sábado, 1 de julho de 2017

O caso Ruben Neves, o problema real para lá do Polvo

Nas últimas semanas, fruto do excelente trabalho realizado pelo Francisco J. Marques que não tem deixado ponto sem nó no Universo Porto de Bancada divulgando os emails que a Polícia Judiciária, via brigada Anti-Corrupção já tem em posse, tem-se vindo a por nomes e caras aos tentáculos do Polvo. É sem dúvida um trabalho histórico de investigação - que o Expresso também tem sabido desenvolver com independência surpreendente perante o resto do silêncio colectivo - e que destapa algo muito mais grave que qualquer outro caso de corrupção do futebol português. É também uma forma de entender como é que o Benfica venceu os últimos quatro títulos sendo que tanto o do #Colinho como o de este ano são, por demais, evidentes. Nos dois outros anos, por sucessivos tiros nos pés, de FC Porto e Sporting, é evidente que o Polvo estava activo mas foi menos necessário. Se a justiça desportiva existisse, no entanto, como em Itália, os últimos quatro campeonatos ficariam sem dono, entre outras penalizações que, pura e simplesmente, não vão suceder em Portugal.

Mas se o Polvo é real e está a ser exposto, o problema mais sério do FC Porto continua a chamar-se FC Porto.

Durante toda a história moderna do futebol português o Benfica sempre teve um ascendente sobre o sistema político, judicial, desportivo e arbitral. Não há nenhuma novidade. O que mudou em 1977 foi a capacidade do FC Porto encontrar formas de anular o efeito desse sistema - por um lado - e o de criar a sua própria estrutura de êxito que fosse capaz de traduzir a sua superioridade em campo em algo real. O Porto vencia não só porque era melhor...porque era e tinha de ser sempre muito melhor que o rival. E essa política de excelência teve nomes e rostos próprios, o mais antigo e evidente, o de Pinto da Costa. Ao criar esse Porto forte, estável e seguro de si mesmo o clube encontrou uma forma de defender-se do Polvo. Foi o desmantelamento dessa política de gestão interna que deixou em evidência o fácil que era, contra um Porto débil dentro, ao Polvo controlar o que queria e podia. E pode muito. Não é por casualidade que nos primeiros dez anos de Luis Filipe Vieira e do seu Polvo, o Benfica tivesse ganho dois miseros títulos. Havia um Porto forte a contrapor essa crescente influência. Um Porto que começou a acobardar-se com o Apito Dourado - onde fomos a vitima, não o culpado, note-se - e que se entregou numa política de useiros e vezeiros entregue a comissionistas, fundos de inversão, bancos de investimento e agentes preferenciais daqueles braços que ousavam sonhar em por as mãos no trono, fosse do bando anterista fosse do bando alexandrista. Essa guerra civil surda interna destruiu o que nos fez grande e continua a fazê-lo. É oportuno revelar todo o lixo do Polvo benfiquista mas isso não pode fazer esquecer que o Porto está a incumprir o Financial Fair Play apenas e só por culpa própria. Que os erros de casting de treinadores, com ou sem colinho e Polvo, são culpa própria. Que os erros de casting de formação de planteis, de ter uma lista de mais de quatro dezenas de emprestados, tudo isso é gestão interna e independente do Polvo.

O Porto agora tem de vender muito, comprar pouco, eliminar gorduras e começar praticamente do zero. É importante colocar toda a pressão no sistema antes do arranque de uma época em que já partimos com um pé atrás mas importante é também reerguer a estrutura interna e o que está a ser feito aponta na continuação de uma política penosa. Afinal de contas, Jorge Mendes, já ficou provado, é um dos maiores aliados do Polvo e tem sido instrumental nessa política de saneamento financeiro falso do Benfica, no alimento do Braga e Rio Ave, clubes da mesma esfera desse sistema podre, e também responsável por detrás de alguns dos nossos maiores flops financeiros. E no entanto, sabendo tudo isso e denunciando todas as terças a podridão do Polvo, o FC Porto continua a colocar-se nas suas mãos para resolver os seus problemas?
Há quantos anos, salvo casos excepcionalissimos, negoceia o FC Porto com alguém que não seja Mendes ou Doyen? Há quantos anos vendemos a clubes fora desse circuito, seja na Rússia, no Mónaco, na linha Atlético-Valencia-Bessiktas, nos clubes por onde anda Mourinho ou onde Mendes tem as portas escancaradas? O Porto não vende a Arsenal, Liverpool, Bayern, Dortmund, Inter porque demónios? Será porque são clubes que tentam trabalhar ao mínimo com o produto Mendes? Será porque são clubes onde Mendes não pode exercer de comissionista de jogador, de clube vendedor e comprador como acabou de fazer com o AC Milan e fará provavelmente com o Wolves e Ruben Neves?

