domingo, 9 de julho de 2017

Ruben, Oliver, Mendes e os interesses reais da SAD

Está definitivamente oficializada a venda de Ruben Neves ao Wolverampton Wanderers, um histórico do futebol inglês dos anos 50 e 60 - é por sua culpa, em parte, que existem competições europeias - mas que milita actualmente na Championship. Sim, o FC Porto vende o que de melhor tem produzido a clubes da segunda divisão inglesa por tuta e meia. Sim, o Wolves é a ponte do esquema Mendes no Reino Unido, mais um clube onde coloca jogadores como bem lhe apetece a modo de ponte para outros voos, sempre a troco de uma apetitosa comissão (ou duas, ou três). No espaço de semanas o FC Porto decidiu vender as suas maiores pérolas da formação por um valor total aproximado de 60 milhões de euros - com objectivos pelo meio. Friamente não são más cifras, na realidade ficam ambas aquém do potencial real de ambos os jogadores e do seu valor de mercado. Consequências da sanção imposta pela UEFA mas não só.

A ninguém parece estranho que os únicos negócios que o Porto seja capaz de operar estejam nas mãos de Jorge Mendes. O clube está a tentar livrar-se de algumas gorduras desnecessárias entre emprestados - muitos serão repescados porque não há dinheiro para mais, supostamente - e ao mesmo tempo cumprir com os prazos da UEFA. Sabendo que Casillas fica - com um salário muito inferior ao que ganhava mas, ainda assim, como o mais bem pago do plantel - e que há ainda excesso de laterais nas contas - Ricardo, Rafa e Fernando Fonseca juntam-se a Maxi, Layun e Telles quando deveria haver apenas quatro vagas livres - as vendas de André e de Ruben parecem anunciar que tanto Brahimi como Danilo vão ficar no plantel. Até 31 de Agosto no entanto livrem-se de pensar que são realidades concretas. A palavra de Pinto da Costa nunca valeu muito mas agora, que vale zero, nunca permitirá assumir nada por garantido até ao suspiro final do mercado e o FC Porto que já está mais debilitado do que no ano passado - onde não era uma grande equipa em traços gerais - pode ficar ainda mais fraco com o passo das semanas. Disso dependerá também muito Mendes. Afinal de contas nada se mexe no Dragão sem que o super-agente decida como tem sido claro.

O FC Porto entregou-se ao homem que tem alimentado o rival, insultando assim aqueles que tantos esforços estão a fazer para levantar o Polvo. E fê-lo de uma forma tão escandalosa que é capaz de tentar dar a volta aos factos para justificar o injustificável. E é aí onde entramos no circuito Ruben-Mendes-Oliver.
Oliver é um bom jogador, um jogador de classe, com talento e fino recorte que se exibiu bem nas duas épocas de azul e branco, melhor na primeira do que na segunda, é certo. Não é uma super-estrela e dentro da realidade espanhola há jogadores da sua idade muito superiores. É um falso dez, um falso oito, um jogador que se move bem e faz mover mas que nunca tem sido realmente um factor determinante. É um jogador cuja posição em campo podia ser ocupada por Otavio ou até mesmo por...Ruben Neves, noutro esquema de jogo mais vertical e assertivo - curiosamente o esquema que propõe Sérgio Conceição.
Oliver seria uma boa adição ao plantel, de forma definitiva, por uma quantia lógica. Nunca por 20 milhões de euros. Mas são 20 milhões de euros os que o FC Porto terá de pagar ao Atlético de Madrid em Janeiro de 2018. Não 19. Não 18. Não 19,5. Serão 20 milhões de euros, convertendo o jovem espanhol na compra mais cara de sempre do clube.


