sexta-feira, 1 de março de 2019

Jogar com cabeça

Um "jogo do título" com 10 jornadas por disputar e as duas equipas separadas por um ponto? Improvável.

A única real motivação para o Porto vencer o jogo de amanhã, é anular a vantagem no confronto direto, no caso de ambas as equipas acabarem com os mesmos pontos a última jornada. Vencer o rival é óptimo, mas não passa disso; já fomos campeões sem vencer o rival, mas acima de tudo, vencer o rival - este rival em particular - não rende nada de palpável. Foram derrotados recentemente na Taça da Liga - que efeito nefasto teve esse resultado? Nenhum. Partindo de uma derrota, falaram em "show de bola", "roubo" e seguiram para uma série de vitórias consecutivas. Duvido até que (mais) uma derrota por 5-0, fizesse grande mossa. No final, ficariam apenas a 4 pontos.

4 pontos (ou 1 ponto), como percebemos nas últimas semanas, equivale a nada. E deve-se isso a uma (no mínimo) duvidosa gestão de esforço dos jogadores do Porto, que se baseia num princípio de "jogar até rebentar". Com 10 jornadas por jogar, é virtualmente impossível não perder mais pontos. E o rival sabe disso - é tão certo como as goleadas que vão aplicar nessas 10 jornadas a equipas com "azar" e/ou num "dia mau" - o fenómeno das apostas online seguramente explicará um ou outro.


Por essa razão, e apesar de estarem atrás, é improvável que o adversário chegue amanhã ao Dragão com intenção se expor na procura de uma vitória - não precisa, tem o tempo a seu favor. A estratégia passará seguramente por jogar na expectativa, e apostar no contra-ataque. Desconheço o que planeia o Sérgio Conceição, mas uma postura semelhante à do jogo para a Taça da Liga, parece-me arriscada (e demasiado óbvia). E um mau resultado, pode obrigar o Porto, já de si desgastado, a fazer um esforço semelhante ao da equipa do Vítor Pereira em 2011/12 - a diferença é que desta vez não haverá mais confronto directo, nem "momento K" ou "H" nas últimas jornadas que nos valha.

Este é um jogo para ganhar porque jogamos em casa, mas com cabeça. Os riscos são grandes e não devem ser ignorados. Mesmo vencendo, o título está longe de garantido, portanto não vale a pena jogar como se a vitória o garantisse. A chave desse título está nas 10 jornadas seguintes.

3 comentários:

Vidente Mor disse...

se tivessemos jogado com cabeça, ou melhor se SC tivesse tido cabeça e nao fosse teimoso ja estavamos quase campeoes. Somos superiores aos toupeiras e jogamos em casa. para mim os centrais deveriam ser pepe e militao com manafa e eles nao tocavam na xixa. o futebol deles tem sido de equipa b, jogam 30 minutos e depois andam a pastar, vao entrar para tentar marcar um golo e depois desaparecem, se sofrerem primeiro sera como na taça da liga vao tentar correrias, condicionar o arbitro, se o porto aproveitar as ocasioes poderemos estar perante uns 4 ou 5 , um zero chega e verdade, dois seria melhor.
se SC nao inventar...........temos todas as hipoteses.

Paulo Marques disse...

Jorge Sousa riu-se. Se houve quem ainda não percebesse, o polvo está vivo e de boa saúde.

Pedro disse...

Infelizmente o campeonato já era...