Sim, o FC Porto está a ponto de vender o seu mais jovem capitão de sempre a um clube da segunda divisão inglesa por metade da sua cláusula de rescisão e o motivo é apenas um só: porque é onde Jorge Mendes quer que esteja o jogador.



O FC Porto já não actua há largos anos por vontade própria no mercado. Deu á Doyen um documento que lhes permitia negociar em seu nome - o caso Jackson com o Milan e depois Atlético - e desde há muito que tudo passa ou pelas mãos de Mendes ou por Luciano D´Onofrio. O mercado é enorme e move-se em milhões mas para o Porto encolheu-se a esses nomes. E claro, nessa circunstância a SAD vende a ideia - através de muitos dos seus acólitos - que a venda de André Silva é obrigatória e a Ruben Neves também o será, pelos números na mesa - culpa da situação financeira que eles próprios geraram e não assumiram ainda e que a UEFA controla - porque não há alternativa.
Mas alternativas há sempre.
Que explique o clube porque, curiosamente, só se movem no mercado - como passa com os Benfica, Atlético, Valencia, Monaco e afins - os jogadores do circuito Mendes, os que lhe vão gerar as comissões de verão? Porque os Layun (que recusou assinar com Mendes), Telles, Herrera, Maxi ou Corona estão fora do mercado quando a soma das suas respectivas vendas - sendo que para todos eles há opções já no plantel ou a muito menor custo salarial e de preço de venda - serviriam perfeitamente para segurar Ruben ou André? Porque é que Aboubakar não é vendido, será porque o clube prometeu dar 6 milhões de euros fixos ao seu anterior clube e só tem 37% do passe? Porque é que Brahimi vai ficando á medida que o clube foi hipotecando a sua percentagem ás mãos da Doyen? Porque é que os jogadores mexicanos do clube, que têm mercado, não se movem até ao dia em que passarem para a Gestifute? Porque é que o clube prefere manter dois salários incomportáveis no caso de Maxi e Iker Casillas para a realidade actual?

Vendo os milhões que se pagam em mercados como o inglês é anedótico pensar que o FC Porto não pode vender esses futebolistas negociando directamente clube a clube sem intermediários. Até o próprio Ruben, seguramente, seria mais facilmente vendido por essas cifras a um Liverpool ou Arsenal do que a um Wolves. O seu azar é que o único clube que Mendes controla em Inglaterra realmente é o de Wolverampton sendo que Mourinho está interessado noutro dos seus activos - Fabinho - para a mesma posição. Qualquer que veja o mercado a mover-se ano sim, ano também sabe identificar as tendências. Os jogadores de Mendes movem-se sempre nos mesmos clubes e sempre por um curto período de tempo que lhe permite cobrar as respectivas comissões. Os outros jogadores e os outros clubes negoceiam normalmente sem problemas. O Porto podia ser do segundo grupo não se tivesse colocado aos pés do "super-agente". O irónico é que se ajoelhou a quem está deliberadamente a ajudar o Polvo que tanto tenta combater. E para isso está disposto não só a vender por debaixo do seu valor real a dois grandes jogadores com enorme perspectiva de futuro. Está uma vez mais a destruir a possibilidade de criar um balneário á Porto, com jogadores da casa que sentem a camisola, para permitir que o homem que tem impedido o seu rival de ir á falência continue a enriquecer à custa dos portistas que preferem continuar a assobiar para o lado ainda que seja evidente de todos que a situação actual desportiva e financeira tem nomes, apelidos e salários a serem pagos por todos os accionistas do FC Porto.

No final de contas, por muito Polvo que saquem para fora, o grande problema continua a estar nas entranhas do clube. A "Sportinguização" da SAD do FC Porto com este processo de vender por tuta e meia a jogadores de formação com potencial de estrelas continentais ao mesmo tempo que enriquece os que o prejudicam é só mais um sintoma. Mas essa denúncia não interessa!