Nas contas do Financial Fair Play a operação Oliver não entra.
Jorge Mendes sabe fazer bem as coisas. No verão passado foi o intermediário do regresso do espanhol ao Dragão, operando, como sempre faz, em nome do Atlético de Madrid, clube da sua carteira habitual. O Atlético cedia o jogador, sim senhor, e colocava Diogo Jota de extra, mas em troca o FC Porto comprometia-se a comprar o jogador por 20 milhões de euros. Um valor superior ao seu valor de mercado e no entanto o Porto aceitou a proposta. Oliver e Jota foram utilizados por NES - que, como já todos vimos, esteve no Porto a valorizar activos e a valorizar-se a si e não a gritar "Somos Porto" - e tiveram um papel destaco na temporada, de mais a menos. Mas em nenhum caso a operação tinha qualquer lógica para um clube que, já então, sabia estar com a corda na garganta e com a UEFA nos calcanhares. Tanto que nesse mesmo defeso o próprio presidente disse que não havia avançado até haver Liga dos Campeões...o que nem sequer acabou por ser certo, como se viu com a farsa Depoitre (com outro amigo, D´Onofrio, ao barulho claro). Sabendo que não tinha 20 milhões para pagar pelo jogador o FC Porto fez na mesma operação e fê-lo porque essa era uma condição de Mendes e Pinto da Costa a Mendes já não diz que não, como não disse no caso Adrián, por muito que a posteriori goste de vir culpar os treinadores dos erros que ele consente como máximo gestor do clube. Se Mendes diz que se faz o negócio, faz-se o negócio por muito que prejudique o clube. Oliver nunca dará lucro ao clube e a sua operação apenas contribuiu para abrir ainda mais o buraco nas contas. Algo que o Porto sabia que ia passar e que, principalmente, Jorge Mendes sabia que ia passar..

Fazemos fast-forward para o seguinte defeso. Como esperado o Porto tem de vender mais do que nunca, agora principalmente pela sanção da UEFA - teria de vender de todos modos - e nem sequer contabilizou ainda os 20 milhões de gastos em Oliver (que o obrigará a vender, também, no defeso que vem, mas já lá vamos) e na mesa aparecem ofertas...sim, ofertas precisamente pelos jogadores de Mendes.
André Silva e Ruben Neves saem do Dragão - Mendes cobra comissão pelos três...jogadores, clube vendedor e clube comprador, esperem pelo relatório de contas - e o dinheiro do seu império continua a mexer-se mas havia realmente essa necessidade de vender dessa forma quando meses antes o clube parecia não ter problemas em pagar 20 milhões por um jogador da carteira Mendes - e há ainda o negócio Boly, outro que entra já na rotação de NES e Wolves, com um empréstimo com opção de compra para entrar no próximo exercicio financeiro - em lugar de procurar ficar com Ruben Neves no plantel?
O mesmo Ruben a quem Pinto da Costa pressagiou um futuro à João Pinto. A sua palavra, como sabemos, vale tanto como os seus dotes adivinatórios. Curiosamente o mesmo Ruben que foi afastado praticamente por Nuno Espirito Santo - que agora, pasmem-se, o reclama em vez de pedir um Herrera ou um André André, bem mais utilizados, bem mais baratos mas nenhum da carteira Mendes - e portanto passou um ano a desvalorizar-se para agorar surgir uma oferta baixa para o seu potencial real. Que teria sido do negócio de Ruben se este tivesse jogado mais vezes? Uma suspeita que não faria sentido salvo que quando quem o pede agora é quem não o quis antes a coisa começa a cheirar muito mal.

No próximo defeso - já lá chegamos - Boly provavelmente sairá para o mesmo clube a título definitivo numa operação que ajudará a maquilhar os números de Oliver, depois do empréstimo agora acordado. Outro jogador "pedido por NES", "gestionado por Mendes" e que não se valorizou porque o mesmo NES que agora o pede não o utilizou quase nunca.
Uma vez mais Mendes cobrará por todos e manterá a sua máquina activa e o Porto, desportivamente, ganhará pouco e estará nas mãos do super-agente para mover-se no mercado. Ainda assim terá de vender. De momento não há jogadores Mendes no plantel, salvo José Sá, mas até 31 de Agosto tudo é possível e não surpreenderá ninguém se voltemos a ver uma operação similar à de Oliver com futebolistas da sua carteira. Se ao largo do ano algum outro jogador da formação - Fonseca, Dalot, Rui Pedro - entretanto mudarem de agente, a sua saída em Junho torna-se óbvia e nem vale sequer a pena discutir a sua inviabilidade. Uma vez mais estamos a falar das máximas operações no mercado do clube nos últimos meses e todas com o mesmo agente, todas com a mesma filosofia. No final quem perde é sempre o clube. Algo que já deveria saber de experiências prévias sobretudo quando se destapou a rede do Polvo e como o super-agente em questão tem servido para salvar o pescoço de Luis Filipe Vieira. Ruben Neves não é mais que um novo Helder Costa (que por 14 milhões foi o recorde histórico anterior do Wolves) ou João Cancelo por quem o Valência pagou 15 milhões que na altura o Benfica gastou em outros jogadores da fábrica Mendes para seguir com a cadeia de montagem. O FC Porto não está a vender para apaziguar a UEFA - o negócio Ruben ultrapassou o deadline da UEFA, para os mais distraídos - mas sim para manter a máquina Mendes a funcionar. O clube decidiu que prescindir do seu mais jovem capitão, desvalorizado por um infiltrado do super-agente, é mais importante que bater com o pé na mesa e negar-se a negociar com essa personagem sinistra que tanto tem prejudicado o clube.

