segunda-feira, 4 de junho de 2018

A “coerência” e interesses da coligação anti Bruno

Para os mais ofendidos para as declarações do meu homólogo do Sporting, deixem-me dizer-vos: no Sporting os sócios entraram de cara tapada, aqui também. No Sporting acenderam tochas, aqui também. No Sporting agrediram jogadores, aqui também. Querem discutir quem são os melhores? Está tudo mal.


Adeptos do Vitória Guimarães a invadirem o treino (foto: Guimarães Digital)

O que o presidente do Vitória de Guimarães afirmou, vem na linha do que já tinha sido dito pelo ex-treinador do Vitória (Pedro Martins) e confirma que aquilo que se passou em Alcochete foi em tudo idêntico ao que já tinha sucedido em Guimarães, no início deste ano.

Ah, mas o Bruno de Carvalho criticou os jogadores, disse que alguns queriam forçar a sua saída do Sporting e chegou ao ponto de dizer que eram uns meninos mimados.
Pois, não parece bem um presidente do clube dizer isto.
Aliás, nunca se tinha visto um presidente do Sporting dizer coisas destas, pois não?

Moutinho era uma maçã podre que iria contaminar o grupo


Eu, por acaso, acho que é bastante mais ofensivo chamar “maçã podre” a um jogador do que “menino mimado” mas, claro, pode haver quem pense o contrário…

Vieira, 2003
Finalmente, Bruno de Carvalho é também criticado por ser um “presidente-adepto” e que é ridículo vê-lo saltar para dentro do campo, ou dos pavilhões, para festejar aos saltos as vitórias com os jogadores.

Ora, conforme todos sabemos, nunca se tinha visto em Portugal um presidente de um Clube/SAD festejar com os jogadores de uma forma exuberante, pois não?



Em resumo, a comunicação social mostra toda a sua coerência ao atacar ferozmente o Bruno de Carvalho porque, de facto, nunca se tinha visto o presidente de um dos grandes clubes com comportamentos ou declarações semelhantes, certo?


P.S. A coligação anti Bruno, liderada por rostos conhecidos da elite/oposição sportinguista, é engrossada pelos “cartilheiros” do slb, os quais dominam o panorama dos media portugueses. A estes, que não são poucos, juntam-se também jornalistas e comentadores que têm boas relações com conhecidos players (Joaquim Oliveira) ou agentes do futebol (Jorge Mendes e outros). Por isso, se o Bruno de Carvalho conseguir sobreviver à “guerra” que está a travar com este “exército”, prevejo que, depois de um “Verão quente”, a próxima época vai ser escaldante…

Luís Filipe Vieira e o amigo Dias da Cunha

Vieira e os almoços com presidentes do Sporting

P.S.2 Sou adepto e sócio do FC Porto. Não gosto do estilo do Bruno de Carvalho, não simpatizo com a figura e não gostaria de ver alguém parecido na presidência do meu clube. Contudo, em termos de posicionamento nesta “guerra civil” do clube de Alvalade, onde parece valer tudo, não posso deixar de levar em conta a forma encarniçada como jornalistas e “cartilheiros” encarnados se mobilizaram para ajudar a derrubar o atual presidente do Sporting. Ora, se nesta “guerra” leonina os interesses do slb estão de um lado, os do FC Porto seguramente que estarão do outro…

1 comentário:

Hugo Mota disse...

Caro José,

2 Pontos:

1.
Pode até ser verdade tudo o que diz, mas graças exclusivamente à incapacidade crónica de BdC fechar a matraca e passar um par de semanas sem um conflito qualquer, o slb - e muito concretamente LFV - está a esfregar as mãos de contente pelo fôlego que todo este arraial veio dar para os lados da Luz.

Meses de (excelente) trabalho por parte de FJM foram atirados para baixo do capacho mediático, graças à extrema estupidez de BdC

2. Sinceramente, não consigo compreender esta simpatia pela lagartada. Para quem anda mais desatento, quanto mais próximos deles, mais eles têm ganho à nossa custa. Compreendo que há um interesse mouro em criar um conflito entre FCP e Scp. Mas caramba, também não é preciso sermos anjinhos...

Cumprimentos Portistas