30 comentários:

miguel.ca disse...

Desmantelar o polvo é quase tão importante quão desmantelar a actual administração da SAD.

vidente mor disse...

pois ta bem, se o r neves for por 20M e bem vendido como foi asilva por 40M, vamos ver o que faz no futebol a serio ou enrija ou desaparece. JMendes esta a ser cercado como o benfica e ou muda o esquema ou vai ser cacado. Quanto ao liverpool e afins terao outros canais de aquisicoes e nao me parece que tenhamos assim jogadores tao bons que sejam disputados por esses clubes. Repare se nos mexicanos quem os quer?? ou brahimi tirando o porto que outra equipa de top quer brahimi? ou marcano, ou maxi, ou andre2, Sinceramente nao temos jogadores que tenham sobressaido assim tanto. Temos de voltar a escolher os nunos valentes, os derleis, os alevicheves, os celsos, os pferreiras, os c0ostinhas, os etc que nao eram ninguem antes de ca chegar e deixar mercados como o mexicano por exemplo. TANTO RNEVES COMO ASILVA FORA,M BEM VENDIDOS NESTA ALTURA COMO SE TEM VISTO NAS SELECOES E NO CLUBE AINDA LHES FALTA MUITO PARA CHEGAREM A SER JOGADORES DE TOP EUROPEU, AS VERDADES TEM DE SER DITAS. AGORA DIAM ME LA SE COM JOGADORES COMO JONAS, PIZZI, LUISAO, ELISEU, FEJA, SAMARIS, SALVIO, JIMENEZ, ETC SE PODE GANHAR ALGO A NAO SER COM AS AJUDAS PRESTIMOSAS DOS ARBITROS E AFINS??? nao e possivel e vieira sabe disso.

miguel azevedo disse...

Que grande post Miguel!

Paulo Monteiro disse...

Uma coisa é o Universo Porto da Bancada. Outra coisa é a SAD do FCP (Pinto da Costa incluído). A SAD do FCP mete-me nojo!!! Vender o Rúben Neves nestas circunstâncias é VERGONHOSO! E se nas próximas eleições os portistas não correrem com esta gente do clube então são uns mansos sem igual. Este ano vamos ganhar BOLA!!!! Outra vez!!!

Luís Vieira disse...

Até haver confirmação oficial, espero que seja brincadeira de mau gosto. Se se confirmar, antecipo já sem pejo: este negócio envergonha-me, enoja-me. Vender o Rúben Neves ao Wolverhampton por 18/20 M é ultrajante. Chegarmos ao ponto de vender uma pérola ao desbarato para um clube da 2ª divisão inglesa por imposição da UEFA, depois de um regabofe / desperdício de dinheiro de vendas milionárias é inadmissível! Se for, de facto, verdade, a minha alma portista enegrece. RUA INCOMPETENTES!

Josef K. disse...

Se se verificar essa venda, ela é só a cereja em cima do bolo de gestão miserável dos últimos anos.
Dou-me por feliz por estar longe de Portugal e dessa forma não ter de assistir de perto ao descalabro e às suas consequências. Triste. Muito triste.

Josef K. disse...

Claro que se pode vencer com esses. Basta que a concorrência seja este Porto e o Sporting.

Paulo Marques disse...

A culpa foi de quem não quis que ele jogasse a época passada, agora quem foi essa pessoa é uma questão interessante...

Quanto ao valor, hoje em dia os clubes portugueses declaram valores que não têm nada a ver com a entrada e saída de dinheiro, por isso uma pessoa sabe lá.

Alexandre O. disse...

Bem, isto quando não se ganha, não é para todos!

Rúben Neves é um suplente do FCP a época passada, fez 18 jogos (não me apetece confirmar, mas arrisco a dizer que 3 ou 4 de inicio).

É UM SUPLENTE! 20 Milhões por um suplente? FODASSE, negócio do século!

O Ruben foi vendido por 20 para conseguirmos ficar com o Danilo? PALMAS!


Quero lá saber se tem 20 ou 30 anos, a mim interessa-me o FCP e o Ruben não tinha categoria para isso.


Obrigado e felecidades, tudo o resto é irracionalidade.