É em momentos assim, momentos como o da chegada de Oliver e a saída de Ruben que fica claro que quem dirige o FC Porto, hoje, o faz a pensar primeiro em si mesmo e nos seus interesses e só muito mais à frente nos interesses do Clube.  

11 comentários:

Luís Negroni disse...

Só fantasias. Por exemplo, o Boly pouco jogou porque o Felipe e o Marcano são melhores, estiveram a excelente nível durante toda a época e praticamente nunca se lesionaram nem estiveram castigados. Agora o Boly vai para o Wolves, primeiro porque o Sérgio Conceição prefere, e bem, o Diego Reyes ou até o Martins Indi, e depois, porque no Wolves, equipa da 2a liga inglesa, que não tem o plantel que tem o FCP, é perfeitamente natural que o Boly até se afirme como titular já que a concorrência não será Felipe, Marcano, Diego Reyes mas centrais de nível inferior. O facto de NES o ter levado para o Wolves é uma banalidade que 9acontece constantemente no futebol, todos os dias se vê treinadores irem buscar jogadores a clubes que treinaram antes. Com Ruben Neves poder-se-ia dizer o mesmo substituindo Felipe e Marcano por Danilo. Esta é a realidade a contrapor às fantasistas teorias da conspiração de Miguel Lourenço Pereira.

Deco disse...

Miguel Lourenço Pereira você está cheio de macaquinhos na cabeça. E anda mal informado ou então decide inventar. Ao ler às vezes parece que estou a ver o mais transferências e aqueles macambúzios benfiquistas a inventar notícias e rumores.

"noutro esquema de jogo mais vertical e assertivo - curiosamente o esquema que propõe Sérgio Conceição." quer esquema mais vertical do que o futebol de NES, que em boa parte consistia em pontapé para a frente? Não viu os jogos do FC Porto a época passada, em que era chutão na frente e bolas nas alas a ver o que dava?

Quanto ao Óliver dou-lhe mérito por associar esse negócio ao negócio Rúben Neves e ao fair-play financeiro mas fá-lo de forma errada. O Óliver estav emprestado até dezembro de 2017 mas o FC Porto anunciou a sua compra em dezembro ou janeiro passado, logo não deve entrar já nas contas da época passada? É que não encontro motivo para se anunciar tão cedo.
Quanto diz que Óliver não vai dar lucro ao FC Porto não posso concordar menos. O talento do espanhol é evidente. A época passada exibiu-se bastante abaixo do que pode e sabe porque NES colocou-o como segundo médio, numa posição com bastantes responsabilidades defensivas. Nem o jogador está habituado a desempenha tal papel, nem as suas características se encaixam nesse perfil, um jogador que sempre que aparecia mais avançado no terreno dava lampejos da sua qualidade. Por isto mesmo tenho a certeza que basta a Óliver fazer uma grande época no FC Porto e não faltarão interessados a oferecer 30 ou 40 milhões. Por outro lado, Imbula custou praticamente o mesmo e tendo sido um desastre completo, mesmo assim gerou lucro (não contando com os prémios).

Depois Jorge Mendes, ele é o que sempre foi. A ele interessa-lhe o dinheiro e pouco mais. Quando fazemos negócios com ele sabemos que há grandes vendas mas também há grandes comissões. O Benfica passou a negociar mais com ele porque sabe que ele também consegue trazer grandes jogadores mas de certo que a comissões que ele cobra ao Benfica são bem superiores às que ele cobrava ao FC Porto. Só do passe do Ederson teve direito a 20%, fora outros prémios...
O FC Porto deixou de negociar tanto com ele porque por algum motivo (provavelmente valores exagerados nas comissões e por o Benfica ceder-se a isso) mas Pinto da Costa e o diretor desportivo estiveram muito mal porque não conseguiram encontrar uma boa alternativa. Pareceu até que o clube deixou de ter scouting e deixou isso entregue à Doyen e outros empresários amigos. O que também justifica a seca de títulos. Desde 2013 que temos contratados muitos jogadores significativamente caros e que não têm revelado qualidade necessária nem sequer que justifique o investimento, Herrera, Reyes, Adrian, Indi, Imbula, Quintero, Depoitre, etc.

continua...

