segunda-feira, 26 de agosto de 2019

7 Notas (de outros) sobre o jogo da Luz

1. A estratégia de Sérgio Conceição foi perfeita
«Pizzi não teve para onde passar, Rafa não teve por onde correr, os corredores do Benfica foram barrados e a dupla de avançados foi reduzida a um papel fantasmagórico nas proximidades da grande área. A estratégia de Sérgio Conceição foi perfeita. Taticamente, foi provavelmente o melhor jogo da sua carreira de treinador. Secou por completo o adversário (…). O FC Porto teve um sentido posicional perfeito, roubou as linhas de passe e o espaço interior ao Benfica e teve uma pressão perfeita sobre o portador da bola. O Benfica não sabia o que fazer, não teve resposta e o FC Porto dominou por completo.»


2. Uribe, o pêndulo invisível
«Uribe terminou a partida com 97% de acerto de passe, fez quatro interceções e foi o rei dos desarmes, já que recuperou a bola em 14 ocasiões (mais uma do que Grimaldo). O médio de 28 anos contratado ao América do México, que esteve na Copa América com a seleção da Colômbia, entrou de forma natural no onze de Sérgio Conceição e parece ser um dos indiscutíveis da nova e reconstruída equipa tipo dos dragões. Herrera saiu e deixou no vácuo o papel de líder que parece estar a ser substituído por Danilo, o papel de incansável que será sempre substituído por Pepe e ainda o papel de pêndulo invisível, cada vez mais a cargo de Uribe.»


3. Viva o Marega!
«Um jogo terrível, um falhanço medonho e a única pessoa no mundo que ainda seria capaz de ter a confiança necessária para matar o jogo e calar-vos, e calar-nos, a todos. Marega é isto. Marega é nosso. Viva o Marega!»


4. "Sócios de m..., vocês são sócios de m..."
«A debandada após o segundo golo do FC Porto, no jogo de anteontem, foi contestada por um dos grupos de apoio. "Sócios de m..., vocês são sócios de m...", pode ouvir-se, num vídeo que circula nas redes sociais. Como o nosso jornal referiu ontem, depois de Marega ter batido Vlachodimos, aos 86 minutos, muitos apoiantes encarnados começaram a sair do estádio, já não acreditando numa reviravolta ou, pelo menos, no empate, o que provocou desagrado noutros.»


5. Olé! (29 passes consecutivos)
«Numa altura em que o jogo já estava resolvido - entre os 93’26’’ e os 94’31’’ -, a equipa do FC Porto estava à vontade e realizou 29 passes consecutivos, sempre acompanhados por ‘olés’ vindos da bancada destinada aos adeptos dos dragões. Escusado será dizer que o tribunal da Luz ficou irritado com a troca de bola da equipa portista e com alguma passividade dos jogadores do Benfica.»


6. O FC Porto é o FC Porto
"Porto é Porto. Todos sabem, é um clube grande, que não se deixa afetar por essas coisas [eliminação na Champions e derrota em Barcelos]. Levantámo-nos, somos fortes, somos unidos. Até fico emocionado ao ver os meus colegas a correr, a querer ganhar, isso é incrível. Se pudesse partia este prémio [eleito "Homem do Jogo"] para dar a cada um. Foi incrível a atitude que tivemos".
Zé Luís, na flash-interview, a responder a um repórter da BTV


7. 7ª vitória no novo Estádio da Luz
«Sérgio Conceição é o primeiro técnico do FC Porto a vencer duas vezes em casa do Benfica para a I Liga, no triunfo que iguala o mais folgado da história. (…) Alargando o registo ao espetro coletivo, o resultado de ontem permitiu ao FC Porto igualar a sua maior vitória de sempre em casa do maior rival, em partidas para o campeonato: vencera por 2-0 na época 1950/51. Na verdade, no novo Estádio da Luz (inaugurado em 2003), o saldo na I Liga é favorável aos nortenhos, que venceram por sete vezes, empataram seis e perderam apenas em quatro ocasiões.»

4 comentários:

Chama Portista disse...

Blogger vidente mor disse...
o problema e que SC adora jogadores batidos como o mentos jasus e matacoes, aquele que tenha tecnica saiba pegar na bola ficar com ela e jogar para SC e uma carta fora do baralho. O problema com ze luis e que SC gosta deste tipo de jogadores matacoes e pouco tecnicos

17 de junho de 2019 às 15:31
Blogger vidente mor disse...
em relaçao a contrataçoes todos temos preferidos aqui e acola, ate parece que dao por ai 120 pelo felix.......SC nao e clara,mente um treinador detetor de talentos porque ele nao os aprecia, nem e treinador para apostar em jovens. quando me lembro que perdeu o campeonato e o resto por teimosia e falta de visao apesar dos padres e bispos........

17 de junho de 2019 às 15:34


Vem comentar agora oh vidente, ou será que a tua bolinha de cristal está avariada?

"aquele que tenha tecnica saiba pegar na bola ficar com ela e jogar para SC e uma carta fora do baralho"
O Zé Luís,Luis Díaz ou o Uribe realmente não têm técnica nenhuma. Aliás, o Zé Luís revelou-se um grande matacao sem técnica como descreveste.

O SC não é treinador para apostar em jovens... Baró e Fábio Silva têm sido lançados, mas isso o vidente cá no sítio tbm não deve ver.

Eu nem sou de fazer esse tipo de coisas mas desta vez teve de ser, Zé Luís a calar os mais críticos e a mostrar que não tem nenhuns pés de tijolo, e o Baró a ser titular inclusive num clássico assim como o Fábio Silva têm tido minutos.

Pelo amor de Deus, aprendam a dar tempo ao tempo, e tal como o SC/Danilo disseram, não éramos os piores antes do clássico e tbm não somos os maiores agora que vencemos. É continuar a trabalhar porque nem tudo está bem quando se vence.

Daniel disse...

Já vi que este blog só funciona nos momentos mais "fáceis"...

Josef K. disse...

Começamos o campeonato a perder com o Gil Vicente e fomos eliminados da Champions em casa. Por mais saborosa que seja uma vitória na Luz, ela só evitou o descalabro. Esperemos que a regra seja a Luz e não Barcelos.

Unknown disse...

Face à gravidade do que se passa na Justiça, dominada pelos lampiões corruptos... não há neste espaço uma reflexão? Não questiono o portismo, não questiono a pertinência dos posts (embora questione a tempestividade dos mesmos face à gravidade do que , portistas vivemos)... mas bolas nem uma palavra sobre o e-toupeira, a reação da SAD do FCP (!!!) , os comentários de Pinto da Costa... Dormimos?... se escrevo isto é porque ao longo dos tempos me habituaram a uma coerência, assertividade, ponderação e espaço de reflexão que se traduzem num espaço de liberdade, a um amor ao FCP
JPPCH