Pedro ramos disse...

Não posso estar mais de acordo, desde a primeira palavra até ao ponto final.

PS. A palavra de PdC continua a valer menos que o papel higiénico que uso...

Luís Vieira disse...

Irracional é esta observação. Quem diz que "o Rúben não tinha categoria para isso" anda aqui a ver passar os eléctricos. É só um dos melhores jogadores que saiu da nossa formação. Se a ideia era, de facto, vendê-lo, porque não fazê-lo a uma truta por um valor mais condizente com a sua capacidade? Não foram poucos os que se mostraram interessados nos últimos tempos. Este negócio é ruinoso, fruto de uma gestão incompetente.

Francisco Paulos disse...

Desmantelar o polvo é meio caminho andado para conseguirmos competir em igualdade com os outros. O trabalho feito pelo FJM é notável e merece (tem) o nosso apoio. Mas isto foi (e espero que mais coisas sejam reveladas )só o primeiro passo pois agora tem de passar-se ao segundo que é denunciar todo este escândalo internacionalmente à UEFA, Fifa e imprensa Internacional. Este caso cá dentro vai morrer e nada lhes vai acontecer. O polvo está em todo o lado, é só ver o silêncio da FPF, Liga, Arbitragem. A comprada CS continua a fazer o seu trabalho de branqueamento e os cartilhados o seu que consiste em envenenar a opinião pública com mentiras. É só ver esses programas desportivos em que os "comentadores" são todos vermelhos. Verdade seja dita que alguns dos nossos não têm coragem de os enfrentar e metem o rabo entre as pernas mesmo tendo ao dispor todo o material dos e-mails.Exemplo: "tens razão ó Rui". Vergonha.

PMF disse...

Muito bem. Concordo inteiramente.
PMF

miguel.ca disse...

Fruto de uma relação grotesca, vergonhosa e quase pornográfica com o grande amigo do orelhas, Jorge Mendes.
O grande amigo do orelhas movimenta-se no FCPorto como quer e bem lhe apetece.

Luís Negroni disse...

O FCP já encaixou mais dinheiro com suplentes, emprestados e júniores que o slb com titularissimos. Essa é que é a verdade; O resto são Balelas de ressabiados que ninguém os impede de mudar de clube para ficarem mais satisfeitos. Se o FCP tivesse mantido os jovens da formação e da mística e tivesse vendido jogadores mais experientes e feitos como Danilo, Felipe, Herrera estariam aqui a dizer que se ia lutar pelo titulo com uma equipa de miúdos como aliás disseram a época passada. Dizem sempre mal de tudo e do seu contrário, picham muros e paredes, têm bilhetes mais baratos e outras facilidades e vão para dentro do estadio insultar e ofender os jogadores com tarjas, são os melhores amigos do polvo e da sua CS que se delicia com o comportamento desta gente. São insuportáveis!

csantos disse...

Caro Negroni,
Gostaria de saber que jogadores suplentes é que foram esses que renderam mais que os titularissimos do slb...
Foram a duzia de jogadores que rescindiu a custo zero neste ultimo mês? foram os jogadores que foram dados ao novo clube do d'onofrio?
foram os "excedentes" que fizeram boas épocas nos seus clubes e mesmo com clausulas de compra entre os 7 e os 12M, nem 1 foi comprado?
claramente, os excedentes do FCP rendem imenso.
Então só de pensar que o FCP ganhou 30M com o Adrián, 25M com o Aboubakar, 30 com o Indi... ah espera, estou a sonhar e nenhum destes vai sequer sair por metade desses valores.
Quantos que cá ficaram e que refere, o Danilo é excelente mas contra 90% dos nossos adversários até é um desperdício, o Felipe chegou este ano, logo só agora poderia ser vendido e o Herrera :lol:, considera-lo importante é quem vê futebol com o olho que está mais abaixo.
Basta ver como esse energumeno corra e disputa todos os lances com garra na selecção e no clube que lhe paga um ordenado milionário e onde é INEXPLICAVELMENTE capitão, nem 1 falta mais dura é capaz de fazer durante uma época inteira...

Hugo Mota disse...

Mais um texto digno do Robespierre. Sem o conhecer pessoalmente, conseguiria imaginar facilmente o Miguel, de forquilha na mão, a liderar uma turba de irreflectidos revolucionários.