Deco disse...

... continuação:

Quanto às saídas de André Silva e Rúben Neves podemos ver a coisa de um prisma totalmente diferente. A SAD estava obrigada a vender muito para compensar os erros do passado e conseguiu fazê-lo vendendo apenas suplentes e mantendo o habitual onze titular intacto. É certo que André Silva foi muitas vezes titular o ano passado e um jogador muito importante mas não é menos verdade que com a chegada de Soares perdeu espaço, em muitos jogos continuou a alinhar como titular a par com o brasileiro mas quando NES decidia tirar o avançado, tirava sempre o português, de tal forma que às vezes até saia ao intervalo. Se Sérgio Conceição apostar num 4-3-3 é claro que Soares será o titular e André Silva seria o suplente, por isso é justo dizer que ele seria um suplente, tal como Rúben Neves o foi na época passada, onde foi muito pouco utilizado. Conseguir quase 60 milhões em dois jogadores, mantendo o 11 titular intacto é fantástico. Noutros tempos não faltariam elogios a Pinto da Costa e certamente foi melhor assim do que no ano passado quando o próprio disse ter rejeitado 30 milhões pelo Herrera para manter a equipa...

No entanto a venda de Rúben Neves doeu-me no coração. É um jogador com muita qualidade e que acabou por não mostrar nada no nosso clube, tal o potencial que ele tem. Além disso é um verdadeiro portista e até foi capitão da equipa. Sai por 20M para a segunda divisão inglesa. Dá a sensação que sai pela porta pequena sem ter feito nada que o justificasse, nem ele merece tal coisa. Imagino o desgosto que ele deve ter sentido quando o clube do seu coração o empurrou para fora. De certeza que ele não prefere o Wolverhampton ao FC Porto mesmo que vá ganhar o triplo ou o quadruplo.
Acho que vai acabar por revelar-se um mau negócio para o FC Porto porque o Rúben vai mostrar que vale muito mais.
Preferia que tivesse saído outro que não o Rúben mas isto é consequência da fraca gestão dos últimos anos.

Buck Naked disse...

Absolutamente de acordo com o Deco. André Silva num 433 não eh o jogador matador e eficiente que precisamos ( ah semelhança de n Jackson ou falcão). Até Soares cumpre melhor a função. E tambem tenho muita pena por ruben neves . Estou certo de que poderia chegar a capitão do porto e ser vendido no minimo pelo do dobro. Do que o FCP não eh de empresários que vendem os melhores jogadores ( isso eh fácil)...agora os monos como o Herrera...André André...Sergio oliveira..layun..fabiamos...José sa...esses mantém se todos lá e ninguém lhes pega...

pancas disse...

Eu sigo atento os posts to Miguel da mesma maneira que sigo os do blog Tribunal do Dragao. Ambos tem boas fontes sobre o que se passa extra-futebol no nosso clube e apresentam uma visao coerente e realista de areas como a parte financeira, legal e comercial do clube.

Mas ambos tem o mesmo problema - tentam extrapolar essa informacao para fazerem julgamentos sobre o futebol jogado, tacticas e jogadores e ai tipicamente espalham-se ao comprido por falta de conhecimento ou por tentar moldar uma ideia ao resto dos seus argumentos.

Vamos la a ver o que o Miguel diz nessa area:

1. Que o Sergio Conceicao vai apresentar um modelo que o Miguel ja diz conhecer e que e mais vertical e assertivo que o anterior.
Ora, primeiro nao ha ninguem no presente que tenha uma boa idea do modelo que SC vai apresentar, porque os seus modelos tem variado de ano para ano e de equipa para equipa. O proprio SC deve estar a avaliar alguns jogadores para definir muitos detalhes do modelo. Segundo, a ideia de ser mais vertical e assertivo - do que NES???? Porra, so se decidir que todas as jogadas sao do Casillas a bombear a bola para a area contraria... O que precisamos e ir na direccao contraria, em que nao passamos o jogo a correr em vao para cima e para baixo e a chutar para a frente (e fe em deus). Precisamos que os medios nao estejam la so para ganhar no choque (unica razao de jogar um Danilo, Herrera e Andrex2) e sim para construir jogadas com cabeca...

