domingo, 26 de agosto de 2018

Atitude, ou a falta dela


O essencial, antes do mais: poderíamos estar já com dois pontos de vantagem sobre slb e scp mas, pelo contrário, com a derrota de hoje, ficamos a um ponto de ambos.
E não há muito a apontar a este triunfo do Vitória, que alinhou com alguns ex-portistas. Para André André e Tozé (ambos a facturarem na partida), este 3-2 poderá até ter um certo sabor a "vingança".
Pena que o filho do grande António André não tenha mostrado nada próximo à sua exibição de hoje na maioria das vezes em que vestiu a nossa camisola…

E o FCP lá continua mal e não se recomenda.

Aboubakar e André Pereira, ambos à boca da baliza, falharam, cada um deles, um golo certo, pura e simplesmente porque foram muito mais lentos que o (mesmo) defensor vimaranense. 
Mais atitude e garra, exige-se.

Uma primeira parte muito próxima da apagada exibição no Jamor, apesar do enganador resultado ao intervalo, já adivinhava uma possível derrocada para o segundo tempo. Sérgio Conceição e Felipe assim o reconheceram no final do jogo. O caudal ofensivo é insuficiente e na componente defensiva estamos muito leves e permissivos.
As substituições (se bem que duas delas forçadas) não funcionaram. Óliver, mais uma vez, volta a não acrescentar qualquer valor. Pelo contrário, a equipa piora sempre que o espanhol entra em campo.
O nosso treinador também reconheceu que esperava muito mais daqueles que vieram do banco. Corona pouco ou nada tinha feito antes de se lesionar.
Para rever o caso particular de Marega. Voltará a ser o que era, após o seu afastamento forçado?

Ah, sim: o nosso segundo golo é fora-de-jogo, sem a mínima dúvida. O VAR estava em "black-out", tal e qual como aconteceu no Aves X slb da época passada. Só falha em jogos dos "três grandes"?
O penalty de Sérgio Oliveira, aceita-se. Mas ficou também claro que Fábio Veríssimo tentaria compensar o golo em fora-de-jogo à primeira (meia) oportunidade.
O FCP, de tão desabituado que está a ser beneficiado pelo factor-arbitragem, fez ele mesmo justiça por mão próprias, com um hara-kiri que não se via desde 1972. Foi nesse ano a última vez que, para o campeonato, perdemos uma partida após nos apanharmos com uma vantagem de dois golos. E também não éramos derrotados em casa contra o Vitória desde 1996.

Tempo para reflexão haverá de sobra: segue-se, em breve, uma estúpida longa paragem na Liga para irmos todos brincar às Selecções. Com todos estes actuais jogadores e mais um ou outro eventual reforço? Fica a grande dúvida...

7 comentários:

Kostadinov disse...

Sérgio Conceição a brincar aos futebóis.

Vidente Mor disse...

pois claro, so nao via quem nao queria ver, e mais cego o que nao quer realmente ver. Neste momento SC o mestre, esta em claro conflito com a direçao, ja nao tem todos os jogadores na mao, cada vez esta mais teimoso e agora burro tambem, ate agora mostrou que so ganha na emoçao e nao no futebol, so um pateta conseguiria ver que maregas, herreras, s.oliveiras e afins se transformariam de patinhos feios em cisnes para a eternidade. Naturalmente pensava , o mago, que para a falta de classe e força no meio campo bastava o abono de familia marega. Ja agora que fazem hgernani, fabiano, chidozie, e corona no plantel?? Olha se para a equipa B e da vontade de rir, as aquisiçoes ate agora nenhuma entrou porque SC nao arrisca, com ele jogam sempre os mesmos, andre pereira e o nosso melhor avançado de caras, abou e ridiculo de tanta passividade e desleixo, alguns jogadores estao fartos de correria maluca. PRECISAMOS DE FORMA URGENTE DE 2 MEDIOS MESMO A SERIO PARA ESTE FUTEBOL DE CORRERIAS AS VEZES SEM NEXO E QUE PARECE SER FACIL DE MANIETAR. O ano passado ganhamos na raça e arrasquinha, este ano nao vamos hanhar nada, ate o sporting mais que falido e cheio de problemas contrata e bem e relativamente b arato.

Mário Faria disse...