Teorias da conspiração existem muitas. Quem conhece filmes de ficção científica, até pode considerar que Pinto da Costa foi raptado por ETs e o actual Presidente não passa de um clone nascido num qualquer casulo. Olhando para o passado recente, não seria difícil arranjar uma história verosímil para a situação.

Contudo, como a minha formação é mais na área da Gestão de Empresas, e não escritor ou ficcionista, o que vejo é a venda (e boato) de jogadores que o FCP tem 100% do passe (ou 95%(?) no caso do Rúben) e com mercado para vendas substanciais. Significa isto que, mais dinheiro entra nos cofres (mesmo assumindo que existirá sempre comissão para intermediários), e menos jogadores são necessários vender para atingir a meta necessária para a UEFA. Emoções à parte, uma suposta venda de Rúben Neves por 20 milhões, será sempre mais rentável para o clube do que vender Brahimi por 30, 35 ou mesmo 40 milhões. Um suplente comparado com o maior desequilibrador do plantel.

Sim, um suplente! Não saindo Danilo, o lugar de Rubén passará sempre pelo banco. Se este ano vale. 20, para o ano valerá 15. Depois ainda menos. Até ao ponto que será posto a rodar por clubes obscuros como tantas outras promessas azuis e brancas. Onde está a má venda aqui?

Os tempos do João Pinto eram outros. Quantos jogadores de Top acabam as carreiras nos clubes de coração. Casillas? Raúl? Terry? Lampard? Gerard? Xavi? Schweinsteigger? Nem Jorge Costa - o Bicho - acabou a carreira no FCP. Mesmo nos gigantes do futebol, com poder para comprar e manterem quem quiserem, contam-se pelos dedos de uma mão os jogadores que o fizeram... Totti, Scholes e Giggs a quem provavelmente se seguirão Iniesta e Lahm, e quantos mais? Daí serem excepções, lendas!
Não vamos brincar... o tempo que o Miguel fala já não existe. A sua retórica é bonita e boa para novelas e adeptos emocionais, mas qualquer relação com a realidade é pura coincidência.

Pelo meu lado emocional também gostava de 11 rapazes formados no clube. 11 dos nossos.
Mas isso não existe no futebol. Basta ver o exemplo do Athletic Bilbao. Outrora, num tempo pré-Bosman, eram uma equipa capaz de bater o pé e roubar títulos a Real, Barça ou At. Madrid. No presente, o maior feito que podem aspirar é serem minimamente competitivos, e eventualmente ganharem uma taça aqui ou acolá. É isso que queremos para o FCP?

Deixemos-nos de ser emocionais, e passar a usar a cabecinha.

Rúben Neves é um dos nossos. Todos estamos de acordo que os Wolves não são equipa para ele. Mas isso é um problema que ele tem que resolver com o seu intermediário. O porquê de não lhe arranjar uma equipa melhor.

E se quiser ficar, cá estaremos de braços abertos para ele.

PS. Isto não invalida que ficaria extremamente surpreendido, estupefacto e à beira de um ataque de nervos se, com tanta necessidade de facturar, Herrera se mantenha outro ano no plantel. Isso sim, já seria caso para altas conspirações.

miguel.ca disse...

O Ruben Neves tem um potencial gigantesco, uma qualidade de passe fantástica e algumas arestas por limar.
Nao vimos a sua explosão para a titularidade indiscutível porque os últimos 4 treinadores que tivemos foram indiscutivelmente dos mais fracos aue alguma vez passaram pelo Dragão.

leandro Vieira Dias disse...

Miguel, uma vez mais, acertou lá onde a coruja dorme!

Os jogadores vem e vão, com uns acertam-se com outros nem por isso. Faz parte do jogo.
Não é, seguramente isso que está em causa.

O que custa, a quem tem meio dedo de testa, é que as decisões e actos de gestão de quem tem esse mandato tenham por base poucos critérios desportivos e, menos ainda, critérios clubísticos!

O clube vai precisar sempre de vender!
Mas não existe para vender. Não é esse o seu propósito. Não pode ser.
Algures alguém pensou que bom seria se fossemos uma Makro da bola... mas é muito difícil mobilizar os adeptos em torno de um entreposto comercial e por isso, e pela pressão de alguns adeptos com visibilidade, correu-se em busca da Identidade e da Mistica.
Que, chamem-lhe o que quiserem, é o que nos une em torno do clube.