2. O valor do Oliver... o Miguel diz que ha varios em Espanha da mesma idade que sao melhores - quais sao? e quanto e que eles valem no momento? Concordo que a segunda epoca do Oliver foi pior que a primeira, mas isso tera sido pelo jogador ou pelo facto de que na primeira epoca se jogava a bola pelo chao em vez de pelo ar como se fossemos uma equipa do Championship?
A crenca cega de que nao iremos ter lucro com o Oliver e que portanto foi mais um barrete do Mendes. Comparando com outras compras (julgo que todas nao-Mendes) como Depoitre, Marega, Abou, Telles, Herrera e afins afinal qual e o problema de dar 20M por Oliver? Prefiro gastar 60M por 3 Olivers do que 60M por 10 Hernanis...

3. A ideia ridicula de que o lugar de Oliver podia ser feito por Ruben. Claramente a falta de conhecimento aqui a nao perceber qual e a grande diferenca entre um jogador como Ruben ou Busquets ou Kroos, peritos em circulacao, em passe, em descongestionar e um Iniesta, um Modric ou um Oliver - jogadores que alem da soberba capacidade tecnica e visao (que os anteriores tb tem mas nao tanta) tem muito de outra coisa - criatividade!!! E essencialmente este atributo que diferencia no futebol moderno jogadores mais defensivos e mais ofensivos.

Acho bem que o Miguel exponha as ligacoes a empresarios e os problemas da direccao, mas cuidado com as opinioes sobre o que se passa no relvado - ser jornalista e saber investigar nao basta para se perceber essas coisas...

Machado Costa disse...

O senhor é portista?

Ulisses disse...

Subscrevo. Obviamente a venda do RN dói a qualquer portista, sabe a pouco a todos os níveis, mas resta saber que alternativas teríamos para fazer bom dinheiro. A venda do AS é um excelente negócio, em minha opinião. Preocupante é a aparente dependência que parece existir em relação ao Jorge Mendes para fazer negócios chorudos...

Carrela disse...

Escrevam o que quiserem e tirem as conclusões que muito bem entenderem.
Aqui e ali terão sempre alguma razão, mas há uma coisa que não podem apagar do passado recente: FOMOS ROUBADOS.
Se não fosse o polvo nojento, tínhamos sido campeões (PELO MENOS) no 1º ano de Lopetegui e com NES.
Agora é reescrever tudo, mas com isso em mente.
Não fazê-lo é andar distraído ou comido pela máquina de propaganda do regime!
Atenção, não invalida o que de mau foi feito, nem pensar!
Nem desmente certas negociatas apresentadas, mas muda muita coisa.

cumps

miguel.ca disse...

Roubados somos há mais de 50 anos! A diferença é permitir que os roubos nos derrotem ou não.
Dantes, apesar dos roubos, o FCPorto ganhava porque era mais forte do que o sistema central. Hoje em dia, com o tombo qualitativo que demos, ficou muito mais fácil empurrar-nos para trás.

Vidente Mor disse...

claro que jmendes vende bem, mas afinal quem tem safo as contas dos lampioes, onde andam os gaitans, os enzos, os cavaleiros, os hortas, os etc, etc que foram vendidos a clubes satelite do mendes?? mendes faz dinheiro facil entao e e de despresar isso?? Mas afinal quem nos julgamos nos, o rmadrid?? onde temos nos jogadores para vender bem a clubes de topo?? mesmo esses clubes tem empresarios preferenciais, E UM NEGOCIO. Rneves foi be,m vendido e asilva idem, iam ficar ca porque?? para que?? para nao passarem da mediania?? e depois quem escoilhe os empresarios sao os jogadores. ERRO E NAO TEREM SIDO JA DESPACHADOS MAXI, BRAHIMI, OS MEXICANOS TODOS EM PARTICULAR O INENARRAVEL LAYUN, mas a gente pensa e quem os quer?? Nos ultimos anos tem sido uma desgraca no que respoeita a vitorias mas mesmo assim senao fora os arbitros e a comp0lacencia da liga e da fpf se calhar os lampioes nao tinham ganho, essa e a realidade, com lopetegui e nuno estivemos muiito proximo e falhou algo quando nao deveria ter falhado e noutros tempos nao falhava. O polvo esta a estrabuchar, vieira tem a corda no pescoço e nao vai escapar, o sporting esta a trabalhar bem, portanto temos de jogar com o que temos e ganhar, afinal quem era nuno valente, pedro mendes, derlei, maniche e tantos outros que deram tudo pelo porto e ganharam? tem de ser assim.

Dr Sigmund V disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.