Uma série de “despedimentos” de jogadores por parte de SC no Algarve, deu comigo a pensar nas causas e efeitos de tão drástica posição. O folhetim Marega serviu para alimentar uma gama diversificada de notícias e muitos boatos . Acresce que o plantel continua por desenhar e temos défices claros em diversos postos da equipa e muita rapaziada com vontade de sair. Uma derrota pode não ser mais do que a perda de 3 pontos, mas pode ser um sinal de doença, dado que na jornada anterior já tinha denunciado algumas maleitas preocupantes. Tenho seguido a equipa B e até me doeu ver tanta incapacidade o que significa que dificilmente a nossa formação B possa ser um acrescento à equipa principal; pelo contrário corre o risco de constituir mais uma dor de cabeça para o FCP. Estamos (ainda) a viver a grande vitória da época passada e muito orientados na justa luta na denúncia dos abusos (crimes?) do SLB, mas não devemos deixar de olhar para o nosso FCP e agir como se tudo corresse sem sobressaltos; estou com a beiça mas o meu desabafo não decorre do facto não saber perder. Peço aos amigos que com tanto brilhantismo falam no Porto Canal para não deixem de falar das nossas força, mas também do que não vai bem. A vitória no último campeonato pôs o SC na cista da e os adeptos reconhecem como decisivo o seu trabalho. PdC é o poder no FCP; julgo que o seu poder se compatibiliza com a enorme influência do nosso treinador, mas já tive mais certezas.

Mário Faria disse...

Uma série de “despedimentos” de jogadores por parte de SC no Algarve, deu comigo a pensar nas causas e efeitos de tão drástica posição. O folhetim Marega serviu para alimentar uma gama diversificada de notícias e muitos boatos . Acresce que o plantel continua por desenhar e temos défices claros em diversos postos da equipa e muita rapaziada com vontade de sair. Uma derrota pode não ser mais do que a perda de 3 pontos, mas pode ser um sinal de doença, dado que na jornada anterior já tinha denunciado algumas maleitas preocupantes. Tenho seguido a equipa B e até me doeu ver tanta incapacidade o que significa que dificilmente a nossa formação B possa ser um acrescento à equipa principal; pelo contrário corre o risco de constituir mais uma dor de cabeça para o FCP. Estamos (ainda) a viver a grande vitória da época passada e muito orientados na justa luta na denúncia dos abusos (crimes?) do SLB, mas não devemos deixar de olhar para o nosso FCP e agir como se tudo corresse sem sobressaltos; estou com a beiça mas o meu desabafo não decorre do facto não saber perder. Peço aos amigos que com tanto brilhantismo falam no Porto Canal para não deixem de falar das nossas força, mas também do que não vai bem. A vitória no último campeonato pôs o SC na cista da e os adeptos reconhecem como decisivo o seu trabalho. PdC é o poder no FCP; julgo que o seu poder se compatibiliza com a enorme influência do nosso treinador, mas já tive mais certezas.

Pedro ramos disse...

Pelo que vou ouvindo, muitos adeptos também merecem este murro no estômago de tão arrogantes que ficaram com a conquista do último campeonato, vomitando contra tudo e todos.

Ekemba disse...

Pronto. Lá tinha de vir o arauto da desgraça Vidente Mor... O Sérgio Conceição é o conflituoso, burro e pateta que sem saber ler nem escrever ganhou o campeonato na época passada, foi as meias finais quer da Taça de Portugal que da Taça da Liga e passou aos oitavos de finais da Champions league lol.

As vezes parece que nem assiste aos jogos mas fica a espera de um mau resultado para vir dizer "eu avisei"...

D.Liberal disse...

Jogadores do FCP e adeptos,

A festa do título acaba neste jogo. Nota-se descontração na equipa e nos adeptos. Ou nos pomos a pau ou vemos a concorrência passar-nos à frente. É necessário sobretudo acerto no meio campo, uma vez que o Sérgio Oliveira e o Herrera são lentos que nem caracoís. É claro que tivemos azar no "ai-Jesus" do final e num jogo em que se lesionou o Brahimi e o outro jogador que só joga alguma coisa quando sai do banco (desta vez nem isso).

Vamos ver aspetos positivos, que a equipa acorde, que Marega entre para o 11 se merecer e que se feche em definitivo o plantel e todas as saídas e entradas. Mais ainda, transformar novamente o Dragão no nosso reduto inexpugnável e por favor deixem de cometer penalties estúpidos em lances inconsequentes. Os nossos INIMIGOS são incansáveis e tem o topete de colocar "reconquista" depois do "rumo ao tenta". Os adversários estão fortes também e sem presidente demente como sucedeu com o clube ver no ano passado.

SC e equipa toca a acordar, portistas larguem as pipocas e fato macaco!