Não me venham com aquelas tretas de que o futebol moderno isto e aquilo, que a mística já não existe, etc... etc... A verdade é que neste futebol tão moderno, neste clube tão profissional, tudo muda e se moderniza menos os gajos de fato que desde o altar da SAD continuam a perpetuar-se.

Há jogadores que precisam de vendidos pois é necessário dinheiro para manter o clube. Até aqui tudo bem. Já não está bem quando as vendas visam tapar crassos erros de gestão de quem deveria tratar o alheio melhor que o seu ou quando servem apenas para manter “a maquina” a funcionar.
Para que os Armanis e os Cerrutis continuem a aparecer nas apresentações de contas a dizer que “precisamos de vender 100MK em activos”... doutra forma teremos que fazer mais um empréstimo obrigacionista pois o importante, é manter as coisas como estão.
Prefiro ver os Rubens no relvado aos homens de fato na tribuna e a fazerem asneiras na SAD – a explicarem coisas tão bimbas como pq raio aparece no RC deste ano um interprete de Russo?

leandro Vieira Dias disse...

Quanto a esta coisa do NES, é muito triste. Assume-se como um banal funcionário da GESTIFUTE. Disso já ninguém duvida.

E ainda que possa ser uma perspectiva viciada.

Imaginem que o Jorge Mendes lhe terá dito, algures quando percebeu que não iria ficar no Dragão por falta de condições psicológicas e artísticas, que precisava de jogadores para o novo clube para onde iria... sendo que as limitações de orçamento do dito não permitiriam grandes cavalgadas... teria duas hipóteses:

A) ou contratar quem não conhecia/nem queria (mas os únicos que poderia)

B) contratar quem conhecia/queria mas que precisariam de ser depreciados...

Neste sentido, o leal funcionário da casa, apostado no mercado de futuros, toca a manter os jogadores no banco para ver se o clube aceita vender pelo preço que a sua nova casa poderia pagar...

O sr. Jorge, ganharia no futuro o que deixaria de ganhar agora.

É só uma opinião.
E deve estar errada de certeza. Mas é legitima, agora que se confirma que a verdadeira entidade patronal do NES sempre foi a casa do Bom Sucesso.

Luís Negroni disse...

Caro csantos

O André Silva terminou a época como suplente; Alguns jogos não jogou, outros entrou na 2a parte, um ou outro até quase no fim do jogo. Rendeu 38 milhões, para já. Ruben Neves foi um suplente pouco utilizado, jogou apenas em 18 dos 49 jogos oficiais que o FCP realizou durante a época, vai render 18-0,9=17,1 milhões de euros. Somando mais 3 do júnior Moreto Cassama, mais 1,8 do emprestado Lichnovsky, mais 1,8 do emprestado Andrés Fernandez, mais 3,5 milhões (70% de 5 milhões) do suplente Deloitte dá 65,2 milhões de euros. Ou seja, suplentes, emprestados e júniores renderam mais de 65 milhões de euros.

O clube dos árbitros e da mentira desportiva vendeu 2 titularissimos, Ederson e Lindelof. O GR foi vendido por 40 milhões, o clube tentacular por email detinha aparentemente 100% do passe, mas vá-se lá saber porquê (ou talvez até se saiba perfeitamente) só 20 milhões foram para o slb. Ora, nem que os 35 milhões que foram pagos ao clube calabotico pelo passe de Lindelof tenham lá ficado todos (o que duvido muitíssimo), 35+20=55. Ou seja, titularissimos renderam 55 milhões ao clube das macumbas por email.

É da aritmética básica, que 65,2 > 55, logo, suplentes, emprestados e juniores do FCP renderam mais que titulares de clube do polvo.

Luís Vieira disse...

Pode crer que fico ressabiado com a venda de um jogador da casa com um potencial fantástico por tuta e meia para um clube da segunda divisão inglesa. Fico ressabiado por um negócio estapafúrdio, forçado por uma situação económica precária, evitável, que resulta de gestão danosa. E fico ressabiado por haver portistas aparentemente satisfeitos com o status quo. Também houve benfiquistas a aprovar a venda do Bernardo Silva por 15M para o Mónaco. É sensivelmente o mesmo. Fica a balela para futura referência.

