está a ser tratada pelo DIAP não tem qualquer vinculo oficial com o FC Porto e como o processo não se encontra em segredo de justiça, "ainda", essa informação pode ser divulgada por qualquer cidadão - e vai pedir para que se volte a abrir o Apito Dourado. Parece-me uma excelente ideias. Já é hora de reabrir o Apito Dourado e explicar de uma vez por todas que aquilo que se vendeu foi areia para os olhos de muitos adeptos, portistas incluídos, quando o que mais não era do que o início da reconquista do poder do polvo de Luis Filipe Vieira e amigos. É hora de colocar os pontos nos "is" e explicar que em todo o processo do Apito Dourado - em todas as escutas, as completas, não a versão editada e "leakada" com ajuda de agentes policiais e jornalistas "amigos - o nome do Benfica tem tudo para ficar ainda mais pelo chão do que qualquer associação ao FC Porto, reforçada anos depois por um livro de fantasia, encomendado, de uma mulher a quem, e isso ao Presidente do FC Porto nem eu nem qualquer portista de bem perdoará jamais, achava que tinha acesso a informação relevante quando o que contou foi uma fábula escrita por outras duas mulheres - uma, "pseudo" jornalista que agora anda pelo Correio da Manhã e outra, "pseudo" jornalista, filha de um cronista celebre dos anos cinquenta e sessenta - para dar sabor a uma coisa que, na prática, não tinha nem sal nem pimenta.

Querem reabrir o Apito Dourado? Eu também. Começamos então por isto Luis Filipe. 
Quando decidirem reabrir o processo, tenham encarecidamente o favor de explicar - à Justiça e ao público em geral, não só aos cordeiros de sempre - o seguinte:



- Que fazem na candidatura de honra de Luis Filipe Vieira 12 agentes e inspectores da Polícia Judiciária, alguns dos quais envolvidos directamente no processo de investigação do Apito Dourado?

- Porque não se constituiu como arguido o seu amigo António Salvador, que numa das escutas aparece a exigir que não quer três árbitros dos nomes propostos por Pinto de Sousa - Pinto da Costa não quer um deles na mesma sequência de escutas - e que desde então parece ter florescido como dirigente, sendo que uma das suas empresas de construção, Britalar, foi também responsável pela obra desse maravilhoso centro de formação do Seixal?

- Porque não se constitui arguido José Veiga, amigo da alma de Luis Filipe Vieira e seu braço direito desportivo então, que também surge em escutas a pedir árbitros para determinados jogos e, árbitros que favorecessem o Benfica, com quem aliás o presidente do Benfica jantou em diversas ocasiões e cenários, do sul ao norte do país, com o Presidente e vogais do Conselho de Arbitragem em Lisboa antes da nomeação de vários árbitros para jogos decisivos, tanto próprios como dos dois rivais na luta pelo título de 2004/05?

- O celebre "Estorilgate" e os comentários de técnicos do clube da Linha sobre como o processo foi conduzido, incluindo uma promessa falhada de contratação de um jogador que se revelou fundamental nessa derrota do seu clube.

- Quem pagou um adiantamento a Carolina Salgado, e ao progenitor da mesma, depositado num banco espanhol da fronteira para não levantar suspeitas, antes do lançamentos das acusações que acabaram em livro, filme e novela?

- Será que as escutas completas nos vão permitir comprovar quem, como presidente do Alverca, andou duas temporadas envolvidas em compra de jogos envolvendo o Beira-Mar, Salgueiros, Vitória de Setúbal, Marítimo e Campomaiorense, através do aliciamento de jogadores, técnicos, árbitros ou dirigentes dos distintos clubes em modo de pagamento de promessas de favores, um esquema aparentemente agora repetido a maior escala. Seria curioso não seria?

Se quiserem começar por estes míseros pontos de investigação, bastante mais profundos e complexos do que os supostos favores, nunca confirmados, para que uma equipa que em dois anos venceu dois troféus continentais - o tipo de títulos que Luis Filipe Vieira anda há quinze anos a prometer sem êxito aos seus - disputasse dois jogos irrelevantes na sua corrida a dois títulos conquistados com enorme facilidade face à sua imensa superioridade sobre os rivais, sou totalmente a favor da reabertura do processo Apito Dourado.
Pode ser que com as escutas completas, sem serem editadas em programas de software e divulgadas a membros da imprensa amiga que por sua vez ajudaram a dar eco através de redes sociais, tudo isso venha à tona e se saiba um pouco mais do que se passou nesses anos "infames", onde o Porto era "Palermo", sobre o dia a dia da vida do Benfica e dos seus dirigentes. A não ser que, como os emails, se lembrem de dizer agora que essas escutas também eram "ilegais" e portanto já não valem como prova. Não surpreenderia ninguém pois não?

Em caso de dúvidas, se não souberem que fazer, pensem sempre que Luis Filipe Vieira é um homem decidido e determinado e que em momentos de aperto tem sempre resposta na ponta da língua, do estilo... "o João, sim...pode vir o João"!


7 comentários:

Hélder disse...

Excelente artigo. Como Portista, é com imensa pena que não vejo um representante do FC Porto nos inúmeros programas de TV, a colocar nestes termos o dedo na ferida e deixar os cartilheiros sem argumentos...

Mefistófeles disse...

Bravo, Miguel !!

iur disse...

Execelente! Parabéns.

Francisco Paulos disse...

Parabéns. Excelente texto está aí tudo.Se as instituições que deviam zelar pela justiça fossem serias e independentes estes corruptores tinham o fim que mereciam,assim nada lhes vai acontecer internamente, já a nível da UEFA se lhes fizermos chegar estas vigarices todas podem ser que a coisa não lhes corra bem. Aqui na PJ se calhar a investigação vai parar "por coincidência " aos inspetores que fizeram parte da comissão de honra da candidatura do maior vigarista do país.

HULK ONZE MILHAS disse...

Parabéns Miguel !
Vamos lá todos divulgar este texto pelas redes sociais .

Helder Magalhaes disse...

... parabéns pelo excelente texto!

miguel.ca disse...

Eu continuo na minha. O mais do que provável é que não vá acontecer absolutamente nada ao benfica. Nada, nadinha.
Agora, se toda esta barafunda servir, pelo menos, para provocar uma vassourada na arbitragem já ficaria muito feliz.
Se servir para fazer desaparecer os clube dos 8 e a escumalha que anda a prestar serviços ao benfica já era meio caminho andado.