domingo, 6 de agosto de 2017

Árbitros estrangeiros no campeonato português

Análise do ex-árbitro Marco Ferreira (Record, 06-08-2017)

7’: Seferovic (avançado dos encarnados de Lisboa) empurra Marcos Valente, impedindo o jogador do Vitória de disputar a bola.
1º golo do SLB precedido por uma falta clara (opinião unânime de quatro ex-árbitros), que não foi assinalada.

13’: Sálvio (extremo dos encarnados de Lisboa), movimenta o braço esquerdo para uma posição não-natural e toca na bola dentro da área.
Penálti por assinalar contra o SLB.

33’: Jardel (defesa dos encarnados de Lisboa), sem condições para jogar a bola, atinge a pontapé Rafael Martins.
Cartão vermelho por exibir ao jogador do SLB.

SLB x Vitória Guimarães - Tribunal de O JOGO


Nova época e continua tudo na mesma. Isto é, nas competições nacionais os encarnados de Lisboa continuam a jogar com 14 (com árbitros estrangeiros a coisa pia mais fino e, daí, os resultados serem muito piores).

De facto, no primeiro jogo oficial da época, em pouco mais de 30 minutos, assistimos ao cardápio completo. Um golo dos encarnados que deveria ter sido anulado (e não foi); um penálti contra o SLB por assinalar; e um cartão vermelho que, a ter sido mostrado, deixaria o treta campeão a jogar com menos um durante 1 hora.

Bem-vindos ao futebol português! O futebol dos vouchers, o futebol dos “padres ordenados”, o futebol de uma rede tentacular que suportou (e continua a suportar) os títulos ganhos pelos encarnados de Lisboa.

Vídeo-árbitro?
Como é que o vídeo-árbitro haveria de resolver alguma coisa, se os árbitros do vídeo são os mesmos árbitros que, nos últimos anos, andaram nos relvados portugueses a “estender tapetes vermelhos”?

Estou cada vez mais convencido, que isto só pode mudar com outros árbitros, porque estes estão viciados no colinho.

A divulgação pública do conteúdo de vários e-mails, trocados por elementos do "polvo", foi reveladora e muito importante, mas não chega.

Está na hora, mais do que na hora, do FC Porto dar um murro na mesa e, com o objetivo de repor a credibilidade do futebol português, defender que os jogos do campeonato sejam dirigidos por árbitros estrangeiros (durante um período a definir).

"Aceito árbitros estrangeiros na Liga" (Vítor Pereira, 17-05-2012)

E o que fazer aos árbitros portugueses?
Os melhorzinhos, os menos maus, podem ser “promovidos” a árbitros de vídeo ou video assistant referee (VAR), que em inglês a coisa soa mais fino...

9 comentários:

Paulo Pinto disse...

A unica diferença é que agora vamos ter video-padres!

Jorge Vassalo disse...

Não José. Eles não são maus. Eles erram e falham DE PROPÓSITO. E quem neles manda vende-se por um punhado de bilhetes para os velhotes amigos. E sobre isso estamos conversados.

Viste o Proença? Desde que a conta dê positiva, ele quer lá saber!

Um dia vão queixar-se da liga portuguesa.

Talvez aí a coisa mude.

Abraço

José Correia disse...

Caro Jorge Vassalo, mesmo os árbitros que são menos maus, estão condicionados (há muitos anos).
E, nos lances duvidosos, é sempre a favor do SLB.
Abraço

Roberto Tavares disse...

E o "reforço" Miguel Silva? Também deu o seu contributo, quando não são os padres, são as "contratações".

Lápis Azul e Branco disse...

Só os árbitros não chega. Temos de importar também delegados e observadores. E para ser perfeito, dirigentes também. Aí talvez...

Paulo Marques disse...

Não, a culpa é do Lopetegui até ao Nuno, tudo o resto não conta. Não vi ninguém queixar-se de convidarmos o Fábio Veríssimo para a apresentação oficial, por isso é porque está tudo bem.

joão Mesquita disse...

O nosso clube tem que ter uma posição de força. O polvo controla tudo e por mais que as evidências estejam à frente de todos, a máquina de lavagem cerebral encarnada consegue amenizar toda a podridão a que chegamos no futebol português. Isto só pode mudar se FCP e Sporting alinhavarem estratégias e tomem posições drásticas tais como aparecer a jogo com a equipa b ou juniores

José Correia disse...

«O presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Vitor Pereira, admitiu a possibilidade de árbitros estrangeiros arbitrarem em Portugal, numa entrevista hoje publicada pelo jornal A Bola.

Vítor Pereira diz que o Conselho de Arbitragem da FPF está aberto a essa experiência, "não de uma forma desorganizada e avulsa, mas num projeto coordenado internacionalmente".

O presidente do Conselho de Arbitragem diz que os portugueses estão preparados para esse tipo de situações e explicou que uma equipa de quatro árbitros internacionais foi convidada para "apitar um dos jogos mais importantes do campeonato romeno".»

http://www.dn.pt/desporto/futebol-nacional/interior/vitor-pereira-admite-arbitros-estrangeiros-em-portugal-2526997.html

Luís Negroni disse...

Ficou claro, depois deste jogo, que com árbitros serviçais do clube do regime, o video-arbitro só serve para beneficiar ainda mais o clube dos árbitros e da mentira desportiva. Os muitíssimos erros a favor (do clube da coca sem cola na porta 18, claro), nenhum será remediado. Os poucos erros contra, esses serão todos anulados, porque aí já os video-arbitros verão tudo com grande clareza. Pode dizer-se, sem grande exagero, que com a implementação do vídeo-slb-arbitro, uma nova era se iniciou: A era em que os árbitros só erram a favor do clube campeão do Treta porque o vídeo-slb-arbitro não os deixa errar contra. Vem aí a idade das vídeo-trevas do futebol português.