Luís Vieira disse...

Bem, vou introduzir alguma racionalidade económica na cabecinha do senhor gestor Hugo Mota. Porventura sabe o senhor gestor, do alto da sua sapiência empresarial, que o mercado de transferências está altamente inflacionado? Sabe também que os grandes clubes pagam valores estratosféricos pelo potencial de jovens craques? Reconhece o interesse de clubes como Chelsea, Liverpool, Man Utd e Barcelona (para falar nos que foram noticiados) no citado jogador? Conhece a possibilidade de o clube negociar directamente com semelhantes clubes, ao invés de ficar refém de um empresário e da sua teia de interesses? É capaz de discernir a situação económica precária do clube que nos fragiliza grandemente e nos leva a transferir jogadores à pressão, sem curar do melhor negócio? Ou a racionalidade não lhe permite vislumbrar factos tão evidentes? Cumprimentos de um adepto "emocional"...

Hélder disse...

Como Portista, e em minha opinião, sempre se sobrevalorizou muito o Ruben.
Considero-o um jogador vulgaríssimo, sem espaço na equipa principal, e pelo valor que se fala acho que irá ser muito bom negócio.

Dr Sigmund V disse...

A venda do Ruben Neves não tem nada que ver com o Fair Play Financeiro, pois o dia 30 de Junho (fecho das contas) já lá vai. Tem, sim, que ver com a nossa premente necessidade de liquidez.

csantos disse...

Caro Negroni,
1º o André silva foi titular em grande parte da época. Ser titular em 3/4 da temporada é ser suplente, então quase todos os jogadores são suplentes ou já se esqueceu que o andré silva chegou a estar 20 e tal jogos consecutivos a titular? seja honesto e não o inclua nas vendas.
2º na minha cabeça, eu comparo alhos com alhos, bugalhos com bugalhos. eu não posso dizer que X vale mais do que Y se em Y eu multiplico por 6 e em X multiplico apenas por 2. Com isto quero dizer que não faz sentido nenhum comparar a venda de 2 jogadores com a de 6. Por essa lógica eu também lhe digo que ganho mais dinheiro a vender fiats que ferraris... se vender 50 fiats e você vender apenas um ferrari. Independentemente se acho que os jogadores valem ou não esse valor e se foram milhões ou mendilhões, não vamos arrotar postas de pescada comparando o que não há a comparar.
3º Com o mal dos outros estou eu muito bem e se os nossos rivais venderem 200M por temporada, fantástico para eles. Eu quero é que o FCP tenha a sua gestão com cabeça e que não desperdice recursos que anda a fazê-lo constantemente desde 2011. Não é por termos feito 20M ou 500M, que podemos desperdiçar dinheiro.

Luís Vieira disse...

A imprensa especializada desmente-o, dizendo que, por especial favor, o Porto pode finalizar esta venda mais tarde, anexando-a ao acordo gizado com a UEFA. Daí a urgência maior que a "premente necessidade de liquidez", que essa é costumeira.

Luís Vieira disse...

Vulgaríssimo? Por curiosidade, porquê?

Hélder disse...

Bom dia Luís. Vulgaríssimo, no sentido de perder muitas bolas em lugar proibido, e em grande parte das vezes, tornar os lances de bolas paradas inconsequentes.

Luís Vieira disse...

Boa noite, Hélder. Pois eu discordo. Acho o Rúben um médio defensivo moderno, com boa capacidade técnica, muita qualidade de passe e bom remate. Posiciona-se bem quer defensiva, quer ofensivamente e dá muita qualidade à saída de bola. Quanto às perdas, são mais fruto do modelo de jogo (é jogador para uma equipa com uma boa rede de apoios, que jogue um futebol positivo e ofensivo - o que o Porto do Nuno decididamente não fazia). Não lhe peçam para correr feito maluco e para ganhar bolas em esforço, em duelos corpo a corpo. As intercepções dele são feitas com inteligência, pela antecipação e pelo corte de linhas de passe. Não é um jogador perfeito, como é evidente, mas não será certamente vulgaríssimo. É um bom jogador, com potencial para ser excelente. Ainda para mais da cantera. Um desperdício e a meu ver uma má venda.